FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

Você me induziu ao adultério
Não resisti, ninguém resistiria
Teu jeito alegre, às vezes sério
Ora poemas e as vezes poesia

Quando caía a noite, você aparecia
Vestida de branco, lá no horizonte
Discreta, distante, só eu percebia
Senhora de si, sedutora, confiante

Adúltero confesso, condeno a ti
O teu silêncio, prenhe de palavras
Foi mais forte que eu, não resisti

Ainda minguante, você me completava
Conduzia-me ao delírio, puro êxtase
Oh Lua cheia, paixão dos poetas.

9 pensou em “ADÚLTERO CONFESSO

    • Fico grato meu caro Mauricio Assuero. é uma honra saber-me lido e comentado por você. Obrigado meu garoto. Bom dia e meu abraço.

  1. Muito obrigado meu amigo joaquimfrancisco, Fico grato pela lembrança, só não sei se minha poesia está a altura da música do cantor Vicente celestino de quem sou fã de carteirinha. Bom dia e meu abraço.

    • Parabéns pelo belo soneto, cheio de lirismo, grande poeta Itaerço Bezerra! A inspiração que a lua branca provoca nos poetas apaixonados, é sublime! Adorei!

      Grande abraço!

  2. Eita minha amiga Violante Pimentel, fico feliz em saber-me lido e comentado por você. Cada comentário um incentivo para que esse poeta melhore sempre.

    Um abraço
    Itaerço
    Imperatriz-ma

  3. Sancho gostou e pede bis…
    Oh Lua cheia, paixão dos poetas.

    Os Francisco desta gazeta são pura inspiração…

    Abraço forte, grande

    Itaerço

  4. Meu caro amigo Sancho. Fico grato pela leitura e comentário. Prometo novas postagens, só não prometo “bizar” a poesia como você pediu por medo do editor raiar comigo. rsrsrsrsrsrsrs.

    Um abraço
    Itaerço
    Imperatriz-ma

Deixe uma resposta