A PIRRALHA

Para manter coerência por vezes é preciso usar argumentos aparentemente contundentes, que parecem embasar nossas certezas, mas que na verdade, ao serem dissecados, esses argumentos revelam a fragilidade das nossas posições.

Estou dizendo isso para tratar do argumento de que Greta Thunberg, a adolescente que foi transformada em ícone pela defesa do meio-ambiente, é financiada por interesses escusos, de apropriação da Amazônia por grupos ou países interessados em tomar conta dessa extensa riqueza, com tudo o que ela oferece de água, minérios e produção vegetal.

Greta Thunberg defende a adoção de medidas capazes de brecar atividades humanas que contribuem para o aquecimento global, que levam ao desequilíbrio do clima, que modificam o regime de chuvas e ventos, que empesteiam o ar tornando-o irrespirável, tudo, enfim, que parece levar o mundo pelo caminho da catástrofe, vale dizer, à própria destruição total da vida no nosso Planeta Terra.

Embora não seja impossível que alguém queira se aproveitar do discurso da pirralha para algum proveito próprio e diferente das finalidades por ela visadas, parece absurdo que Greta esteja sendo financiada em sua luta contra, por exemplo, a destruição da Amazônia, exatamente para que “alguém” se aposse dela.

O raciocínio seria algo como o seguinte: Greta estaria dizendo (o que não coincide com seus discursos) que como o Brasil não está cuidando da Amazônia e, pelo contrário, até está pondo fogo nela, o mundo deve tomar a Amazônia do Brasil – para cuidar dela convenientemente? ou para explorar suas riquezas?

É claro que essa linha de raciocínio não se sustenta, o que leva os que nela acreditam a tentar reforçar seus argumentos com algum outro que pareça decisivo – e aí tocamos na questão que abordávamos inicialmente.

Trata-se da seguinte falácia: quando alguém defende a ação de Greta, o interessado em desmoralizá-la, consciente ou inconscientemente apegando-se à visão direitista de que o Brasil precisa avançar na exploração dos recursos da Amazônia em vez de deixar que os índios fiquem sentados em cima de toda aquela riqueza, usa o seguinte argumento:

– Então por que ela não falou uma única palavra sobre o derramamento de petróleo no mar?

Refere-se essa pessoa ao derramamento de óleo no oceano atlântico que causou imensos prejuízos à vida marinha e às costas brasileiras, para significar que Greta não está interessada em defender o meio-ambiente, tanto que não se pôs a condenar esse fato.

Segundo esse argumento, ficaria demonstrado que Greta só se interessa pelas queimadas, o que revelaria o tal compromisso e o seu financiamento por pessoas ou entidades com foco na Amazônia.

Ora, o derramamento de óleo no mar, de que tratamos, foi um fato isolado, acidental ou criminoso, não é uma prática como as queimadas ou como a destruição da floresta para a implantação de criação de gado ou plantação de soja.

Greta não precisa lutar contra o derramamento de óleo no mar como prática de navios visando a alguma inimaginável forma de destruir a vida marinha para se aproveitar economicamente do mar!

Por isso, o argumento dos anti-ecologistas não tem nada a ver; e visam, simplesmente, a desmoralizar Greta para que o símbolo contra a destruição do meio-ambiente seja anulado.

Greta não parece ser um gênio, nem uma menina-prodígio, no sentido de ser dotada de uma inteligência einsteiniana, mas é uma pessoa que luta por causa importante, mesmo não tendo sido capaz de responder a uma ou duas perguntas que lhe foram feitas em determinada reunião.

 

Greta não é uma criança, greta não é uma pirralha no sentido desvalorizante que certamente foi dado ao termo por quem assim a classificou – e insistir em diminuir sua importância tem a finalidade de diminuir a importância da causa que ela defende, para que a exploração econômica dos recursos naturais possa ser feita irresponsavelmente, sem preocupações com a saúde da Terra, com o bem-estar da população atual e com o futuro das próximas.

