PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO ESCATOLÓGICO – Glauco Mattoso

“Cagando estava a dama mais formosa…”
Assim falou Bocage num soneto
do mesmo naipe deste que cometo
sobre a reputação que a merda goza.

A crítica a compara à rara rosa
se obrada na miséria dalgum gueto.
Políticos proferem-na: “Eu prometo…”
e a mídia a tematiza em verso e prosa.

É tanto incompetente apadrinhado
fazendo merda e sendo promovido
que, quando comecei o aprendizado,

pensei: “Que seja próprio o seu sentido,
porque já me enojei do figurado!”
E então fui rei da merda com que agrido.

Glauco Mattoso, pseudônimo de Pedro José Ferreira da Silva, (São Paulo, 29 de junho de 1951) é um escritor brasileiro. Seu nome artístico é um trocadilho com glaucomatoso, termo usado para os que sofrem de glaucoma, doença que o fez perder progressivamente a visão, até a cegueira total em 1995. É também uma alusão a Gregório de Matos, de quem se considera herdeiro na sátira política e na crítica de costumes. (Wikipédia)

DEU NO JORNAL

O RETRATO CAGADO E CUSPIDO DA GRANDE MÍDIA ZISQUERDÓIDE

A declaração anti-bolsonaro mais criminosa, rancorosa e vingativa produzida até este momento com nome e sobrenome, cabe ao jornalista sobrevivente Hélio Schwartsmann, que assina artigo com este título na Folha de São Paulo:

– Por que torço para que Bolsonaro morra !

Ele não é o único.

Milhares de outros renegados sociais e políticos fazem o mesmo deste ontem, impulsionando a fúnebre #hashtag ForçaCovid

Eles faziam a apologia da corrupção, mas agora fazem a apologia do crime.

* * *

Não vou fazer comentários.

Nada a declarar.

Estou muito ocupado vomitando no meu pinico.

COLUNA DO BERNARDO

DEU NO JORNAL

A SABOTAGEM DA MÍDIA – SUJA – DA HIDROXICLOROQUINA

Cristiana Altino de Almeida (Médica do Real Hospital Português de Recife)

Hoje meu coração vibrou com os resultados de trabalhos científicos que saíram mostrando o poder da HCQ dessa vez na fase precoce, com os protestos em artigos como esse, com testemunhos de vários médicos do mundo inteiro e com o trabalho incansável dos médicos brasileiros que estão muito na frente em organização e por isso mudando o panorama da pandemia. Feliz com o anúncio da LIVE do Ministério da Saúde do Brasil, exemplo atual para o mundo. Adotou oficialmente o protocolo precoce e a letalidade caiu rapidamente de 14% para 4%, um número muito melhor que o da Alemanha por exemplo. E vai cair muito mais como caiu em várias cidades.

Contente com os convênios que abraçaram a causa do tratamento precoce, tipo Prevent, Hapvida e Unimed que estão salvando vidas. Parabéns a batalhadora e admirável Lourdinha, presidente da Unimed Recife. Contente com a França onde as famílias dos mortos vão processar as autoridades de saúde e principalmente porque as pessoas estão acordando. Tribunal internacional para crime contra a humanidade. Julgamento da indústria farmacêutica que financia pesquisas imorais como foi o caso do Lancet, das vacinas patrocinadas pelo gênio do mal Bill Gates, julgamento do globalismo e das profecias insanas de Bill Gates e o novo normal, julgamento de quem patrocina Greta Thunberg e suas mentiras e insanidade que convencem os jovens talibãs ocidentais, esses que querem destruir nosso passado como civilização e história. Proibição mundial de testes de modificação genética em vírus, proibição dessas pesquisas na China mas também nos Estados Unidos e Canadá, julgamento da mídia comprada e mentirosa. Julgamento para o assassinato de pessoas no trabalho do Amazonas da Fiocruz publicado no JAMA. Como algum médico do Amazonas usa Hidroxicloroquina em fase errada e esquece a dose que se usa de rotina na região. O amazonense nem se preocupa com os perigos novos descrito nesse sanatório geral mundial se o médico fala, mas é aquele remedinho da malária, ah, esse sim doutor, o outro não.

A lista é tão interminável que leva a um Tribunal das Trevas no estilo de Nuremberg.

