DEU NO JORNAL

Na manhã de 20 de janeiro de 2002 o corpo do prefeito de Santo André (SP) Celso Daniel foi encontrado com 8 tiros, em uma estrada.

Suspeita-se até hoje que foi morto por correligionários em “queima de arquivo”.

* * *

“Suspeita-se” que o crime foi praticado por correligionários, diz a notícia.

Suspeita-se.

Que eufemismo…

A revista Veja publicou uma matéria sobre o assunto, em julho de 2022.

Clique aqui para ler.

2 pensou em “22 ANOS HOJE

  1. O cadáver do Celso Daniel ainda está insepulto por obra e graça do então Governador de SP Geraldo Alckmin, que determinou que uma delegada contra parente do Covardão fosse designada para ser a chefe das investigações.

    O resultado do inquérito saiu em tempo recorde indicando que foi um crime comum.

    Se o caso fosse realmente apurado conforme a realidade, o PT acabaria já em 2002 e os mandantes (Dirceu, o Chefe e G. Carvalho) estariam na cadeia até hoje.

    Nove pessoas relacionadas ao caso morreram de forma suspeita. Alckmin virou VP do Mandante.

    Tudo coincidência…..

  2. Sobre o assunto, recomendo a leitura do livro de Silvio Navarro, onde se detalha – com base em excelente pesquisa – tudo sobre esse crime.
    Infelizmente, ninguém foi verdadeiramente punido, assim como no caso do prefeito de Campinas Toninho do PT.
    inté!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *