DEU NO TWITTER

DEU NO TWITTER

RODRIGO CONSTANTINO

O RIO CONTINUA LINDO!

Após um ano sem pisar por aqui, estou de volta ao meu querido Rio de Janeiro, à cidade maravilhosa onde nasci, cresci e vivi por 38 anos. Sempre que volto é uma sensação mista de sentimentos. Nostalgia e saudades, misturadas com uma leve tristeza. Esta bate justamente porque escolhi sair, e pelas causas dessa decisão.

O potencial do Rio é incrível. E essa tristeza vem exatamente da clara noção de que tínhamos tudo para arrasar. O turismo, para começo de conversa, era para ser muito, muito maior. Temos as mais belas praias, com montanhas, serra, clima bom, povo animado e receptivo. A beleza natural é imbatível, qualquer gringo fica louco. Angra, Búzios, Copacabana, Itaipava: alguém pode passar o mês todo passeando e ficará encantado a cada dia.

Mas não usamos nem uma fração do nosso potencial. E aí vem aquela lista de motivos pelos quais muita gente cansa e, quando pode, se manda. E a cada vez que venho visitar, noto que pouco ou nada mudou quanto a isso. Trânsito caótico, ruas esburacadas, motoristas afoitos e sem educação. Sensação constante de perigo, pois a criminalidade é elevada e somos obrigados a atravessar locais hostis mesmo nos bairros mais nobres. E o mais grave, ainda que compreensível: o carioca é adaptado a isso, banalizou o absurdo como mecanismo de sobrevivência.

É preciso viver num lugar diferente por um tempo para se dar conta de que nada disso é razoável ou aceitável. Mas o “malandro” não só absorve o bizarro, como tira proveito dele. O problema, claro, é que tem malandro demais para otário de menos, e o resultado é um concurso de oportunismo que reduz os benefícios gerais. Os anglo-saxões são mais “certinhos” ou “caretas”, sem dúvida, mas será por isso que foram capazes de construir sociedades mais estáveis, prósperas? O tecido social depende de alguns valores básicos disseminados, entre eles a boa fé quanto ao próximo, para se consolidar uma sociedade de confiança. No Rio isso está basicamente ausente.

E quando falo do Rio, falo do Brasil. Foco no Rio por dois motivos: 1. conheço melhor; 2. representa a capital nacional desse nosso jeitinho. Cheguei a escrever um livro sobre o assunto, e quando retorno e percebo a lentidão da mudança necessária, dá um cansaço e tanto. O que poderíamos ser e o que somos são dois pontos separados por um abismo, e quem tem essa clara noção não consegue impedir uma pontada de tristeza.

Mas somos brasileiros, e não desistimos jamais! Até porque não se trata só de lentidão no progresso, mas sim do enorme risco de retrocesso! Basta lembrar que a esquerda caviar se cria é no Rio mesmo, onde o PSOL tem seu eleitor cativo nos bairros ricos, onde o PT costuma vencer nas eleições presidenciais. A depender dos “institutos de pesquisas”, o ex-presidiário e “descondenado” Lula será presidente novamente. Só de aventar essa hipótese, por mais que desconfiemos dessas pesquisas fajutas, já bate desespero. Só de essa possibilidade ser real já temos a prova de como as coisas mudam pouco em nosso país, de como ainda temos esses bolsões de ignorância e desonestidade espalhados por aí.

É verdade que as manifestações este domingo foram um fiasco, e isso é alvissareiro. O povo não parece interessado na volta do ladrão. Banqueiros, jornalistas, intelectuais, esses sim, lutam pelo pior. Mas quero crer que o povo brasileiro acordou mesmo. É preciso olhar para os países mais avançados para entender como chegaram lá. Não precisamos inventar a roda. Basta endireitar aquilo que ainda é sinistro. Basta começar a valorizar as virtudes e rejeitar os vícios. Aí sim, teremos uma cidade maravilhosa digna de atrair para visitar e morar o mundo inteiro. Aí sim, teremos um país decente. É sonhar muito?

GUSTAVO GAYER

A PALAVRA DO EDITOR

DIA DE SÃO FRANCISCO

4 de outubro.

Dia de São Francisco, o protetor dos animais.

Vamos celebrar ouvindo a música “Chico das Águas”, de autoria do meu querido amigo Xico Bizerra, colunista do JBF, em parceria com Toinho Alves, o saudoso componente do Quinteto Violado que encantou-se de 2008.

A interpretação é de Toinho Alves, acompanhado do Quinteto Violado.

E viva o Rio São Francisco!!!

DEU NO JORNAL

GAZELA DE PESCOÇO TORCIDO

Na manhã deste domingo (3), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, deslocou o ombro , enquanto inaugurava uma arena esportiva no município de Mazagão (AP).

O próprio congressista compartilhou o momento da contusão, quando fazia o papel de goleiro na cobrança de um pênalti na inauguração do espaço esportivo.

“Amigos, desloquei o ombro direito quando tentei defender uma bola na manhã de hoje, durante a cerimônia de inauguração de uma arena esportiva no município de Mazagão”, disse Randolfe.

* * *

Ontem foi deslocamento de ombro por conta de uma bola.

Já na semana passada, o Gazela Saltitante padeceu com uma torção no pescoço.

Foi quando tentava enfiar na boca um outro tipo de bola que vem dentro de um saco.

* * *

O GAZELA SALTITANTE BRILHANDO NO PROGRAM DE SIKÊRA JR.

DEU NO JORNAL

COLUNISTA XICO BIZERRA UNINDO OLINDA E HOLANDA

Texto do jornalista Zé Teles

Há 15 anos, o então contrabaixista do Quinteto Violado, Toinho Alves (falecido em 2008) compôs com o poeta Xico Bizerra uma canção intitulada Olinda, Holanda, para o 1º festival Olinda Jazz.

Mas a intenção do inquieto Toinho seria usar a música como trilha para intercâmbios artísticos e culturais com a Holanda, um infarto interrompeu o projeto.

Mais recentemente, Dudu Alves, tecladista do Quinteto Violado, e filho de Toinho, reencontrou com os produtores do Olinda Jazz, Coraly Pedro e Addeo Ramos, reacendeu-se a possibilidade da retomada do projeto.

Faixa do CD Candeeiros e Neons, de Xico Bizerra (2011), Olinda, Holanda volta a ser a ponte para a ligação entre Pernambuco e Holanda, um relacionamento iniciado com conflito e desaguou em amizade, e que remonta ao século 17.

Coraly e Fabrício convidaram o superguitarrista Jan Akkerman, líder do Focus, mais importante banda holandesa dos anos 70, e a filha dele, Laurie, para recriarem, com o Quinteto Violado a composição de Toinho Alves e Xico Bizerra.

Laurie canta a música com letra adaptada para o holandês, enquanto Jan sola e acompanha Marcelo Melo. A gravação foi feita virtualmente, e levou dois meses para ser concluída, entre conversas, ensaios, e gravações.

A nova versão de Olinda Holanda foi lançada às 10h, de 1º de outubro, no canal do youtube, e demais plataformas digitais, do Quinteto Violado.

O projeto é uma realização da PrumoPro, com patrocínio da Embaixada dos Países Baixo em Brasília.

DEU NO TWITTER

XICO COM X, BIZERRA COM I

O TROAR DOS CÉUS

Escutou-se o trovão na noite sem lua. De arrepiar. Relâmpagos substituíam a luz do luar. Todos os deuses respiravam em volta do quase silêncio interrompido pelo trovejar dos céus. Sim, o céu troava e a chuva avisava que estava chegando, com toda força. Que bom seria se ela acontecesse com maior frequência, se já estivéssemos habituados com o prenúncio das águas vindas do céu e estas nos causasse, além da alegria de recebê-las, o alívio da boa colheita que ali se anunciava. Chuva é muito mais sinônimo de mesa farta que apenas o cheirinho de terra molhada. É muito mais o indicativo de fartura que simplesmente poças d’água num chão desacostumado com algo a aguar-lhe. E veio a chuva, renovando as esperanças de um povo que dela depende para ser feliz. No meu sertão, contrariando todos os dicionários, chuva é sinônimo de felicidade. Se forte e demorada, felicidade plena. Se neblina apenas, um alisar de paz, um breve anunciar de coisa boa. Sejamos chuva, alegres e felizes. Permitamos que os céus trovejem.

Todos os Livros e a maioria dos Discos de autoria de XICO BIZERRA estão à disposição para compra através do email xicobizerra@forroboxote.com.br. Quem preferir, grande parte dos CDs está disponível nas plataformas digitais. Visite nosso site: www.forroboxote.com.br

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES ANÔNIMAS INTELIGENTES

“Tudo aquilo que o homem ignora não existe para ele. Por isso o universo de cada um, se resume no tamanho do seu saber.”

“Você pode ir á academia todos os dias, beber bastante água, tomar vitaminas e não comer açúcar, mas se você não souber lidar com seus sentimentos e emoções, você adoecerá.”

“Da vida, eu só espero rir dos tombos, aprender com os erros e continuar esperando que tudo vai dar certo…”

“Se quer construir algo do nada, comece amando intensamente seus pensamentos e sua imaginação. Um grande caminho começa com o primeiro passo. O resto fica por conta das cirucunstâncias.”

“Tudo que acontece na nossa vida é essencial. Até os erros trazem a possibilidade de aprendizado.”

“Eu sou meu único obstáculo. Cada vez que me supero é a mim que venço. Não nasci para ser mais,, melhor, menos, nem pior do que ninguém, mas para vencer os meus limites. Não concorro em nada com ninguém. Eu sou o meu desafio.”

“Seja humilde para admitir seus erros, inteligente para com eles e maduro para corrigi-los.”

“Relaxe no agora. Ao pensar sobre a vida, lembre-se que não há uma quantidade de culpa que possa mudar o passado e nenhuma quantidade de ansiedade que possa mudar o futuro.”

“Amadurecer é deixar que falem tudo o que quiserem, sem que isso mude quem você é.”

“A felicidade não é um prêmio, e sim uma consequência; a solidão não é um castigo, e sim um resultado. O que você é se encontra no reino imensurável que chamamos pensamentos.”

“Preste atenção ao que está fazendo, o ontem já lhe fugiu das mãos, o amanhã ainda não chegou.”

“Vai ficando cada vez mais fácil enxergar o lado positivo quando você passa a tratar as dificuldades como superações, e não obstáculos.”

“A vida é muito estranha: é preciso tristeza para saber o que é felicidade, o barulho para apreciar o silêncio e a ausência para avaliar a presença.”

“Nossa vida é uma constante viagem… A paisagem muda, as pessoas mudam, as necessidades se transformam, mas o trem segue adiante.”

“Pessoas maravillhosas vão entrar e sair da sua vida, mas a pessoa que você vê no espelho estará lá para sempre. Seja sempre o melhor que você conseguir para você mesmo.”

“Depois de passar pela escuridão. Você descobre que a luz não está no fim do túnel. A luz está em você.”

“É desnecessário ficar tentando provar algo a alguém. As pessoas tomam como verdade apenas aquilo que lhes convém.”

“Não é o desafio com que nos deparamos que determina quem somos e o que estamos nos tornando, mas a maneira com que respondemos ao desafio.”

“A vida dá 2 escolhas para toda e qualquer pessoa; ou você senta, adotando uma postura mau humorado e fica pensando como a vida é injusta com você, ou você pode descobrir como fazer a situação ruim funcionar ao seu favor.”

“Sua competição não é com outras pessoas. Sua competição é com seu ego, sua proscratinação, sua alimentação ruim, suas atitudes negativas e o conhecimento que você se nega a aprender.”