DEU NO JORNAL

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CARLOS EDUARDO SANTOS - CRÔNICAS CHEIAS DE GRAÇA

NOVOS NOMES QUASE IMPRÓPRIOS

Mais de 40 leitores se manifestaram sobre nossa última crônica, por isso, volto a me referir a nomes incomuns, pouco usados, estrambólicos, quase impróprios, os quais saltam à vista e despertam certa comicidade.

Do jurista Antônio Porfírio da Silva recebi: “Caro Carlos Eduardo, crônica muito interessante. Reproduzo parte do texto da Lei nº 6.015/1973. Ela trata dos registros públicos. E, com ressaltado pelo amigo, ela proíbe registrar prenome (nome próprio da pessoa – João, Maria ou Carlos Eduardo) que possa expor o seu titular ao ridículo.

Eis o que ora se oferece: “Art. 55. Toda pessoa tem direito ao nome, nele compreendidos o prenome e o sobrenome, observado que ao prenome serão acrescidos os sobrenomes dos genitores ou de seus ascendentes, em qualquer ordem e, na hipótese de acréscimo de sobrenome de ascendente que não conste das certidões apresentadas, deverão ser apresentadas as certidões necessárias para comprovar a linha ascendente. (Redação dada pela Lei nº 14.382, de 2022)

§ 1º O oficial de registro civil não registrará prenomes suscetíveis de expor ao ridículo os seus portadores, observado que, quando os genitores não se conformarem com a recusa do oficial, este submeterá por escrito o caso à decisão do juiz competente, independentemente da cobrança de quaisquer emolumentos”. (Incluído pela Lei nº 14.382, de 2022).

Tivemos, recentemente, uma polêmica e a respeito. reproduzo o texto de uma das notícias lidas:

“Após ter tido o registro do nome de seu filho recusado, o cantor Seu Jorge conseguiu o direito de batizá-lo como: Samba. A notícia foi confirmada pela assessoria do artista junto à Associação de Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP), que aceitou o nome escolhido” (via Folha de S. Paulo). Que coisa!!!”

Do escritor Hélio Araújo Fontes: “Acabei de ler seu artigo desta semana sobre nomes incomuns, alguns hilários e outros até constrangedores.

Lembrei-me que certo dia, conversando com um amigo sobre essa compulsão que alguns pais sentem de batizar seus filhos com nomes esquisitos, ele me falou de um certo militar do exército que foi “premiado” com o nome esquisitíssimo: Um Dois Três de Oliveira Quatro de Melo.

Outra: Um casal cujo marido era metido a literato queria ter, apenas, dois filhos. Quando nasceu o primeiro deu-lhe o nome de “Prólogo de Souza” e ao segundo “Epílogo de Souza”. Mas o destino é zombeteiro e, algum tempo depois nasceu, certamente por descuido, uma filha a que ele prontamente registrou lhe com o nome de: Errata de Souza”.

Tive um professor de português que defendia o dicionário de nomes. Na escola havia um garoto que se chamava Urânio e o irmão dele Plutônio. É muita sacanagem dos pais… Não posso garantir que sejam verdadeiros esses fatos, apenas que são, de certa forma, engraçados.

Da leitora Carmen Carvalho Menezes de Oliveira, recebi esta interessante nota:

“O nome do meu marido é Rudex Regis de Oliveira. Já conhecia esse nome? Até hoje soubemos que há um Rudex, em Sumé – PB. E foi por lá que meu sogro viu e pôs o nome dele. Na sua infância e adolescência deu problemas ele depois se acostumou. ”

Do desembargador aposentado, Dr. Boaventura Bonfim, de Fortaleza-CE:Caríssimo amigo Carlos Eduardo. Sinto-me um privilegiado por ter acesso à sua crônica hebdomadária antes da publicação no JBF.

Hoje o privilégio duplicou-se porque, além do acesso antecipado, ainda deparo com meu nome na sua lista de nomes heteróclitos. Diz um velho amigo meu, referindo-se à minha graça: quem tem um nome desses, que se inicia com Boaventura e termina com Bonfim, não precisa de mais nada.

