COLUNA DO BERNARDO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

WALDIR ANTONIO – BAURU-SP

Grande Maestro Fubânico,

segue uma imagem que recebi.

Verifique a possibilidade de divulgar no JBF.

R. Caro leitor, não existe nesta gazeta escrota este negócio de “verificar a possibilidade de divulgar“.

Eu não verifico nada: publico do jeito que vocês enviam pra cá.

Nesta bodega quem manda é o freguês.

Publico com muito gosto e agradecido pelo audiência e pela participação de vocês.

Só tem uma coisa que eu não gosto de botar no ar: imoralidades e ponografia explícita. Coisas assim como discursos de Lula, fotos de Jandira Feghali e sentenças de Gilmar.

Um grande abraço para toda a comunidade fubânico dessa rica, desenvolvida e hospitaleira Bauru, o mais populoso município do centro-oeste paulista e sobre o qual Seu Luiz, meu saudoso pai, falava com muito carinho.

Papai andou por aí nos anos 20/30, naquele tempo em que os nordestinos desciam pro Sul na carroceria de um caminhão pau-de-arara pra trabalhar e ganhar a vida.

Do jeitinho que consta na música de Luiz Gonzaga: “Só trazia a coragem e a cara, viajando num pau-de-arara”

Abraços e um excelente final de semana!!!

Bauru, com 357.094 habitantes, localizada a noroeste da capital do estado e distando desta 326 km da capital

DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RÔMULO SIMÕES ANGÉLICA – SANTA MARIA DE BELÉM DO GRÃO PARÁ

DIE GEDANKEN SIND FREI

A inspiração para o título do presente texto veio do nome de uma canção folclórica alemã, Die Gedanken Sind Frei, que em português significa: Os pensamentos são livres.

Foi a primeira música que aprendi a cantarolar, em alemão, e a tocar no violão, assim que chequei em Freiburg, na Alemanha, na primavera de 1993.

A razão para esse título reside exatamente no que a frase encerra:

A LIBERDADE !

De pensar, de agir, de emitir opiniões, de fazer opções diversas, políticas ou morais, futebolísticas ou sexuais. Ou seja lá o que o homem, verdadeiramente LIVRE, bem entender, que assim o seja.

E não poderia haver espaço melhor do que esse aqui, no JBF, onde se exercita, verdadeiramente!!!, a LIBERDADE de pensamento, sem qualquer tipo de repressão. Vejam que, até mesmo aqueles que aqui neste espaço, defendem os piores tiranos e as ditaduras mais execráveis do mundo contemporâneo, tem a liberdade de aqui o fazerem, sem a menor censura do nosso excelso editor.

Ouso a escrever sobre LIBERDADE, justamente por estarmos vivendo um momento tão triste da humanidade, e em especial, desse malsinado país, do cerceamento das opiniões, do patrulhamento ideológico e de uma espécie de insanidade mundial, do pensamento único, imbecilizante, do “politicamente correto”.

E de um modo muito especial me refiro ao meio universitário-acadêmico, que certamente será tema de alguns textos que planejo aqui postar, por ser um dos melhores exemplos, atualmente, da ditadura do pensamento único. Justamente este local, que deveria servir de modelo, para a sociedade, da pluralidade de ideias e pensamentos, foi vergonhosamente, e criminosamente, assaltado pelo que há de pior e de mais farsante no comportamento humano. E vejam, exatamente pelos mesmos que anos 60 cantavam “é proibido proibir”.

Incentivou-me, igualmente, a este intento, os excelentes textos recentemente colocados aqui no JBF – os quais recomendo, fortemente, a leitura – pelo Rodrigo Buenaventura de Leon (A UNIVERSIDADE PÚBLICA É O LIXO DA POLÍTICA, em 4 partes) e pelo Marcelo Bertoluci (MEU PITACO SOBRE A EDUCAÇÃO), que resultaram em valioso debate entre nós e outros colunistas e leitores fubânicos.

O modelo da universidade pública brasileira precisa ser revisto, URGENTEMENTE!!!, pois é de lá que estão saindo os professores que irão para o ensino fundamental, tanto o público como o privado, (de)formadores das futuras gerações de jovens desse pobre país. Os pais “moderninhos”, ausentes e desinteressados, mal podem imaginar o que se passa na escola, com seus filhos. Que eles estão sendo absurdamente roubados de um dos seus direitos mais preciosos na vida, que é o da LIBERDADE de pensar. Além, obviamente, de estarem sendo enganados por quem não aprendeu – e obviamente, nunca poderá ensinar – matemática, português, física, química, história….., em um verdadeiro círculo virtuoso da mediocridade.