28 pensou em “A PIRRALHA

  1. Buenas, que tal?!
    A querida Greta é uma adolescente enervante e adolescente sabe? Que está sendo usada para radicalizar um discurso que, até o momento, tinha sido levado por mentes adultas e equilibradas: o de que as ações humanas estão afetando o clima devido ao aumento de gases do efeito estufa e seu consequente aumento da temperatura média global.
    Tudo isso mostrado com estatísticas e de maneira serena, lógica e analisável. Argumentos e dados estes aos quais os governantes não podem refutar sem cair no ridículo ou num discurso hipócrita facilmente desmascarável. De forma que os adversários do aquecimento global são obrigados a encetar pesquisas e também apresentar dados irrefutáveis, numa busca pela verdade dentro de severos cânones científicos.
    Da guria Thumberg sabe-se ter um histórico de depressão e outras doenças mentais e que é assessorada (treinada?) pela ativista climática alemã Luisa-Marie Neubauer, a qual é vista constantemente ao lado dela, e que, coincidentemente, é “Embaixadora da Juventude” da fundação ONE, uma organização internacional financiada por George Soros, Bill e Melinda Gates, Bono dos U2 e outros.
    Bah tchê! Tu achas que se tivessem argumentos e dados realmente sólidos estariam apelando para tal emocionalismo maniqueísta?
    Há algo mais além disso… parece que o Ministro da Economia italiano Giulio Tremonti disse a respeito de Greta talvez faça parte de um plano de trazer a manufatura da China de volta para os países desenvolvidos e, assim, derrotá-la.
    O dragão chinês, com seus mais de 5000 anos de história e civilização, esteja incomodando e derrotando os pirralhos com apenas uns 500 anos de muita imaturidade civilizatória.
    Essa guria está sendo usada e será abandonada quando cumprir seu papel.
    Te liga bagual!

    • A radicalização que vem ocorrendo, Beradero, corre por conta do pensamento de direita, que passa a ideia de que as ações em favor do meio-ambiente são bobagens e causam entraves ao desenvolvimento econômico, uma vez que o Brasil, por exemplo, fica cuidando de proteger as florestas quando deveria estar criando pasto e plantando soja.
      Nosso governo atual pensa assim, quer liberar geral e que se foda o povo ignaro, o presidente é Bolsonaro.
      O perigo do enlouquecimento da nossa sociedade transformada em uma rede social pirada fica a cada dia mais evidente e o desparafusamento total pode ser detectado em blogues que convergem com a doideira geral, na pessoa de seus editores, colaboradores e leitores, enaltecendo as barbaridades que se dizem e se fazem em nome de um progresso que não mede consequências e arroja os pobres e os trabalhadores, desprezando o povo.
      A ação de desmoralizar os que pensam em contrário vem de cima e os de baixo se ajoelham e dizem amém.

    • Tipo assim, Maurino: – A Democracia é bacana, quem não presta são os cretinos dos democratas? A Religião é legal, só o que não vale nada são os religiosos? Bolsonaro é maravilhoso, só quem estraga tudo são os bolsonaristas?

      • Exatamente, com uma correção: luladrão é um porre filho da puta e muito pior são os que o apoiam. Mas veja bem: quais são as causas dos grande conflitos pelo mundo? Já foi provado que a religião é uma das grandes causas desses conflitos. A fé é boa? Sim, é. O problema são as pessoas mesmo. Em Nome de Alá, detonam tudo e todos. Quer morrer, morra só, pústula. O que é que eu tenho com Maomé ou quem quer que seja? Nada. Quem apoia a democracia aqui no Brasil, são os piores caras que estão lá no congresso e no senado. Quer que eu dê os nomes aqui? Qual é a democracia que os bostas do stf defendem?

    • Na verdade, seria: O meio ambiente é excelente, essencial… quem não presta são esse cretinos que se acham o cu do mundo. Por isso que eu mando todos esses ecologistas de merda, à grã puta que os pariu. Eles são os causadores de problemas.

  2. Nunca vi um brasileiro dando pitacos e palpites sobre as florestas da Suécia estarem sendo torradas pela chuva ácida, ou por muitos de seus lagos estarem todos mortos devido à contaminação decorrente desta mesma chuva.
    Joa com relação à Amazônia, virou o cu da mãe Joana: Todo mundo se acha no direito de enfiar o dedo.
    Por mim, podem ir tomar bem no centro do olho do furico todos esses idiotas.
    Se é para parar de cagar o planeta, vamos todos parar de fazer crianças por umas duas décadas, só para começar.
    Depois, manda as multidões de árabes se fuder lá nos desertos de onde vieram infernizar a Europa proliferando feito ratos.

    • Adônis
      Disse tudo, “povos que procriam como ratos, estão condenados à viver eternamente como ratos”. Até os nossos índios sabem disso, só os miseráveis é não.

