DEU NO JORNAL

Um jovem identificado apenas como “Francinaldo” foi preso e uma jumenta apreendida na cidade de Brejinho (PE), após dar 3 tiros na porta de um motel da cidade.

O jovem teria sido barrado por funcionários quando tentava entrar com uma jumenta em um quarto do motel.

Francinaldo ficou revoltado e partiu pra cima dos funcionários do motel e acabou levando uma surra.

Logo após voltou para casa, pegou uma arma artesanal e, retornando até o motel, disparou 3 vezes na porta do estabelecimento e em seguida fugiu do local em alta velocidade montado na sua jumenta.

Durante a fuga uma pessoa ainda teria sido atropelada pelo animal.

Na delegacia, o jovem detalhou como tudo aconteceu.

“Eu só queria entrar lá como todo cidadão faz, eu com minha jumenta que é minha namorada e era meu direito, eu ia pagar!”, disse ele.

* * *

Dou minha total solidariedade ao jovem Francinaldo e sua linda jumentinha.

Quem já foi menino no sertão nordestino sabe muito bem a importância de uma jumenta na iniciação de sua vida de macho.

Nos tempos atuais, o STF já decidiu por unanimidade que é perfeitamente legal enrabar jumentas em elegantes e aparatosas suítes de motel.

Trata-se de um direito constitucional, conforme afirmou o Ministro Gilmar Mendes, devidamente embasado por um parecer do excepcional Ministro Celso de Mello, reconhecido como um grande intelectual até pelo saudoso jurista Saulo Ramos.

Mostrei a foto da jumentinha de Francinaldo pro nosso mascote, o jumento Polodoro, e ele ficou todo excitado, de olhos arregalados, balançando mansamente a pajaraca.

E, pra fechar a postagem e alegrar a nossa sexta-feira, vamos ouvir o grupo cearense Forró Real Elétrico interpretando a bela e comovente composição intitulada “Priquito da Jumenta

3 pensou em “AMOR DE JUMENTA

  1. Romance como este merece um cordel, uma música, um filme.

    Quando eu falo que o NE é rico em cultura, histórias e belezas é destas coisas que estou falando.

    No Sul, Sudeste a vida é muito pacata, sem emoções e histórias como esta..

  2. “Quem nunca quis ter um momento de amor com uma jumenta num motel, que atire a primeira pedra.” – La, Lu

    (coloquei o Demiurgo de Caetés como autor porque adoraria que ele dissesse isso em meio a uma massa que só quer um motivo para apedrejá-lo)

Deixe uma resposta