AMOR DE CACHACISTA

Esta foto foi feita domingo passado, no aeroporto de Brasília, quando eu embarcava de volta pro Recife.

Uma loja com o nome de “Eu Amo Cachaça“.

Que coisa linda!!!!

Este é um amor que trago dentro do peito e que não morre nunca.

O divórcio que o meu cardiologista decretou, me separando da cachaça, foi um ato em benefício da saúde que eu cumpro religiosamente, como paciente disciplinado que sou.

Todavia, declaro de público que acho uma tremenda sacanagem da natureza o fato de cachaça fazer mal.

Para o corpo, pelo menos.

Pro espírito faz um bem danado!

Todos os meus livros foram escritos enquanto eu bebericava uma lapada.

Acho que é por isso que ainda não consegui terminar o último romance que estava escrevendo quando tive o piripaque no coração…

Eu acho que não convém
Falar de quem bebe porre
Porque se quem bebe morre
Sem beber morre também
Apenas quem bebe tem
Suas artérias normais
Trata das fossas nasais
Controla o metabolismo
Cachaça no organismo
É necessário demais.

Manoel Filó, poeta pernambucano

2 pensou em “AMOR DE CACHACISTA

  1. Berto, tem certeza que seu cardiologista não é terrivelmente evangélico ? O meu cardiologista, algum tempo após eu entrar para a confraria dos safenados, liberou-me para dar uns tapinhas no engasga gato, com moderação,só não me explicou até quantos tapas posso dar para atingir a tal moderação . kkkkkkkkk.

Deixe uma resposta