LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

DEU NO X

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONHADOR – Cruz e Souza

Por sóis, por belos sóis alvissareiros,
Nos troféus do teu sonho irás cantando
As púrpuras romanas arrastando,
Engrinaldado de imortais loureiros.

Nobre guerreiro audaz entre os guerreiros,
Das ideias as lanças sopesando,
Verás, a pouco e pouco, desfilando
Todos os teus desejos condoreiros…

Imaculado, sobre o lodo imundo,
Há de subir, com as vivas castidades,
Das tuas glórias o clarão profundo.

Há de subir, além de eternidades,
Diante do torvo crocitar do mundo,
Para o branco sacrário das saudades!

João da Cruz e Sousa, Florianópolis-SC, (1861-1898)

LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

O PRÊMIO BOCAGE

“Eu sempre leio os livros do Camões”

* * *

PRÊMIO CAMÕES

Adivinhem quem foi a personalidade mais lembrada na cerimônia.

DEU NO X

ALEXANDRE GARCIA

CALANDO O POVO

Gilmar Mendes

Gilmar Mendes defendeu regulamentação de mídias sociais durante evento em Portugal

Um juiz do Supremo, o ministro Gilmar Mendes, aderiu ontem, aqui em Portugal, à campanha contra a liberdade de opinião nas redes sociais. Num painel chamado de “Futuro da democracia na era digital”, do Fórum Internacional Brasil-Europa (Fibe), ele chegou a afirmar que “se há uma mãe de todas as reformas, eu diria que é a da responsabilidade das plataformas digitais”.

Assim como esse ministro do Supremo, muita gente está atordoada pelo megafone oferecido para cada cidadão expressar sua opinião. Quando mal começavam a ecoar os decibéis digitais emitidos pelo povo até então sem voz, Umberto Eco (o autor de O Nome da Rosa) escandalizou-se com a novidade e ironizou que ela dá voz “a uma legião de imbecis”, dizendo que agora pode percorrer o mundo uma besteira que antes ficaria restrita à mesa de um bar. “Normalmente, eram imediatamente calados, mas agora têm o mesmo direito à palavra que um prêmio Nobel”, disse Eco em 2015.

A manifestação de um grande escritor e de um juiz supremo seria uma reação à tecnologia que deu voz ao povo anônimo? Ampliar a voz de cada um não seria a ampliação do poder do povo, vale dizer, um reforço para a democracia? Não poderíamos pensar que os poderosos, que dominam o povo, temem perder o poder para os que ganharam a voz digital e universal? Umberto ecoa o desejo dos que querem calar a voz do povo, no raciocínio elitista de que os senhores da palavra são gente da estirpe de um ganhador do Nobel? Quem tem ouvidos feridos pela voz do povo e quer que bocas calem? Vamos fazer leis para que digam apenas o que admitimos que vibre em nossos sensíveis e preconceituosos ouvidos? A quem vamos dar o direito de falar no mundo digital e a quem vamos restringir esse direito? Saudamos tanto a diversidade, mas, pelo jeito, não suportamos a diversidade de ideias. Porque, no fundo, é uma questão de ideologia: só queremos liberdade de opinião para os que concordam conosco.

Para punir a calúnia, a injúria e a difamação, já existe o Código Penal. Notícia falsa sempre existiu, séculos antes de aparecerem as redes sociais. Além disso, a vida mostra que mentira repetida vira verdade e que o que era enterrado como falso depois ressuscita como verdade – basta comparar as “verdades” da pandemia com os fatos que hoje testemunhamos. Aliás, fomos muito censurados nas redes sociais naquela época de inquisição contemporânea… Agora, o projeto quer que as plataformas nos policiem e ainda existe uma “entidade de supervisão”, que parece o Ministério da Verdade, do profético 1984, de Orwell. A mídia, que já sofre com a concorrência, apoia a inquisição.

Nesta semana, pode ser votada no plenário da Câmara urgência para um projeto que restringe a liberdade nas redes sociais e nelas interfere até financeiramente. O relator é um deputado do Partido Comunista do Brasil. Ora, todo mundo sabe que é da natureza dos partidos comunistas a censura e o totalitarismo. Isso já contamina o projeto. E agride a Constituição, que nos artigos 5.º e 220 garante a liberdade de opinião e de expressão em qualquer plataforma, e veda a censura de qualquer natureza.

LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

DEU NO JORNAL

BEM NOVINHA

Marilene Rode foi nomeada secretária de Cultura e Turismo de Araucária (PR) no dia 13 de abril. Ela foi escolhida para o cargo um dia depois de o prefeito Hissam Hussein Dehaini, 65 anos, se casar com a filha dela, Kauane Rode Camargo, 16 anos.

LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

DEU NO X