DEU NO TWITTER

J.R. GUZZO

VACINA X CLOROQUINA

A pergunta que mais interessa ao público pagante neste debate sobre a vacina contra a covid-19, ou talvez a única pergunta que realmente interessa, é a que menos está sendo feita: a vacina chinesa que o governo do Estado de São Paulo quer aplicar na população e que o governo federal não quer, é ou não é eficaz contra a infecção? A troca de desaforos, de um lado e do outro, está carregada de som, fúria e cólera – mas de ciência médica, que é bom, tem aparecido muito pouco. É um desastre que as coisas tenham chegado aí, mas é perfeitamente natural. Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar, ciência depois. Não é agora que iria mudar.

Como em tantas outras questões que a covid-19 trouxe durante os últimos oito meses, o ponto essencial da discórdia em torno da vacina chinesa, essa “Coronavac” que veio parar na boca de cena do debate, é o seguinte: de que lado está o presidente Jair Bolsonaro? Não é um jeito sério de se chegar à conclusão nenhuma sobre a natureza de qualquer remédio da farmacologia universal, mas aí é que está: na vida real é disso, e apenas disso, que se trata. Funciona na mão e na contramão. Bolsonaro é a favor da cloroquina; então, para todos os que não gostam dele, a cloroquina não serve para nada – os mais radicais, inclusive, acham melhor tomar uma dose dupla de formicida. Bolsonaro é contra a “Coronavac”; então a vacina chinesa não apenas é ótima, mas deveria ser obrigatória.

Os dois lados, naturalmente, dizem que não existe nada de “político” em suas posições sobre uma e outra coisa – e também sobre o “distanciamento social”, o uso de máscara na praia ou o horário de funcionamento das revendas de colchões. Mas é mentira; disso, pelo menos, o cidadão pode ter certeza. Também não adianta muita coisa perguntar para os médicos. A verdade, tristemente, é que eles não sabem sobre a covid-19, hoje, muito mais do que sabiam no dia 1.º de janeiro e a sua reação natural é repetir o que recomenda a média dos “protocolos” em vigência no momento. Confiar no que diz o médico, em suma, tornou-se problemático – mesmo porque muitos deles esqueceram a ciência e se transformaram em torcida política.

A questão-chave sobre a “Coronavac” envolve uma das palavras de melhor reputação no dicionário social em uso no momento – “transparência”, virtude exigida com o máximo rigor dos homens públicos, dos departamentos de marketing das empresas e do VAR nos jogos de futebol. Então: qual é a verdadeira transparência da vacina chinesa que está dividindo Bolsonaro e o governador João Doria? É isso o que a população precisa saber. O desenvolvimento da vacina nos laboratórios da China foi monitorado, pela observação livre das pesquisas, por cientistas internacionais independentes? Quantos países de primeiro mundo, com um histórico consistente de sucesso na pesquisa médica, já adotaram a Coronavac? Há cerca de uma dezena de vacinas sendo trabalhadas hoje por universidades e por laboratórios farmacêuticos que estão aí há mais de 100 anos, nos Estados Unidos e na Europa. Como elas se comparam, do ponto de vista puramente científico, com a vacina chinesa?

Em vez disso, discute-se com paixão se está certo adotar uma vacina que vem, selada e lacrada, de uma ditadura – ou, ao contrário, se a adoção vai ajudar as exportações para a China. A vacina dá voto ou tira voto? Que tal mais um impeachment? O que querem as “redes sociais”? O que informa o Ibope? Bolsonaro e Doria não saberiam dizer o que é um Melhoral – mas estão no comando de um debate vital para a saúde pública do Brasil. Está na cara que não pode dar certo.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DEU NO JORNAL

PERSEGUIÇÃO PAJARACAL

Réu pela quarta vez, agora por lavagem de dinheiro, o ex-presidente Lula insiste na curiosa estratégia de atacar a Justiça em vez de contestar as provas abundantes contra ele.

Repetiu a ladainha de “perseguição”.

* * *

Lula tá se obrando de medo é de uma “perseguição” em particular.

A perseguição do jumento Polodoro, mascote desta gazeta escrota.

Polodoro tá doido pra cruzar com ele no meio do mato.

Aí a “perseguição” vai ser bem no meio do olho do furico do ex-prisioneiro.

“Ôxe!!! Essa é a maior sentença que eu vou levar”

JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

ADAGA INFALÍVEL

Foto de Marco Antônio Robert Alves

O Tempo não perde tempo
Nem para em qualquer segundo
Contando seus breves passos
Passa igual pra todo mundo
Tudo que é massa perece
Só o Tempo não envelhece
Em seu andar vagabundo.

Sequer fica moribundo
Ou com o tempo se estraga
Porque é o senhor de tudo
E tudo o Tempo apaga
Perde o belo a sua beleza
Perde o rico a sua riqueza
Na ponta da sua adaga.

