CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Dom Luiz Berto:

QUEM VAI PAGAR PELO NÚMERO HAVIDO E CRESCENTE DE MORTES PELA PRAGA CHINESA?

É lógico que devem ser responsabilizados, por GENOCÍDIO, os que não disponibilizaram, (nem disponibilizam!!!) – para os infectados – a hidroxicloroquina e o protocolo elaborado, já, por um grande número de médicos (que o estão usando, e com sucesso!!!) e que é de pleno conhecimento público.

Além dos governadores e prefeitos, também, devem ser responsabilizados os jornalistas que omitiram (e/ou omitem!!!) a divulgação dessas informações – que só estão sendo conhecidas graças as redes sociais.

Veja-se, pois, a criminosa conta macabra atual – dos governadores (os 10 mais, todos da maldita e doentia oposição ao Bolsonaro!!!) – até 01/07/2020 (de acordo com a publicação do site Poder 360), que é a seguinte:

1º João Dória, de São Paulo; 15.030 mortes;
2º Wilson Witzel, do Rio de Janeiro; 10.198 mortes;
3º Camilo Santana, do Ceará; 6.180 mortes;
4º Helder Barbalho, do Pará; 4.960 mortes;
5° Paulo Câmara, de Pernambuco; 4.894 mortes;
6º Wilson Lima, do Amazonas; 2.843 mortes;
7º Flávio Dino, do Maranhão; 2.081 mortes;
8º Rui Costa, da Bahia; 1.902 mortes;
9º Renato Casagrande, do Espirito Santo; 1.693 mortes;
10º Renan Filho, de Alagoas; 1.072 mortes;

perfazendo um total de 45.283 óbitos, isto é, 45.283 famílias enlutadas – por culpa e determinação exclusiva desses genocidas!!!

Entretanto o Brasil (02/07/2020) já soma 1.496.858 infecções e 61.884 mortes ocasionadas pela covid-19, de acordo com o Ministério da Saúde, que registrou 48.105 novos casos e 1.252 óbitos em 24 horas ―sendo que 3.931 mortes ainda estão em investigação.

Quando soube que cada óbito rende – ao canalha e genocida – R$18.500,00 (suposto gasto com uma suposta internação em uma UTI!!!), ficou tudo explicado.

Permita-me, porém, uma simples sugestão para futuros atos judiciários contra os médicos que se negarem (e/ou se negam!!!) a usar a cloroquina e seu coquetel:

Que a família do infectado (ou quem acompanhá-lo) deve pegar nome e sobrenome do médico – que se recusar a prescrever o coquetel com a cloroquina – para, se necessário mais tarde, acioná-lo na justiça.

Garanto que – se eles (médicos) ficarem cientes disso, em dois tempos!!! – mudam de ideia e tornam-se adeptos do coquetel cloroquinano, desde a infância.

A mesma coisa, em se tratando de governadores e prefeitos, que se recusarem (e/ou se recusam!!!) a adquiri-los e/ou fornecê-los (os ditos coquetéis!!!) – para uso em seus sistemas de saúde.

Mas, infelizmente, a maioria da população brasileira é como um boi, ou seja, não sabe ou ignora a força que tem, e se deixa levar por esses patifes genocidas – sem reagir.

Verbas federais – para enfrentar essa maldita praga chinesa (só podia ser!!!) – estão jorrando, continuamente, por ordem do Bolsonaro, para todos os estados e municípios.

Pelo menos dá (e sobra!!!) para comprar, inicialmente, milhares de componentes do coquetel cloroquiniano e distribuir – como prevenção ou primeiro tratamento!!! – primeiro, à população mais vulnerável, no caso os idosos (e, depois, aos demais).

Portanto não há uma mínima desculpa!!!

É claro que – estamos no Brasil, portanto, infelizmente e/ou no meio do caminho – pode haver (ou haverá) um “juizeco” esquerdopateta ou um “sinistro” do STF (Supremos Trambiqueiros Foderais) ou um Nhonho ou um Al-Ku-Lambe. para “abafar” os processos judiciais, certamente todos com ganho de causa, contra esses malditos genocidas.

25 pensou em “ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE–RS

  1. Por correspondências assim eu digo sem medo:

    os notáveis que Gen. Mourão idealizou para a Carta Magna que sucederá esse teratismo chamado CF/88 se encontram no JBF.

  2. Meu caro Adail, Gaúcho de Alegrete,

    A Cloroquina ou Hidroxicloroquina sumiu das UPA’s especializadas dos primeiros atendimentos da peste chinesa.

    Aqui em SP, o primeiro estado da lista, o paciente ainda na fase viral, é testado, cujo resultado demora uma semana, é devolvido para casa com paracetamol e outros remédios paliativos, porém não é ministrado o coquetel (HCQ + AZT + Z + Invermectina . Vit C, D e Z).

    Quando e se entrar na fase inflamatória, com dificuldades respiratória, aí pode tomar a Hidroxicloroquina. Dória é um genocida.

    No futuro, as pessoas vão conhecer esta era como a do genocídio causado pela tentativa de dominação do PCC chinês no mundo.

  3. Meus prezados amigos e companheiros nesses tempos tenebrosos,

    A solução para essa pandemia de político canalha eu já dei há algumas edições do JBF: Uma guilhotina em cada praça pública em frente ao Palácio do Governo e às prefeituras.

    Depois, é só soltar a ira da população dar conta dessa chusma de patife celerados.

    Quanto a isso, leiam minha crônica de amanhã.

    • Em ansioso aguardo, Sancho torce para o domingo adônico chegar arapidinho…
      Beijo grande em vosso coração, adônico das palavras cortantes como lâminas de gelo na fria São Bernardo.

    • Sr. Adônis,

      na expectativa pelo abalo sísmico textual de amanhã.

      E que não seja de magnitude menor do que 12 (sim, eu tô querendo arrombar com esse mundo véio).

    • Caro Adônis, lerei com atenção sua coluna e depois vou para a coluna do Gordo Isentista radical.

      Farei comentários nas duas (que serão com certeza antagônicas) com gosto.

      Até lá.

  4. Bah, tchê, Sancho, um boca aberta, ficou abichornado após ler o texto (que texto de afudê, né gaudério señor Agostini? – desculpe o arreganho, não quero arriar no dileto amigo). É que essas coisas me deixam atucanado.
    Como aqui em São Bernardo anda fazendo frio de renguear cusco, vou largatear enquanto ainda há sol.
    Abraço grande, grandíssimo e tri legal amigo.

    Aproveito este sol gaúcho para mandar um beijo grande para meus amigos, o casal Souza e Déti, que vieram dos pampas para Sampa há muito tempo, perdidos na poeira…

  5. Como médico, pergunto ao Sr. Adail: Se o paciente apresentar efeitos colaterais graves e mesmo falecer devido ao “coquetel cloroquiniano”, a família também deverá processar o médico?
    Att,

    • Caro Sr. David, ouso responder, mesmo sem procuração do Gaúcho de Alegrete Adail.

      A Cloroquina vem sendo usada há mais de 70 anos em populações do brasil, onde a malária é endêmica. Usa-se inclusive de forma profilática em pesoas que vão para aquela região.

      Quando da ocorrência de nascimento de crianças com micro encefalia no NE chegou-se a fazer o estudo do uso da HCQ em grávidas, lembra?

      Hoja já são inúmeros os casos em que a incidência da Doença do vírus chimês foi mitigada em cidades onde o uso do coquetel com a HCQ foi aplicado no estágio viral da doença. Nenhum caso de efeitos colaterais graves ou morte devido ao uso do remédio foi relatado em milhares de tratamentos

      Não sou médico, poré, Dr. David e o Dr. Roberto Calil são e, quando doentes tomaram a Hidroxicloroquina para se recuperarem.

      Volto a insistir, no futuro vão se referir a este período a um genocídio, por não usarem o tratamento correto em função de politizarem a cura.

