ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

“Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouca: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes na vida.”

“Acordei hoje com tal nostalgia de ser feliz. Eu nunca fui livre na minha vida inteira. Por dentro eu sempre me persegui. Eu me tornei intolerável para mim mesma. Vivo numa dualidade dilacerante. Eu tenho uma aparente liberdade mas estou presa dentro de mim.”

“É nessa hora que o bem e o mal não existem. É o perdão súbito, nós que nos alimentávamos com gosto secreto da punição. Agora é a indiferença de um perdão. Pois não há mais julgamento. Não é um perdão que tenha vindo depois de um julgamento. É a ausência de juiz e de condenado.”

“Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus calçados e percorra o caminho que percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz.”

“Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas; minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos.”

“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.”

“Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo – quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.”

“Eu me dou melhor comigo mesmo quando estou infeliz: há um encontro. Quando me sinto infeliz, parece-me que sou outra. Embora da outra mesma. Outra estranhamente alegre, esfuziante, levemente infeliz é mais tranquilo. Tenho vontade de ser corriqueira e um pouco vulgar e dizer: a esperança é a última que morre.”

“É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo.”

“Passei a minha vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar. Ao tentar corrigir um erro, eu cometia outro. Sou uma culpada inocente.”

“Não, nunca fui moderna. E acontece o seguinte: quando estranho uma pintura é aí que é pintura. E quando estranho a palavra é aí que ela alcança o sentido. E quando estranho a vida aí é que começa a vida.”

“O maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma. Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho. É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma.”

“Essa conversa de que a pessoa só dá valor quando perde não é verdadeira. Cada um sabe exatamente o que tem ao seu lado. O problema é ninguém acredita que um dia vai perder.”

“E uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi criadora de minha própria vida.”

“Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil.”

“Que minha solidão me sirva de companhia. Que eu tenha coragem de me enfrentar. Que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como estivesse plena de tudo.”

“Já chamei pessoas próximas de amigo e descobri que não eram… Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.”

“(…) Mas não sou completa, não. Completa lembra realizada. Realizada é acabada. Acabada é o que não se renova a cada instante da vida e do mundo. Eu vivo me completando… mas falta um bocado.”

“Dizem que a vida é dura para quem é mole. Não acredito que este dito popular esteja de todo certo, já que as dificuldades fazem mesmo parte da vida independente de cada um de enfrentar obstáculos inerentes a ela. Na vida, há mais espinhos do que flores, mais estradas de barro do que estradas asfaltadas.”

“Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros.”

Clarice Lispector (1920 – 1977) foi uma premiada escritora e jornalista nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira – e declarava, quanto a sua brasilidade, ser pernambucana – autora de romances, contos e ensaios. A talentosa Clarice é considerada uma das escritoras brasileiras mais importante do século XX. Sua obra está repleta de cenas cotidianas simples e tramas psicológicos, demonstrando profundo conhecimento da alma humana. Clarice Lispector é um marco em nosso Modernismo e suas obras continuam entre as mais lidas no país. A autora, vale lembrar, figura como uma das primeiras escritoras a ganhar notariedade nacional, ao lado de grandes nomes, como Rachel de Queiroz e Cecília Meireles, tendo, portanto, também um papel fundamental para desconstruir preconceitos e ampliar o horizonte para tantas outras mulheres na literatura.

14 pensou em “ALGUMAS DAS MELHORES FRASES DE CLARICE LISPECTOR

    • Famigerado,

      O agradecimento é recíproco. Seu comentário constitui uma energia de excelente qualidade que incentiva o prazeroso trabalho de pesquisar nossa rica literatura. Utilizo o seu comentário para compartilhar três frases de Clarice Lispector:

      1) “Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.”

      2) “Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever.”

      3) “Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever.”

      Saudações fraternas,

      Aristeu

      • CORREÇÃO:

        REPETI DUAS FRASES, ENTÃO FAÇO A CORREÇÃO:

        3) “Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.”

    • Muito obrigado pelo gentil comentário. Gentileza gera gentileza, então compartilho três frases de Clarice Lispector com o prezado amigo:

      1) “Terei toda a aparência de quem falhou, e só eu saberei se foi a falha necessária.”

      2) “O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós.”

      3) “… estou procurando, estou procurando. Estou tentando entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda.”

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  1. O artigo presta um tributo essa magnifica escritora, coincidentemente, em 10/12/2020, Clarice Lispector completaria seu centenário. Em sua única entrevista televisiva, à TV Cultura, em 1977, Clarice afirmou nunca ter assumido a carreira de escritora. “Eu não sou uma profissional, só escrevo quando quero. Eu sou um amador e faço questão de continuar sendo amador. Profissional é quem tem uma obrigação consigo mesmo de escrever, ou então com o outro, ou em relação ao outro. Agora eu faço questão de não ser uma profissional.”

    • Vitorino,

      Agradeço seu excelente comentário. Assisti a única entrevista televisisa, à TV Cultura, reprisada a semana passada. Soube que ela só permitiu que fosse veiculada após sua morte. Clarice Lispector merece todas as homenagens que estão sendo feitas por conta do seu centenário. Usufruo dessa ocasião para compartilhar três frases de Clarice Lispector:

      1) “Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro.”

      2) “E nem entendo aquilo que entendo: pois estou infinitamente maior do que eu mesma, e não me alcanço.”

      3)”Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo – quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.”