Para finalizar, retorno a música alemã que me inspirou nesse texto. Li na Wikipedia que os versos da canção teriam sido publicados pela primeira vez em folhetos, por volta de 1780, importantes para movimentos de resistência anti-nazistas na Alemanha. Não ousei colocar nenhum vídeo, pois há muitas versões facilmente encontradas na internet. Quem sabe o nosso colunista Peninha não possa nos brindar com uma bela escolha, como ele tão bem sabe fazer.

Quando ouvi pela primeira vez os versos dessa canção, a emoção foi muito grande, por já saber um pouco da língua, e conseguir imergir na mensagem, simples e singela, de LIBERDADE. Tão forte e tão verdadeira.

Deixo aos leitores os versos originais e uma tentativa de tradução para o português, este último, apenas com alguns ajustes, ambos extraídos da rede.

Que eles nos inspirem, e nos motivem, a ainda ter esperança em uma sociedade mais igualitária e fraterna, verdadeiramente LIVRE, das amarras e cabrestos ideológicos, de qualquer matiz, raça ou religião.

Um abraço fraterno:

Ao querido Berto, pela abertura desse espaço, e que mesmo sem conhecer, pessoalmente, ocupa um lugar de destaque no meu coração.

Aos queridos colunistas do JBF, donos das letras e imagens, versos e melodias, que tanto aprendi a admirar.

E aos prezados leitores fubânicos, que fazem parte dessa grande família do Jornal da Besta Fubana, que me afeiçoei e aprendi a querer tão bem.

COLUNA DO BERNARDO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CÉZAR DE CASTRO MEDEIROS – CAMPINA GRANDE-PB

Editor JBF:

Numa live que vazou recentemente a vice-governadora do Piauí, Regina Sousa, que é do PT, reconheceu que o trabalho que o Presidente Bolsonaro está fazendo pelas pessoas mais carentes e de baixa renda tem sido muito bom.

Ela fez a declaração contrariada, pois não consegue esconder as realizações do atual governo.

Segundo a petista, a liberação do FGTS e a carteirinha de estudante virtual foram medidas benéficas para as camadas mais pobres da população.

E que em virtude desses trabalhos realizados pelo presidente é que sua popularidade vem crescendo consideravelmente entre os nordestinos.

Divulgue na nossa gazeta se achar conveniente.

Meus cumprimentos e meus votos de mais sucesso.

R. Caro leitor, o vídeo que você nos mandou está logo a seguir.

Acontece que eu achei que o idioma nordestês da petista, com um forte sotaque vermêio, ficou meio incompreensível para os humanos normais.

De modo que pedi a Chupicleide, nossa esforçada secretária de redação, pra transcrever a fala por escrito (se ela, Chupicleide, conseguisse entender…).

A transcrição está logo abaixo do vídeo e poderá ser útil pra quem ficar enrolado com a fala da grande analista politiqueira e filosofofeira petralha.

Qualquer correção na transcrição será bem vinda. É só botar na área dos comentários.

Grato pela força e pela audiência, caro leitor.

Abraços pra comunidade fubânica dessa bela e progressista Feira de Santana e um excelente final de semana.

Primeiro eu acho que a gente não pode desprezar que ele tem estratégia. Tem uma mania de dizer que ele não tem estratégia. Ele tem estratégia, sim. O grupo dele tem estratégia. Tá se desentendendo com alguns, talvez alguns começando a se aborrecer com ele, porque ele acorda uma coisa de manhã e de noite ele faz outra. Ontem mesmo, no pronunciamento dele foi na contramão do que ele falou de manhã. Então, pode ser que já tenha um grupo meio aborrecido, mas não pra largar a mão, né? Pra salvar alguma coisa. Então, ele tem estratégia, sim, né? Essa é… inclusive dialogar com os mais pobre. Eu fiz uma fala dessa no outro diretório. Ele fez muitas medidas que dialogou com os pobres, né? Liberar FGTS. Quem sacou FGTS foi pobre. Carteira estudantil virtual, dialogou com os estudantes pobres que pagava 40, 50 reais por uma carteira. E assim, por aí vai. E muita coisa que ele foi fazendo, também, tanto que ninguém pode negar que a popularidade dele melhorou muito. Inclusive no Nordeste, no Piauí. Então, a gente não pode desprezar as estratégias dele. Não é uma pessoa descartável, fácil, não. Ele se tiver que… mesmo que os deles, a parte dele,(?) ele vai dar um trabalhinho. E nós, embora, a nossa discussão infelizmente “Fora Bolsonaro”, ou “Bolsonaro não possa ficar”, é nossa palavra de ordem. Nosso partido perde tempo com isso. Como se essa palavra de ordem fosse a salvação da lavoura. E não é. E isso eu vou dizer agora de tarde. Você bota qualquer palavra de ordem. Até mesmo “Fora Bolsonaro”, quem é que vai se importar com isso? Quem é que vai ler essa resolução? Que vai acontecer se a gente botar “Fora Bolsonaro”? No máximo um pichaçãozinha ali, no muro. Porque não temos aquela militância que a gente tinha em 92, que a gente tinha aquela euforia que tava pra derrubar o Collor, por exemplo. Não temos nesse momento, infelizmente. E sem desprezar também o poder de mobilização, né? Ele tem uma mobilização nas redes que é de dar inveja. Apesar dos robôs, ele tem uma rede social invejável. Então, acho que o PT perde muito tempo nessa história de tá discutindo palavra de ordem, quando a gente tem que discutir os assuntos que possam ir de contra a política dele. Hoje mesmo, o Haddad tava falando assim que nossa questão vai ter que ser se nós tivéssemos no governo, que que a gente teria feito diante de uma crise dessa? A primeira coisa, que o Lula próprio falou foi assim: Teste em massa. A gente tá trabalhando no escuro. Não tem teste. No Piauí morreram sete. Será se foi sete mesmo? O Piauí tem trinta e poucos… a gente não tem como testar. Não tem testes. É uma coisa assim, trabalhando no escuro.

DEU NO JORNAL

CACIQUES TUCANOS ENCALACRADOS, MAS FOCO DA PATOTA CONTINUA SENDO BOLSONARO

Rodrigo Constantino

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) foi indiciado pela Polícia Federal nesta quinta-feira (16) sob suspeita da prática dos crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, o indiciamento faz parte da segunda fase da chamada “Lava Jato Eleitoral” de São Paulo. Também foi indiciado o ex-tesoureiro do PSDB Marcos Monteiro e o ex-assessor de Alckmin Sebastião Eduardo Alves de Castro.

O indiciamento teve como base a delação de ex-executivos da Odebrecht, além de análises periciais no sistema de informática da empreiteira, de extratos telefônicos, de conversas pelo aplicativo Skype, de documentos, de ligações telefônicas e também por meio de outras delações.

Alckmin, como todo indiciado, nega as acusações, e seus companheiros de partido saíram em sua defesa. O PSDB não expulsou nem Aécio Neves ainda, apesar daqueles áudios comprometedores com Joesley Batista. José Serra também foi alvo de graves denúncias, mas segue como cacique do partido.

Pergunto: os mesmos que já tratam Bolsonaro como corrupto por conta de suspeita de rachadinha vão fazer o mesmo agora? Vocês repararam no ensurdecedor silêncio da patota do selo azul, dos “radicais de centro”, acerca do indiciamento de Geraldo Alckmin?

Enquanto os tucanos saíram para expressar confiança no companheiro, os “formadores de opinião” ficaram basicamente calados. Até agora, o ex-ministro Sergio Moro tampouco se pronunciou, logo ele, tão zeloso em demonstrar apreço pelo combate à corrupção. Que coisa, né?

Já seus colegas de revista continuam com o foco 100% voltado para Bolsonaro mesmo, como podemos ver:

Achei que essa coisa de “banditismo protegido” era para falar do tucanato blindado por parte da mídia, mas não… era novo ataque ao bolsonarismo mesmo! São “músicos de uma nota só”, dedicados com visível obsessão à tarefa de derrubar o presidente de um governo sem escândalos de corrupção até agora.

“Muitas pessoas na mídia parecem não perceber a diferença entre reportar as notícias e criar propaganda”, disse Thomas Sowell. Aplica-se com perfeição ao caso da nossa imprensa. Quando resolvem falar do “perdão ao PT”, uma pauta artificialmente criada por colunista e ex-chefe de redação do Globo, eis quem convidam para o “debate”, na revista do mesmo grupo:

E por que não chamaram ninguém de direita? Só os “Psol Kids”, para simular uma estratégia das tesouras e fingir que há pluralidade, quando há na verdade uma “conversa de comadres”, de deputados que gostam de tomar café juntos e participar de grupos de WhatsApp contra o governo?

Guzzo resumiu bem o papelão que Lula vem fazendo desde a soltura da prisão por decisão dos camaradas do STF: “Lula aprende cada vez menos. A demonstração disso é o hábito, que parece estar adquirindo, de interromper sua atividade normal de não fazer nada com tentativas mal acabadas de aparecer no noticiário político. Só dá errado”.

Quando olhamos para os infindáveis escândalos de corrupção envolvendo petistas e tucanos, somos forçados a refletir sobre a governabilidade em nosso país. Reclamam da aproximação do governo com o “centrão”, mas qual a alternativa? O PSDB? Como aprovar reformas com esse Parlamento eleito, se quase todos os partidos apresentam sérios problemas éticos?

A turma que passa o dia atacando Bolsonaro finge não enxergar essa realidade. Há mensagens que mostram a hipocrisia dos “cruzados da ética”, como essa de Elena Landau, que vem demonizando até a atuação dos liberais Paulo Guedes e Salim Mattar:

Esse tweet, com bico tucano, plumagem tucana e colorido tucano, envelheceu muito mal. Mas eis a triste constatação: os tucanos preferem o PT a Bolsonaro! Foi o que confessou esse perfil fake, muito respeitado pelos “radicais de centro”:

Muitas máscaras vêm caindo nessa pandemia, expondo o oportunismo de quem se dizia intransigente com a ética ou liberal, e no fundo alimenta só um ódio patológico ao bolsonarismo. O duplo padrão salta aos olhos, como quando esse sujeito, lotado em gabinete de deputado estadual ligado ao MBL, considera seu colega um “preso político”, mas nada disse sobre as prisões arbitrárias de uma ativista e um jornalista ligados ao bolsonarismo:

Os tucanos, os “isentões”, os “radicais de centro”, chame do nome que quiser, mas o leitor já entendeu de quem estou falando, só querem derrubar Bolsonaro para voltar ao poder. Não tem nada a ver com preocupação legítima e genuína com o país, com os mortos por coronavírus, com a ética. É tudo da boca para fora, narrativa cafajeste.

Esses “liberais” abandonaram até suas pautas que tinham um pouco mais de liberalismo mesmo, como a econômica, só para detonar o governo. Falavam no início que Paulo Guedes não duraria no governo, pois seria usado pelos bolsonaristas, e hoje vemos que quem tenta derrubar Guedes são esses “liberais”, não o presidente. Enquanto isso, fizeram as pazes com a mídia esquerdista, que dá destaque a bandeiras como esta:

Para quem só tem um martelo, tudo se parece com prego. Esse neomarxista só fala em mais imposto para os “ricos”, que na verdade prejudicaria a classe média. O resto é só pretexto para sua ideologia da inveja…

Política é a arte do possível, a escolha do menos pior. Não há santos e não há milagre. É para avançar gradualmente, no que for possível, e evitar desastres. Ao virar oposição estridente, histérica, sensacionalista e obcecada contra Bolsonaro, a turma dos “radicais de centro” e da mídia faz um jogo sujo, que joga contra o país. Críticas são legítimas, mas o que vemos vai bem além disso, e todos sabem.

“Está difícil. Esse ano tem eleição e é bom a gente pensar mil vezes antes de votar. Embora, às vezes, tem partido que não dá opção ao eleitor, nós precisamos escolher os menos ruins”, disse Alexandre Garcia. É o jeito.

Quem denuncia qualquer suposta rachadinha do passado como prova inapelável de que não podemos elogiar nada do atual governo, enquanto faz silêncio sobre os vários escândalos graves que pairam sobre cabeças de tucanos, mostra apenas sua hipocrisia no jogo de poder. Acusam quem reconhece méritos no governo de “vendido”, “gado” ou “passa-panista”, mas são os primeiros a passar pano nas lambanças de seus companheiros bicudos…

DEU NO TWITTER

DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LINDALVA – FEIRA DE SANTANA-BA

Coisa horrorosa!!!

Esse Bolsonaro é mesmo o fim da picada viu.

Tá fazendo de tudo para acabar com as tradições nordestinas: A FOME, A SECA, E A MISÉRIA.

Horrível, horrível, horrível.

Reajam, nordestinos!!!!