      • Obs. Os renomados médicos que usaram a HCQ e seu coquetel foram o Dr. David Uip, então secretário estadual de saúde de SP, que depois veio a “demitir-se” e o Dr. Roberto Calil, responsável pelo Hospítal Sírio Libanês, um dos mais conceituados de SP e do mundo.

      • Dom João Francisco:

        Obrigado pela defesa.

        O senhor disse tudo que eu diria.

        Quanto a doutor David para dizer:

        “Se o paciente apresentar efeitos colaterais graves e mesmo falecer devido ao “coquetel cloroquiniano …”

        deveria citar – pelo menos!!! – um unicuzinho (epa!) caso comprovado do uso do coquetel cloroquiano – em que o paciente, infectado pelo vírus xingling – tenha tido ” efeitos colaterais graves e mesmo falecer…”, ao invés de – por ter sido aplicado em tempo – ter sido curado.

        É nesta hora que me vem a mente um afirmação de um tio meu – PhD em todas as áreas das universidades da vida – que dizia:

        “ME LIVREM DOS MÉDICOS, POIS DOS MEUS INIMIGOS ME LIVRO EU”.

        Só espero que o doutor David não seja infectado pelo vírus xingling – que DEUS o defenda!!! – e que tenha de renunciar, movido por suas convicções, ao coquetel cloroquiano.

        QUE DEUS TE ABENÇOE E TE DEFENDA, DOUTOR DAVID!!!

        • Pelo visto, o senhor não leu minha manifestação abaixo.
          Quanto a seu comentário desrespeitoso a respeito dos médicos, no dia em que o senhor estiver realmente doente, procure um pajé.

          • Dr. David:

            1º – “Pelo visto, o senhor não leu minha manifestação abaixo.”

            Eu escrevi o meu comentário às 20:33.

            O seu foi às 20:39, e está abaixo, portanto depois do meu.

            Não tenho “bola-de-cristal” para adivinhar o que acontecerá ou virá escrito depois.

            2º – “Quanto a seu comentário desrespeitoso a respeito dos médicos, no dia em que o senhor estiver realmente doente, procure um pajé.”

            Primeiro: Eu não fui desrespeitoso quanto aos “médicos”.

            Apenas demonstrei a minha desconfiança quanto à suposta ciência médica, ciência coisa nenhuma, pois em uma ciência os resultados finais são sempre iguais.

            E não – como vemos o exemplo do caso atual – uma “guerra” de opiniões e “achismos” totalmente opostas sobre o uso e efeitos do coquetel cloroquiniano.

            Quem está com a razão?

            Logo, ciência médica, ciência coisa nenhuma.

            Ciência é a matemática em que, por exemplo, 2 peras mais 2 peras terá como resultado – sempre – 4 peras.

            Ou que 2 peras mais 2 bananas – serão sempre – 2 peras e 2 bananas.

            E que o número 2 escrito ao lado de outro número 2 será sempre lido como o número 22

            Segundo: Para finalizar, médico nenhum tem o mais infinitesimal direito de errar, e ficar tudo isso por isso mesmo.

            Deve (= É obrigado), isso sim, fazer tudo que for acertado, ou, pelo menos, tentar de tudo para acertar.

            Se não conseguir êxito, pelo menos que tenha a consciência perfeitamente limpa de que tentou.

            É a vida – o bem mais inalienável do ser humano – que está em jogo.

            Segundo: Quanto ao seu conselho:

            “no dia em que o senhor estiver realmente doente, procure um pajé.”

            posso lhe dizer o quê?

            O senhor já disse tudo.

            E QUE DEUS ABENÇOE E PROTEJA AO SENHOR E AOS SEUS PACIENTES!!!

    • Prezado Dr. David,

      Acredito piamente que grande parte das mortes que verificamos diariamente se devem mais à Iatrogenia que à doença em si.

      Cura-se uma coisa e cria-se um problema de outro lado. É a lei da vida!

      Não conseguimos mexer com um mecanismo altamente complexo, como é o ser humano, sem que esses efeitos se apresentem de alguma forma.

