DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RUBENS DA CRUZ – BELO HORIZONTE-MG

Caro Editor:

A rejeição de Bolsonaro chegou a 100%.

Esta rejeição é entre mulheres do sovaco cabeludo e homens do sovaco depilado.

A mesma rejeição que ele tem entre corruptos e esquerdistas.

Saudações das Alterosas!

MAURÍCIO ASSUERO - PARE, OLHE E ESCUTE

VAMOS AOS FATOS

O Brasil sempre foi reconhecido, interna e externamente, como um país pacífico. A nossa política de relações internacionais se calcava em dois pilares: futebol e carnaval. Sempre fomos o país do carnaval e, na ausência de craques como Pelé, Tostão, Zico, Sócrates, etc. o futebol tem sido questionado pelos parcos resultados nas Copas. A Alemanha nos humilhou com aquele 7×1 e tinha vaga para mais.

Fomos tudo isso até 2016 quando ocorreu o impeachment de Dilma. De 2016 a 2018 passamos a ser um país de golpistas e de 2018 para cá, um país de fascista. Por mais que se diga que o governo Dilma cometeu um erro orçamentário, não tem jeito: goooooolpiiiiiiiistas!. Apenas para lembrar: os programas sociais do governo Dilma foram pagos com recursos dos bancos públicos sem que o Tesouro Nacional fizesse, previamente, a transferência desses valores. Então, o governo usou créditos sem autorização do congresso e isso está na Constituição Federal como um dos crimes de responsabilidade do presidente. Simples assim.

Eduardo Cunha vai lançar um livro intitulado Tchau Querida, O Diário do Impeachment, no qual relata a ativa participação de Michel Temer na articulação desse processo. Em referência a Rodrigo Maia, ele afirma que “Maia era um personagem desesperado pelos holofotes do impeachment de Dilma e pleiteava assumir a relatoria da Comissão Especial do Impeachment”. Esse mesmo Maia que no final do ano passado, junto com Alcolumbre, procurou ministros do STF (note: ele não procurou a instituição, procurou ministros daquele antro de prostituição) para mudar o entendimento de que VETADO pode significar permitido, como fez Gilmar Mendes num voto de 64 páginas.

Logicamente, duas coisas aqui se destacam: a primeira é que houve a pedalada fiscal. Os bancos públicos bancaram programas sociais sem o aporte de recursos do Tesouro Nacional. Emprestaram dinheiro, sim!, ao governo e isso é ter crédito orçamentário sem autorização do congresso. Imagine uma pessoa com cheque especial que usa o saldo da conta além das suas disponibilidades porque o banco concede o crédito. A segunda é essa eventual conspiração. Temer de olho no cargo, o Brasil de olho em Marcela. Mas, esse movimento só se tornou viável por conta da primeira, ou seja, se não houvesse as pedaladas, esse pessoal não teria argumento para tirar Dilma do poder. Francamente, caso Dilma tivesse continuado no poder, o partido seria dizimado nas urnas. Por isso, eu acho que, por baixo dos panos, muita gente do próprio partido, e dos partidos aliados, também se moveu nesse processo de eutanásia do governo Dilma.

O andamento dos fatos no Brasil parece acentuar o tamanho da instabilidade. A presença de Rodrigo Maia, por mais uma semana, como presidente da câmara pode detonar a maior crise institucional nesse país. Se for eleito seu candidato, a instabilidade vai continuar diariamente. Rodrigo conta com o apoio da mídia e com os partidos de esquerda, mas não contará mais com a proteção do foro privilegiado, já a partir do dia 01/02/2021. Isso quer dizer que seu processo deve ser encaminhado para primeira instância. Entendam: existe uma ameaça latente entre Maia e o governo: se ele não acatar o impeachment, não será denunciado pela PGR. Se for denunciado, o impeachment é aceito. Esse acordo acaba no dia 31 próximo e daí teremos Maia pensando, única e exclusivamente, no seu umbigo.

Tenho refletido bastante sobre esse momento político do Brasil. O impeachment de Collor foi decorrente da corrupção. Dilma teve, além da corrupção, as pedaladas, mas uma coisa me chama a atenção. Desde as roubalheiras do governo FCH, os protestos da oposição foram sufocados pela bancada de apoio ao governo. Com FHC, o PT só fazia espuma, com Lula, a base do governo foi alimentada com dinheiro do mensalão. O que eu vejo é que a paz parece significar ser governado pela esquerda.

