A PALAVRA DO EDITOR

Ontem, 26 de maio, foi o aniversário de 90 anos do grande Toni Tornado, marco da música brasileira.

Um nonagenário ativo, saudável e cheio de talento.

Fiz aqui uma postagem em sua homenagem.

Por uma interessante coincidência, ontem foi também o aniversário de nascimento de outro grande nome da nossa música, o querido e saudoso Sivuca, que encantou-se em dezembro de 2006.

Sivuca foi um dos mais extraordinários artistas da música brasileira, exercendo seu talento como  multi-instrumentista, maestro, arranjador, compositor, orquestrador e cantor.

Severino Dias de Oliveira, o grande Sivuca (1930-2006)

O paraibano Sivuca nasceu em Itabaiana, a mesma cidade onde hoje em dia mora o grande Poeta Jessier Quirino, colunista deste JBF.

Onde também nasceu outro amigo meu, o cineasta Vladimir Carvalho,  extraordinário documentarista brasileiro.

Enfim, Itabaiana é um recanto desta terra que abriga e que dá ao mundo só cabras talentosos.

E, em falando de gente talentosa, vamos lembrar o aniversário de Sivuca com a música “Fruto Severino”.

Trata-se de uma composição do meu querido amigo e colunista fubânico Xico Bizerra, composta em parceria com Ozi dos Palmares, outro amigo do peito e meu conterrâneo da nossa querida cidade.

(Êita peste: tô cercado só de amigos talentosos! Tenho todo o direito de ficar ancho, se inxirindo-me e se amostrando-me!!!)

A interpretação da música de Xico e Ozi é do grande artista Flávio José, uma das mais belas vozes da nação nordestina.

Um grande abraço pra você, eterno Sivuca, junto com toda a admiração e carinho da comunidade fubânica!!!

5 pensou em “90 ANOS DO NASCIMENTO DE SIVUCA

  1. O homem, sinônimo de sanfona de excelsa qualidade, era registrado na União dos Músicos de Nova York, surpreendam-se vocês, como guitarrista.
    A sanfona é um instrumento europeu inventado com a única finalidade de matar a solidão dos fazendeiros. Em quase toda fazenda, por aquelas bandas, tem um acordeon, onde eles tocam à noite aquelas rancheiras.
    Para Severino Dias de Oliveira, a sanfona era um instrumento como outro qualquer, ao qual resolveu estudá-lo a ferro. Leu muita r partitura e adaptou algumas músicas que eram consideradas quase impossíveis. Começou com o “Vôo do Besouro”, de Rimsky-Korsakov, isso ainda na década de 1940. Foi um sucesso, porque Sivuca foi sinônimo de ARTE. Ele era, na época, o único a tocar com orquestra essa música. Independente disso, tocava música com influência jazzística, improvisada à sua maneira.

    Porra, Berto! Tem gente que deveria ser proibida de morrer!

  2. Meu Papa,
    SIVUCA é daqueles que, ao morrer, deveria ser plantado para que nascessem outros SIVUCAS. E mais: dizem alguns especialistas que ele era melhor violonista que sanfoneiro. Nao sei, mas tocando sanfona como tocava não precisava tocar mais nada na vida. Minha bênção de agradecimento pela publicação de nossa homenagem musical.
    Eis a letra, a quem interessar.

    FRUTO SEVERINO
    Fruto severino de fino sabor
    peregrino ‘biu’, feira de amor
    tempero itabaiana, iguaria cigana
    da paraíba ao mundo arriba com o seu dom

    no peito brilha o matiz da luz
    e na cabeça o algodão cor da paz
    dedos de uma doce magia
    fazem poesia embutida no som
    mangaios de um ser tão feliz
    de quem quis a vida em tom maior

    meu cavalo fala português
    e um baião já ensaio pras matinês
    o rei, o bedel e o juiz
    riem todo o riso que há no país
    a zefa de purcina veio
    teu floreio ouviu e então pôs-se a dançar

    não se vê mais verde nos quintais
    e já passou o tempo dos pardais
    joões e marias lá do joá
    choram a saudade que é tua
    naquela vendinha da rua
    onde o povo todo ia se animar

  3. Sivuca foi um dos melhores músico do mundo. Ontem passei boa parte do dia ouvindo Severino Dias de Oliveira. Obrigado pela homenagem Luiz Berto, Xico Bizerra e Ozi dos Palmares.

  4. SIVUCA ERA O ARTISTA DE MIL E UM INSTRUMENTOS.
    ELE INVENTAVA QUALQUER COISA QUE ESTIVESSE À MÃO E USAVA COMO INSTRUMENTO MUSICAL, como panela, bacia, escorregador de roupa, apito, etc..
    Até gato miando já foi usado pelo grande artista criador e inovador na
    arte instrumental musical.

    Concordo cem por cento com a pensamento do comentarista
    Sancho Pança : ¨Tem gente que devia ser proibido de morrer.

  5. Berto, só você com sua singeleza e sensibilidade, tem o poder homenageador para essas pérolas que o Nordeste e o Brasil (ontem com o Toni Tornado) tem em abundância. Terreno fértil de preciosidades da nossa cultura. Citando, também Jessier Quirino, Vlademir de Carvalho, Xico Bizerra, Ozi dos Palmares e Flávio José. Por baixo, somando -se os talentos, provavelmente, teremos a mesma jornada épica do nosso País descoberto. Tenho impressão, que o Sivuca foi o único Severino que não foi Biu. Pelo menos perante o público. Salve! Os gênios talentosos do nosso do nosso País. Salve! Berto.

Deixe uma resposta