A PALAVRA DO EDITOR

UM GRANDE ABRAÇO PARA TODOS OS MEUS AMIGOS!!!

Na folhinha que me serve de agenda, e que fica aqui ao lado do computador, está registrado que hoje é o Dia Internacional da Amizade.

Ou, como se costuma dizer, o Dia do Amigo.

Pra mim, Dia do Amigo é feito Dia das Mães ou Dia dos Pais: é todos os dias do ano.

De 1º de janeiro a 31 de dezembro.

Curto, comemoro e me lembro todos os dias.

Ofereço aos meus queridos amigos, que não são poucos – inclusive a multidão de fubânicos -, esta linda música que está a seguir.

Trata-se de um poema que o grande compositor carioca Hermínio Bello de Carvalho escreveu em homenagem aos 80 anos do compositor pernambucano Capiba, intitulado Amigo É Casa.

Poema que está transcrito após a música, no final desta postagem.

Capiba musicou o poema que recebeu do amigo Hermínio e o resultado é esta composição que vocês irão ouvir agora na versão de Lenine e Zé Renato.

* * *

AMIGO É CASA – Hermínio Bello de Carvalho:

Amigo é feito casa que se faz aos poucos
e com paciência pra durar pra sempre
Mas é preciso ter muito tijolo e terra
preparar reboco, construir tramelas
Usar a sapiência de um João-de-barro
que constrói com arte a sua residência
há que o alicerce seja muito resistente
que às chuvas e aos ventos possa então a proteger
E há que fincar muito jequitibá
e vigas de jatobá
e adubar o jardim e plantar muita flor toiceiras de resedás
não falte um caramanchão pros tempos idos lembrar
que os cabelos brancos vão surgindo
Que nem mato na roceira
que mal dá pra capinar
e há que ver os pés de manacá
cheínhos de sabiás
sabendo que os rouxinóis vão trazer arrebóis
choro de imaginar!
pra festa da cumieira não faltem os violões!
muito milho ardendo na fogueira
e quentão farto em gengibre
aquecendo os corações
A casa é amizade construída aos poucos
e que a gente quer com beira e tribeira
Com gelosia feita de matéria rara
e altas platibandas, com portão bem largo
que é pra se entrar sorrindo
nas horas incertas
sem fazer alarde, sem causar transtorno
Amigo que é amigo quando quer estar presente
faz-se quase transparente sem deixar-se perceber
Amigo é pra ficar, se chegar, se achegar,
se abraçar, se beijar, se louvar, bendizer
Amigo a gente acolhe, recolhe e agasalha
e oferece lugar pra dormir e comer
Amigo que é amigo não puxa tapete
oferece pra gente o melhor que tem e o que nem tem
quando não tem, finge que tem,
faz o que pode e o seu coração reparte que nem pão

DEU NO TWITTER

DEU NO TWITTER

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

FAMOSOS E FRASES DIVERTIDAS

RÉPLICA DO CABARÉ DE MARIA BOGO MOLE:

Compilação de frases inteligentes e divertidas feitas pelo editor e repórter Ivan-Pé-de-Mesa, alter ego de Manoel Bione, criador do hebdomadário o Papa-Figo e esse escriba sem futuro. Maria Bago Mole é o destaque.

Inauguração da Ponte Rio-Niterói. “Por um lado, é muito bom; por outro lado, é Niterói”. (Max Nunes).

Viver no Rio é uma merda; mas é bom. Viver em New York é bom, mas é uma merda. (Tom Jobim).

Quando estamos fora, o Brasil dói na alma; quando estamos dentro, dói na pele. (Stanislaw Ponte Preta).

A Academia Brasileira de Letras se compõe de 39 membros e um morto rotativo. (Millôr Fernandes).

Brasil? Fraude explica. (Carlito Maia).

Pior do que o fim do mundo, para mim é o fim do mês. (Zeca Baleiro).

Quem se mata de trabalhar merece mesmo morrer. (Millôr Fernandes).

Democracia é quando eu mando em você. Ditadura é quando você manda em mim. (Millôr Fernandes).

A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal. (Raul Seixas).

Não é triste mudar de ideias; triste é não ter ideias para mudar. (Barão de Itararé).

Comecei uma dieta: cortei a bebida e as comidas pesadas e em quatorze dias perdi duas semanas. (Tim Maia).

O sol nasce para todos; a sombra, para quem é mais esperto. (Stanislaw Ponte Preta).

Nada nos humilha mais do que a coragem alheia. (Nelson Rodrigues).

Celulites não são apenas celulites, elas querem dizer…”Eu sou gostosa”. Só que em Braille!!! (Rita Cadilac)

Fumo maconha, mas não trago, quem traz é um amigo meu. (Marcelo Anthony, ator da Grobo Lixo).

O que te engorda não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo, mas o que você come entre o Ano Novo e o Natal! (Hebe Camargo).

Se o horário oficial é o de Brasília, por que a gente tem que trabalhar na segunda e na sexta-feira? (Marta Suplicy).

Eu só deixei ele porque ele deixou de gemer do jeito que eu gemo. Não tem graça nenhuma gemer sem uma gemada! (Maria Bago Mole).

Não se conquista um homem abrindo as pernas para ele só fazer o monder. É preciso saber fazer o remelexo no momento hagá e deixá-lo molim, molim! (Maria Bago Mole).

Tudo que eu consegui na vida foi por causa da minha taiada, o anel de couro e o trabalho duro. Não houve milagre. Houve um homem certo no momento certo com a braguilha aberta e o patuá duro, fora, mirando o buraco de minha bacurinha raspada. (Maria Bago Mole).

O priquito é o pedaço de carne mais delicioso do mundo. Não fosse ele todos os homens seriam baitolas ou morriam na mão. (Maria Bago Mole).

No dia que você der uma cagada no mato, limpar o cu com uma folha de urtiga e as beradas não ficarem vermelhas, coçando, você nasceu com o rabo virado para lua de sorte. A urtiga tinha as folhas abicharadas. (Maria Bago Mole).

Para seu marido não acordar com a macaca… depile-se! (Vera Fischer).

O homem é um ser tão dependente, que até para ser corno, precisa da ajuda da mulher. Para ser viúvo, também… (Dercy Gonçalves).

Por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima. (Yasser Arafat).

Preguiçoso é o dono da sauna, que vive do suor dos outros. (Príncipe Charles).

O homem mais sortudo do mundo sou eu que me apaixonei e casei com a maior tribufu do mundo, e ela já era arrombada. (Príncipe Charles).

Não me considere o chefe; considere-me apenas um colega de trabalho que tem sempre razão. (George Bush).

Malandro é o pato, que já nasce com os dedos colados para não usar aliança. (Zeca Pagodinho).

Todo mundo tem cliente. Só traficante e analista de sistemas é que tem usuário. (Bill Gates).

Seja legal com seus filhos. São eles que vão escolher o seu asilo. (Desconhecido).

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

A SAUDADE NOS VERSOS DOS REPENTISTAS

A gente só tem saudade
De quem vai e não vem
Eu vivo com a saudade
Graças a Deus, vivo bem
Quando a saudade morrer
Eu quero morrer também.

Rogério Menezes

Não é como explosão
Que destrói qualquer um prédio
É parecida com banzo
E é quase irmão do tédio
É um mal desconhecido
Que ninguém achou remédio.

Ivanildo Vila Nova

Em todo canto que for
Tem uma saudade atrás
O neto sente do avô
O filho sente dos pais
A gente só sente saudade
Daquilo que não tem mais. .

Raulino Silva

Nosso amor é um segredo
Só quem sabe é eu e ela
Mas como eu fui proibido
De viver ao lado dela
Fiz da saudade um correio
Pra trazer notícias dela.

Manuel Pedro Clemente (1921-2014)

Saudade quando se cria
No peito da criatura
A gente morre sofrendo
E do remédio a procura
Rezadeira não descobre
A medicina não cura.

João Lourenço

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ADONIS OLIVEIRA – TERESINA-PI

NO CABARÉ…

É sexta-feira. Estamos nos aproximando da meia noite!

No Cabaré de Maria Grelo Duro, lá naquela famosa cidade serrana do Agreste Meridional de Pernambuco, a fuzarca está a todo vapor.

Tonha Sifilítica, a rapariga mais requisitada pela clientela, apesar da alcunha nada recomendadora, dá expediente dobrado junto à peãozada que compareceu ao bordel naquela noite. Já foram cinco conjunções carnais no dia. Terá que dar mais umas cinco, se quiser atingir a meta a que se propôs: conseguir arrecadar R$ 100,00 Reais num único dia. Precisa muito faturar e esta é a ocasião em que há maior demanda pelos seus préstimos. Cobrando a R$ 10,00 reais por cada vaqueiro que encara, chega ao final do dia tendo que usar abundantemente o tubo de Hipoglós que comprou na farmácia do bairro, mas com a bolsa recheada.

A razão desta necessidade pecuniária é que o seu pimpolho está crescendo e a cada dia fica mais revoltado, exigindo-lhe coisas que ela não pode lhe propiciar. Agora, cismou que quer uma boina que ela nem sabe direito para que serve ou o que representa. A revolta do garoto deve ter se originado no fato de ter presenciado, desde a mais tenra idade, todas as atividades profissionais da sua mãe, com as levas sucessivas de vaqueiros que passaram pela sua enxerga, inclusive as cenas mais escatológicas que se possa imaginar e as atividades sexuais mais aberrantes. Até porque, quanto mais aberrante fosse o pedido do cliente, melhor seria a paga a receber. “Dinheiro na mão, calcinha no chão! ” Era o que ela sempre dizia.

A presença do pimpolho, como testemunha involuntária da safardagem da mãe, se dava por dois motivos: primeiro, não tinha ninguém com quem deixar o baby. Depois, o quartinho onde moravam e faturavam, possuía apenas um cômodo. Assim, eles tinham que dormir juntos, no mesmo local onde ela exercia o seu suado labor. É certo que esta lhe dava, de vez em quando, uma lasquinha de Lexotan, de modo a fazê-lo dormir até o dia seguinte, de modo a não ter que presenciar a suruba que faziam com a sua mãe. Só que esta solução se mostrou até um pouco contraproducente. Parece que a medicação continuada do bruguelo fez com que ele ficasse cada vez mais imbecilizado e agressivo. Os constantes estados alterados de consciência parecem ter torrado os neurônios do boy. Tanto é que ele ficou irremediavelmente imbecilizado. Ou foi isso, ou foi a sífilis de diversas cruzes dela que se transmitiu a ele de forma hereditária. Não se sabe com certeza. O que se sabe, e com certeza absoluta é que os sintomas da debilidade mental do rapazinho eram abundantes:

Primeiramente, passou a assistir levas e levas de filmes. Só tinha este interesse na vida. Sabia tudo sobre cada um deles. Quem eram os atores, o diretor, os roteiristas, quantos prêmios haviam ganho, quanto tinha faturado, etc.etc.etc. Era um verdadeiro monomaníaco. Um homem unidimensional, segundo Marcuse.

Depois, a sua agressividade gratuita, muito especialmente representada pelo seu linguajar típico do bordel onde habitava. O rapaz não conseguia articular duas palavras sem pronunciar um palavrão cabeludo, de preferência bem agressivo e de forma gratuita, sempre de modo a ofender da forma mais desagradável que encontrasse em seu parco vocabulário, a todos aqueles que tivessem o azar de conversar com ele. Tornou-se um verdadeiro sociopata. Mais um pouquinho de doidera e se tornaria um “Serial Killer”.

Nos seus devaneios alucinatórios, cismou também que era “Faixa Preta em Artes Marciais”. Era constantemente visto emulando Jiraia, Jiban, e Bruce Lee, este último de quem se tornou ardoroso fã. Passava o dia inteiro imitando os gestos e os golpes de seus heróis, como quem estivesse lutando contra demônios invisíveis, que só seu cérebro corroído pela sífilis conseguia ver.

O arremate deste verdadeiro “Idiot Savant” foi a sua conversão fanática à seita esquerdopata. O menino passou a andar o tempo todo com a sebosa boina, do tipo que Che Guevara, que exigiu da mãe. Era o ídolo dele. Sentia-se o próprio “Macho Alfa” ao imaginar quantas pessoas condenaria ao “Paredon”, ou quantas fuzilaria ele mesmo, simplesmente por serem “Fascistas” e de direita, quando a sua revolução triunfasse.

Considerava-se um mestre em análises políticas, emitindo opiniões cada dia mais desconjuntadas e desvinculadas de qualquer realidade, por mais bizarra que fosse.

Outra de suas fixações passou a ser a ideia de querer “resolver” suas frequentes querelas através de duelo a faca, do tipo que havia presenciado inúmeras vezes entre os fregueses da sua mãe no cabaré, ao se desentenderem e disputarem quem iria comer a velha primeiro. Tudo bafo! Só devaneio! Típico de quem teve os neurônios torrados por excesso de química, sífilis hereditária e traumas edipianos.

A ironia final ficou por conta do desdobramento da sua fixação no assassino Che. Passou a ser devoto, com tudo que tinha direito, também de outro ícone das esquerdas brasileiras: Jean Willis.

A partir desta conversão, identificou-se de uma maneira tão avassaladora com essa Nova Esquerda Universitária Brasileira, que passou a entubar também uma brachiola com uma competência que faria inveja até ao seu mentor, ou ao jornalista fake que produzia notícias forjadas a partir de mensagens roubadas, que havia sido produtor de filmes pornô e que se dizia “Marido” do psicopata que ele idolatrava.

Quem diria? O cara era tão macho, tão macho, que acabou sentando numa mandioca! Só por lazer!

Ao final, cavalgando uma piroca tamanho Jumbão Plus, ainda ficava bradando ensandecido ao ter suas pregas do cu arrombadas: – EU NÃO SOU CORNO! Ou então, SÉRGIO MORO, I LOVE YOU!!!!

XICO COM X, BIZERRA COM I

TUDO QUE NÃO FOR AMAR É SECUNDÁRIO

Maior marasmo. No escuro de um dia de sol já ido, saudades infindas preenchem o vazio de um tempo triste. Pior: perceber que o passado passeia solitário pela estrada do pouco tudo e do muito nada. Melhor seria o nada dar as mãos ao tudo e sair por aí barulhando o silêncio do mato próximo, calando a zoada do que não seja grilo, sapo ou, principalmente, passarinho. E assim, deixar a tarde se travestir de noite e mergulhar no escuro, com o auxílio luxuoso de uma ou outra estrela vadia, buscando uma lua para clarear tudo que for diferente de dor. Resta esperar o raiar do dia que está vindo, fiel à crença de que apenas amar e ser amado importa. Tudo o mais não interessa, por secundário que é.

Toda a obra de Xico Bizerra, Livros e Discos, pode ser adquirida através de seu site Forroboxote, link BODEGA. Entrega para todo o Brasil.

DEU NO JORNAL

TERRORISMO EM BAIXA

Estudos divulgados esta semana demonstram que a economia do País já apresenta sinais de recuperação, após o impacto da crise provocada pela pandemia do coronavírus.

Desde março, o Covid-19 forçou medidas de distanciamento e isolamento social em todo o mundo.

Tanto o Sebrae, quanto a Confederação Nacional do Transporte (CNT), que lidam com dois dos principais (e mais afetados) setores da economia, apresentaram resultados positivos nos últimos levantamentos mensais.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, observa o “estancamento na queda de faturamento” de micro e pequenas empresas.

* * *

Uma péssima notícia.

Notícia ruim mesmo

Notícia ruim e péssima pros urubus, os agourentos, os derrotistas, os terroristas e a grande mídia funerária.

Vamos convocar o velho peidão pra acertar um petardo no fucinho dessa cambada de filhos de quengas.

Peide forte, meu velho!!!