A SABOTAGEM DA MÍDIA – SUJA – DA HIDROXICLOROQUINA

Cristiana Altino de Almeida (Médica do Real Hospital Português de Recife)

Hoje meu coração vibrou com os resultados de trabalhos científicos que saíram mostrando o poder da HCQ dessa vez na fase precoce, com os protestos em artigos como esse, com testemunhos de vários médicos do mundo inteiro e com o trabalho incansável dos médicos brasileiros que estão muito na frente em organização e por isso mudando o panorama da pandemia. Feliz com o anúncio da LIVE do Ministério da Saúde do Brasil, exemplo atual para o mundo. Adotou oficialmente o protocolo precoce e a letalidade caiu rapidamente de 14% para 4%, um número muito melhor que o da Alemanha por exemplo. E vai cair muito mais como caiu em várias cidades.

Contente com os convênios que abraçaram a causa do tratamento precoce, tipo Prevent, Hapvida e Unimed que estão salvando vidas. Parabéns a batalhadora e admirável Lourdinha, presidente da Unimed Recife. Contente com a França onde as famílias dos mortos vão processar as autoridades de saúde e principalmente porque as pessoas estão acordando. Tribunal internacional para crime contra a humanidade. Julgamento da indústria farmacêutica que financia pesquisas imorais como foi o caso do Lancet, das vacinas patrocinadas pelo gênio do mal Bill Gates, julgamento do globalismo e das profecias insanas de Bill Gates e o novo normal, julgamento de quem patrocina Greta Thunberg e suas mentiras e insanidade que convencem os jovens talibãs ocidentais, esses que querem destruir nosso passado como civilização e história. Proibição mundial de testes de modificação genética em vírus, proibição dessas pesquisas na China mas também nos Estados Unidos e Canadá, julgamento da mídia comprada e mentirosa. Julgamento para o assassinato de pessoas no trabalho do Amazonas da Fiocruz publicado no JAMA. Como algum médico do Amazonas usa Hidroxicloroquina em fase errada e esquece a dose que se usa de rotina na região. O amazonense nem se preocupa com os perigos novos descrito nesse sanatório geral mundial se o médico fala, mas é aquele remedinho da malária, ah, esse sim doutor, o outro não.

A lista é tão interminável que leva a um Tribunal das Trevas no estilo de Nuremberg.

A população mundial tem que ter coragem para sair de casa, para ir ao ar livre, para desobedecer às ordens autoritárias, para ACABAR com a OMS que é responsável por esse sofrimento. Para julgar esse corrupto diretor da OMS que além de não saber o que diz é respeitado por países do berço da civilização ocidental e hoje seu cemitério e falo da Europa Ocidental exceto Portugal que não se curvou de novo à insanidade. Usa Hidroxicloroquina e trata seus pacientes. Viva Portugal. Devíamos respeitar mais a história portuguesa exemplar em muitos períodos da Humanidade. Minha segunda terra.

Vamos acordar e ir para as ruas. Praia, sol, diversão. Tomem Ivermectina profilática e saiam de casa. Acabem esse confinamento e isolamento insano que está matando mais que salvando. Recife teve um aumento de mortes no lockdown por paradas cardiorrespiratórias em casa que chegou a mais de 900%. Novecentos por cento. Maior que Nova York que atingiu um número exorbitante de 800%. De Nova York sabemos. De Recife alguém sabe? Mas são dados reais.

Quem acredita nas autoridades que mandam ficar em casa e não tratar mas se tratam? Governadores, secretários de estado, médicos que não tratam o povo nos serviços públicos mas se tratam ou tratam em seus consultórios particulares. Como acreditar nessas pessoas desonestas?

Tomem Ivermectina que protege da doença, evita a doença e vão para a rua. Onde já se viu que é saudável transporte público mas banho de mar é proibido. Com Ivermectina profilática todo mundo pode voltar ao VELHO normal, vencer o vírus, se abraçar e jogar fora essas máscaras. Vamos vencer o Coronavirus e dizer não a essas vacinas que nem deram certo em fase 2 em ratos e estão sendo testadas em São Paulo. Nos brasileiros. Como testaram muita coisa na África. Isso é Direitos Humanos. Isso é valorizar seu papel no mundo. Africanos e brasileiros podem ser cobaias? Para que vacina se temos Ivermectina? Todo mundo já deu Ivermectina para crianças de escola. Sem pensar e sem política. O vírus CHINÊS maldito causou doença, morte, pânico, mortes evitáveis mas também descerebrou as pessoas. Qual o interesse por trás disso? Follow the money, já dizia Agatha Christie. Só que dessa vez a culpa não é do mordomo.

