A PALAVRA DO EDITOR

Ontem fiz uma postagem aqui na minha coluna sobre o canalha zisquerdóide que governa Pernambuco.

Aquele mesmo que foi visitar o ex-presidiário Lula em Curitiba, quando o maior ladrão deste país estava cumprindo pena por corrupção e lavagem de dinheiro.

O projeto de tiranete pernambucano baixou um decreto escroto fechando tudo a partir de hoje, quinta-feira, 18.

E transformando nosso estado num feudo debaixo do seu tacão. 

Mas, entre as exceções, as atividades que poderiam funcionar normalmente, nosso ditadoreco incluiu um item que não tem qualquer explicação: as concessionárias de veículos.

Uma postagem no Twitter, esta que está aí embaixo, explica tudo:

5 pensou em “A CANALHICE ZISQUERDÓIDE

  1. E precisa algo mais para demonstrar para a população como funciona o socialismo. Assim é o socialismo. Tudo pra mim e migalhas pra você. Eu sou as rédeas e você é o arreio. “Fique em Casa”.

  2. Recebi uma mensagem pelo WhatsApp que esclareceu direitinho essa atitude do governador.
    “Você não entende nada de política e muito menos de governo.
    A verdade é que se a grande maioria dos cidadãos de Pernambuco, especialmente do Recife, comparar carro Okm nas concessionárias, certamente o fluxo de passageiros nos ônibus e metrô vai diminuir, evitando assim aglomeração nos meios de transporte público. ENTENDEU?????

  3. Contei no quadro ao lado das duas figuras impolutas. Dezessete concessionárias. Realmente, o povo aí do Recife e de Pernambuco.
    Como irá comprar carros durante a fraudemia? Melhor dizendo, durante o “louquidau”?
    Imagino que o poderoso aí, deve ser dono de quase todas revendas de automóveis da cidade. Pelo jeito.

    Sem querer cometer alguma injustiça com a capacidade empresarial e financeira de tão distinto conglomerado.

    Assistimos algumas reprises de filmes parecidos. O próprio Ministro da Economia já falou sôbre isso: “Os cinco grandes de cada setor”.
    O BNDES, empresas estatais e desgovernos anteriores foram copartícipes desse sistema perverso de monopólio e oligopólio. Para as seletas castas amigas do rei, tudo…

    Uma coisa é certa, diz o velho ditado: “A corda sempre arrebenta do lado mais fraco”.
    Ou ainda, aquele outro: “Na briga da maré contra o rochedo, quem sofre é o marisco”.
    Tem também aquela comparação com o jogo de sinuca. O político entra com o taco, o empresário entra com as bolas e os trouxas entram com os buracos.

Deixe uma resposta