A população mundial tem que ter coragem para sair de casa, para ir ao ar livre, para desobedecer às ordens autoritárias, para ACABAR com a OMS que é responsável por esse sofrimento. Para julgar esse corrupto diretor da OMS que além de não saber o que diz é respeitado por países do berço da civilização ocidental e hoje seu cemitério e falo da Europa Ocidental exceto Portugal que não se curvou de novo à insanidade. Usa Hidroxicloroquina e trata seus pacientes. Viva Portugal. Devíamos respeitar mais a história portuguesa exemplar em muitos períodos da Humanidade. Minha segunda terra.

Vamos acordar e ir para as ruas. Praia, sol, diversão. Tomem Ivermectina profilática e saiam de casa. Acabem esse confinamento e isolamento insano que está matando mais que salvando. Recife teve um aumento de mortes no lockdown por paradas cardiorrespiratórias em casa que chegou a mais de 900%. Novecentos por cento. Maior que Nova York que atingiu um número exorbitante de 800%. De Nova York sabemos. De Recife alguém sabe? Mas são dados reais.

Quem acredita nas autoridades que mandam ficar em casa e não tratar mas se tratam? Governadores, secretários de estado, médicos que não tratam o povo nos serviços públicos mas se tratam ou tratam em seus consultórios particulares. Como acreditar nessas pessoas desonestas?

Tomem Ivermectina que protege da doença, evita a doença e vão para a rua. Onde já se viu que é saudável transporte público mas banho de mar é proibido. Com Ivermectina profilática todo mundo pode voltar ao VELHO normal, vencer o vírus, se abraçar e jogar fora essas máscaras. Vamos vencer o Coronavirus e dizer não a essas vacinas que nem deram certo em fase 2 em ratos e estão sendo testadas em São Paulo. Nos brasileiros. Como testaram muita coisa na África. Isso é Direitos Humanos. Isso é valorizar seu papel no mundo. Africanos e brasileiros podem ser cobaias? Para que vacina se temos Ivermectina? Todo mundo já deu Ivermectina para crianças de escola. Sem pensar e sem política. O vírus CHINÊS maldito causou doença, morte, pânico, mortes evitáveis mas também descerebrou as pessoas. Qual o interesse por trás disso? Follow the money, já dizia Agatha Christie. Só que dessa vez a culpa não é do mordomo.

Falei em direitos humanos, vamos falar das ONGS do empoderamento feminino – ai como detesto essa palavra – das letras do alfabeto todas da sexualidade, das feministas que detestam os homens e sua própria biologia, alguma se manifestou no mundo contra esse genocídio? Estamos vivendo a morte em números, o pânico, o medo, a perda de pelo menos dois anos de nossas vidas se não reagirmos. Ninguém enxerga? As trevas desceram sobre as mentes lúcidas?

Poucas reagiram. Não o povo brasileiro que quer se tratar. Mas quem perdeu alguém nessa mentira vai se calar? Ou fazer um grupo de familiares dos que morreram sem tratamento e como na França cobrar a omissão dos médicos que não tratam, das autoridades que não tratam mas se tratam e processar a perda desnecessária?

O vírus chinês tirou meu sono e meu rítmo biológico. Descobri hoje que era 2 de julho quando pensei que era 30 de junho. Escrevi na minha agenda. Isso se chama perda do rítmo circadiano que é o mesmo que o rítmo biológico. Quem está confinado sem sol perdeu também. Perdeu a noção do dia e da noite – mergulhamos no crepúsculo que não é dos deuses mas dos submissos. Dos que não amam ou esqueceram a liberdade de pensar e de agir. Sartre e Simone de Beauvoir estariam lutando. Como estaria lutando Andrew Manson, o jovem médico de A Cidadela (“The Citadel”) antes de sucumbir ao mercantilismo e ao sistema na medicina. Li várias vezes esse romance escrito por Archibald Joseph Cronin, médico escocês, membro do Royal College of Physicians. Mais do que atual e por isso aflorou da minha memória- que o vírus não tocou. Atual porque é um debate sobre ética médica e submissão ao sistema. Leiam esse livro que vale a pena.

Tomem Ivermectina, se protejam, desobedeçam e saiam. Na África pobre o vírus não matou. Porque lá se toma Ivermectina para cisticercose e filariose e Hidroxicloroquina para malária.

Outra boa pergunta. Como na época das construtoras em Angola todos os brasileiros ou grande parte dos brasileiros que trabalharam lá tomaram Hidroxicloroquina e nem fazia mal e nem se falava nisso. Parece que só ficou perigosa depois das aulas de Mandetta e de William Bonner, esse o atual papa da medicina e coveiro dos pobres brasileiros mortos em vão. Desfila a morte como quem desfila uma escola de samba.

