DEU NO JORNAL

AURÍFERA PROIBIÇÃO

Advogados da ditadura da Venezuela decepcionaram-se ao chegar ao Reino Unido ontem, segunda-feira, 19.

O objetivo do grupo era repatriar US$ 1 bilhão em ouro, guardado pelo Banco da Inglaterra.

Em nota, a instituição financeira salientou que vai manter os ativos no cofre porque não reconhece Nicolás Maduro como presidente daquele país.

“O governo do Reino Unido é claro sobre o reconhecimento de Juan Guaidó pelo governo de Sua Majestade desde fevereiro de 2019 como o único presidente legítimo da Venezuela”, informou o gabinete de Relações Exteriores britânico, na segunda-feira 19.

* * *

Um bilhão.

Um bilhão de dólares em ouro!!!

Chega fiquei zonzo quando li esta quantia.

Lula, Gleisi Hoffmann e o Diretório Nacional do PT vão expedir nota condenando veementemente esta proibição absurda.

Uma medida ditatorial decretada pelo governo de Sua Majestade contra a república progressista, democrática e popular da Venezuela.

A rica e avançada nação governada pelo cumpanhero Maduro.

“Dêxe cumigo, cumpanhero: vou fazê Elizabeti soltá o ouro todinho”

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

BARRACO NA DELEGACIA

Tinha tudo para ser um dia normal na Delegacia do município de Tuparetama (PE), grande polo de confecção de roupa de chita.

O delegado chegara ao Distrito Policial logo cedo com uma disposição e um bom humor de fazer inveja a Frank Drebin, personagem cinematográfico interpretado pelo ator Leslie Nielsen, no cômico filme policial “Corra que a Polícia Vem Aí”.

Deu bom dia ao seu auxiliar, aos dois policiais de plantão, aos auxiliares de serviços gerais terceirizados. Sentou-se à sua cadeira tradicional e continuou a leitura do livro que narra a história do município, editado por Tárcio Oliveira que descreve que, segundo a tradição oral, o povoado de Sertão do Pajeú, foi crescendo a partir da primeira residência construída na localidade, que também funcionava como ponto de comércio a retalhos e de parada para os viajantes a caminho de Afogados da Ingazeira e de São José do Egito. A data da construção da primeira casa é de 1910.

Dez minutos depois de ter iniciado a leitura do livro o delegado teve de interromper, pois recebeu a visita do escrivão aflito informando haver uma ruma de gente o aguardando na antessala para resolver uma cambulhada familiar.

Mal o escrivão terminara de contar o ocorrido ao Delegado, eis que de repente abre-se a porta e doze irmãos invadem o recinto para resolver o pandemônio instalado na família, cada um mais afoito do que o outro.

De imediato o delegado percebeu que estava diante de um caso escabroso: uma briga de feder a bote cheiroso entre irmãos por causa de herança. Ninguém queria ceder um palmo do seu latifundiário, como diria Neguinho de Maria Tabacão, vate do Pajeú, inspirado em João Cabral de Melo Neto, o poeta do rigor estético.

O Delegado, nesse momento, mandou que todos se sentassem no banco reservado aos queixosos e começou a perguntar um por um a razão de mais de dez irmãos estarem na delegacia para uma conversa com o delegado.

Quando o Chefe de Polícia terminou de perguntar o porquê daquela multidão estar na delegacia um se queixando do outro por causa de partilha de bens, ao invés de estarem trabalhando e cuidando de seus afazeres, os irmãos se acusavam mutuamente um ao outro de ladrão, cafajeste, dilapidador de patrimônio, cachaceiros, agiotas, gigolôs de viúvas, pegas veados, sapatonas enrustidas, coroas incrustadas. Ninguém se entendia.

Nesse momento o delegado, já acostumado com aquele tipo de situação e percebendo que a coisa ia chegar ao extremo se não interviesse nos ânimos exaltados e começasse a ouvir um irmão de cada vez, depois que eles saíssem dali poderia haver uma tragédia antes de chegarem a suas casas.

Começou o interrogatório pelos mais velhos. Cada um contando uma versão diferente para o caso. O buruçu era tão grande que o delegado começou a ficar impaciente com aquelas acusações mútuas entre irmãos sem pé nem cabeça.

Nesse momento, depois de ouvir uns seis irmãos e perceber que a briga entre eles era a herança e por isso mesmo ninguém se entendia, o delegado resolveu ouvir uma branquelazinha que ficou muda durante todo o bafafá. Se dirigindo à jovem e alertando aos outros irmãos que, se dessem um pio durante o interrogatório da irmã iria enjaular todo mundo na cela ao lado, e perguntou:

– Minha jovem, eu gostaria que você desse sua versão para o que está acontecendo com a sua família, o que está provocando essa desavença entre vocês que vieram parar aqui na delegacia.

Bufando de ódio e possessa, parecendo a personagem Regan MacNeil, magnificamente interpretada pela atriz mirim Linda Blair no extraordinário filme americano de terror THE EXORCIST (1973) (O Exorcista), do diretor William Friedkin, a jovem levanta-se da cadeira e começa a xingar os irmãos, dizendo aos gritos que não tem um que preste. Que são todos ladrões, veados, cachaceiros, preguiçosos, aproveitadores e que estão acabando com tudo que os pais deixaram. E que as irmãs eram putas, sapatonas, comedoras dos maridos das vizinhas. Por isso, queria uma intervenção do delegado para o caso antes que houvesse uma tragédia.

– Doutor – continuou ela se dirigindo ao delegado: toda essa mundiça que está aqui, a começar – e apontando o dedo na direção de um irmão branquelo mais velho e barbudo – por aquele cabra safado que está ali sentado, todos são pilantras, ladrões, safados, trambiqueiros, agiotas. São tão nojentos e imundos que, se o senhor cochilar, eles são capazes de até comerem o senhor e o senhor não sentir que foi comido!

Foi nesse momento que o delegado, percebendo que a coisa não ia acabar bem e escondendo os lábios para não rir da afirmação da jovem, deu um murro na mesa que todos os objetos que estavam em cima dela caíram, e olhando olho no olho de cada um por um, vociferou:

– É o seguinte: todos que estão aqui, antes de saírem, vão ter de assinar um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta, se comprometendo com o que vai ficar escrito. Se amanhã algum de vocês chegar aqui na Delegacia dizendo que um rompeu com o que ficou acordado aqui, vou mandar prender naquele cubículo – e apontando para a cela – e cada um vai ter de limpar os banheiros da penitenciária da cidade um dia por semana para aprender a ser gente! Estão ouvindo, não é? Depois não digam que eu não avisei!

Nesse momento o delegado chamou o escrivão e mandou preparar o Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta e, enquanto o escrivão datilografava, percebeu que havia um silêncio tumular entre os irmãos que chegaram à Delegacia parecendo uns bestas- feras querendo engolir um ao outro.

O exemplo do delegado de ser duro com os brigões surtiu efeito. Isso mostra que quem tem cu tem medo. Não adianta ficar só na ameaça, na conserva mole para boi dormir, no blábláblá. Autoridade tem de ser autoridade, tem de dar o exemplo, baixar o cacete quando preciso for. A Justiça ficou foi para impor ordem e não ficar brincando de jogo de esconde-esconde feito marica, uma cachorra viçando, com o cachimbo arreganhado para qualquer vira lata enfiar a vara!

DEU NO TWITTER

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

DUAS ALMAS – Alceu Wamosy

Ó tu, que vens de longe, ó tu, que vens cansada,
entra, e sob este teto encontrarás carinho:
eu nunca fui amado, e vivo tão sozinho,
vives sozinha sempre, e nunca foste amada…

A neve anda a branquear, lividamente, a estrada,
e a minha alcova tem a tepidez de um ninho.
Entra, ao menos até que as curvas do caminho
se banhem no esplendor nascente da alvorada.

E amanhã, quando a luz do sol dourar, radiosa,
essa estrada sem fim, deserta, imensa e nua,
podes partir de novo, ó nômade formosa!

Já não serei tão só, nem irás tão sozinha:
há de ficar comigo uma saudade tua,
hás de levar contigo uma saudade minha…

Alceu de Freitas Wamosy, Uruguaiana-RS (1895-1923)

DEU NO TWITTER

ALEXANDRE GARCIA

A INTERAÇÃO SENADOR COM EX-ATRIZ PORNÔ

Ex-atriz pornô Mia Khalifa publica fotomontagem dela própria depondo na CPI da Covid: comissão vira motivo de riso

A CPI da Covid informa agora que está aproveitando a ausência nos “palcos”, e dividiu-se em sete temas, quer dizer, virou temática.

É piada feita, porque a gente que já chama essa comissão de circo, agora virou parque temático.

E tem ainda essa história da ex-atriz pornô Mia Khalifa. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) fez uma postagem no Twitter brincando que ia convocar a Mia Khalifa.

E ela respondeu: fez uma montagem sentada lá depondo ao lado de Omar Aziz (PSD-AM). Depois, em outro tuíte-resposta a Randolfe, escreveu assim: “CPI em crise, me esperem aí rapazes que eu já estou indo”.

Este é o perigo que a CPI corre desde o início: virar motivo de riso. Por causa de questões ridículas e estapafúrdias. E as pessoas estão assistindo.

Eu tenho dito que os senadores da CPI têm se submetido à exposição pública muito mais que os próprios depoentes.