Em nome da paz que seja eleito um presidente de esquerda e que ele encontre outro Marcos Valério para arrumar dinheiro com contratos fraudulentos e comprar votos de congressistas, dando chance ao partido se perpetuar no poder, afinal, alternância de poder em democracia é balela. Basta ver a República Democrática da Venezuela. Que se desviem recursos da Petrobras, dos fundos de pensão, das empresas estatais e que estes recursos enriqueçam a família do presidente e os partidos da base de apoio. Que se construam novas arenas, como a Mané Garricha que foi orçada em R$ 641 milhões e custou R$ 1,2 bilhão. Que se construam novas refinarias como a Abreu e Lima que deveria custar US$ 2,1 bilhões e custou US$ 20,6 bilhões para operar com 50% da sua capacidade, tendo somente 75% de suas instalações concluídas. Que se concluam obras viárias nas cidades da Copa 2014 aportando mais recursos, afinal os valores anteriores não alimentou todas as bocas. Que todos os políticos eleitos sejam políticos denunciados e processados por improbidade administrativa.

Que as pessoas honestas continuem votando em candidatos honestos que nunca são eleitos. Que o STF continue anulando provas, dando novas interpretações jurídicas para beneficiar corruptos, anulando depoimentos, que transforme em Súmula Vinculante os comentários de Goiano Braga Horta. Que declare suspeito todo juiz que trabalha sério e que sejam promovidos todos aqueles que vendem sentenças, como o escabroso caso no TJ-BA.

Acordei do sonho que era possível um país sem corrupção. Estou assustado quando vejo até onde vai a canalhice política de um governador deixar de comprar oxigênio numa empresa concorrente a White Martins porque ela é de propriedade da família de um adversário político. Matou pessoas, apenas por interesse político. Chega! Eu quero meu país de volta.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

REGRESSO AO LAR – Guerra Junqueiro

Ai, há quantos anos que eu parti chorando
Deste meu saudoso, carinhoso lar!…
Foi há vinte?…há trinta? Nem eu sei já quando!…
Minha velha ama, que me estás fitando,
Canta-me cantigas para eu me lembrar!…

Dei a volta ao mundo, dei a volta à Vida…
Só achei enganos, decepções, pesar…
Oh! a ingénua alma tão desiludida!…
Minha velha ama, com a voz dorida,
Canta-me cantigas de me adormentar!…

Trago d’amargura o coração desfeito…
Vê que fundas mágoas no embaciado olhar!
Nunca eu saíra do meu ninho estreito!…
Minha velha ama que me deste o peito,
Canta-me cantigas para me embalar!…

Pôs-me Deus outrora no frouxel do ninho
Pedrarias d’astros, gemas de luar…
Tudo me roubaram, vê, pelo caminho!…
Minha velha ama, sou um pobrezinho…
Canta-me cantigas de fazer chorar!

Como antigamente, no regaço amado,
(Venho morto, morto!…) deixa-me deitar!
Ai, o teu menino como está mudado!
Minha velha ama, como está mudado!
Canta-lhe cantigas de dormir, sonhar!…

Cante-me cantigas, manso, muito manso…
Tristes, muito tristes, como à noite o mar…
Canta-me cantigas para ver se alcanço
Que a minh’alma durma, tenha paz, descanso,
Quando a Morte, em breve, ma vier buscar!…

Guerra Junqueiro, Freixo de Espada À Cinta, Portugal (1850-1923)

COLUNA DO BERNARDO

DEU NO TWITTER

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

GUILHERME FIUZA

SORRIA, VOCÊ NÃO TEM NADA

O pessoal bonzinho e empático do Fórum Econômico Mundial entrou com tudo na Agenda 2030 disposto a levar sua bondade às últimas consequências. O slogan da campanha é “Você não vai ter nada e vai ser feliz”.

Para facilitar o seu entendimento do que isso significa – e para protegê-lo dos riscos de uma overdose de felicidade -, preparamos aqui um resumo das modernas diretrizes que vão levá-lo ao nirvana sem fazer esforço.

1 – Se você tiver vontade de ir ao restaurante com quem você gosta, fique em casa sozinho de máscara que o governador da Califórnia vai ao restaurante por você, come bem por você, se diverte por você com os amigos (dele). Você não terá nada e a felicidade estará estampada no rosto (dele).

2 – Nas datas comemorativas, fique na sua. Deixe que o Doria se arrisca por você sob as perigosas palmeiras de Miami.

3 – Mantenha em dia seu cartão de vacinação contra covid-19, covid-20, covid-21 e fique de olho nas atualizações programáticas do Bill Gates para não perder seu lugar no futuro. Com seu cartão em dia você poderá ir à padaria todo mês – desde que esteja com seu formulário anual preenchido, informando às autoridades os itens que pretende adquirir. É para seu bem.

4 – Benefício crucial para a conquista da felicidade: você nunca mais vai gastar dinheiro com besteira. Até porque você não vai ter dinheiro. Como uma espécie de auxílio emergencial permanente, você terá o Vale-Alimentação, o Vale-Moradia e o Vale-Diversão. Esse último você conquistará se provar dois anos ininterruptos de bom comportamento. A decisão sobre o que será considerado bom comportamento caberá a um conselho de notáveis formado a partir de um híbrido de STF com Caldeirão do Rulque.