E esquece de dizer que os mortos só tem os dois sexos biológicos: homem ou mulher. Até uma boa aula para aquela alienada Fátima Bernardes dona de um dos programas mais medíocres da medíocre Globo. E nessa de falar de pessoas, viva Ana Maria Braga, a mulher forte e exemplar nas doenças. Até do Louro estou gostando por respeito a ela. E viva Alexandre Garcia que deu voz aos médicos que tratam e acreditam na vida.

Eu estou livre e saindo do crepúsculo mental da falta de sol.

Amanhã gravo uma entrevista para a TV Band de Ribeirão Preto, uma grande cidade paulista entrando em colapso, hospitais cheios, pessoas morrendo, porque os médicos de lá perderam o senso da responsabilidade de tratar cedo. Lá repórteres honestos querem lutar contra a doença horrorizados com os fatos. Em São Paulo onde se acredita em vacina teste em humanos.

Quero ser presa desafiando o autoritarismo tomando banho de mar sem máscara em Boa Viagem.

DEU NO JORNAL

EXCELENTE NOTÍCIA

São Paulo reabriu nesta segunda-feira (6) os bares e restaurantes da capital, após 104 dias fechados.

Além do setor gastrônomico, estabelecimentos de saúde, beleza e bem-estar, como salões de beleza e barbearias, também estão autorizados a reabrirem suas portas.

* * *

Ótimo.

Uma excelente notícia.

Mais um passo pra extinguir a histeria dos terroristas político-ideológico que fazem de tudo pra deixar em pânico a população deste país.

A mim nunca conseguiram fazer medo.

Estou tranquilo como sempre estive desde que essa safadeza começou.

Existem dezenas de outras coisas que estão matando mais que o covid.

E aproveito pra fazer um pedido especial aos fubânicos São Paulo:

Sempre que forem ao boteco tomar uma, tomem outra por mim.

Agradeço antecipadamente.

E, pra fechar a postagem, recomendo aos fubânicos cachacistas que tomem cuidado com suas mulheres.

Algumas delas são bem mais perigosas que qualquer pandemia.

Vejam o vídeo que está a seguir:

J.R.GUZZO

FRENTE NACIONAL PRÓ-VÍRUS NÃO QUER QUE O PAÍS VOLTE A TRABALHAR

Agentes fiscalizam cumprimentos das medidas de combate ao coronavírus em Manaus

O público pode se preparar porque vem artilharia grossa por aí — um esforço concentrado, por parte das tropas da “Frente Nacional Pró-Vírus”, para retomar a iniciativa na guerra contra a produção e contra o trabalho que vêm travando com tanto sucesso há três meses. Nenhum partido, nenhuma revolução de massas e nenhuma greve geral de “operários e camponeses”, como a esquerda gostava de dizer 50 anos atrás, conseguiu tanto sucesso até hoje para jogar no chão o sistema econômico de um país quanto o vírus que veio da China.

É muito natural, portanto, que as forças do movimento pró-vírus fiquem agitadas com os primeiros sinais de que a epidemia possa estar começando a ceder. Ou melhor: os governos dos estados e municípios, a quem o STF entregou a exclusividade na gestão da crise, começam a admitir que não está dando mais para manter o “distanciamento social” para sempre. Sem a sua ajuda, a paralisação do Brasil até o “Dia do Juízo Final” não tem mais o futuro que parecia ter até agora.

O contra-ataque do consórcio pró-vírus pode ter sucesso maior ou menor — depende da sua capacidade de meter medo nos governadores e prefeitos que estão encarregados de decidir sobre o que funciona, o que funciona mais ou menos e o que continua proibido de funcionar. A munição que parecem mais empenhados em utilizar são “estudos” com números apavorantes sobre mortes e infecções, que estariam em índices altos demais para permitir a abertura que começa a ser tentada. Há também as “projeções”, que prometem para o futuro uma calamidade muito maior que a de agora, caso o abrandamento da quarentena não seja interrompido já.

Médicos, cientistas e pesquisadores, que são apresentados sob o genérico de “especialistas”, multiplicam ameaças sobre o que vai acontecer. A mídia, em geral, apoia com o máximo de ruído possível a ofensiva – desde o início da epidemia, aliás, tem sido a colaboradora mais apaixonada da Frente Nacional Pró-Vírus.