O absurdo fundo eleitoral

Federações empresariais de Santa Catarina pediram publicamente ao presidente Jair Bolsonaro que vete o fundo eleitoral que consta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e que pode chegar a até R$ 5,7 bilhões. O modo como isso foi votado e aprovado na Câmara é um absurdo. E agora virou um bate-boca entre o presidente da República e o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), que presidia a sessão.

Os deputados votaram a favor, mas dizem que não queriam votar. O texto acabou sendo aprovado em votação simbólica para salvar a LDO e o recesso parlamentar. O mesmo aconteceu no Senado. Tudo muito estranho. O presidente tem 15 dias para vetar ou sancionar, e se o Congresso não quiser aceitar, que assuma a responsabilidade derrubando o veto do presidente.

É um absurdo porque todo poder emana do povo e está óbvio que o povo não está disposto a pegar quase R$ 6 bilhões dos impostos que é obrigado a pagar e entregar para partido político fazer propaganda eleitoral.

Urnas eletrônicas à venda

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) colocou à venda a peso de sucata – R$ 0,79 o quilograma – 83,4 mil urnas eletrônicas. Que nós usamos para eleger os nossos representantes nas eleições de 2006 e 2008. A alegação do TSE é que essas urnas estão completamente defasadas e inseguras.

Só que naquela época, é bom lembrar, já tinha sido aprovado no Congresso uma lei – projeto do então senador Roberto Requião (MDB-PR) – que exigia o comprovante de voto em papel. Mas a Justiça disse que não tinha condições de fazer isso naquela ocasião.

Agora as mesmas urnas estão ultrapassadas, diz o TSE, que vai ter que comprar equipamentos novos. Podia bem comprar nova já com o comprovante de voto podendo ser emitido, conforme a proposta de emenda à Constituição que está lá na Câmara sendo discutida em comissão especial.

Fortes sinais

Boas notícias: a Serasa informa que as vendas do comércio de varejo no primeiro semestre tiveram um aumento de faturamento de 10,1%. Isso é excepcional. Está certo que é a recuperação do que foi perdido no ano anterior, mas é sinal de recuperação.

Agora, nada como os números da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul no seu índice de otimismo dos industriais. A média histórica desse índice é de 53,9 pontos. Sabe quanto é que está agora? 61,1 pontos de otimismo, um recorde.

E o que faz o otimismo? O otimismo aqui no Brasil – eu assisti, testemunhei – fez o milagre econômico na década de 1970, onde não havia desemprego. Havia carência de matéria-prima, porque se vendia tudo, estava todo mundo ganhando dinheiro, e um crescimento que chegou a 14% do PIB em um ano. A média foi de 11,2%, naquele período de três, quatro anos. E foi movida a quê? Otimismo, entusiasmo.

Porque o otimista, o entusiasta, pensa no futuro e se prepara. Se prepara estudando para ganhar mais um emprego; se prepara investindo, abrindo loja, abrindo indústria, abrindo emprego, plantando mais. Pensando que vai ganhar mais no futuro.

Esse é o brasileiro. Brasileiro profissão esperança, otimista. Deu a volta por cima, sacudiu a poeira e foi em frente. É isso que está acontecendo.

DEU NO TWITTER

COLUNA DO BERNARDO

DEU NO JORNAL

OS NÚMEROS DESTA TERÇA-FEIRA

Nos próximos dias, serão mais de 100 milhões os brasileiros que já receberam ao menos uma dose de vacina contra a Covid-19.

É quase metade da população e mais de 63% dos brasileiros adultos, acima dos 18 anos de idade, alvo da campanha que pretende imunizar 158 milhões de pessoas.

Ontem, segunda-feira, foi atingida a marca de 90 milhões de pessoas com a primeira dose, dos quais 34,2 milhões estão completamente imunizados.

Em todo o mundo, apenas a Índia aplica mais doses que o Brasil, na média móvel de 7 dias de doses aplicadas, segundo o Our World in Data.

A expectativa é que até o final desta semana já tenham sido distribuídas mais de 160 milhões de doses, suficientes para vacinar todos os adultos.

De acordo com a ferramenta vacinabrasil.org que acompanha a imunização nacional, já foram mais de 124 milhões de doses aplicadas.

* * *

Não é a publicação desse tipo de notícia aqui nesta gazeta escrota que me faz bem e me dá alegria.

O que eu gosto mesmo é de fazer raiva a um time de gente que polui o mundo com palavras e pensamentos.

Me faz um bem danado deixar putos os idiotas derrotistas que torcem pelo lema quanto pior, melhor.

Meu espírito masoquista tem orgasmos múltiplos com a raiva que domina esses tabacudos.

É por isso que reproduzo sempre aqui estas coisas que não saem no Jornal Nacional e nem na grande mídia funerária.

Uma excelente terça-feira para toda a comunidade fubânica!