Falei em direitos humanos, vamos falar das ONGS do empoderamento feminino – ai como detesto essa palavra – das letras do alfabeto todas da sexualidade, das feministas que detestam os homens e sua própria biologia, alguma se manifestou no mundo contra esse genocídio? Estamos vivendo a morte em números, o pânico, o medo, a perda de pelo menos dois anos de nossas vidas se não reagirmos. Ninguém enxerga? As trevas desceram sobre as mentes lúcidas?

Poucas reagiram. Não o povo brasileiro que quer se tratar. Mas quem perdeu alguém nessa mentira vai se calar? Ou fazer um grupo de familiares dos que morreram sem tratamento e como na França cobrar a omissão dos médicos que não tratam, das autoridades que não tratam mas se tratam e processar a perda desnecessária?

O vírus chinês tirou meu sono e meu rítmo biológico. Descobri hoje que era 2 de julho quando pensei que era 30 de junho. Escrevi na minha agenda. Isso se chama perda do rítmo circadiano que é o mesmo que o rítmo biológico. Quem está confinado sem sol perdeu também. Perdeu a noção do dia e da noite – mergulhamos no crepúsculo que não é dos deuses mas dos submissos. Dos que não amam ou esqueceram a liberdade de pensar e de agir. Sartre e Simone de Beauvoir estariam lutando. Como estaria lutando Andrew Manson, o jovem médico de A Cidadela (“The Citadel”) antes de sucumbir ao mercantilismo e ao sistema na medicina. Li várias vezes esse romance escrito por Archibald Joseph Cronin, médico escocês, membro do Royal College of Physicians. Mais do que atual e por isso aflorou da minha memória- que o vírus não tocou. Atual porque é um debate sobre ética médica e submissão ao sistema. Leiam esse livro que vale a pena.

Tomem Ivermectina, se protejam, desobedeçam e saiam. Na África pobre o vírus não matou. Porque lá se toma Ivermectina para cisticercose e filariose e Hidroxicloroquina para malária.

Outra boa pergunta. Como na época das construtoras em Angola todos os brasileiros ou grande parte dos brasileiros que trabalharam lá tomaram Hidroxicloroquina e nem fazia mal e nem se falava nisso. Parece que só ficou perigosa depois das aulas de Mandetta e de William Bonner, esse o atual papa da medicina e coveiro dos pobres brasileiros mortos em vão. Desfila a morte como quem desfila uma escola de samba.

E esquece de dizer que os mortos só tem os dois sexos biológicos: homem ou mulher. Até uma boa aula para aquela alienada Fátima Bernardes dona de um dos programas mais medíocres da medíocre Globo. E nessa de falar de pessoas, viva Ana Maria Braga, a mulher forte e exemplar nas doenças. Até do Louro estou gostando por respeito a ela. E viva Alexandre Garcia que deu voz aos médicos que tratam e acreditam na vida.

Eu estou livre e saindo do crepúsculo mental da falta de sol.

Amanhã gravo uma entrevista para a TV Band de Ribeirão Preto, uma grande cidade paulista entrando em colapso, hospitais cheios, pessoas morrendo, porque os médicos de lá perderam o senso da responsabilidade de tratar cedo. Lá repórteres honestos querem lutar contra a doença horrorizados com os fatos. Em São Paulo onde se acredita em vacina teste em humanos.

Quero ser presa desafiando o autoritarismo tomando banho de mar sem máscara em Boa Viagem.

