MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

Institutos de Pesquisas podem até falhar (dado a pequena tolerância da margem de erro), quando aponta o JBF como o mais lido, mais acessado, mais dinâmico, mais amado, mais odiado (pois é… a página sofre constantes “atentados” virtuais), das redes sociais.

Mas, a unanimidade que ninguém pode negar ou superar, é que o JBF seja o mais escroto de todos. Neste contexto, só a margem de acerto do INSTITUTO DATA BESTA é que é de 100%.

Leitores, colunistas, críticos e apreciadores reconhecem a sagacidade e acidez das virtuosas linhas editoriais do jornal. Por ser democrático ao extremo, o próprio editor não cansa de dizer que luta, peleja, se esgoela e apela, pra ver se não deixa descer o nível da amada gazeta. Mas é tudo em vão.

Ressalte-se, o que é imprescindível registrar, o pioneirismo da empreitada junto com a iniciativa e total dedicação de se manter a dinamicidade de um blog do porte do JBF . Tudo isto, lógico, tem um certo custo financeiro.

E por falar em custo financeiro, é bom frisar que, só após inúmeros apelos lançados por colunistas e leitores, o editor se rendeu, a muito custo, em aceitar um auxílio pecuniário, por menor que seja, destes “pequenos mecenas”. No valor que o coração se deixar permitir em ajudar.

O leitor mais atento, observará na lateral da página do blog, a “espontaneidade” acanhada do editor ao acatar a súplica dos promissores mecenas (segundo o próprio, muitos se fazem de leso!!!).

Na qualidade de leitor e colunista, procuro ajudar a espalhar nas redes sociais, um pouco dessa alegria contagiante/viciante que é o JBF.

Somado a isto, incentivo e chamo atenção do amigo/colega leitor, para que não se acanhe em, literalmente, abrir mão, de exercitar o seu lado “filantrópico cultural”, em prol da gazeta. Pois é, prezados leitores. Para não fugir à regra da linha escrotal do jornal, eis que um dos “viciados”, já contaminado pelo espírito gaiato do blog, me assegura, com muita altivez, que enviou uma singela cooperação financeira no valor de R$ 200,00 (duzentos reais)

Disse que gostaria de registrar seu altruísmo, inaugurando com chaves de ouro o seu adormecido lado filantrópico.

Tomado por obstinado estoicismo, afirmou que, pelo simbolismo, poucos veículos de comunicação, recebera tamanha honraria em ser agraciado com a abnegada doação realizada com a nossa recém lançada cédula de maior valor. A cédula que contém o nosso LOBO GUARÁ.

R$ 200 REAIS

Eis a comprovação da foto:

E o indigitado leitor, no pleno exercício de sua filantropia, ousou em lançar uma advertência a editoria, fazendo constar a seguinte jurisprudência (o cara é chique, todo):

“RECUSA DE PAGAMENTO EM MOEDA CORRENTE. VIOLAÇÃO DO ART. 39, IX DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR….

Ademais, nos termos do art. 43, da lei das Contravenções Penais, é ilícita a recusa de moeda de curso…legal no país”.

* * *

PLACA DE AVISO

Tudo isto, caros leitores, é para vos informar e lembrar que, nesta quinta-feira, 08/Out, das 19h30 às 20h30, teremos mais um delicioso encontro virtual (live) onde daremos prosseguimento a nossa farra, gestada e parida, pelo nosso Mestre Assuero, versando uma mistura de tudo que já foi “debatido” até hoje e muito mais. (cornos, baitolas, moçoilas, poesias, causos, frases de paralamas/pára-choque de caminhão, bares, bêbados e cabarés).

E tudo isso sem qualquer roteiro pré-definido. Para participar basta clicar aqui que a autorização será dada.

Neste encontro, a palavra é franqueada a qualquer um que deseje assistir e participar.

SUAS NOITES DE QUINTA-FEIRA, JAMAIS SERÃO AS MESMAS

Participem.

13 pensou em “A IRREVERÊNCIA DOS “ASSINANTES” DO JBF

  1. Marcos André….

    Poucas pessoas me fazem escangalhar-se-me de tanto rir, quanto você nesta manhã de terça, com a foto dessa nota de 200 reais. Vou providenciar a minha também e fazer a doação.

    • Assoviemos:

      ♫ ♬ ♩ Dinheiro na mão é vendaval
      É vendaval
      Na vida de um sonhador
      De um sonhador ♫ ♬ ♩

      A nota de “dois zentos” reais foi de uma criatividade daquelas que você para e pensa, “quando e se” consegue parar de rir: o cabra é fera.

      Aí você volta ao início para ver quem foi o cabra que bolou a tal nota e ri ainda mais, pois o “fera” que bolou e botou tal nota em tal texto é o genial Marcos André.

      Aí tá explicado. Coisa de gênio.

      Vou ser mais “chique” vou encher meu caminhão com bolívares que consegui com meu amigo Maduro (troquei os bolívares por um pajarito falante). Pela cotação da moeda venezuelana frente ao real, o caminhão lotado de bolívares vai contabilizar uns 50 reais.

      • Sancho, você na qualidade de divulgador e embaixador do JBF, é que é um gênio
        Tem uma bagagem de conhecimento e cultura que não cabe em seu próprio caminhão.

        Aviso:
        Pode aceitar o pagamento do frete com estas novas notas de DOIS ZENTOS reais.

    • Pois é, Roque. Desta vez os cofres do JBF vai ter um tremendo superávit.
      Chupicleide e xolinha vão se esbaldar.

      Sinceramente, é muita criatividade desse povo.
      Tartaruga virando lobo guará é impagável.

  2. Ando meio leso e esquecido nas doações. Farei a minha hoje, ou melhor, pagarei o dízimo.
    Quanto a tua fala amanhã verás que a Sala vai estar coberta. Perfeitamente coberta…
    Abs

    • Mestre De Leon, muito me honra ler sua coluna e sua participação nas alegres noites de quinta.
      Lembro que a fala será de todos. Como sempre tem acontecido.
      A sala estará perfeitamente coberta. Justamente!

    • Rodrigo, você tem razão… tenho que mandar os dízimos dos fieis da ICAS, mesmo com os sumíticos, mãos de vaca, canguinhas, brotos e samambaias, unhas de fome, chorando miséria, vou mandar

  3. Isso é um lobo guará? Tá parecendo uma tartaruga que desenvolveu bem suas pernas, e a cabeça não se parece com a do lobo. Valeu a recusa, isso mostra que a JBF é séria.

    • Concordo com você, Sr. Adair Machado.

      O desejo do criador da arte de incorporar um ser hibrido na cédula de 200 ficou muito a desejar.
      A reprodução da figura hibrida (cruzamento genético entre duas espécies distintas) do lobo guará com a tartaruga, ficou por conta do talento e do poder criativo do artista.
      Diz ele que está à disposição do departamento de arte do BC.

  4. Mais uma quinta-feira de TV Fubana na minha lista de programas imperdíveis, obrigatórios. Tenho anotado o número de participantes e observo que desde o primeiro a audiência vem crescendo mais do que pinto de adolescente. A primeira teve cerca de duzentos assistentes, segundo a contagem da Polícia Militar, e mil e seiscentos, segundo a nossa. Daí, foi crescendo, crescendo, crescendo e já na anterior, apresentada pelo Maurino, a PM apontou 218 e a nossa contagem deu oito mil quatrocentos e trinta e sete pessoas ligadas. Creio que Marcos André levará mais de dez mil de Ibope, ou até mais do que isso.

  5. Pingback: O DEBATE FUBÂNICO DAS QUINTAS-FEIRAS | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe uma resposta