MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

   

Spinoza e  Einstein

O físico Albert Einstein, por ser uma celebridade cientifica mundial e, sempre constando na lista dos maiores gênios da humanidade (aos 12 anos provou de forma independente o Teorema de Pitágoras), ombreando na galeria de genialidade com Arquimedes, Leonardo da Vinci, Galileu Galilei, Lavoisier, René Descartes, Isaac Newton, etc…,

Famoso, bem antes até do Prêmio Nobel de Física em 1921, suas teorias fascinam a ciência até hoje, o que o fez rodar o mundo proferindo palestras e conferências tanto como cientista quanto humanista.

A LENDA

Reza a lenda que, em suas conferencias por salões de governos, científicos e universidades, uma pergunta sempre vinha à tona ao grande mestre:

Você acredita em Deus?

Sempre com respostas magistrais mas, a mais famosa, é uma que é erroneamente atribuída a Spinoza. Dizem que ele teria respondido:

– Eu acredito no Deus de Spinoza.

Daí, o sujeito saia correndo para ler e saber, quem foi e o que danado tinha dito o filósofo holandês Sr. Baruch De Spinoza, para ser usado como base da resposta de Einstein.

Só que, quem realmente conhece e sabe interpretar o filósofo Spinoza, fica ciente de que jamais ele teve este viés tão cheio de pseudo “altruísmo religioso”. Muito pelo contrário. Spinoza em seus escritos e meditações, expressava o criador como “Deus sive Natura”, ou, a natureza é a concepção de Deus. “O poder do homem, como é explicado por sua essencia atual, faz parte do poder infinito, ou seja, da essência de Deus ou da natureza”. Por conta de tais colocações, até de herege o acusaram.

O MITO

Na verdade, o que se criou foi um mito em torno do “texto resposta” de Einstein, atribuído a Spinoza. E isto consta em várias páginas da internet como se verdade absoluta, fosse. Ocorre que a referida citação foi escrita pelo autodeclarado médium mexicano Francisco Javier Ángel Real, conhecido pelo pseudônimo de Anand Dilvar, e pode ser encontrado em seu livro Conversaciones con mi Guía (pág. 14). No livro, Real relata um fantasioso diálogo com uma entidade espiritual.

Eis o texto resposta, que supostamente Einstein teria se referido como sendo de Spinoza:

“Pare de ficar rezando e batendo no peito! O que quero que faça é que saia pelo mundo e desfrute a vida. Quero que goze, cante, divirta-se e aproveite tudo o que fiz pra você.

Pare de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que você mesmo construiu e acredita ser a minha casa! Minha casa são as montanhas, os bosques, os rios, os lagos, as praias, onde vivo e expresso Amor por você.

Pare de me culpar pela sua vida miserável! Eu nunca disse que há algo mau em você, que é um pecador ou que sua sexualidade seja algo ruim. O sexo é um presente que lhe dei e com o qual você pode expressar amor, êxtase, alegria. Assim, não me culpe por tudo o que o fizeram crer.

Pare de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo! Se não pode me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de seus amigos, nos olhos de seu filhinho, não me encontrará em nenhum livro.

Confie em mim e deixe de me dirigir pedidos! Você vai me dizer como fazer meu trabalho?

Pare de ter medo de mim! Eu não o julgo, nem o critico, nem me irrito, nem o incomodo, nem o castigo. Eu sou puro Amor.

Pare de me pedir perdão! Não há nada a perdoar. Se eu o fiz, eu é que o enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso culpá-lo se responde a algo que eu pus em você? Como posso castigá-lo por ser como é, se eu o fiz?

Crê que eu poderia criar um lugar para queimar todos os meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que Deus faria isso? Esqueça qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei, que são artimanhas para manipulá-lo, para controlá-lo, que só geram culpa em você!

Respeite seu próximo e não faça ao outro o que não queira para você! Preste atenção na sua vida, que seu estado de alerta seja seu guia!

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é só o que há aqui e agora, e só de que você precisa.

Eu o fiz absolutamente livre. Não há prêmios, nem castigos. Não há pecados, nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Você é absolutamente livre para fazer da sua vida um céu ou um inferno.

Não lhe poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso lhe dar um conselho: Viva como se não o houvesse, como se esta fosse sua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não houver nada, você terá usufruído da oportunidade que lhe dei.

E, se houver, tenha certeza de que não vou perguntar se você foi comportado ou não. Vou perguntar se você gostou, se se divertiu, do que mais gostou, o que aprendeu.