10 pensou em “A SABOTAGEM DA MÍDIA – SUJA – DA HIDROXICLOROQUINA

  1. Sancho, um simplório caminhoneiro, nada entende de medicina e de muitas outras coisas, mas entende de coragem, reconhece e aplaude gente corajosa, gente que não se esconde, gente que vai à luta. Portanto, sabe apenas Sancho, que terminou o texto com vontade de aplaudir de pé a doutora e de dizer a Berto de minha admiração por tal editor-chefe ao dar voz aos que sobem à tribuna para dizer a que vieram. Este é o grande jornal do qual participo como leitor, comentarista e colunista. Este é o jornal que aprendi a amar no ano de 2013, quando conheci essa gente maravilhosa, que faz desta gazeta o melhor e maior jornal do universo. O resto é mimimi…
    Com a palavra os doutores fubânicos,possuidores da base científica que me falta, e os “especialistas” que nos acessam, para trazerem luz, aos que, como Sancho querem um pouco de claridade nestes tempos onde as trevas teimam em dominar o cenário. Infelizmente só tenho encontrado sol ao acessar a mídia fubânica.

    • Prezado Sancho,
      Peço permissão para fazer minhas as suas palavras, de homenagem ao nosso nobre Editor e a esse espaço ÚNICO !!!, em um deserto de ideias e, principalmente, de honestidade e moralidade, que se tornou qualquer meio midiático deste pobre e enfermo país.
      Felizmente, já tive a oportunidade de igualmente homenageá-lo – o Luiz Berto – por diversas vezes, e acho que já estou até o cansando, com essa excessiva “puxação de saco”.
      Como estou retornando aos poucos, e tentando me reconciliar, lentamente, com os nossos brilhantes colunistas, que já me brindaram, por diversas vezes, com textos impecáveis, e sem tê-los feito o devido reconhecimento, gostaria de lhe dizer que não esqueci as suas linhas tão carinhosas, em um dos meus primeiros textos, logo após o meu retorno. Em especial, da sua recomendação final, que muito me marcou:
      “Sofre muito quem publica um texto quando ninguém comenta, pois nos sentimos como “ter parido um filho” que ninguém quis visitar”.
      Você está repleto de razão, caro Sancho. E você tem exercitado o reconhecimento aos autores de modo bastante louvável.
      Suas intervenções são sempre muito efusivas, cheias de carisma e um humor nato, rebuscado. Além, é claro, de sempre muito frequentes.
      Estou com uma dívida enorme com a maioria dos colunistas fubânicos, por tantos prazeres experimentados, sem o devido retorno, sequer, um obrigado.
      Mas eles virão aos poucos, assim espero.
      Ter que lidar com a gente maligna, que torce para que o Brasil quebre, faz um mal danado!!!
      Por isso esse espaço é fundamental, e precisamos regar essa planta tão valiosa, com muito amor e carinho, pois faz um bem danado!!!
      Um forte abraço a você e a toda a nossa comunidade fubânica.
      E vida longa ao nosso grande Berto !!!!
      (desculpe, não resisti e puxei o saco de novo)

      • Señor Angelica,
        Escreve o señor: estou retornando aos poucos, e tentando me reconciliar, lentamente, com os nossos brilhantes colunistas.
        Respondo por boa parte dos colunistas e comentaristas maravilhosos desta gazeta ímpar: não nos deve nada quem nos brinda com a leitura de nossos textos, pois quem nos lê faz um carinho, um cafuné em nossa existência. Somos essa legião de loucos ou não, diferentes em muita coisa, mas (benedicto mas) com um denominador comum: o amor a esta gazeta e a todos que dela participam.
        Sempre um prazer enorme ler texto seu, senhor Angelica.
        Abraço grande em vosso coração.

  2. Pediram a 100 médicos opinião sobre a HCQ e outros profiláticos (profiláticos, mesmo) para uso na Covid , e obtiveram 106 opiniões diferentes. Seria essa mais uma?

  3. Parabéns Drª Cristina, a senhora é a nossa porta voz, estou usando o “ivermectina” por indicação de um amigo médico, aposentado e espírita, uso máscara em respeito aos “espertos”, mas continuo tomando minhas cervejas e doses de ypioca, quanto ao tal Francisco, deve ser mais um imbecil da seita LadroLulista infiltrado nesta magnífica gazeta escrota. Obrigado Doutora!

Deixe uma resposta