      Assim, meu caro doutor, tudo na vida é conhecido dentro de um intervalo de segurança e uma questão de custo e benefício. Nesse caso, creio que as chances de cura são comprovadamente e sumamente superiores ao risco corrido.

      Aliás, nunca vi médico nenhum ser condenado por Iatrogenia. O senhor já viu?

  6. Prezados Fubânicos:
    1- Eu também tomaria a hidroxicloroquina.
    2- Existem n médicos famosos, n hospitais famosos e n trabalhos científicos pró e contra a hidroxicloroquina.
    3- Apesar de eu não ser nenhum médico famoso, também estudo muito.
    4- Minha manifestação foi no sentido de que não se pode procurar a justiça porque o médico não quis administrar a cloroquina. Há contraindicações sim.
    5- Já atuei junto ao Conselho Regional de Medicina daqui de São Paulo, já tendo visto inúmeros médicos sendo condenados por mal prática.
    6- Sem mais polêmicas, um grande abraço a todos.

    • Caro Dr. David,

      Eu entendo vossa preocupação, sei também que é a de muitos médicos, ou seja, prescrever a medicação que contém a hidroxicloroquina e por algum motivo o paciente vir a sofrer problemas devido às contraindicações previstas na bula do remédio.

      O problema é que estamos no meio de uma pandemia de uma doença nova que a meu ver foi introduzida de forma deliberada pela China como parte de um jogo geopolítico global.

      O uso da medicação contendo HCQ na fase viral desta doença nova foi estudado pelo médico infectologista Francês Didier Raoult ainda em janeiro. Uma medicação fácil de ser feita barata e que não tem indústria detentora dos royalties .

      Aqui no Brasil o primeiro a usar com bons resultados foi a Prevent Senior, cujo dono quis levar o procedimento ao MS e foi sumariamente Barrado pelo Mandetta. Foi recebido depois pelo Presidente Bolsonaro que encampou a ideia do maior uso

      Foi aí que a coisa pegou, pois virou uma disputa política e até hoje com outros inúmeros exemplos exitosos do uso ainda tem os que são contra.

      Em uma situação complicada, que muitos comparam a uma guerra mundial, não dá para esperar o resultado dos testes científicos rigorosos, pois pode ser tarde.

      Também há os casos de fraudes, como o “teste” feito em Manaus, com participação de 10 “pesquisadores” ligados ao PT que matou 22 pacientes. Tem também o caso da renomada revista médica Lancet que apresentou um “estudo” que desacreditaria a cloroquina. Tudo falso, Tudo Fraude. Repercução zero na grande mídia.

      O assunto é longo e sei que no futuro esta pandemia será vista como um ataque biológico do PCC chinês para ter hegemonia mundial e o genocídio que isso causou.

  7. sem entrar no merito ou desmerito da hidrocloroquina , a qual conheço varias pessoas com lupulus que a tomama a anos , gostaraia apenas de deixar aquium relato sobre umacidade media distante cerca de pouco mais de cem quilometros da capital de sao paulo e que atravessou a pandemia , com apenas tres mortes , por complicaçoes do covid , 19 ou o virus chines , sendo o prefeito da cidade um medico que optou pelocoquetel que foram ministrados em pessoas que sentiram os primeiros sintomas de reaçao ao virus chines , e tratamento com nvermecitina a titulo de profilaxia , , portanto como disse o sikera junior , em manaus que estava entrando em colapso , quando o governador hejder barbalho aceitou o uso do coquetel com hidrocloroquina , praticamente zerou os obitos , tanto mais que manaus foi a primeira capital a sair da quarentena e hoje tem todo seu comercio e serviços funcionando normalmente ,,,, as morte por super dosagem de hidro cloroquina foram na realidade assassinatos , pois as dosagens foram quase dez vezes as indicadas por medicos que a prescevem continuamente … portanto temos uma enorme quantidade de mortos que poderiam terem sido salvos , pois quando nao se tem a arma certa a improvisaçao que na medicina de guerra e comum deveria ter sido tentada, e so nao o foi exatamente por problemas politicos e nao medicos , ou entao interesses de laboratorios farmaceuticos visto que o coquetel custa muito pouco em ralaçao aos outros que foram usados e isto sem contar com a corrupçao do covidao…

