GUILHERME FIUZA

Há certos momentos na vida em que é preciso reconhecer o triunfo daquilo que você deplora. Então vamos lá. A CPI da Covid é um sucesso. Esta é a sentença inescapável, irrefutável, definitiva sobre este aleijão que dominou a vida pública brasileira no momento da história em que isso menos poderia acontecer.

Nem tente negar o parágrafo acima. Será perda de tempo. O tribunal circense de Renan Calheiros venceu. Naturalmente, com a ajuda da imprensa marrom – que hoje é a maioria esmagadora. E isso não é papo de gueto, não é ladainha desses perseguidos profissionais que vivem se lamuriando para demarcar seu lote – igualzinho àqueles de quem se queixam. Este signatário sempre se recusou a criticar genericamente a imprensa. Ela é o oxigênio da liberdade. Era.

Imprensa que transforma Renan Calheiros em herói da ciência, da ética e da empatia é imprensa marrom. Fim de papo. Durmam com esse barulho. E com os faniquitos do Randolfe.

Mas, como já ressalvado, isto não é um manifesto choroso contra a decadência do jornalismo. Até porque ele já tinha decaído antes, desde o cerco conspiratório ao Palácio do Planalto em 2017, numa tentativa tosca de virada de mesa com a famigerada dupla Janoesley. Prezada e novíssima imprensa marrom: nem o Temer, que não tinha voto, que não tinha nada, você conseguiu derrubar. Mas conspirar e mentir é só começar. As fake news de grife vieram para ficar. E não é disso que vamos falar.

Vamos falar de um Brasil de audiência que consagrou a arapuca do Omar. Se é abjeto, desprezível e sórdido, por que vocês só falam disso? Ah, porque é abjeto, desprezível e sórdido. É mesmo? Então a armadilha deu certo. Os de boa-fé caíram como patinhos. O truque era colocar essa pegadinha no centro da política nacional. E deu certo. Graças aos picaretas e aos indignados.

Vamos repetir: essa constatação é irrefutável. A maioria dos brasileiros que têm propósitos sérios para o seu país só fala desse circo. Contando ninguém acredita. Ah, mas é para deplorar… E daí? Deplorando, xingando, discutindo, dando audiência vocês estão consagrando essa porcaria como o fato dominante da nação. Nem Rodrigo Maia, o rei da roda presa, teve uma conjuntura tão favorável para sentar em cima da agenda de reformas.

A seita do lockdown mental nunca teve uma ajuda tão valiosa no seu plano neurótico de deixar tudo parado: vocês, que detestam Renan Calheiros e só falam de Renan Calheiros. Como diria o Evandro da Blitz: ok, vocês venceram. Mas fica aqui o voto vencido para o que essa inacreditável CPI deveria merecer do país que não quer capitular no atoleiro: indiferença e polícia.

Não fiquem achando que isso é um problema para o Bolsonaro. Para ele (eleitoralmente) está ótimo. Ninguém pode ter uma campanha melhor do que ser diariamente atacado por Renan Calheiros. O mais esperto dos marqueteiros não sacaria uma estratégia dessas. Quem se arrebenta com um país hipnotizado por uma CPI circense é ele, o país.

Deixe uma resposta