ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Durante a minha adolescência, época de descobertas sobre a sexualidade, uma das estorinhas mais interessantes que me contaram foi “A Saga do Espermatozoide Aleijado”. Era mais ou menos assim:

Houve uma época em que um pequeno espermatozoide sofria muito pois tinha uma deficiência naquele rabinho que os faz irem para a frente. Todas as vezes que começava o frenesi e ele, juntamente com todos os seus amiguinhos, partiam numa carreira louca para fecundar o óvulo; o pequeno espermatozoide era sempre o último a chegar lá. Quando chegava, já era tarde demais!

Por essa época, começou a circular por entre a sociedade dos espermatozoides uma nova filosofia. Adotaram novos métodos de ensino na educação dos jovens espermatozoides. Passaram a ensinar-lhes que era uma grande injustiça o fato de alguns espermatozoides serem mais ágeis e rápidos que os demais. Agora, todas as vezes que se reuniam, começaram a ser ouvidos brados clamando por “Uma sociedade mais igual e mais justa”. Inúmeros deles passaram a defender que haveria uma “Grande dívida social” para com aqueles menos aptos.

Devido à crescente pressão por uma sociedade mais igualitária, foi deliberado em uma das reuniões plenárias que, na próxima vez em que os batalhões de espermatozoides fossem convocados para a sua missão de fertilizar um óvulo, o aleijadinho seria colocado bem adiantado com relação a todos os demais. Teria assim uma chance igual de ser o vitorioso e fecundar o cobiçado óvulo. Assim foi decidido e melhor foi feito!

Tudo preparado. O aleijadinho lá na frente e a galera só esperando tocar o alarme do orgasmo para começarem a corrida. Ao tocar o alarme, imediatamente todos começaram a correr. Eis que ouviram gritos vindos da coordenação: PARA! PARA! PARA, QUE É PUNHETA!!! Aí, já era tarde! O aleijadinho já tinha pulado fora…

Esta estorinha é, para mim, repleta de imensas lições!

Primeiro, que a “Mãe Natureza” (ou o arquiteto que projetou seus algoritmos) não é nem de longe adepta dessas ideias socialistas e comunistas. Igualdade? Um Catzo! A Mãe Natureza é a EUGENIA NAZISTA em estado puro, na vêia! Os processos de seleção são implacáveis! Ao vencedor, tudo. Aos perdedores, a lata de lixo da história. Foi dessa forma que bactérias desajeitadas evoluíram, ao longo de bilhões de anos, até chegarem a nós. Tivessem dado prioridade a espermatozoides aleijados, continuaríamos até hoje como bactérias desajeitadas. Evolução ZERO! E, para completar, seríamos todos aleijados, o que seria ainda pior. Foi graças à competição dos machos alfa da nossa espécie, em constante disputa para ter o direito de acasalar com as fêmeas mais bonitas e desenvolvidas espiritualmente, que as nossas crianças estão nascendo cada dia mais bonitas e mais evoluídas.

Quando o governo brasileiro foi tomado de assalto pelos adeptos da “Sociedade mais igual”, foram criados e implantados inúmeros mecanismos que permitiram o acesso às universidades dos espermatozoides mancos. Após todos estes anos, a consequência está aí! As universidades, que deveriam ser o santuário dos mais belos espécimes de puros-sangues do pensamento, transformaram-se em valhacouto de jumentos idiotizados por ideologias esdrúxulas. Levará séculos para reverter essa catástrofe nacional, se é que conseguiremos reverter algum dia.

Outro fenômeno sumamente interessante é o que eu denomino de “Estresse Alimentar Humano”. Inúmeros trabalhos científicos apresentam e enfatizam os efeitos positivos do jejum sobre nosso organismo. Dentre os inúmeros benefícios listados, o que mais me chamou a atenção foi o aumento da capacidade reprodutiva. Especialmente as mulheres, parecem seguir o mesmo padrão do “Stress Hídrico” das mangueiras. Quando agricultores desejam que estas frutifiquem, cortam-lhes o suprimento de água na irrigação. Imediatamente, todas as árvores explodem em flores. O mesmo se dá com as mulheres! Quanto mais subnutridas e miseráveis, mais a natureza parece concentrar as parcas energias remanescentes no sistema reprodutivo, de modo a assegurar a continuidade da espécie. Basta o marido lhes dar um beijo de boa noite e estão prenhas. Enquanto isso, as gordinhas, muito bem nutridas, precisam apelar insistentemente à reprodução assistida a fim de terem filhos. O resultado? Multidões cada vez maiores de andrajosos miseráveis, todos ávidos pelo amparo estatal e “Cheios de direitos”, segundo a nova filosofia.

A junção destes dois fenômenos, a “Eugenia Negativa” provocada pela apologia do “Aleijadinho Mental” da filosofia socialista, juntamente com a altíssima fertilidade dos miseráveis e sub evoluídos, está levando a humanidade numa direção assustadora: Estamos criando uma sociedade em que a distribuição da inteligência se dará, cada vez mais, de forma bimodal. Serão multidões cada vez maiores de estúpidos e imbecis, todos cheios de direitos e altamente manipulados por lideranças demagógicas e populistas, o que reforça cada vez mais a forma aberrante de governo que, inadequadamente, chamam de democracia. Do outro lado, a minoria dos que ainda raciocinam (no máximo uns 15%), assistindo o desastre que está ocorrendo, impotentes e bestificados.

Outra coincidência (?) extremamente interessante é o fato de só haverem uns 15% de pessoas com sangue Rh negativo em todo o mundo. Por que isso ocorre? Ninguém sabe ao certo. O que sabemos é que não havia Rh negativo na América, na África e nem no Oriente. Só surgiram a partir da miscigenação provocada pelas grandes navegações e pelo colonialismo. Até hoje, os percentuais nestas áreas são muito baixos. Por outro lado, TODAS as espécies de macacos conhecidas possuem o fator Rh Positivo. Só quem apresenta Rh negativo são alguns humanos. Existem povos na Europa, como os Bascos, que chegam a apresentar 35%. de Rh negativo.

TODAS AS CASAS REAIS EUROPEIAS são predominantemente Rh negativo. Os faraós do Egito eram todos Rh negativo. Uma grande maioria dos presidentes americanos, desde os “Pais Fundadores”, era Rh negativo.

Os Rh negativos tendem todos a apresentar algumas características comuns: Cabeça grande, inteligência superior, batimentos cardíacos mais lentos e pressão sanguínea mais baixa, sistema imunológico mais resistente a vírus e bactérias, carisma e personalidade atraente para os demais, tendência ao isolamento voluntário e à vida contemplativa, espiritualidade desenvolvida, alta sensibilidade, tendência a apresentar características mediúnicas, forte intuição e sentimentos de “dejá vue”, sentido de “missão” na vida, etc.

A espécie humana apresenta 46 cromossomos, mais os dois sexuais. Na mulher, encontram-se dois cromossomos sexuais X; no homem, há um cromossomo X e outro Y. O cromossomo que carrega a informação que define o fator Rh Negativo é o cromossomo “Y” – DO PAI. Isto corrobora a lenda de que fêmeas de macacos humanoides teriam sido inseminadas por seres alienígenas, criando uma raça de híbridos “descendentes dos Deuses”. Esta teria sido a razão determinante da política de casamentos endógamos nas dinastias reais em todo o mundo: Não desejavam misturar o sangue dos “Filhos do Sol” com o sangue dos descendentes de macacos.

Quando uma mãe de Rh negativo, procria com um pai Rh positivo, e o feto apresenta característica Rh positivo, é um híbrido de Rh positivo dominante (O Rh positivo é sempre dominante) e um Rh negativo recessivo. O sistema imunológico da mãe passa então a agredir o feto e tenta expulsá-lo, pois “entende” que este seja um organismo estranho ao seu corpo (Eritroblastose fetal). Esta é uma reação típica em cruzamentos “híbridos” e indica que “Os Dois Tipos de Humanos” são intrinsecamente diferentes. A consequência da reação imunológica é um excesso de hemoglobina circulando livre no sangue, advinda dos glóbulos vermelhos destruídos, o que provoca sérios danos ao cérebro do feto. Isto quando não o mata por uma outra série de problemas.

Até o presente momento, os cientistas não sabem de onde veio essa diferença genética. Pode ter evoluído a partir de outra espécie de humanos, ou pode até mesmo ter sido provocada propositalmente por alienígenas que desejavam criar uma raça superior na terra. Esta é a explicação encontrada nos textos sumérios e assírios, textos de muitos milhares de anos anteriores à nossa época. O fato é que os brancos possuem um Q.I., em média, 15 ou 20 pontos maior que os negros. O Brasil vem apresentando um caso único no mundo, onde o Q.I. tem diminuído com o passar dos anos. Bem sintomático dos tempos de busca por “Uma Sociedade mais igual”!

A internet está cheia de estudos referentes às mudanças encontradas no código genético dos humanos, sempre de forma claramente proposital e gerenciadas, realizadas só Deus sabe por quem.

Meu pouquíssimo conhecimento de genética não permite que eu opine nesta seara. O que eu sei é que…

A ELITE HUMANA TEM A OBRIGAÇÃO MORAL DE ASSUMIR O COMANDO POLÍTICO e, AO MESMO TEMPO, FORÇAR A MASSA ULULANTE DE IMBECIS A SE CONCENTRAR EM COMER E PROCRIAR. (Ambos na quantidade que lhes for autorizada por seus mestres, é claro!).

11 pensou em “A LINHAGEM SANGÜINEA DOS “DEUSES”

  1. Adônis, eu pensei que a imbecilidade fosse leptocúrtica, mas pelo teu gráfico ela está se parecendo muito mesocúrtica. Os inteligentes estão mais para platicúrtica e me parece adequado visto que eles não são “normais”. Eu conheço uma variação do espermatozoide aleijadinho, mas precisamos moralizar essa gazeta escroto

  2. Caro Maurício,

    Creio que tu tens razão em ambos os casos: O pico de imbecis é bem maior e a cara da curva dos inteligentes está mais para um peito de menina-moça.

    Fui extremamente otimista na minha “Análise de Sensibilidade”. Obrigado pela correção.

    O pior é que as hordas de mocorongos estão forçando para invadir o nosso JBF, santuário ecológico das mentes mais brilhantes.

    • A propósito, onde anda o/a John Doe, isto é, o DOTÔ FRANCISCO (que – do alto dos seus exclusivos “diplumas” – assim o exige ao ser tratado pela plebe ignara dos fubânicos desavisados)???

      Será que algum bageense descobriu quem é esse/essa “GÊNIO DA RAÇA” e resolveu dar-lhe uma baita sumanta/sova/coça de trançado de 8 – para que ele/ela parasse de envergonhar a sua cidade e/ou estado que o/a viu ser parido/a como um furúnculo a ser espremido???

  3. Adônis, muito interessante este seu estudo.

    Aqui no JBF vejo que temos 3 espermatozoides aleijadinhos. Se não ganham pela quantidade, acabam insistindo muito, são repetitivos, adoram um P.S.; mas são incapazes de fazer o Ó com o copo.

    O mundo não é igual para todo mundo. Aquele que quiser mudar sua realidade tem que lutar para levar uma vida melhor.

  4. De acordo, João, de acordo

    O mundo não é igual para todo mundo. Aquele que quiser mudar sua realidade tem que lutar para levar uma vida melhor.

  5. Nosso Adonis Darwin está de parabéns. Minha sugestão é elegemos o Adonis como co-editor desta gazeta escrota para não acontecet o que vem acontecendo no Brasil com a diminuicao do QI.
    Mas precisamos convencer o papa Berto a aceitar democracia eugenista…kkk

  6. Colson Whitehead e Benjamin Moser vencem prêmio Pulitzer 2020. E o que isso significa? Significa que os caras lá da Universidade de Colúmbia não conhecem o JBF, pois se dessem uma passadinha pelo nosso jornal, leriam Adônis, o que faria o prêmio de 2020 mudar de mãos.

      • Não me venha com falsa modéstia, pois Sancho não é de rasgar pano velho como se seda fosse. Quando o JBF ecoar sua presença no universo internético com patrocínio MASTER, muitos dos que aqui labutam terão reconhecidos sua maestria.
        Não me venha como a mulher linda que se diz feia. Quem já não ouviu uma mulher linda dizer — para uma pequena platéia, é claro! — que se acha feia? “É sério, gente, eu me acho horrorosa!”

        O que nos difere daqueles que pitaqueiam nos jornalões posando de maiorais da escrita, achando-se a última coca-cola gelada no deserto?

        O timaço de Berto é um espetáculo à parte.

        Recorro a Adônis: “JBF, santuário ecológico das mentes mais brilhantes.”

Deixe uma resposta