A PALAVRA DO EDITOR

Recebi este recorte do leitor fubânico Joab de Moura, residente em Diamantina-MG.

A notícia informa que não foi o “poder público“, mas sim o “crime organizado” que reduziu o número de mortes.

Vejam:

Parece que esta fantástica notícia foi dada num isento e informativo órgão da nossa extrema mídia.

E é isso que eu gostaria de saber:

Qual foi o jornal que publicou esta verdade irrefutável?

Ou isso é feiquinius?

Peço ajuda aos nossos leitores.

Coloquem a resposta aí na área de comentários.

E, por favor, indiquem quem são os “especialistas” citados na nota.

Uma nota que fala em “desigualdade social“, coisa que eu pensei que havia sido extinta durante os governos do PT, conforme garante o ex-presidente Lapa de Pinóquio.

O fubânico lulo-zisquerdista Fanático Furioso, pesquisador incansável, com certeza deve saber onde isto foi publicado.

Fico no aguardo e agradeço antecipadamente a atenção.

6 pensou em “ADONDE É QUE FOI PUBLICADO?

  1. Senhor, dai-nos paciência pra aguentar a gang de esquerdistas que não se conforma com a nossa escolha de Bolsonaro para a Presidência! Eles não se cansam de mentir e distorcer a realidade na vã esperança de abalar o Governo!
    Os “especialistas” certamente fazem parte da quadrilha desesperada pelas dificuldades que agora se impõem contra as facilidades que existiam pra se roubar neste País!
    E pior: as perspectivas de futuro não são nada boas pra o lado deles!
    Comemoremos!

  2. Seguindo a teoria dos especialistas aquilo que a imprensa fala sobre feminicidio, crime de ódio , que a PM mata mais negros e pobres é tudo mentira . São bandidos que mata os seus co-irmãos e que agora resolveram fazer uma triagem para decidir quem morre e quem fica vivo.
    Só fiquei encasquetado com o seguinte , bandido nasce igual a capim , a grama ? Já que matam 65 mil num ano e no ano seguinte tem mais 65000 para morrer .

  3. Os dados do Monitor da Violência, que são os mais atualizados, mostraram que a letalidade violenta caiu 10% já em 2018, ano com um total de 57.117 mortes. Isso porque a tensão entre os grupos rivais começou a diminuir a partir de armistícios e pactos de não-agressão. Em comparação com os cinco primeiros meses do ano passado, as mortes violentas em Estados como Acre, Pará, Rio Grande do Norte, Alagoas, Sergipe e Ceará caíram mais de 24%. Só no Ceará a queda foi de 53%.

  4. Apesar dos pesares, creio que todos os méritos obtidos a partir de 1º de janeiro de 2019 devem ser atribuídos ao governo de Jair Messias Bolsonaro, O Burro, ainda que tenham vindo ou sejam a continuação de providências de governos anteriores e sejam quais forem as causas,da mesma forma que os fracassos e derrotas também devem, a partir da mesma data, serem debitados ao mesmo, da mesma forma que se fez com Liula, Dilma e Temer.

Deixe uma resposta