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  2. Aproveito a homenagem do artigo a Clarice Lispector para transcrever uma boa notícia sobre sua obra. “Se fosse viva, Clarice Lispector se espantaria com a condição de celebridade que, à revelia, alcançou na internet. Ela é um dos nomes mais citados nas redes sociais: ‘O anonimato é suave como um sonho’, afirmou Clarice: ‘Estou precisando deste sonho’. O dia 10 de dezembro marcou a passagem do centenário de Clarice e ela será celebrada ao longo do ano pela Editora Rocco, com o relançamento de toda a obra, em nova edição. Com projeto gráfico do premiado designer Victor Burton, os 18 volumes terão capas criadas a partir de pinturas da escritora e serão enriquecidos por textos de grandes críticos e de leitores apaixonados pela obra de Clarice”.

    • Messias,

      Agradeço seu ótimo comentário e também pela transcrição sobre o evento do centenário de Clarice Lispector. Ler a obra de um escritor é uma aventura mágica e um enriquecimento literário que vale a pena gastar o precioso tempo.
      Compartilho três frases de Clarice Lispector com o prezado amigo:

      1) “Fique de vez em quando só, senão você será submergido. Até o amor excessivo dos outros pode submergir uma pessoa.”

      2) “Tenho várias caras. Uma é quase bonita, outra é quase feia. Sou um o quê? Um quase tudo.”

      3) “Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!”

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  3. Caro Aristeu,

    Sua seleção de frases foi espetacular e estou distribuindo para algumas amigas que certamente vão se sensibilizar.

    Mas, para o caro escritor, tenho uma notícia de lhe fazer inveja e isto já foi dito numa crônica aqui publicada.

    Em uma tarde do verão de 1942, na Praça Maciel Pinheiro, (Boa Vista, Recife), os lábios de Clarisse me deram um beijo na testa, num ato de afeto que em mim ficou para sempre.

    Eu era criança de seis anos e estava acompanhado de duas primas que eram amigas da menina-moça, filha de judeus ucranianos, que moravam na esquina da Travessa do Veras com a praça.

    Hoje, caro Aristeu, vem você com essa sensibilidade de sempre e me traz de volta, em sua crônica, um momento que hoje faz eco em meu ser: a tarde em que Clarice me bejou.

    Surgiu, como se um filme fosse, a projeção da menina-moça, que quase todas as tares descia do casarão para ver a fonte jorrando água, o acendedor de lampiões clareando a noite que começava e rever suas amiguinhas do bairro.

    • Carlos Eduardo Carvalho,

      Grato pelo seu emocionante contato com a menina-moça Clarisse Lispector. A sua descrição teve a delicadeza de quem possui a poesia na superfície da pele e no DNA que corre no seu sangue. Observo o seu sentimento como a saudade de um momento único com quem deixou um legado poético atemporal.
      Compartilho três frases instigantes de Clarice Lispector com o prezado amigo:

      1) “Orgulho não é pecado, pelo menos não grave: orgulho é coisa infantil em que se cai como se cai em gulodice. Só que orgulho tem a enorme desvantagem de ser um erro grave, com todo o atraso que erro dá à vida, faz perder muito tempo.”

      2) “Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada… Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro, não é?”

      3) “Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.”

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  4. Parabéns pela excelente postagem, prezado Aristeu Bezerra! A consagrada escritora e jornalista Clarice Lispector (1920 – 1977) , nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira, deixou sua marca insuperável, como autora de romances, contos e ensaios. É considerada uma das maiores escritoras brasileiras do século XX.
    Entre as melhores frases de Clarice Lispector, citadas por você, destaco:

    “Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus calçados e percorra o caminho que percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz.”

    Uma ótima semana! Muita Saúde e Paz!

    Violante Pimentel

  5. Violante,

    Muito obrigado por seu generoso comentário a respeito de Clarice Lipector. Muitos leitores
    se perguntam por que ela é uma das campeãs de citações na internet. Há várias hipóteses. Isso ocorre porque há trechos de Clarice que, retirados do contexto, podem ser lidos como mensagens edificantes, lições de vida que, na maioria das vezes, dão a impressão de simplificá-la.Outra razão é o das frases feitas, retiradas do contexto, que ganham a feição de máximas, provérbios, ditos. Ela escrevia com perfeição, de fato, frases lapidares.
    Aproveito esse espaço democrático do Jornal da Besta Fubana para compartilhar três frases da grande escritora Clarice Lispector com a prezada amiga:

    1) “O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido. Você só terá sucesso na vida quando perdoar os erros e as decepções do passado. A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade.”

    2) “Gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.”

    3) “Estou a um quase passo de admitir que a vida que levo é um pretexto para ofuscar a vida que não gostaria de ter. Vida como desculpa por existir. E o incrível é que eu não dou o passo. Fico tão imóvel que estar parada é o meu maior movimento. O mais violento. E não consigo sair exatamente daquele lugar onde todas as sensações ocorrem, justamente por estar tão grudada em mim é onde mais dói: na pele.”

    Uma semana plena de paz, saúde e alegria

    Aristeu

  6. Agradeço-lhe o compartilhamento desses belos pensamentos de Clarice Lispector, prezado Aristeu! Essa grande escritora e jornalista permanecerá sempre viva no cenário literário brasileiro, como uma fonte inesgotável de inspiração.

    Um abraço, amigo!.

Deixe uma resposta para Famigerado Cancelar resposta