VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

Esse confinamento compulsório é erroneamente chamado de “quarentena”, pois quarentena refere-se a um isolamento de quarenta dias.

Particularmente, já cumpri mais do que uma quarentena (isolamento compulsório), esperando que seja erradicada a pandemia do Coronavírus.

Esse confinamento fez-me vasculhar coisas guardadas em gavetas e na memória. Coisas importantes, só para mim. Registro de momentos felizes e tristes, há muito tempo adormecidos, mas que uma vez por outra aparecem nos meus sonhos.

Minha Mãe, quando tinha algum problema de saúde que a obrigava a se manter em repouso, impedindo-lhe de sair de casa, às vezes, impaciente, dizia:

– Ô prega na minha vida!!! Tanta coisa que eu tenho para fazer!!!

Hoje, ela já não se encontra entre nós. Mas, se viva fosse, certamente, atravessando essa pandemia, iria sentir-se prisioneira, sem poder, nem mesmo ir à Igreja, assistir às Missas dominicais.

Com medo de me contaminar com o Coronavírus, essa praga que, fatidicamente, está contribuindo para o controle da superpopulação mundial, ultrapassei a quarentena. Continuo cumprindo as ordens, por sinal, inconstantes, do Governo do Estado, com relação ao isolamento.

Na verdade, essa pandemia está sendo uma gorda loteria premiada, para a POLITICALHA, que está pegando nas verbas destinadas à Saúde Pública. Está, também, provocando depressão e enlouquecendo a população, com estatísticas alarmantes, algumas, comprovadamente, contraditórias.

No Brasil, para uns, essa praga é um castigo do Céu; uma lição para os hereges, componentes da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira (ou simplesmente Mangueira), cujo enredo do último carnaval, teve como ponto culminante a execração e o ultraje da figura de Jesus Cristo, o Homem mais importante da História da Humanidade. Houve uma afronta gritante, aos Cristãos e aos princípios religiosos.

A Mangueira, com esse enredo podre, uma verdadeira ode ao satanismo, pensava que iria conquistar o 1º lugar. Ledo engano. Com esse enredo desrespeitoso e chocante, ridicularizando e execrando a figura de Jesus Cristo, essa tradicional Escola de Samba (Mangueira), não só deixou de conquistar o 1º lugar, como perdeu uma legião de antigos torcedores, que se decepcionaram e se revoltaram com o infeliz enredo.

Entre esses torcedores revoltados, deveria estar a minha Mãe, católica praticante e temente dos castigos de Deus.

Eu ficava feliz, ao ver a alegria da minha Mãe, assistindo pela televisão, ao desfile da Mangueira.

Certa vez, perguntei-lhe:

– Por que a senhora torce pela Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira? Eu torço pela Beija-Flor!

A resposta veio em cima da bucha:

– Ora, minha filha! Tem coisa melhor no mundo, do que uma manga rosa madura???

Minha mãe era inteligentíssima e muito espirituosa. Não tinha maldade e tinha resposta para tudo.

Quando havia a Loteria Esportiva, às vezes, por influência minha, ela fazia um joguinho básico, ao gosto dela.

Certa vez, o Vasco da Gama, jogando no Rio de Janeiro (em casa), perdeu para o Maringá Futebol Clube, do Paraná. Foi a maior Zebra do ano. Dos poucos pontos que acertou, minha Mãe acertou essa Zebra.

Quando conferi o jogo dela, rindo, eu lhe disse:

– Mamãe, a senhora acertou a Zebra!!! A maior Zebra do ano! A senhora torce pelo Maringá? A resposta dela foi ótima:

– Torço, porque eu adoro a música “Maringá Maringá…depois que tu partiste, tudo aqui ficou tão triste…”

O brasileiro costuma dizer, que o Ano Novo só começa mesmo depois do Carnaval. Até então, pessoas viajam para as praias para veranear, outras viajam de férias para outros estados ou até para o exterior.

Apesar de já estarmos no mês de maio, 5º mês deste ano de 2020, o brasileiro ainda não pôde dizer que o Ano Novo, “vida nova”, começou. Os planos para este novo ano estão congelados. Mas Deus proverá!