      • Oswaldo,
        Pobre não pode tomar iogurte, comer frango e andar de avião, agora querem que não possa ter filhos também.
        A partir de 2003 a taxa de natalidade no Brasil caiu, derrubando inclusive a fake de que pobre fazia filho para ganhar mais no programa do Bolsa Família.
        Manchete de 2015:
        Redução no número de filhos por família é maior entre os 20% mais pobres do país.
        Segundo a Agência Brasil :
        “Nos últimos dez anos, o número de filhos por família no Brasil caiu 10,7%. Entre os 20% mais pobres, a queda registrada no mesmo período foi 15,7%. A maior redução foi identificada entre os 20% mais pobres que vivem na Região Nordeste: 26,4%.
        Os números foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e têm como base as edições de 2003 a 2013 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
        O levantamento mostra que, em 2003, a média de filhos por família no Brasil era 1,78. Em 2013, o número passou para 1,59. Entre os 20% mais pobres, as médias registradas foram 2,55 e 2,15, respectivamente. Entre os 20% mais pobres do Nordeste, os números passaram de 2,73 para 2,01.”
        Tá no ré?

        • Culpa do governo de extrema direita do Bolsonaro! Desde que ele foi eleito a taxa de natalidade vem caindo! Pô não deveriam ter deixado ele ser eleito já em 2004, aí um governo progressista e esquerdista teria feito com que a taxa de natalidade aumentasse! Principalmente na com mães de 15 ou 16 anos! Aliás algumas mães seriam um dos dois maridos.

      • Goiano
        Deixa de ser otário! : a observação é válida para todos povos com altas taxas de natalidade, seja por pobreza, ignorância ou motivos religiosos, como no caso os muçulmanos. A bomba sempre sobra para os países mais civilizados, que por razões humanitárias tem que acolher a “produção excedente”. Você em Paris, tem grande chance ser vitima de um deles.

        • Países ricos com baixa taxa de natalidade estão se valendo da imigração para manterem o nível de mão de obra ativa equilibrada, Oswaldo. Metade dos países do mundo têm tido queda de natalidade e esses são justamente os mais ricos. Os países pobres fornecem seus excedentes populacionais, por uma razão ou outra, aos países mais ricos, que precisam de gente para trabalhar. Por isso, a preocupação negativa com a invasão migratória não tem sentido do ponto de vista econômico, a tal ponto que mesmo os chamados efeitos colaterais indesejados acabam por serem tolerados.

      • Prezado Goiano,
        Pobre é uma desgraça. Tem mais que se acabar mesmo.
        Tua matemática é a coisa mais falaciosa que eu vi nos últimos tempos. Se pobre tinha muito filho, qualquer redução dá um percentual maior. Difícil é diminuir de quem só está tendo um.
        O detalhe é que 30 a 40% desses filhos de pobre foram gerados por pitxulinha com menos de 15 anos. Aos 18, já tem dois ou três, cada um de um pai diferente que nem ela mesma tem certeza de quem seja, muito menos por onde andam. Entregam para a avó criar e vão curtir um baile funk.
        Quando é depois, querem tomar yougurte e andar de avião às minhas custas. ahahah
        Se ligarem as trompas, não farão falta nenhuma à humanidade. O planeta terra agradece penhoradamente.

        • Adônis, temos algumas questões a considerar. Uma, a respeito do percentual. Se a taxa fosse de um filho por pessoa, a redução seria para nenhum filho, cem por cento de diminuição na taxa de natalidade. A população seria de velhinhos e tu e eu teríamos de trabalhar até os cento e vinte anos para dar conta da demanda, de preferência indo para o campo plantar batatas. Se a média for de três filhos por mulher e baixar para dois tens uma redução de 33,33333%, o que para tua filosofia não deve ser ruim. Porém, tem o aspecto dos pais pagando alimentação para a meninada, o que movimenta a economia. E as meninas que podem dar a criança para os avós criarem têm sorte por terem avós com suficiente autonomia para criarem os netos, o que indica uma situação social equilibrada. Ocorre que quase meade dos países do mundo têm tido declínio na taxa de natalidade, o que leva ao declínio da população, o que não é necessariamente bom, salvo por algum esdrúxulo desvio ideológico perfeitamente ajustável â inteligência ora dominante. Todavia, porém, contudo, creio que o que defendes não é propriamente a ligação de trompas das patricinhas, essas podem ter filhos na idade que desejarem, assim como dispõem de todos os meios bastante seguros para fazerem o que quiserem, aqui ou em países de recursos médicos mais adiantados. Fico tentado a imaginar o por quê de as meninas pobres engravidarem tão cedo, morrendo como moscas nas mãos de abortistas com ferros enferrujados, e me espanta mesmo que tantas crianças escapem, vivam e estejam aí nos dando tanta despesa e prejudicando o progresso. Pensando nisso, declaro minha opção: Se Lula vier a ser candidato fecho com ele.

  3. Alguém tem que dizer a esta pentelha que o planeta terra, onde vivemos por sinal, é um organismo vivo. Como ele já fez antes, ele se auto regula, e o fará novamente, assim que chegarem os limites da imbecilidade humana. Não precisamos de uma pirralha de bunda suja dando pitacos. Devia estar na escola em vez de ser uma gazeteira vagabundinha. By the way, o nome completo dela é Greta Lula Hoffman Thunberg

    • A pentelha está tentando te dizer, Carlos, que a Terra é um organismo vivo que pode morrer.
      Precisamos de Greta Thunberg pra chamar a atenção para isso, porque, ainda que ela seja uma adolescente, está fazendo mais para chamar a atenção para o problema da agressão ao meio-ambiente do que a maior parte de nó s, adultos empedernidos, que querem que o mundo se acabe em barranco para morrerem encostados.

      • Não , seu jumento encantado. A terra não vai morrer. Ela vai matar todos nós e continuar vivendo. Já fez isto antes. Estude a história deste planeta e vai te ilustrar um pouco.

  4. Só uma única pergunta Goiano a respeito desse estardalhaço como a Greta, que infelizmente não é a Garbo.
    Quem será que está por traz dela?
    Pesquisem a respeito da ONE´s Roots Foundation da Luisa Neubauer!
    Melinda Gates (Bill & Melinda Gates Foundation (uma das mais poderosas e “filantrópicas”)), George Soros (Open Society Foundation) e outros fundaram a DATA, que se juntou a várias outras organizações (“filantrópicas”) para forma a ONE!
    A Luisa Neubauer (23 anos), é a embaixadora da ONE e atua como tutora (“entendeu né”) da Greta (16 anos)!
    Será que a Greta não é uma garota ventríloquo das ONG´s e fundações internacionais interessadas no que está embaixo da floresta e não nas florestas?
    Está mais do que na hora de ficarmos de olhos bem abertos nos “eco socialistas” de plantão!

    • VBP, eu te pergunto, de volta:
      – Quais seriam os interesses escusos por trás da Greta?
      Quero dizer – como funciona isso?
      Pegam uma garota, pouco brilhante (pelo que dizem aí, até muito pelo contrário), problemática, de passado complicado, com uma família desequilibrada, e a colocam como expoente do momento contra a devastação da Amazônia, porque, em assim o fazendo, tornam-se capazes de explorar as riquezas da região.
      Tenho tentado entender o raciocínio, mas não consigo manter uma linha de pensamento que feche.
      Outra questão paralela diz respeito aos interesses das ONGs que atuam na Amazônia, fingindo-se de filantrópicas mas, na verdade, querendo retirar de lá a madeira, os minérios e os índios, não necessariamente nessa ordem.
      Lendo material nesse sentido, encontro, por outro lado, publicações sobre atividades de ONGs na Amazônia que, só se estiverem fingindo,porque prestam trabalhos relevantes em favor do meio-ambiente, da preservação, do uso adequado, de modo que vão ser fingidos assim na puta que pariu.
      Tudo tem cara de fake, teorias da conspiração, com jeito de gente seguindo ideias despropositadas como se fossem bois em uma boiada.
      Entretanto, como pode haver que não foram bem esclarecidas, tenho procurado saber mais e talvez possas ser mais esclarecedor a respeito.

  5. ***
    Ínclito Goiano.
    Estou tendo dificuldade em compreender Heidegger, principalmente pela minuciosa análise que ele faz do cotidiano e do que seja o mundo humano. Cada palavra tem peso e, como o cara era um gênio, sabia o étimo de cada vernáculo em grego e latim e trazia para o seu idioma, com absoluta segurança, o significado de cada palavra que ele usava para descrever o espetáculo que é ser.
    Todavia, no oceano conceitual com que ele nos brinda, acredito ter entendido a sua crítica e praticamente demolição do conceito sujeito-objeto, enquanto uma relação humana válida e virtuosa. Ele diz ser “deficiente” esta maneira de estar no mundo, pois, ao se considerar sujeito, o ser passa a considerar os demais entes como objetos, até outros seres humanos. Nessa maneira equivocada de estar no mundo o ser se objetifica e só consegue relacionar-se de forma utilitária com o seu entorno e além.
    É o que faz a sociedade atual. Transformou-se em mercadora de objetos, não importando de que tipo for. A tudo cola uma etiqueta de preço e transaciona no paranoico mundo do mercado.
    O mesmo ocorre com entes que fazem parte do seu mundo e, a bem dizer, são o seu mundo e o que ele é, a saber: a água, o ar, a terra, a vida…
    Completamente dominados pela lógica do capitalismo são subalternos a sua teleologia coisificante.
    Insensatos, enfim.
    Se Greta é uma fraude e também se insere neste contexto esquizofrênico do mercado, não importa.
    Importa é “escutar com o coração” como cantou Pocahontas no clássico da Disney.
    ***

  6. Ah, Saniasin, quanta possibilidade de beleza nos trazes, carregadas de utopias. Parece, ao ler tuas palavras, que o autoconhecimento pode levar-nos ao paraíso, como sociedade, seja qual for o sistema em que vivamos, desde que vivamos para ser. Infelizmente, esse grau de elevação da consciência parece afastar-se na mesma medida em que crescem as redes sociais, revelando, ao lado da extrema sabedoria, a extrema ignorância do mundo. A conclusão que trazes, de que importa escutar com o coração, leva-nos ao paroxismo do gozo e do sofrimento frente à realidade da natureza humana: a fantasia de Disney é o inalcançável a que estendemos os braços. Penso que te compreendo. Mas não tenho certeza.

    • Goiano,
      Esse teu paroxismo do gozo deve ser anal, bipolar e trifásico, segundo eu te conheço.
      Quanto às babaquices com que me respondestes acima, eu já estou mesmo continuando a trabalhar depois de velho, graças aos pilantras que se dependuraram no aparato estatal e o depenaram, tal qual tu o fizeste e foste cúmplice. Assim, venham mais crianças, ou não, estarei fudido do mesmo jeito.
      Quanto a fazer distinção entre as crias das patricinhas e das faveladas, tu o fizeste. Não eu. Tua mente distorcida só consegue ver a realidade ser for nesta dicotomia maldita pregada pelos comunas em toda e qualquer situação. Eu não!
      Se é para parar de empestear o planeta com mais alguns bilhões de pessoas, já que nosso planeta não aguenta essa infecção bacteriana chamada humanidade se proliferando desordenadamente e esgotando todos os recursos, não faço nenhuma distinção.
      Quanto a dizer que os países ricos precisam dos pobres para mão de obra, vê se os países que não se consideram como tendo uma “dívida social”, feito Canadá e Nova Zelândia, aceitam qualquer escória humana para irem lá cagar nas praças públicas e fazer passeatas contra a polícia. Só entra lá a nata dos profissionais,

    • ***
      Gratidão se algum enlevo lhe trouxe ao espírito o que escrevi. É o que ocorre sempre quando se lê Heidegger que, mesmo de maneira limitada, procurei trazer como instrumento de análise da questão ecológica, trazendo o foco para o fato de ser em relação ao nosso mundo, que, mais que um um ente ôntico, deve ser analisado como um ente ontológico. É no mundo que temos a possibilidade de existirmos e, existindo, a obrigação de ser. Ser-no-mundo em sua concretude e, por termos as infinitas possibilidades, de maneira elegante o que envolve um conceito de estética, ou melhor de arte, portanto, a lembrança dos versos da canção Cores do Vento.
      Mas, nada do discurso que eu use pode dizer do que seja sânias. E se eu estudo esses filósofos é para poder ter uma linguagem que, pelo menos, aponte o fato de existir o Saniasin.
      A melhor frase que encontrei até agora é “eu vejo melhor a floresta a minha frente do que meus óculos sobre meu nariz”.
      Para que algo surja na consciência do ser é necessário um certo distanciamento, uma espacialidade imprescindível, que, no entanto, é a constatação de que o ser não pode se ver a si mesmo, mesmo estando consciente de que é e que existe.
      Assim, posso conhecer o meu ser vendo o resultado da minha práxis.
      Simples assim.
      O ar está poluído? Crianças estão expostas ao sol nas esquinas pedindo esmolas? Aparecem cadáveres de crianças mortas nas praias do meu país?
      O que vejo no meu mundo é também parte do que eu sou, posto que só posso existir neste mundo que tem o horror e a beleza e, como não sou um objeto, posso optar pela beleza.
      E minha práxis deve acompanhar a minha escolha.
      Então não é autoconhecimento é simplesmente vê as coisas mesmas, os fenômenos que se apresentam diante de mim e, livre que sou, fazer a minha escolha com as necessárias e inescapáveis consequências.
      A mim parece que as sociedades são regidas pela mesma dinâmica e estão jungidas as consequências de suas escolhas, ao passo que eu, como parte dela, também sofro e gozo com os resultados das decisões coletivas.
      *

Deixe uma resposta