PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

Se alguém te chama de perdida e louca
Não acredites, pois não é verdade,
Há quem procure cheio de ansiedade
A graça e o riso que tu tens na boca.

Foste menina, já usaste touca,
Foste donzela, tinhas virgindade,
Tudo é fugaz e tudo é brevidade
De qualquer forma, a nossa vida é pouca.

Nunca lamentes teu viver de puta,
Entre os pomares tu também és fruta,
Alguém te estima e com fervor te quer.

No chão, na cama ou dentro de uma rede
Tu és a fonte de matar a sede
Do desgraçado que não tem mulher.

Antônio Gonçalves da Silva, o Patativa do Assaré, Assaré-CE (1909-2002)

2 pensou em “À MERETRIZ – Patativa do Assaré

  1. Patativa deve ter conhecido Sancho em alguma das estradas que meu véi Quixote Véi di Guerra passou.
    Insiste Sancho que tem gente que deveria ser proibida de morrer.

Deixe uma resposta para Joaquimfrancisco Cancelar resposta