DEU NO TWITTER

DEU NO JORNAL

É UM SOLTANDO O OUTRO

O ministro Gilmar Mendes determinou a soltura do doleiro Chaaya Moghrabi, preso na última sexta-feira em Angra dos Reis.

A ordem de prisão foi expedida na sexta-feira pela juíza Caroline Vieira, da 7ª Vara Federal Criminal, substituta do juiz Marcelo Bretas.

No mês passado, durante a deflagração da Operação Clãdestino, investigadores da PF e do MPF no Rio encontraram joias escondidas no teto da casa de Moghrabi.

* * *

Nada de novo nesta decisão.

A jurisprudência libertatória banditícia de Boca-de-Sapo foi cumprida como de praxe.

Segue em perfeita ordem a suprema rotina da República Federativa de Banânia.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

MAIS ALTO – Florbela Espanca

Mais alto, sim! mais alto, mais além
Do sonho, onde morar a dor da vida,
Até sair de mim! Ser a Perdida,
A que se não encontra! Aquela a quem

O mundo não conhece por Alguém!
Ser orgulho, ser águia na subida,
Até chegar a ser, entontecida,
Aquela que sonhou o meu desdém!

Mais alto, sim! Mais alto! A Intangível
Turris Eburnea erguida nos espaços,
À rutilante luz dum impossível!

Mais alto, sim! Mais alto! Onde couber
O mal da vida dentro dos meus braços,
Dos meus divinos braços de Mulher!

Florbela Espanca, Vila Viçosa, Portugal (1894-1930)

DEU NO JORNAL

UMA NOITE PROMISSORA

Em entrevista à CNN Brasil, o hacker Walter Delgatti Neto, responsável por roubar mensagens de procuradores, ex-ministro Sergio Moro e outras autoridades, afirmou que a Operação Lava Jato queria prender ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A entrevista completa do criminoso só vai ao ar neste domingo às 19h15.

Porém, em trecho divulgado pela CNN, o jornalista Caio Junqueira pergunta se o hacker acha que a Lava Jato queria prender ministros do STF.

“Eu não acho, eles queriam. Inclusive Gilmar Mendes e Dias Toffoli”, responde Delgatti.

* * *

Tomara que tenhamos uma excelente e excitante noite de domingo.

Isto, evidentemente, se o STF não der ordens agora à tarde pra que seja fechada a CNN Brasil.

Aguardemos.

Saiba mais clicando aqui

“Se sair só na CNN, num tem problema. O danado é se sair também no Jornal da Besta. Aí nóis tamos lascado…”

J.R. GUZZO

A BOIADA PASSA

O presidente Jair Bolsonaro pode estar levando a preço de custo, ou praticamente de graça, a sua reeleição em 2022. É isso que vai acontecer, se a situação dos próximos dois anos permanecer a mesma dos dois últimos – período em que os partidos de oposição, as elites centristas, a mídia e quem mais quer Bolsonaro fora da presidência da República parecem ter feito tudo o que podiam para ajudar seu inimigo número 1 a ficar na cadeira de onde querem que ele saia. Em primeiro lugar, não conseguem se unir em torno de um programa mínimo e menos ainda de um nome para concorrer de verdade com o presidente. Além disso, insistem na obsessão de denunciar o adversário por desastres que ele não cometeu – enquanto deixam passar, intacta, a boiada inteira dos erros, fracassos e disparates que seu governo de fato tem cometido.

É a história de sempre – quando o sujeito é cobrado por dívidas que não tem, ou que a maioria acha que não tem, acaba ficando livre de pagar o que realmente deve. Resultado: quanto mais os ataques contra Bolsonaro vão se aproximando da histeria, mais ele prospera em seus índices de aprovação popular. O presidente, por exemplo, acaba de ser denunciado na imprensa, mais uma vez, como um “genocida” que pratica atos de “descaso homicida” e “estupidez assassina” por conta da covid-19; é acusado, todos os dias, de ser o responsável pela morte de “180 mil pessoas”. É isso, e coisa pior, que vem sendo repetido por seus adversários desde o começo da epidemia. Exatamente no mesmo momento informa-se que o índice de aprovação do presidente acaba de subir para 37% – o mais alto de todo o seu governo.

É no que dá, aparentemente, fazer denúncias de gravidade terminal, como assassinato em massa, e não mostrar com clareza a relação de causa e efeito entre a acusação e o fato. Em vez de prejudicar, a denúncia ajuda. Obviamente, pelo que mostram os números, a maioria das pessoas não está acreditando que Bolsonaro matou alguém, muito menos 180 mil pessoas – quem matou, no olhar da opinião pública, foi o vírus. Mais: se alguém matou alguém, foram os governadores e prefeitos que receberam da Justiça a exclusividade na gestão da epidemia. Quando se juntam as palavras “covid” e “Bolsonaro”, a primeira reação da mídia é falar em “genocídio”; na opinião pública, a primeira ideia que ocorre é o auxílio emergencial de R$ 600 por mês.

Nada disso, pelo jeito, impressiona a oposição; em vez de fazer oposição de verdade, a começar pelo trabalho de demonstrar para a população por que seu governo seria melhor que este, os inimigos de Bolsonaro insistem em apostar tudo na covid. Ou, então, em outras miragens como a perseguição dos índios, o massacre dos gays e os incêndios no Pantanal; dá muita primeira página, mas não dá voto, porque só acreditam nessas coisas, no fundo, quem já está decidido a acreditar nelas. O fato é que, dez meses depois das primeiras mortes da epidemia, Bolsonaro tem uma aprovação muito maior do que tinha no começo. Num ano de desastre absoluto para qualquer governo, 2020 foi uma beleza para ele.

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO TWITTER

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DEU NO JORNAL

A COMUNISTA SE ARRETOU-SE

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) gritava contra a “destruição” do Fundeb, durante sessão virtual da Câmara, na quarta-feira (16), quando, muito irritada com alguém que estava no mesmo ambiente, passou a atirar coisas.

As cenas foram registradas em vídeo.

Primeiro, ela atirou uma escova de cabelos, depois um tablet, igualzinho àqueles que a Câmara compra para os deputados com o nosso dinheiro.

A deputada garante que o tablet é pessoal e que, “de perto, sou bastante afável”.

Apesar da virulência exibida em vídeo, ela diz que ninguém se machucou e que até o tabet ela atirou sobre um sofá, “até para não o quebrar”.

Alice Portugal explicou que sua impaciência foi provocada por uma irmã deficiente auditiva, que falava alto e cuja voz “vazava” na sessão virtual da Câmara.

A deputada do PCdoB garantiu também que não estava alterada: “Sou apenas uma parlamentar-mulher enfática, com opinião”, disse ela.

Ah, bom.

* * *

Ainda bem que a revolucionária comunista baiana, guerreira das causas proletárias, garantiu que é afável “de perto”.

De longe, ela é o Cão chupando manga!

Vôte!!!

Eu fiquei com pena foi da mouqinha, a irmã dela, que,  além do tablet, levou também uma escovada de cabelo.

Coitadinha…