PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

HAVEREI DE TE AMAR A VIDA INTEIRA – Ronaldo Cunha Lima

Haverei de te amar a vida inteira.
Mesmo unilateral o bem querer,
é forma diferente de se ter,
sem nada se exigir da companheira.

Haverei de te amar a vida inteira,
(não precisa aceitar, basta saber),
pois amor que faz bem e dá prazer
a gente vive de qualquer maneira.

Eu viverei de sonhos e utopias,
realizando as minhas fantasias,
tornando cada qual mais verdadeira.

Eu te farei presente em meus instantes.
Supondo que seremos sempre amantes,
haverei de te amar a vida inteira.

Ronaldo José da Cunha Lima, Guarabira-PB (1936-2012)

COLUNA DO BERNARDO

A PALAVRA DO EDITOR

A BESTA FUBANA AVUANDO NO SUL

Alexandre é um primo muito querido, filho da minha Tia Amara, irmã da minha mãe Quiterinha.

Ambas já encantadas e velando por nós lá do infinito.

Alexandre é professor universitário em Ponta Grossa, no interior do Paraná.

Pois essa semana ele deu notícias de uma promoção que está sendo levada a efeito lá naquele belo recanto do sul do Brasil.

Trata-se de um projeto que disponibiliza livros em vários lugares públicos pras pessoas levarem pra ler e depois devolver pra continuar o rodízio, de modo que um mesmo volume possa ser lido por várias pessoas.

Pois ele contou que estava num supermercado e viu lá “O Romance da Besta Fubana” fazendo parte desta promoção.

Ele gravou um áudio e mandou pra minha irmã Lúcia, dando detalhes do evento.

E mandou também algumas fotos.

Como eu sou um cabra muito do inxirido e abestado, resolvi fazer esta postagem só pra me amostrar e dizer que a Besta Fubana está batendo as asas também lá no Paraná.

E pra quem não for de Ponta Grossa, informo que “O Romance da Besta Fubana” pode ser adquirido em qualquer parte do Brasil, através da página da Editora Bagaço, com toda tranquilidade e segurança, recendo o volume pelos correios.

Não apenas a Besta,  mas também qualquer um dos meus cinco título publicados por este editora.

A seguir, o áudio gravado por Alexandre e a foto que ele tirou do livro, com a capa devidamente higienizada (só não dá pra higienizar as safadezas contidas no texto…)

* * *

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

Grande Papa Berto,

pense se é fácil encontrar um vivente neste mundo que não seja “chegadim” num cafezinho. Misture com leite, tome puro, beba no claro ou no escuro, cappuccino, expresso, de cocô de jacu (eu mesmo já tomei um de cocô de rato – um rato indiano), agora Café Com Poesia só mesmo uma pessoa talentosa como Ângela Gurgel pra dizer como tempera.

Ângela é um talento ambulante. Escritora, formada em Filosofia, Ciências Sociais, membro (cabeça e tronco e também) da ALAMP – Associação Literária e Artística das Mulheres Potiguares e vai adentrar no Cabaré nesta quarta-feira, dia 2 de junho, para contar como se tempera o Café com Poesia.

Maurino quando soube mandou logo perguntar se Maurinha, do Beco do Cuscuz lá de Paulo Afonso, poderia participar da ALAMP, mas só mulheres potiguares. Bote aí no lombo da Besta e convide os desleriados para esse momento supimpa.

Para participar, basta clicar aqui.

Vai ser das 19h30 às 20h30, mas pode se achegar mais cedo que o cabaré estará aberto e servindo, caipirinha, rum com água de coco, espetinho de coração de frango, em homenagem a Marcos Mairton.

Abraços

R. Edital publicado, convocação feita.

Você, meu caro amigo, criador da plataforma que permite o nosso encontro semanal, é o mais competente gerenciador de cabaré com quem já tive a oportunidade de conviver!

Estaremos todos lá a partir das sete e meia da noite, para prestigiar a apresentação da talentosa poeta Ângela Gurgel, um grande nome da literatura  do Rio Grande do Norte. 

E como você se referiu ao também colunista fubânico Marcos Mairton, vamos ouvi-lo cantando a composição de sua autoria intitulada “Coração de Frango”.

Com uma particularidade interessante: acompanhado por um conjunto formado por cegos.