Essa turma tem a seu crédito uma série de feitos realmente notáveis. Conseguiram convencer muita gente boa que ficar “em casa” é um gesto de heroísmo. Transformam fiscais da prefeitura em modelos de virtude. Baniram da discussão sobre a Covid-19 qualquer ponto de vista que não desse apoio cego à ideia do “confinamento total” até a “descoberta da vacina” – ou mesmo depois. Venderam a visão de um mundo onde ninguém precisa mais trabalhar, porque “o governo” tem de cuidar da população – ou, então, onde todos podem trabalhar em casa, pedir comida pelo “delivery” e fazer cursos de ioga pela televisão. Conseguiram, com o dilúvio de declarações dos seus “especialistas”, calar a ciência e impor uma medicina de superstição a milhões de pessoas.

O maior pesadelo para o partido do vírus é um Brasil que volte a funcionar normalmente. Vão fazer tudo o que podem para evitar isso.

COLUNA DO BERNARDO

RODRIGO BUENAVENTURA DE LÉON - LIVRE PENSADOR

COMPREENDENDO AS COISAS

Como todos vocês sabem tenho ficado recolhido de meus escritos, ante toda esta estupidez que reina no mundo em COVID. A imbecilidade humana aflorou com toda a força e, aqueles que se dizem mais: mais humanos, mais caridosos, mais conscientes, mais…enfim, se dizem mais que nós. E, em minha opinião são apenas mais imbecis e mais filhos da puta.

Então cansei de argumentar, cansei até de pensar. Continuo praticando minha resistência diária. Lendo os clássicos, estudando história e comprovando-a cíclica, tal qual nossa estupidez. E, é claro me informando com a Revista Oeste, com a Besta. Aliás O JBF é minha cota diária de informação e besteira, na medida certa. Também prático a resistência urbana, saindo de casa religiosamente e andando para ver gente e tentar achar vestígios de normalidade.

Mas este final de semana a falta de preparo de nossos gestores me irritou profundamente. Pelotas, onde vivo fica na metade sul do RS, fronteira com o Uruguai e próximo a fronteira com a Argentina. Já foi a cidade mais rica do estado. Já foi a segunda maior, hoje é a quarta maior cidade do RS e vai perder mais posições. Em termos de riqueza não fica entre as dez mais ricas. Muitos, aqui comparam a metade sul do RS, em termos de pobreza, com o sertão nordestino. É uma bobagem sem tamanho. Mas, sim a metade sul do RS, parte em que a maior cidade, a “capital” é pobre, muito pobre e empobrece a cada dia. Talvez seja a região mais pobre dos estados do Sul e Sudeste.

Mas por que isto? Por que esta região lotada de Universidades Públicas, de escolas federais e serviços públicos regride a olhos vistos?

Sempre tive noções do porquê, mas hoje pude ter certeza.

O Governador do Estado foi prefeito de Pelotas e sua Vice agora é a prefeita, partido PSDB. A macrorregião de Pelotas está dividida entre PT e PSDB, ou seja, estamos fodidos.

O confinamento, ou prisão, do COVID por aqui começou no modelo Dória, PSDB estúpido, fechando tudo. Depois quando percebeu que a coisa ia degringolar o Governador pulou do barco e começou a abrir o estado. A abertura veio com as bandeiras em 11 de maio, se o período de contágio é de 14 dias e podemos ter 14 dias com a pessoa doente, o pico, se fosse ocasionado pela abertura, deveria ter ocorrido por volta de 11 de junho, não ocorreu.

Então o Governo e a turma do fique em casa (a maioria formada por filhinhos de papai e por servidores públicos com seu salário em dia) começou a alertar que a coisa ia ficar feia, que teríamos problemas pelo inverno e, pasmem, resolveram fechar tudo, mesmo que os índices não sejam tão graves.

O RS tem hoje 1619 pacientes em UTI, com 2300 leitos, destes apenas 474 são COVID. O estado tem disponíveis 3412 respiradores e usa apenas 992, apenas 90 com pacientes COVID. E, pasmem, possui 6179 leitos para COVID fora de UTI, usando menos de 1000 leitos. Claro que é inverno, está frio, muito frio, na madrugada em Pelotas tem feito 2 ou 3 graus. Não há risco de sobrecarga. Por que fechar o Estado? Política ou burrice?

Pelotas foi a última cidade do Brasil, com mais de 200 mil habitantes (temos cerca de 400 mil habitantes) a ter mortos pelo COVID, durante muito tempo foi a única a não registrar mortes. Era óbvio que teria mortes, mesmo com a abertura do comércio tivemos apenas 5 mortes, todas com comorbidades e, hoje temos 31 leitos de UTI para COVID e apenas um ocupado.

