DEU NO JORNAL

NO RECIFE, LULA MONTA “CERCADINHO” E ISOLA POPULAÇÃO

Revista Oeste

Público diminuto de petistas no Recife acompanha evento do governo Lula

Carros oficiais a serviço do governo federal, fila de funcionários públicos, orquestra de frevo, detectores de metais e tapumes de ferro foram alguns dos aspectos flagrados pela revista Oeste na visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Recife, para o relançamento do programa Farmácia Popular.

O evento, realizado nas instalações do Centro Comunitário da Paz (Compaz), da Prefeitura do Recife, na zona oeste da capital pernambucana, teve público reduzido — e impedido de participar do evento. Somente autoridades e pessoas previamente credenciadas puderam acessar o local.

Ao som de marchinhas de Carnaval e passistas dançando frevo, diversos deputados estaduais e federais apoiadores de Lula foram chegando ao local. Do lado de fora do evento, a baixa adesão do público ficou evidente.

Veículo do governo federal chega no Recife para evento com Lula

Com camisas vermelhas e bonés do PT, poucos apoiadores do presidente chegaram ao local da solenidade. Ficaram do lado de fora, separados por tapumes de ferro.

Ao tentar entrar na área para convidados, os apoiadores do petista ouviram que o acesso para a quadra onde Lula estava era reservado para credenciados. Segundo os seguranças, o local já estava com a capacidade de público esgotada.

Quem fosse do “povão” não poderia estar ali. Mas as autoridades e os funcionários públicos que foram chegando puderam entrar no local sem problemas.

“Na hora de pedir voto, ele veio falar com a gente”, gritou uma das apoiadoras de Lula impedida de entrar no espaço do evento. “Depois que ganha fica assim, longe do povo.”

A organização montou um cercadinho com um telão do outro lado do local, para os apoiadores de Lula assistirem ao evento transmitido pela TV Brasil. No entanto, por causa de problemas técnicos, o equipamento foi desligado minutos depois do início da transmissão.

Restou aos poucos apoiadores do petista tentarem ver alguma parte da solenidade através das brechas dos tapumes colocados para separá-los dos convidados petistas.

Petistas no Recife tentam ver Lula por brechas dos tapumes

* * *

Proibição na Bahia

Assim como no Recife, Lula também proibiu o acesso da população ao local onde ele esteve, como no Bahia Farm Show. A cerimônia, inicialmente aberta ao público, foi fechada para os visitantes por determinação do cerimonial da Presidência da República.

Apenas alguns convidados de Lula puderam participar do evento. A visita à 17ª edição da feira só foi liberada depois da solenidade com Lula. Toda a abertura do evento ocorreu de portões fechados para o público.

A medida do petista contrasta com a do ex-presidente Jair Bolsonaro. Em 2022, a solenidade de abertura da Bahia Farm Show ocorreu sem nenhum tipo de restrição imposto pelo ex-presidente Jair Bolsonaro.

O então presidente da República chegou ao evento numa motociata. Bolsonaro também participou de um ato simbólico, aberto para a população, e entregou títulos de terra aos moradores da região oeste da Bahia.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SOLILÓQUIO DE UM VISIONÁRIO – Augusto dos Anjos

Para desvirginar o labirinto
Do velho e metafísico Mistério,
Comi meus olhos crus no cemitério,
Numa antropofagia de faminto!

A digestão desse manjar funéreo
Tornado sangue transformou-me o instinto
De humanas impressões visuais que eu sinto,
Nas divinas visões do íncola etéreo!

Vestido de hidrogênio incandescente,
Vaguei um século, improficuamente,
Pelas monotonias siderais…

Subi talvez às máximas alturas,
Mas, se hoje volto assim, com a alma às escuras,
É necessário que inda eu suba mais!

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos, Cruz do Espírito Santo, Paraíba (1884-1914)

DEU NO X

LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURINO JÚNIOR – PAULO AFONSO-BA

Papa Berto!!!

Mais uma contribuição minha para postagem aqui na gazeta mais que escrota.

Esse pústula não é de confiança; Oscila mais que pipa ao vento.

Achei, porém, interessante, o que este defecador pela boca, disse dos vermes do stf e do cappo de tutti cappi.

DEU NO X

RLIPPI CARTOONS

DEU NO X

DEU NO JORNAL

VENEZUELA É O 2º PAÍS MAIS POBRE DO MUNDO

Revista Oeste

Maduro Ouro

Governo de Nicolás Maduro tenta desde 2018 repatriar barras de ouro depositadas em banco na Inglaterra

A Venezuela é o segundo país mais pobre do mundo, de acordo com um estudo divulgado há duas semanas pelo professor Steve Hanke, da universidade norte-americana Johns Hopkins. A ditadura de Nicolás Maduro fica atrás apenas do Zimbábue, país africano que, ao lado de outros países daquele continente, lidera rankings de pobreza há anos.

Outros três países do continente americano estão na desonrosa lista: Argentina, no 6º lugar; Cuba, em 9º; e o Haiti, em 12º. O professor publicou no Twitter a lista dos 15 países mais pobres em 2022.

No caso da Venezuela, o estudo de Hanke considerou a inflação – que beirou os 300% em 2022 – a principal causa da pobreza. Com a inflação disparada, a moeda já não vale nada e praticamente toda a economia está dolarizada. Para ter uma ideia, R$ 1 vale cerca de 530 mil bolívares.

Uma pesquisa feita em 2021 pela Universidade Católica Andrés Bello mostra que 94,5% da população venezuelana vive na pobreza, com menos de US$ 7 por dia – cerca de R$ 35. Desses, 77% só têm US$ 3,20 (R$ 16) para passar o dia. Ou seja, três quartos da população – 21 milhões de pessoas, ou duas vezes a população de Portugal – vivem na miséria. A Pesquisa de Condições de Vida (Encovi) pode ser acessada clicando aqui.

Em 2013, o Produto Interno Bruto (PIB) atingiu US$ 371 bilhões, seu auge, segundo a Trading Economics. Em 2019, despencou para US$ 150 bilhões. No primeiro ano da pandemia, o PIB foi de apenas US$ 106 bilhões – uma queda de 70%, em comparação com 2013. Em 2021, houve recuperação do PIB, para US$ 112 bilhões, mas ainda muito longe da marca atingida oito anos antes. Em 2022, a inflação anual fechou em mais de 300%.

Pobreza na Argentina, Cuba e Haiti

Argentina

Presidente da Argentina, Alberto Fernández

O terceiro lugar da lista é ocupado pela Síria, em guerra civil há mais de uma década. Já a Argentina viu a pobreza crescer nos últimos anos e se acentuar sob o governo peronista de Alberto Fernández. A inflação anual passou de 100%, a moeda está desvalorizada, faltam emprego e alimentos.

Em Cuba, assim como a Venezuela, governada sob o comunismo desde a revolução, também viu sua situação econômica esfarelar nos últimos anos. A ditadura comandada pelo ditador Miguel Díaz-Canel não parece conseguir sobreviver a esta que é a maior crise desde a queda da antiga União Soviética. A pobreza se agravou a partir de 2020, com a pandemia de covid-19: faltam medicamentos, combustíveis, energia elétrica, alimentos. A inflação é alta, e os serviços públicos insuficientes e ineficientes.

O Haiti, que tinha índices de pobreza elevados, piorou os indicadores a partir do terremoto de 2010, com uma das piores rendas per capita do planeta, falta de emprego e inflação alta.

COMENTÁRIO DO LEITOR