DEU NO JORNAL

SUPREMA ZONA BANÂNICA

A advogada Ana Luísa Gonçalves Rocha, que figura como autora do pedido de habeas corpus em favor de André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo, foi estagiária até o fim de 2019 no gabinete do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

No início de outubro, o decano da Corte concedeu liberdade ao criminoso, que ostenta conexões internacionais e condenações em diversas instâncias da Justiça por inúmeros crimes.

Ana Luísa Gonçalves Rocha, que é recém-formada em Direito pela Universidade de Brasília (Unb), montou em março um escritório de advocacia com o também ex-funcionário de Marco Aurélio, Eduardo Ubaldo Barbosa.

Ambos se conheceram durante o período em que trabalharam no gabinete do ministro do STF.

* * *

É de lascar.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Chega a feder e empestear os ares.

Lá vai a minha banana:

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

MORENA – Guerra Junqueiro

Não negues, confessa
Que tens certa pena
Que as mais raparigas
Te chamem morena.

Pois eu não gostava,
Parece-me a mim,
De ver o teu rosto
Da cor do jasmim.

Eu não… mas enfim
É fraca a razão,
Pois pouco te importa
Que eu goste ou que não.

Mas olha as violetas
Que, sendo umas pretas,
O cheiro que têm!
Vê lá que seria,
Se Deus as fizesse
Morenas também!

Tu és a mais rara
De todas as rosas;
E as coisas mais raras
São mais preciosas.

Há rosas dobradas
E há-as singelas;
Mas são todas elas
Azuis, amarelas,
De cor de açucenas,
De muita outra cor;
Mas rosas morenas,
Só tu, linda flor.

E olha que foram
Morenas e bem
As moças mais lindas
De Jerusalém.
E a Virgem Maria
Não sei… mas seria
Morena também.

Moreno era Cristo.
Vê lá depois disto
Se ainda tens pena
Que as mais raparigas
Te chamem morena!

Abílio Manuel Guerra Junqueiro, Portugal (1850-1923)

CHARGE DO SPONHOLZ

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

Nobre Editodos,

nesta quinta 22/10, das 19h30 às 20h30, teremos mais um sessão de fuxicos.

Dessa vez Renata Duarte vai nos brindar com um papo sobre “As urtimas do purtugueis”.

O cabaré vai se inflamar com essa presepada.

Para participar, basta clicar aqui e pronto.

Abraços

R. Tudo certo, meu caro.

A partir das sete e meia da noite de hoje começa o furdunço.

Toda a patota fubânica está convocada para aparecer, ao vivo e a cores, na tela da nossa magnífica assembleia.

Hoje nós contaremos com a presença de dois observadores da ONU e de um representante da OMS na reunião.

Eles informaram à Editoria do JBF que irão participar com a finalidade de aprender como é que se faz um debate do mais baixo nível.

Vai ser pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

JESSIER QUIRINO - DE CUMPADE PRA CUMPADE

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MENDONÇA FILHO – RECIFE-PE

* * *

Senhor candidato Mendonça Filho, use e abuse deste espaço pra fazer divulgação de sua campanha.

Não só o senhor, mas os candidatos de todos os partidos podem mandar pra cá seus reclames que serão publicados do jeito que chegar aqui.

Sucesso, em sua campanha!

E, pra fechar esta postagem com chave de ouro, um vídeo sobre o seu adversário, o xexelento luleiro que concorre com senhor na eleição do mês que vem.

Aquele que pretende continuar com a safadeza zisquerdalha na administração da nossa capital.

PERCIVAL PUGGINA

VIVER PERIGOSAMENTE

Minha geração viveu a inteira experiência da Guerra Fria. Conflito Leste-Oeste, Organização do Tratado do Atlântico Norte versus Pacto de Varsóvia, armamento nuclear abarrotando arsenais em quantidade suficiente para destruir o planeta várias vezes, corrida espacial. Minha geração viveu décadas com medo da “bomba”. Por fim, a estrepitosa queda do Muro de Berlim e a extinção da URSS. Ao mesmo tempo em que isso acontecia no lado visível do palco, no bastidor os derrotados se infiltravam tomando o controle dos meios culturais do Ocidente e agindo no sentido de destruir a cultura e os valores que se haviam revelado vencedores. Deu muito certo.

No Brasil não foi diferente. O processo constituinte de 1987/88 abriu o caminho para os derrotados pelo regime militar chegarem ao poder. Os meios culturais já estavam dominados de tal forma que, enquanto a caneta aparelhava as instituições, os recursos da União financiavam os meios de influência. Como resultado, passou-se a viver perigosamente no Brasil, com um nível de insegurança de nações em guerra. Mas isso não importa aos poderes da República. Só condutas que possam ser identificadas como politicamente incorretas suscitam a fúria das Cortes. Para tudo mais vige o estímulo da impunidade.

* * *

Quem tem um STF e um Congresso Nacional com a atual configuração de forças não precisa do Partido Comunista da China para difundir insegurança à população. Conseguimos perfeitamente bem protagonizar nossos próprios medos e custear o conforto de quem lhes dá causa. Não contentes com a carnificina, os assaltos, sequestros, estupros e furtos do quotidiano, nossos ministros do Supremo libertam as forças do mal soltando bandidos perigosos. Para fazer isso com a consciência tranquila e dormirem bem à noite, no dizer vaidoso de Marco Aurélio Mello, concedem-lhes habeas corpus às centenas “sem olhar a capa dos processos”. Perfeito! Adotam o princípio rotariano de fazer o bem sem olhar a quem. Sei, sei. “Impunidade”, este é o nome do jogo, que também se poderia chamar “Como produzir mais vítimas com o mesmo contingente de bandidos”.

Nosso Senado Federal é formado por 81 senadores com a prerrogativa constitucional de pôr fim a esse escárnio, contanto que o queira. No entanto, não se consegue mais de vinte e poucas assinaturas para qualquer ação efetiva de legislar em favor da sociedade e contra o crime. Setenta e cinco por cento dos senadores querem tudo exatamente como está, com todas as garantias e chicanas para criminosos que, não raro, são eles mesmos. Aliás, quando o Congresso Nacional legisla para abrandar o Código Penal e embutir, contra o interesse da população, mais alguma treta no Código de Processo Penal, ele comete o ato moralmente reprovável de legislar em benefício próprio. Não há como não pensar nisso. Aliás, nenhum parlamento de país democrático considera tal prática compatível com a dignidade do poder.

É nesse perigoso contexto que a República Popular da China vem se aproximando do Brasil, cheia de amor para dar. Fora do Partido Comunista da China (PCC), ninguém no mundo confia no Partido Comunista da China. O Brasil, no entanto, esteve a um passo de disponibilizar a vacina chinesa contra o vírus que, oriundo de lá, fez enorme estrago nos sistemas de saúde pública e na economia mundial. Felizmente, o presidente transferiu para a Anvisa a responsabilidade de aprová-la ou não.

Por outro lado, a tecnologia 5G está determinando uma disputa entre EUA e China que está sendo comparada pela diplomacia brasileira com episódios comuns ao tempo da Guerra Fria. Multiforme, ela volta, repaginada, em versão sino-americana, com acirrada disputa pela supremacia econômica e tecnológica. Há sempre um lado totalitário assombrando o planeta. Comunismo, globalismo, terrorismo são enfermidades morais que só a democracia consegue sanar.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RODRIGO DE LÉON – PELOTAS-RS

Berto,

Tem uma questão para fazeres uma pesquisa no Databesta.

“Se Deus fez a mulher a partir de uma costela de Adão, o que o Diabo fez ou fará com o dedo do Lula?

( ) o PT
( ) o Bolivarianismo
( ) o Politicamente Correto
( ) o MST, o MTST e os Sindicatos
( ) Enfiou o dedo no furico dos esquerdistas
( ) Todas as opções acima

R. Pronto: não precisa nem apelar pro Databesta.

A sua pesquisa já está no ar.

E os leitores já podem dar seus pitacos na área de comentários.

Abraços, seu cabra doido!!!!

COLUNA DO BERNARDO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA