DEU NO JORNAL

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acaba de divulgar um vídeo.

Ele diz que está bem e que voltará rapidamente ao cargo para fazer a “América grande de novo”.

Trump disse que irá vencer o coronavírus.

* * *

Num adianta, Trumpão.

Tua sorte já está selada.

Aqui em Banânia um destacado militante petralhal, celebridade nacional zisquerdóide, já rezou pra tu bater as botas.

Rezou de modo cristão e piedoso, cumprindo fielmente a tábua dos mandamentos. 

11 pensou em “ZÉ DE ABREU JÁ DECIDIU

  1. É lamentável um ser dito racional expressar, com tamanha sinceridade, um tipo de pensamento desses, apenas porque pensa diferente. A vida dá voltas enormes. Voltas num raio da linha do Equador.

    • Assuero,

      Quando leio tais notícias não consigo deixar de pensar no nosso Goiano, um cara que angariou no universo fubânico considerável fã clube em um ambiente onde poucos dão vivas aos “maravilhosos feitos esquerdistas”.

      Tenho absoluta certeza de que ele é apenas um intelectual que se apaixonou muito jovem pelos discursos inflamados de Fidel, olhando fixamente para a boina do Chê e com o coração batendo forte por Eva Perón (don’t cry for me), sem notar o sangue que escorria no paredón…

      Como um cara sensacional como ele não acorda do pesadelo que teve na infãncia e que perdura até hoje?

      O que sente ele ao ler sobre Cuba, Venezuela, Nicaragua, Argentina?

      Síndrome de Estocolmo explica?

      • Sancho, minha história é diferente: eu era um jovem direitista americanófilo capitalista democrático religioso patriótico conservador convicto, igualzinho tu e toda essa raça verde-amarela que infesta as páginas fubânicas.
        Eu discutia, debatia e brigava com os argumentos que são os que hoje usam os cinquenta e sete milhões e porrada de eleitores que elegeram a direita presidente do Brasil na pessoa de Jair Messias Bolsonaro.
        Isso até mais ou menos meus vinte anos de idade, quando vi crianças comendo lixo. E comecei a ver coisas, coisas e coisas.
        Resolvi permitir que minhas convicções e escalas de valores fossem postas em dúvida, comecei a parar para pensar, a começar a ler, inclusive sobre os graves erros das ditaduras comunistas na época, Fidel ainda não tinha descido da Sierra Maestra, mas URSS e China estavam em plena prática do comunismo, inclusive suas barbáries, e a respeito do capitalismo vigente, inclusive sobre a dominação norte-americana e, também, suas práticas “imperialistas” (hoje, para quem não viveu acordado, consciente, capaz de crítica, essa época, dificilmente, sem estudar História, sob os diversos prismas, vai poder compreender do que eram essas épocas, inclusive no que respeita ao “paraíso” que era Cuba – e pelo menos seria preciso ler Furacão Sobre Cubam, do Sartre, para ter alguma noção).
        Para encurtar, ali por volta dos 1960 virei comuna, convicto.
        Veio a ditatura militar brasileira. Eu não me filiei a partidos nem a grupos, mas mantive debate de ideias e convencimento, e de uma forma ou de outra contra a ditadura (sim, não sabes, não te incomodou, mas era uma ditadura, não havia liberdade de imprensa nem de pensamento, os dedos duros estavam em toda parte, conhecidos meus foram presos ou fugiram, muitas pessoas foram assassinadas, fui, já pelo final da cana dura, a São Paulo com um alvará de soltura de um preso político, preso por suas ideias que cumpriu a pena, e tive muito medo, porque os advogados de criminosos criminosos eram, como, até hoje, alguns fubânicos acreditam. Não me prenderam, mas eu acredito que exista alguma ficha minha por aí).
        Depois dos acontecimentos aqui e ali, com a queda do comunismo por sua própria culpa, pelos erros e barbaridades cometidas por todos os lados, Cuba, URSS e mais onde fosse, e com as guerras como a do Vietnã e tudo o mais que aconteceu naquelas décadas, abandonei a crença de que o comunismo poderia ser aplicado (é uma doutrina muito interessante, chega a ter uma inspiração cristã, pelo desejo de igualdade, justiça, fraternidade – não é nada disso que pensam muitos, que é um regime onde uns trabalham para sustentar outros que ficam no bem bom, não sei de onde tiram essas ideias), enfim, com tudo o que aconteceu nos países e no mundo, abandonei o sonho do comunismo.
        Mas também abandonei a ideia de que o capitalismo, tal como era e continua sendo aplicado, esse capitalismo idealista de que todos podem chegar lá, não é exatamente o ideal.
        Assim, hoje aceito o capitalismo, como sistema possível (isso é muito importante: como sistema possível), mas que precisa de correções.
        Essas correções e freios de que o capitalismo necessita, mediante a atuação do Estado, correspondem à esquerda, ou à “nova esquerda”, se preferires.
        E a esquerda é que luta, também, pela oxigenação moral, fisolófica, cultural da sociedade, para que, como vanguarda, queime sutiãs, estabeleça igualdades entre raças e gêneros (por assim dizer), e, muito, mas muitíssimo importante, cuide de uma o mais justa distribuição de renda possível, se necessário dando comida, remédio, médico, casa, luz, água a quem não tem como conseguir por seus próprios meios – de graça.
        As esquerdas não admitem pensamentos atrasados, retrógrados, medievais, de preconceitos e de barbaridade, como os que o fascismo (estendendo o uso do termo a práticas como a da Klu-Klux-Klan – consta que esse termo vem da imitação do barulho de uma espingarda sendo armada… quem já armou uma automática das antigas pode visualizar isso).
        Por tudo isso, resistimos ao caminho que vem sendo trilhado, que tem por objetivo a completa liberação do capital, para que ele se desenvolva livremente, com o Estado mínimo ou ausente das relações do capital privado, liberação que entre outras coisas fragiliza os direitos do trabalhador, conquistados a duras penas, e acaba com estatais que precisariam ser mantidas por sua intervenção necessária e por vezes estratégica (aí é preciso enfiar na cabeça o incompreendido principal, que é o de que estatal não visa ao lucro, o lucro, se ocorrer, é incidental, embora deva evitar o prejuízo desnecessário, causado por má administração ou corrupção ou politicagem).
        Pois, tens razão.

        • Como inteligência não é meu forte, foi obrigado a ler e reler para confirmar algo que já sabia. Agradeço a resposta e muito admiro suas convicções.

          Só que na hora que o socialismo (sempre belíssimos discursos) vai para o que interessa, que é ser posto à prática, a coisa descamba para a tal ditadura que seu texto deixa claro que abominas.

          A história ensina que não trilha bom caminho quem abraça pessoas que fazem de gente apenas escravos. Volte seu olhar para o povo de Cuba, Venezuela, Nicarágua e Argentina e o que verás? Combateram o bom combate? Trilharam o bom caminho? Qual o futuro os aguarda se o presente é o que é?

          Lembremos o Vice-ministério venezuelano da Suprema Felicidade.
          Seria cômico se não fosse trágico.

          Vou até ali falar com uns “pajaritos” e já volto.

          Abração, grande Goiano, um cara que a cada linha escrita ganha mais e mais minha admiração.

          • Defendemos lados opostos; um de nós está errado, e no lado escolhido por um de nós, mergulhada está a alma numa escuridão que luz nenhuma alivia. A escuridão má. Aquela que nos torna cegos para tudo, mesmo para a certeza de que amanhã, com a aurora, vai haver claridade.

            Não possuo a resposta para qual de nós escolheu a luz e qual mergulhou na escuridão. O futuro, dizem, a Deus pertence.

  2. É a única maneira que os ignorantes da esquerda conseguem aparecer…… de maneira ridícula..

    Esta gente não tem o menor decência e por não saber o que é decência, ainda se acham ….

    Muito estúpido quem participa de uma barbaridqde assim mas, e sempre existe um mas, muito pior a canalhice de quem apoia e aplaude……

    O primoroso e o ridículo chamam a atenção……..

    Eles não sabem ser primorosos mas são experts em serem ridículos ……. tsk tsk tsk ……

  3. Cês tão preocupados com o Zé Queixada de Abreu?

    Como diria Trump “wrong person”

    Juntaram 13 simpatizantes petistas em uma sala e colocaram um bode junto, para ver quem saia primeiro. Saiu o bode.

  4. É a impunidade ….

    Uma barbaridade desta não poderia ficar impune ……..

    Se este imbecil fosse setenciado nunca mais apareceria outro estúpido no seu lugar ….

    Mas como não acontece nada, a putaria continua, com Lulla, Dillma, Witzel, Doria, Dino Alexandre de Moraes, Toffolli, Gilmar Mendes, Barroso e uma lista enorme de canalhas que se arriscam sem risco…..

Deixe uma resposta