CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

BOAVENTURA BONFIM-FORTALEZA-CE

INDICAÇÃO DE LEITURA:

Livro: “A Grande Mentira: Expondo as Raízes Nazistas da Esquerda”, Dinesh D’Souza (Autor), Elmer Pires (Tradutor) – Editora Trinitas LTDA, São Paulo, SP, 2019, 1ª edição.

Informações na contracapa:

“Qual é a ‘grande mentira’ da esquerda? Que os conservadores são fascistas. Até mesmo, nazistas.

Mas, na verdade, essa mentira audaciosa é uma inversão completa da verdade. Sim, há fascistas, mas eles estão na esquerda. A esquerda possui uma ideologia virtualmente idêntica ao fascismo, e, rotineiramente, empresta as táticas de intimidação e terrorismo político dos nazistas.

Para disfarçar sua insidiosa agenda fascista, os esquerdistas acusam conservadores de serem nazistas – uma óbvia mentira, considerando que, historicamente, conservadores lutaram contra os esquerdistas em temas como escravidão, genocídio, racismo e fascismo.

Agora, finalmente, Dinesh D’Souza expõe a Grande Mentira da esquerda, apresentando a relação longa e próxima da esquerda com o nazismo: como, por exemplo, os atos racistas e genocidas dos primeiros esquerdistas nos EUA inspiraram a campanha de morte de Adolph Hitler; como filósofos fascistas influenciaram os grandes líderes esquerdistas americanos no século 20; e como a atual esquerda americana se posiciona contra a liberdade de expressão, contra o capitalismo, contra a liberdade religiosa e a favor da violência e da morte, em um simulacro assustador do Partido Nazista alemão.

Hitler cunhou o termo ‘a grande mentira’ para descrever uma mentira na qual ‘as grandes massas populares’ cairiam precisamente por ser uma mentira tão audaciosa e monstruosa.

Em seu livro ‘A Grande Mentira’ , Dinesh D’Souza mostra como a esquerda americana orquestrou uma campanha para pintar os conservadores como nazistas para acobertar seu próprio fascismo.”

Sobre o autor:

Dinesh D’Souza foi presidente da universidade King’s College em Nova Iorque, e é autor de diversos best-sellers. Ele foi analista de política interna da Casa Branca e pesquisador no American Enterprise Institution e no Hoover Institution na Universidade de Stanford.

DEU NO X

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

JOÃO BAXIN E AS URNAS ELETRÔNICAS EM RIBEIRÃO (2004)

Imagem das primeiras urnas eletrônicas fabricadas no Brasil

Em 2004 João Baxin se arvorou a ser candidato a vereador depois de mais de vinte anos afastado do município ribeirense. Sequer se lembrava mais dos nomes dos amigos de infância e adolescência. Uma lástima!

Seu Zezé, o pai dele, de cara, foi contra a ideia:

– Você tá lôco, rapaz! Depois de mais de vinte anos afastado de Ribeirão, sem conhecer mais ninguém no município da sua época, sem preparar uma base eleitoral sólida! Liso! Você vai levar fumo até desses pinguços da Praça 69!

Mas João Baxin, empolgado, não desistiu do sonho tresloucado, nem ouviu os conselhos do Velho Zezé. Criou endereços fictícios para transferir domicílios eleitorais dos irmãos e colegas da Capital, se endividou com empréstimos tirados em vários bancos, fez uma campanha política entusiasmada e no dia das eleições nem o nome dele apareceu na tela do microonda do TRE.

Decepcionado com o pleito, que chamou de “trambicagem das urnas,” entrou no bar o “Petisco de Zefa,” tomou duas garrafas de aguardente “Cachaça da Sogra” e, aos “intrupicões,” dirigiu-se até ao Clube Vassourinha do centro do município, local onde estava o “coletor eletrônico de voto.”

Quando percebeu que não havia recebido nenhum voto de fato, sequer tinha sido registrado seu nome no sistema, como candidato a vereador, e dos eleitores transferidos, correu para a mesa de apuração e bradou, bêbado:

– Essas porras dessas urnas eletrônicas são falsas! São artimanhas desses comunistas safados, felas da puta, para ludibriarem o sistema e arrombar os candidatos fudidos que não compartilham com essas “escandilices” do comunismo que quer escravizar a gente.

Passados mais de dezoito anos do pleito, hoje João Baxin é comunista ferrenho, defensor fervoroso das urnas de Barroso e Cia e seguidor fiel do chefão da seita petista!

Mudaram as urnas eletrônicas ou mudou João Baxin?

DEU NO X

PENINHA - DICA MUSICAL