  8. Parece que não estou sob censura.

    Sr. Adail.
    “ME LIVREM DOS MÉDICOS, POIS DOS MEUS INIMIGOS ME LIVRO EU”.
    1- Isso não é desrespeito aos médicos?
    2- A Medicina NÃO É UMA CIÊNCIA EXATA. Se o senhor acha que, pelo fato de que em Medicina nem sempre 2 + 2= 4, sinto muitíssimo.
    3- O senhor não tem a menor ideia de quantas horas eu estudo por dia. Então não me venha a dizer que Deus abençoe meus pacientes.
    4- Onde o senhor estudou tanto quanto à hidroxicloroquina? Nada de achismos, por favor.

  9. A propósito: Se o senhor já teve problemas com algum médico, se o senhor ou familiar ou amigo foram infelizmente vítimas de algum erro médico, por favor, não desconte em mim.

    • Caro Dr. David, mais uma vez, mesmo sem conhecê-lo pessoalmente e mesmo sem procuração para tanto, ouso responder pelo colunista fubânico Adail, gaúcho de Alegrete.

      Se há uma coisa que também esta quarentena nos deixou, foi com os nervos À flor da pele e por vezes exageramos em nossas manifestações.

      Posso lhe garantir que aqui neste espaço não temos ninguém contrário à medicina tradicional ou adepto à ₢ pajelança₢.

      Só para alertar, o nosso manauara Nikolai Hel.,sugeriu o ₢ como ponto de ironia e eu adotei, pois muitas vezes se torna necessário.

      A frase: “ME LIVREM DOS MÉDICOS, POIS DOS MEUS INIMIGOS ME LIVRO EU”. não pode ser tomada ao pé da letra e sim como um sinal de que os médicos muitas vezes erram. devia vir com ₢.

      Eu entendo que os médicos que por vontade própria, estão negando o tratamento precoce a pacientes da Covid-19 com o coquetel de hidroxicloroquina, estão cometendo um erro grave.; mesmo quando ainda não se tem a confirmação da doença.

      Já há inúmeros casos de sucesso neste tipo de tratamento e nenhum, a que se conheça, caso de efeitos colaterais graves ou morte por seu uso.

      O futuro vai dizer quem estava certo e nesta hora veremos quem quis realmente salvar vidas e quem se aproveitou da pandemia.

      Muita saúde e paz para o Dr.

      • Tudo o de melhor para o senhor também, Sr. João Francisco.
        Só me manifestei porque o Sr. Adail sugeriu que se entrasse na justiça contra os médicos que não receitaram a hidroxicloroquina. Há vários hospitais de ponta que também não utilizam o referido medicamento. Há de se aceitar o contraditório. Ninguém é dono da verdade no que diz respeito à pandemia atual.
        Att,

        • Prezado Dr. Davis,

          Na realidade, ninguém é dono de verdade nenhuma! Nem mesmo os médicos.

          Acredito que a frase sobre a desconfiança dos médicos esteja mais relacionada a uma certa categoria de colegas seus que são um tanto ávidos pelo vil metal;

          Estou falando da minha experiência pessoal, pois conheço um monte deses argentários. Da mesma forma que conheço alguns que são verdadeiros anjos enviados do céu.

          Assim caminha a humanidade!

          Não se chateie muito com os comentários não! Aqui no JBF é assim: um verdadeiro tiroteio no escuro. Depois, sai todo mundo junto para tomar uma cerveja gelada.

          • Prezado Sr. Adônis.
            Concordo com o senhor. Na Medicina, como em inúmeras profissões, a verdade de hoje é a mentira de amanhã, ou vice-versa.
            Do mesmo modo, argentários existem em todas as profissões, infelizmente.
            Quanto ao lance da cerveja, muito legal.
            Tudo de bom para o senhor.

Deixe uma resposta