5 – Caso conquiste o direito ao Vale-Diversão, você terá acesso irrestrito aos seguintes games: Gritando com Greta, Gaguejando com Gaga e Praguejando com Fonda. Não fique pensando que são poucas opções de diversão. Em cada um desses games você poderá fingir que está salvando o mundo e as minorias de diversas formas. É exaustivo, pode confiar.

6 – Vale-Transporte não será preciso porque você não irá a lugar nenhum.

7 – Vale-Medicamentos também não será necessário porque tudo de que você precisa estará na vacina. A cada seis meses você precisará de nova dose para corrigir os problemas que não tinha dado tempo de avaliar nos seis meses anteriores, porque você há de convir que em seis meses não dá tempo de fazer nada sério – pelo menos em se tratando de imunização e estudo de efeitos colaterais. Mas não reclame porque é de graça e você não tem nada, mas é feliz.

8 – Se ainda assim você for uma dessas criaturas insaciáveis e quiser reclamar de barriga cheia, sem problemas. Seu direito ao contraditório e à livre expressão estará plenamente garantido. Bastará você acessar sua conta na Rede Felicidade – a plataforma unificada da paz e da empatia. Sua conta estará ativa se você não tiver cometido nenhuma infração nos 24 meses anteriores.

9 – Será considerado infração na rede social da felicidade unificada qualquer discurso de ódio do tipo relatar reação adversa da vacina ou reclamar da vida de merda que a conjunção dos nerds bilionários está te proporcionando na maior boa vontade.

10 – Você era feliz e não sabia? Agora é tarde, otário.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Foto deste colunista

Tão criativo quanto o passarinho João de Barro, é o agricultor Marcos Medeiros, meu vizinho, do lugarejo Cariatá – distrito de Itabaiana PB.

Construiu uma casinha de taipa de forma inusitada.

Eis o resultado: um sobrado com um cômodo no primeiro andar, com direito a varanda em balanço, e parapeito feito de espelhos de cama.

Situado no centro do terreiro, o sobrado funciona como uma espécie de base de apoio para outros espaços: cozinha e serviço de um lado, forno de lenha e terraço na frente; improvisados em latadas, e sombreados por pés de ceriguelas botando.

O portão de entrada, saído de uma sucata, permite passagem franca e risonha, mas, o visitante tem que se baixar a um metro do chão, livrando-se da árvore torta do pé da cerca.

Arte e magia de engenheiro e arquiteto, doutor de pés no chão.

Paisagem de Interior viva.

Salve!, o roceiro Marcos de Cariatá e família.

DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

UMA RODA DE GLOSAS

Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Mote desta colunista

Dalinha Catunda:

Eu posso dizer que há anos
A vacina salva vidas.
Eu que sou das precavidas
Pra não sofrer desenganos,
E evitar maiores danos,
Também vou me vacinar.
Tô vendo a hora chegar!
Mas a dúvida é profunda:
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Em minha última coluna, este meu mote foi glosado por mulheres. Hoje ele será glosado por homens.

* * *

Gevanildo Almeida

Dalinha e Bastinha estão
Com uma dúvida danada
Mais confesso essa picada
Não tá na minha intenção
Não sei se vou tomar não
Decidi, não vou tomar
Ela pode me agravar
Mas vou se seguir a Catunda
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Rivamoura Teixeira

Vou usar a consciência
Fazer avaliação
Não digo não tomo não
Vou pensar fazer prudência
Vou saber da tal ciência
Pra melhor avaliar
Essa dúvida é de lascar
Vou optar pela segunda
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Assis Mendes

Quando chegar a vacina,
Quero tomar sem demora,
Mandar o corona embora,
Pra ver se esse mal termina,
Seja daqui ou da china,
Eu quero é me vacinar,
E hora da agulha entrar,
Que a dor não seja profunda,
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Francisco Jairo Vasconcelos

Vou tomar é qualquer uma
Tô esperando liberar
Vou ver no que, isto vai dar
Quero que o corona suma
Pare de morrer de ruma
Eu tomo em qualquer lugar
Pois importante é curar
Esta dúvida profunda,
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Joab Nascimento

Já que não tem mais remédio
Tomei todo tipo de chá
De marmeleiro ao juá
Não acabei com meu tédio
Comecei a ter assédio
Para picada enfrentar
Deu trabalho pra relaxar
Foi concentração profunda
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Giovanni Arruda

Qualquer um laboratório
Não fará a diferença
Eu só vou pedir licença
Pra não ser supositório
Pois já fui repositório
Hoje nem deixo triscar.
Na bochecha inda vá lá
Que a mão não se aprofunda
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.

Pedro Sampaio

A tal vacina chinesa
Garantia questionada
Com tanta gente assustada
Deixa minha mente acesa
Com medo de virar presa
Também do bicho pegar
Logo começo a chorar
A lágrima já me inunda
Não sei se tomo na bunda
Ou no braço vou tomar.