Parabéns pela garimpagem de nomes estrambóticos. A crônica está um primor. Um forte abraço do colega e amigo do vetusto Banco do Brasil. – Boaventura Bonfim.

Sérgio Marchio disse: Bom dia. Dois casos conhecidos meus. Um cidadão daqui de minha cidade estava no hospital por ocasião do nascimento de sua filha. Ainda em dúvida sobre qual nome escolher viu na parede um anúncio do laboratório Carlo Erba, não sei se ainda existe, e pespegou o nome na filha: Carloerba.

Tem um dentista conhecido em Jataí, GO, que ficou famoso, mais pelo nome creio eu, que se chama Supercílio e ele mesmo brinca comentando para os chegados que é simplesmente: Super.”

Vamos à nova pesquisa, sabendo-se que completei alguns nomes que ouvi falar com nome de família.

Aciatá Clímata de Melo
Adams de Melo Brandão
Adelgísio de Barros Correia
Ademilde Fonseca de Sena
Albanita Cruz Maranhão
Alex Garcia Gêmeo
Antônio Coalhado
Antônio Paurílio de Souza Santos
Arieta Coronário Campos
Astrolândio Marques Coreia
Benedito Rui Barbosa de Souza
Berlando Raposo Torres
Brancelino Virgílio Pontes
Brandina Martins Moraes
Carloerba Francisco Gomes
Damaris Nobre Cantoleni
Diogolino Goiano
Duralex de Alcântara Rego Silva
Edelzuita Rocha Mendes
Elizar Van Shosten
Epílogo de Souza Mendes
Errata de Souza Filha
Esperantino Rocha
Evangelino Pedro Ramos
Felisberto Martins Garrido
Félix Gaioso
Fernando Castelão Pereira
Gal Ferreira da Costa
Glaubemiro Martiniano Fernandes
Gontijo Theodoro Roesler
Hemistério Pazuello Souza
Hermeto Paschoal Anastácio Souza
Herven Maria de Souza
Hildhalius José de Arruda Cantanhede
Janguiê de Matos
Jesus Mariano
João Bravo de Medeiros
Joferlino de Miranda Pontes
John Ford de Almeida Barros
Leocádia Prestes
Luiza Belém da Rocha Machado
Luizardo Peregrino de Lima
Lupercínio França Gomes
Lupiscínio Rodrigues Sena Alves
Luzilah Nova Fernandes
Magnovaldo Mendes Cruz
Marcelino Fedegoso Chaves Filho
Márcio Errante de Souza Prates
Marcolina Chaves Arruda
Maria Anunciada da Paixão
Maria da Conceição dos Santos Filha
Maria das Dores Anunciada Brandão
Mário Celestino Almeida
Nelson Massaranduba Oligarco
Metacírio Distinto de Souza
Minervina de Tal Fontes
Moab Lins de Souza
Nominando Ramos
Pedro Clímaco Liausi Cavalcanti
Potiguar Matos
Plutônio Ferreira
Prólogo de Souza
Puranguê Etelvino Mendes de Melo
Ramani da Rocha Leão
Rubenilson Pires de Alcântara
Rudex Regis
Rudyard Rocha
Rui Ponce de León
Sanelvo Marcondes Silva
Secrinácio Santos
Setembrino Reis
Sóstenes Magalhães Ramos
Sulpino Colaço Dias
Supercílio da Rocha Camirão
Tais Avoluma
Ulisses Pernambucano de Melo
Um Dois Três de Oliveira Quatro
Urânio Ferreira
Vanhoeven Ferreira Velozo
Vilani Maria de Souza
Vitalício Amorim de Barros
Vitalino Manuel de Brito
Wanderlinden Rígido Maia
Zanoni Mesquita Pimentel
Zilah Barbosa Torres
Zózimo Barroso do Amaral
Zoroastro Mesquita Pimentel.

PENINHA - DICA MUSICAL