Pare de crer em mim! Crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que você acredite em mim, quero que me sinta em você. Quero que me sinta em você quando beija sua amada, quando agasalha sua filhinha, quando acaricia seu cachorro, quando toma banho de mar.

Pare de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra você acredita que eu seja? Aborrece-me que me louvem. Cansa-me que me agradeçam. Você se sente grato? Demonstre-o cuidando de você, da sua saúde, das suas relações, do mundo. Sente-se olhado, surpreendido? Expresse sua alegria! Esse é um jeito de me louvar.

Pare de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que o ensinaram sobre mim! A única certeza é que você está aqui, que está vivo e que este mundo está cheio de maravilhas.

Para que precisa de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procure fora. Não me achará. Procure-me dentro de você. É aí que estou, batendo em você.”

10 pensou em “A LENDA DO DEUS DE EINSTEIN

  1. Tinha que ser de um gênio para decifrar a fórmula do bem viver.
    O desapego às coisas materiais é para os nobres de alma.
    Tudo o que existe na natureza nos foi dado de preeente por Deus.
    Apenas os gênios procuram decifrar algumas formulas que Deus utilizou para espalhar o amor, a misericórdia, a felicidade e a liberdade.
    O saber, fruto da inteligência, é algo sublime e encantador, para quem o utiliza em prol do bem da humanidade.
    É o altruísmo verdadeiro.
    Deus abençoe todos os gênios que facilitaram e ainda facilitam o entendimento das coisas.
    Deus cubra os gênios do bem de paz!
    Amém!

    • Obrigado, Tereza. Vindo de você qualquer pessoa se sente lisonjeada com o comentário.

      Embora a pseudo resposta não seja de Spinoza, ela vem carregada de racionalidade total sobre o criador. E isto é o que importa.

  2. Marcão,

    Vou perguntar se você gostou, se se divertiu, do que mais gostou, o que aprendeu.

    Recorro a Tereza: Deus abençoe todos os gênios que facilitaram e ainda facilitam o entendimento das coisas. Deus cubra os gênios do bem de paz!

    Certamente pensava em Marcos ao escrever tal frase.

    Reza a lenda que, neste JBF de tantos geniais e geniosos, como Marcos André, em suas conferencias por salões fubânicos, uma pergunta sempre vinha à tona ao grande mestre:

    – Você acredita em JBF?

    PS: Estou remetendo ainda esta semana minha carteirinha de sócio “number one” de seu fã clube para enovar a validade.

    Abraçação sanchiano ao gigante que não deixa “dado sem traçado”.

    • Lá vem Sancho querer me plagiar na devoção ao sapiente colunista, Procurando inverter a ordem natural das coisas.

      Como não acreditar no JBF, uma preciosa ilha de informação segura, perdida num oceano revolto e pestilento do consórcio de veículos de imprensa funerária contaminante de desinformação?.

      Não faça maracutaia e devolva minha carteirinha de líder da torcida organizada Sanchiana no JBF.

      Devolvo o abraço três vezes.

      Valeu, campeão.

  3. Este é o texto mais importante publicado no JBF em muitos anos.
    Para mim, Deus é assim como descrito no texto.
    Enfim, encontrei quem sabe apreciar e amar a Deus devidamente.
    Obrigado companheiro, continue assim.
    Deus te abençõe.
    abraços.

    • Rendo-lhe graças, Mr. d.Matt.

      A descrição do criador, no texto, afasta toda e qualquer interpretação de fanatismo ou fantasia imposta por religiões.

      De tão racional que é a explicação, que acharam por bem, creditar a definição ao grande filosofo holandês e usada pelo gênio Einstein como resposta sobre se ele acreditava em Deus.

      Forte abraço…

  4. Parabéns, prezado Marcos André, pela perfeição do texto, altamente complexo.

    Albert Einstein é, merecidamente, reconhecido como um dos grandes gênios da humanidade. Suas descobertas revolucionaram a compreensão do nosso planeta e do Universo.

    Grande abraço.

  5. Pura verdade, Lady Violante.

    Até hoje suas teses fascinam o mundo científico acadêmico. Foi um dos grandes gênios da humanidade.

    Certa feita, uma famosa atriz e admiradora dele, se saiu com a seguinte indagação:

    Já pensou, genial professor, um filho nosso com a minha beleza e a sua inteligência?
    Ele respondeu:
    – Há proporção de poder ocorrer o contrário.
    Todos riram.
    Só a tapada da atriz que não entendeu.

Deixe uma resposta para Carlos Xavier Cancelar resposta