Mesmo assim o sistema de cálculo das bandeiras do Governo do Estado, que tem problemas óbvios de concepção e que o Governo do estado não aceita rever, classificou a cidade como de alto risco. Coisa que não existe no estado!

Mais, para piorar temos o Reitor da Universidade Federal, que não é médico, é formado em educação física (sério) que se arvora e se diz epidemiologista (pela pós-graduação) e vive dando entrevistas no Fantástico e defendendo um lockdown total no país. Todo mundo sabe que será candidato, provavelmente pelo PSOL, ou algo parecido. Nas redes sociais rodam fotos dele e de sua assessoria, comemorando, em um restaurante, sem máscaras, comemorando aparecer na Globo. E o isolamento? Só para os outros. O Reitor de meu Instituto Federal não aceita discutir voltar as aulas. Meus colegas na maioria só discursam e não aceitam nem uma alternativa de voltar a trabalhar, nem EAD (não tem capacitação, dizem. Mas quando a EAD, via UAB ofereceu bolsas a maioria trabalhou com EAD). Os alunos não têm acesso a Internet, fizemos uma pesquisa, cerca de 85% tem acesso e querem voltar. Aí o discurso é não podemos excluir ninguém.

Bom neste caos, sexta-feira, como era esperado, o Governador do RS pôs Pelotas e outras regiões na bandeira vermelha. Tínhamos (as prefeituras) até domingo para recorrer. Caxias e as cidades da Serra, parte rica do Estado, com números muito mais “feios” que Pelotas e região, através de seus prefeitos foram para a imprensa. Contestaram o governador, criticaram e ameaçaram ir para a justiça. Resultado o Estado recuou e as cidades seguiram laranja e amarelo.

Pelotas e região resolveram não recorrer. Os prefeitos do PT e PSDB ouviram o povo? Não, ouviram os reitores, presos no paraíso de funcionalismo público que em casa, sem nada fazer recebe o salário e presos nos seus interesses políticos. Não recorreram, amanhã fecha tudo e azar da população, azar do comerciante, azar do comerciário, azar do autônomo. Perdemos tempo, dinheiro e emprego para a ideologia e para a idiotice.

Neste momento eu compreendo por que uma região com tantas oportunidades está decadente. Só por exemplo temos duas Instituições (Universidades e Institutos Federais) em Pelotas e outras duas diferentes em Rio Grande (a 40 Km) e mais uma em Bagé a 100 Km. Pelotas deve ter a segunda maior relação de funcionários públicos per capita do Brasil, só atrás de Brasília. E assim mesmo estamos literalmente lascados.

E o porquê está aí. Temos lideranças políticas e acadêmicas débeis, imbecilizadas, mergulhadas no próprio umbigo e nos próprios interesses, na maior parte das vezes espúrias.

Por isso estamos empobrecendo, por isso a região está quebrada. Perdemos cada vez mais oportunidades entregando nossas vidas a lideranças incompetentes e mal-intencionadas. Um bando de hipócritas e filhos da puta.

Isto foi bom para sacudir-me e me fazer ver o que estava em meus olhos, debaixo deles. Nossa região está periclitante e estas lideranças só fazem piorar.

O óbvio ululante mostra seus partidos majoritários: PT e PSDB, parafraseando o Berto: Bostas do mesmo penico.

Farei das tripas coração para dar-lhes o troco nas urnas. Aguardem!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LINDOMAR – BRASÍLIA-DF

Berto!!!

Grande Berto.

Papa Bertão.

Venho mais uma vez solicitar a sapiência dos Fubânicos .

Que porra é essa !!???

R. Meu caro, isso que você chama de “porra” é o que aqui em Pernambuco a gente chama de “frango”.

Mas existem inúmeros outros sinônimos: baitola, xibungo, viado, efeminado, invertido, maricas, bicha, arrombado, trava-rola, papa-pica, boiola,  pederasta, dador-de-cu, bufa frouxa, e por aí vai.

Ou, como dizia o saudoso Moreira da Silva, “doador do orifício pecaminoso”.

Um buraquinho que também é conhecido por “orifício corrugado”. E também por furico.

Pelas extremidades dos saltos altos desse desmunhecado aí da foto, eu me lembrei de outra extremidade: os extremistas das zisquerdas e dos politicamente corretos que chamam esse tipo de fofurinha de “gay”. Um istranjeirismo bem lindinho.

A bunda torneada tá combinando perfeitamente com as batatas das pernas desse enrabado.

É como eu sempre digo: tudo de esquisito que existe neste mundo, vocês leitores mandam pra cá.

Vôte!!!

ALEXANDRE GARCIA