Mairton, além de competente Juiz Federal, é também um talentoso músico, poeta e compositor.

Esta apresentação foi no programa Leruaite, apresentado pelo escrotíssimo Falcão.

DEU NO TWITTER

DEU NO JORNAL

NO FURICO SENATORIAL

A CPI da Pandemia foi outra vez palco de humilhações a uma mulher sob silêncio constrangedor da lacrolândia, que só protesta quando a vítima de tratamento indigno é de esquerda.

Ficou claro que a CPI não queria ouvir a médica Nise Yamaguchi, queria submetê-la a linchamento. Não a deixaram falar, expor suas razões, suas convicções. Não permitir que o outro lado exponha seu pensamento, por meio de interrupções, é um velho truque para não correr riscos de perder o debate. Deu certo.

O jeito calmo e didático da médica incomodou o presidente da CPI, que a interrompeu para recomendar que ninguém acreditasse no que ela dizia.

Otto Alencar tentou desqualificar os mais de 40 anos de experiência da médica, sem permitir que ela sequer respondesse às perguntas.

Para o cientista político Paulo Kramer, o tratamento foi indigno e provou que “o feminismo não passa de um puxadinho vagabundo da esquerda”.

* * *

Cadê as feministas esquerdóides de suvaco raspado, priquito fedorennto e peitos moles?

Cadê? Hein?

Sumiram tudinho, estas bostas.

Mas num tem problema não: o jumento Polodoro, mascote desta gazeta escrota, amanheceu o dia treinando.

Ele foi pro pasto e enrabou a jumento Zefinha, fazendo um treinamento preparatório.

Foi só um ensaio pra enfiar a sua pajaraca no furico do canalha Otto Alencar.

Polodoro fez o serviço tendo o pensamento no parlamentar, realizando uma espécie de fantasia erótica senatorial.

As pregas de Sua Insolência vão ser todas arrebentadas.

Não vai ficar uma sequer.

Aguarda aí que tua hora vai chegar, seu cabra safado!

COLUNA DO BERNARDO

A PALAVRA DO EDITOR

UM BELO COMEÇO DE MÊS

Amanheceu uma quarta-feira ensolarada e bonita aqui no Recife.

Chupicleide, secretária de redação do JBF, acordou risonha que só a peste, com os dentes arreganhados para o mundo.

Ela está relinchando de felicidade com as doações feitas esta semana pelos leitores Armando Soares, Eurico Schwind e Áurea Regina para esta gazeta escrota, editada e espalhada pelo mundo sem qualquer verba ou pixuleco governamental. (Bolsonaro cortou tudo…)

A inxirida da Chupicleide já está planejando encher a cara no próximo final de semana – o primeiro deste mês de São João -,  na Toca de Laura, um aprazível e acolhedor boteco localizado no Alto do Mandu, no bairro de Casa Amarela.

Num tem lei nem loquidaum que consiga fechar esse animado recanto e de lá afastar a ordeira e solidária ruma de cachacistas, todos imunizados contra a covid por uma vacina pernambucana chamada Pitu.

As doações dos leitores vão ajudar enormemente a pagar a nossa despesa mensal de hospedagem e assistência técnica da empresa Bartolomeu Silva, além de propiciar o pagamento das cachaçadas de Chupicleide e a compra de ração pro jumento Polodo e pra cachorra Xolinha, os nossos dois simpáticos mascotes.

Gratíssimo a todos que nos ajudam a manter esta gazeta escrota nos ares.

Vai voltar tudo em dobro pra vocês na forma de paz, saúde, alegria, otimismo, amor, felicidade e uma longa vida!!!

Polodoro e Chupicleide relinchando de alegria com a generosidade dos fubânicos

DEU NO TWITTER

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

LEITOR PASSOU MAL COM ASSOMBRAÇÕES

Comentário sobre a postagem LENA FERRAZ – SÃO PAULO-SP

Pablo Lopes:

Percebe-se de pleno que ambas são de direita por duas razões:

Trabalham em cargo que exige muito preparo, esforço e dedicação; coisas que a esquerda abomina. (o trabalho e o esforço).

São bonitas; qualidade ausente entre as esquerdas que, como se sabe, é um repositório de barangas; tribufus. assombrações e …. deixa pra lá.

É que me lembrei de Jandirão, Benedita, Fátima Bezerra e que tais e comecei a passar mal.