CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ ALVES FERREIRA – SÃO PAULO-SP

Caro Luiz Berto,

Com a invasão de lojinhas de 1,99 (dona Dilma até teve uma), criou-se no país a fantasia de mostrar valores com menos 0,99 como se fossem uma grande vantagem.

Eram produtos chineses – na maioria – sem qualquer utilidade ou se usado fora de qualquer controle de qualidade.

Então, adotou-se a prática em que somos ótimos; produtos começaram a serem oferecidos com a mágica do 99 no final, dando a falsa impressão que os compradores faziam grande negócio.

Hoje, vemos isso em todo lugar, como se 1 centavo diminuísse o valor total do produto.

Agora, vejo o presidente da Petrobras anunciar que o gás de cozinha – essencial para quem não pode usar lenha para cozinhar – custará “Ó maravilha! R$ 99,99 o bujão de 13 kg”.

As lojinhas de 1,99 voltaram a moda, com o atual governo.

Creia, se colar, serão usadas até exaustão, até alguém desconfiar …

Que tal falar a verdade?

Abraço

DEU NO X

DEU NO X

DEU NO JORNAL

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

COMENTÁRIO DO LEITOR

COM A PALAVRA PENINHA

Comentário sobre a postagem PAULO VINÍCIUS

Peninha:

Quando este samba foi lançado, em 1971, seu autor, Adelino Moreira, estava brigado com Nelson Gonçalves.

Então Adelino procurou um cantor que pudesse substituir Nelson como seu intérprete oficial.

Escolheu Paulo Vinícius, mas só este samba conseguiu repercussão.

Um ano mais tarde, 1972, Adelino Moreira e Nelson Gonçalves se reconciliaram, após sete anos de estremecimento (Fonte: Samuel Machado Filho).

Infelizmente, depois dessa gravação, o cantor não voltou a emplacar nenhum outro hit e caiu no esquecimento.

* * *

DEU NO X

LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

A VINGANÇA

Triste é saber que milhões aplaudem essa desgraça chamada Lula da Silva.

BERNARDO - AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RLIPPI CARTOONS