Há quem diga ser uma praga
Essa justiça tão forte
Do Tempo girando imune
Que pra ele nada importe
Sem qualquer acepção
Só o Tempo em sua ação
Nunca encontrará a morte.

A tudo dá o passaporte
Pra o reino dos acabados
Os que eram já não são
Os que são serão passados
E para o tempo do além
Somente o Tempo não tem
Os seus segundos contados.

CHARGE DO SPONHOLZ

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

SENSACIONALISMO DA IMPRENSA FUNERÁRIA

Comentário sobre a postagem A NEUROSE DO VÍRUS — OU O VÍRUS DA NEUROSE

Marcos Mairton:

Desde que os primeiros casos de Covid19 surgiram em Brasília, todos aqui em casa passamos a trabalhar ou estudar em casa, no chamado regime de romófiss.

Passei a sair de casa o mínimo necessário, sempre usando máscara.

Meu plano A sempre foi não adquirir a doença.

O plano B, não a transmitir a ninguém.

Até agora, ninguém da minha família ficou doente.

A par disso reconheço hoje que houve certo sensacionalismo da imprensa (sempre dando destaque a notícias ruins), e que todos, da OMS aos médicos locais, tatearam no escuro todo esse tempo, não havendo certeza sobre o que deu certo e o que deu errado no combate ao vírus.

Por exemplo, dia 10 deste mês (há 15 dias, portanto), houve uma super aglomeração de pessoas nessa inauguração de uma loja da Havan, em Belém: 

Considerando que, segundo as informações publicadas na imprensa, o período de incubação do vírus é de 5 a 14 dias, o número de pessoas infectadas na última semana deve(ria) ter explodido em Belém.

No entanto, não se tem notícia de que tal acontecido.

DEU NO JORNAL

MAMAÇÃO LEITOSA

Condenado pela distribuição de leite em caixas com logotipo de sua gestão, quando prefeito de Nova Iguaçu, o ex-senador Lindberg Farias (PT) é suspeito também de lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito.

E ainda queria ser candidato a vereador no Rio de Janeiro.

* * *

Distribuição de leite com logotipo fazendo comercial do Lindinho.

Pois sim.

O “enriquecimento ilícito” se deve ao fato de que o leite é uma substância muito rica para o organismo humano.

Gleisi Amante Hoffmann, gerente do estabelecimento do ex-presidiário Lula, procurou o sujeito certo pra juntar os panos-de-bunda.

Os dois vermêios-istrelados formam um casal magnífico.

Além da mamação caseira, a dupla adorava mamar o leite público antes do bando ao qual pertencem ser extinto.

“Isso, meu bem: começa mamando pelos dedos…”

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RODRIGO DE LÉON – PELOTAS-RS

Mais uma para o JBF.

Mulher leva marido morto à agência para trocar senha.

Desse jeito só vou encaminhar notícia, nem preciso escrever mais.

Esta ai eu verifiquei e ocorreu de verdade, em Campinas SP.

Ô povinho criativo e cara-de-pau, a aposentadoria do defunto era de R$ 5.000,00.

Será que a moça casou por amor?

Clique aqui para ler a notícia

DEU NO JORNAL

O TABEFE É INCORPORADO À LUTA DO PROLETARIADO

A candidata a vereadora em Resende, Leda Mota (PCdoB), foi presa após denunciar a violência doméstica do marido.

Segundo a Polícia Civil, ela teria desacatado o delegado e funcionários, e atrapalhado o funcionamento da 89ª DP. O caso aconteceu na quinta-feira (22).

Segundo o boletim de ocorrência, em determinado momento, o delegado titular perguntou à vítima se ela gostaria de registrar o crime contra o marido. Foi quando, exaltada por toda a situação de violência doméstica, Leda teria gritado e ofendido o delegado e outros policiais.

No termo de declaração, o delegado titular Michel Floroschk, destacou que a confusão acabou atrapalhando o atendimento de outras ocorrências na delegacia, bem como a transferência de presos para audiências de custódia, já que toda a equipe se mobilizou em torno do ocorrido.

Ele também afirmou que, após o tumulto, entendeu que a vítima “visava sua promoção eleitoral nas redes sociais. Que sente muito por todo o ocorrido, mas a delegacia de polícia não é picadeiro”

* * *

Depois do dogma da “luta de classes”, agora o cumunismo brasileiro vai criar a “luta de gêneros”.

Macho x Fêmeas, Maridos x Esposas

O tabefe doméstico será a nova maneira de dar visibilidade ao PCdoB e implantar o socialismo no mundo 

O marido da candidata Leda Mota declarou ao JBF que um bufete no pé do ouvido da cumpanhera é muito importante pra divulgar a luta do proletariado contra a burguesia reacionária e opressora.