O Coronavírus representa uma verdadeira praga, para quem estava aguardando, que o Ano Novo começasse logo depois do Carnaval.

E as palavras da minha Mãe, continuam soando aos meus ouvidos:

– Ô prega na minha vida!!!

Estou sem sair de casa, aguardando a notícia da erradicação da terrível praga do Coronavírus. Já sonhei, até, com um comboio, que por aqui passava, levando de volta o Coronavírus, para as profundezas do inferno chinês, de onde nunca deveria ter saído.

9 pensou em “A PRAGA E A PREGA

  1. Zebra logo contra o meu Vasquim, Violante?!
    Ô time!
    Os desgostos vêm de longe, mas não ferem a paixão.

    Ri muito aqui com as respostas de sua mãe, com aquela lógica arretada que só os espirituosos possuem.

    • Obrigada pelo gratificante comentário, prezado Jesus de Ritinha de Miúdo!

      Minha Mãe era mesmo muito espirituosa. Não entendia nada de futebol, nem de escola de samba. Mas gostava de manga-rosa e de música. Maringá era uma de suas preferidas….rsrs.

      Um abraço, amigo!

  2. A praga escancarou as pregas…da população, do empresário e de alguns setores da economia. Digo alguns setores porque o da corrupção continua ativo e bem alimentado. Os governantes estão gastando dinheiro ao Deus dará, Sel licitação, comprando material pra saúde em empresa de designe.
    Aqui um prefeito gastou R$ 180 mil na compra de livros sobre o covid-19 e o material que ele comprou está disponível no site do ministério da saúde. Qual praga devemos combater?

    • Obrigada pelo gentil comentário, prezado Maurício Assuero!

      Realmente, a praga do Coronavírus provocou pregas na vida de toda a população, exceto no setor da corrupção, que “continua ativo e bem alimentado”.

      O prefeito que gastou 180 mil na compra de livros sobre o covid-19 deve ter “costas largas”.
      A praga da corrupção é a mais contagiosa que existe, e contra ela, até agora, não existe vacina…É uma lástima!

      Um abraço!

  3. Violante,

    O seu texto tem o colorido do bom humor de sua inteligente genitora. A descrição do seu confinamento fez me lembrar de um artigo com dicas para evitar problemas psicológicos durante a quarentena, e faço um breve relato dessas informações úteis para a prezada amiga..
    É importante manter o autocuidado com a alimentação, hidratação e se comunicar por meios eletrônicos. É necessário ocupar a mente com outras coisas e não passar o dia vendo notícias sobre coronavírus. Não pode ficar concentrado na doença, pois isso pode gerar uma obsessão mental e incapacitar as pessoas de se desenvolverem.
    Essa mudança comportamental repentina e a diminuição das relações interpessoais, associados a um estresse coletivo de medo, podem resultar em diversos transtornos psicológicos.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  4. Obrigada pelo generoso comentário, prezado Aristeu Bezerra!

    Gostei muito das valiosas dicas, para evitar problemas psicológicos durante a quarentena que nos foi imposta.

    Na verdade, quebrar uma rotina de vida saudável e.,mergulhar num isolamento compulsório, é uma “penalidade”, que pode abalar o sistema nervoso de pessoas com tendência à depressão.

    Ainda bem, que tudo vai passar, se Deus quiser!

    Um abraço

  5. Pois, então, Violante, neste momento seria apropriado sessentena,
    Eu não estou nem aí para o confinamento: pego o JBF, leio de cabo a rabo, divirto-me com teus escritos e… lá se vão sessenta dias!

    • O meu confinamento também já se tornou sessentena. Faz dois meses que não boto a cara na rua, com medo do “Coronga”. Pelo visto, ainda vai ter prorrogação…No começo, diziam que a “quarentena” seria de 14 dias. Pensei comigo: Tudo o que eu aprendi na escola, está errado…

      Ainda bem que apareceu você, pra me dizer que se diverte com meus escritos. Acreditar, faz bem à saúde.. Adorei!!! Obrigada!.kkk

      Grande abraço, Goiano!

      Muita Saúde e Paz!

Deixe uma resposta