ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

PERDOAR É SAUDÁVEL

Perdoar é básico
Significa libertar
Do pensamento ruim
Capaz de escravizar
A ofensa desculpe
Você só tem a ganhar.

CONVIVÊNCIA

Conviver é uma arte
Tratar com carinho
Aquele que põe pedra
No meio do caminho
Não se colhe rosa
Sem tocar em espinho.

SAUDADE

Saudada dói demais
Corre risco de vida
É comprar passagem
Pra viagem perdida
Destino imprevisto
Sai com alma ferida.

VALOR DO TEMPO

Não cabe ter controle
Do tempo que vai durar
Esse é um mistério
Que não nos cabe decifrar
Ma tendo sabedoria
Gaste vida pra amar!

RECADO A UM AMIGO AFETADO POR COVID-19

A cura está vindo
Peço a Deus que ajude
Falar com Ele não posso
Pois não tenho a virtude
Mas se tivesse pedia
Para repor sua saúde.

7 pensou em “ALGUNS POEMAS BREVES

  1. Parabéns, prezado Aristeu, pela excelente postagem “ALGUNS POEMAS BREVES”, Você é um grande poeta!

    Gostei muito de todas as sextilhas..

    Destaco:

    “PERDOAR É SAUDÁVEL

    Perdoar é básico
    Significa libertar
    Do pensamento ruim
    Capaz de escravizar
    A ofensa desculpe
    Você só tem a ganhar.”

    Uma ótima semana, com muita Saúde e Paz!

    Violante

    • Violante,

      Muito obrigado pelas generosas palavras. É gratificante receber elogio, mas também constitui uma responsabilidade de procurar melhorar o senso crítico para que o poema fique melhor.
      A Páscoa é uma celebração cristã comemorada anualmente ao domingo, conhecido como Domingo de Páscoa. É uma festa móvel, ou seja, a data de comemoração varia a cada ano. Ontem, tive oportundidade ler um poema de autoria desconhecida sobre essa temática e compartilho com a prezada amiga:

      OVOS DE PÁSCOA

      Não lhe mando ovos de ouro
      Porque não tenho a galinha!
      …Mas se Deus não a criou
      Foi porque não lhe convinha.

      Mas lhe mando meu carinho,
      Assim como ouro, é eterno;
      E perdura o ano inteiro,
      Da primavera ao inverno

      Uma semana plena de paz, saúde, alegria e serenidade

      Aristeu

      • Obrigada por compartilhar comigo este poema tão bonito e doce, amigo Aristeu! Adorei!

        Uma semana de muita paz, saúde, alegria e serenidade para você também!

        Violante

  2. Uma boa seleção de poemas com temas variados. Se eu fosse escolher o que mais me agradou, seria sobre a “Saudade’: Saudada dói demais/Corre risco de vida/É comprar passagem/Pra viagem perdida/Destino imprevisto/Sai com alma ferida.

    • Neide,

      Saudade pode ser boa e ruim ao mesmo tempo. Boa porque senti-la mostra que estamos atentos ao que vivemos, e que de fato compreendemos o que vivemos. A compreensão de um momento só surge depois que ele já se foi. Ruim porque podemos constatar que aquele tempo não volta mais, porque o tempo está em constante transformação. Aproveito esse espaço democrático do Jornal da Besta Fubana para compartilhar uma estrofre sobre saudade do grande poeta e repentista Pinto do Monteiro (1895 – 1990):

      Essa palavra saudade
      Conheço desde criança
      Saudade de amor ausente
      Não é saudade, é lembrança.
      Saudade só é saudade
      Quando morre a esperança.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  3. Tenho um amigo com Covid-19, e o seu poema enviei pare elevar a autoestima dele. Li um resumo sobre a doença e acho importante transcrever para se tomar as precauções.
    “A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e tem como principais sintomas febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, dor de cabeça, conjuntivite, dor de garganta, diarreia, perda de paladar ou olfato, erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas apresentam apenas sintomas muito leves”.

  4. Vitorino,

    Agradeço seu excelente comentário com observações importantes sobre a Covid-19. Pernambuco atravessa uma fase crítica dessa pandemia e agora, mais do que nunca, é preciso respeitar as medidas de higiene e isolamento que são essenciais para vencer essa batalha contra um inimigo invisível. Compartilho uma sextilha sobre a Covid-19 do repentista e poeta Rubens do Valle com o prezado amigo:

    Tem gente na pandemia
    Caminhando distraída
    Se arriscando demais
    Sem ter rumo na partida
    Contaminando os demais
    Sem zelar à própria vida.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

Deixe uma resposta para Aristeu Cancelar resposta