DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Mote de Heliodoro Morais:

Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

Eu não me canso de ouvir
Do meu marido adorado
O que ele já tem falado
E está sempre a repetir
Que eu gosto de me enxerir
Que sou teimosa também
Dou coice como ninguém
E bravo diz, carrancudo:
Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

Dalinha Catunda

Meu marido diz assim:
Eita baixinha atrevida
Dedicas a tua vida
Pensando tão mal de mim
Vou mesmo te dar um fim
E te despachar no trem
Pra comer te dou xerém
De que te serve o estudo?
Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

Bastinha Job

Vez por outra ele me xinga
Grita chora e não me deixa
Diz que meu gosto de ameixa
Minha dança e minha ginga
Se mistura à sua pinga
Que bebe e não se contém
Gasta o último vintém
Caminha a passo miúdo
Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

Vânia Freitas

As mulheres em geral
são dotadas de beldades,
diferentes das maldades
que o homem convencional
via de regra – em geral –
chama de mal ou de bem,
mas, elas, quaisquer ou quem,
tem seu próprio conteúdo…
Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

David Ferreira

Eita mulher arretada
Essa que casou comigo
É dona do próprio umbigo
Resolve qualquer parada
Quando chega a madrugada
Na dança do xenhenhém
Me carrega pro além
No tapete de veludo
Minha mulher tem de tudo
Que outra mulher não tem!

Giovanni Arruda

Deixe uma resposta