PENINHA - DICA MUSICAL

DEU NO TWITTER

ANDERSON BRAGA HORTA - SONETO ANTIGO

À MARGEM DO TEMPO

As eras que passaram têm o encanto
de uma atmosfera azul de fantasia,
que aumenta os breves surtos de alegria
e apaga as rugas que fizera o pranto.

Por isso, quando os portos do passado
demandamos, na etérea nau da mente,
sentimo-nos levados, de repente,
a imprevisto e fantástico Eldorado.

O tempo inda por vir também descerra
uma encantada e deslumbrante aurora…
E apenas isto o exílio sobre a Terra

mais suportável torna, e menos duro:
a transfiguração feliz do outrora
e a esperança bendita do futuro.

ALEXANDRE GARCIA

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MILENA FONTENELLE – FORTALEZA-CE

Amigos fubânicos,

A água chegou, graças da Deus!!!

Finalmente a água chegou.

E o povão está nadando no açude.

A petralhada está bufando de raiva.

É preciso arreganhar os olhos desses idiotas!!!!!!

KKKKKKKKKKK

DEU NO JORNAL

UMA CHAPA DA PORRA!!!

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou neste domingo (5), em entrevista à Globo News, que se identifica mais com políticos considerados de ‘centro-direita’.

E citou alguns nomes que podem concorrer com o presidente Jair Bolsonaro em um possível 2° turno das eleições de 2022, como Luciano Huck, Mandetta e João Doria.

Apesar disso, Moro não descartou a possibilidade de concorrer e disse que pretende continuar no debate público.

* * *

Dr. Moro é um cidadão coerente e deu entrevista ao canal certo: a Globo News.

Eu fico ligado neste canal o dia todo, a noite toda, a madrugada toda.

Vocês podem crer.

Acabei de enviar mensagem pro nosso ilustre ex-ministro pedindo, rogando, implorando, que ele concretize a possibilidade contida no último parágrafo desta notícia aí de cima: ser candidato a Presidente da República em 2022.

Que é pra ele derrotar, arrasadora e fragorosamente, o nazi-fascista, o racista, o misógino, o homofóbico e, segundo Ceguinho Teimoso, o tresloucado Bolsonaro.

Informei ao Dr. Moro que ele pode dispor inteiramente do espaço desta gazeta escrota pra fazer sua campanha.

O homem certo na gazeta certa!!!

Dr. Moro fez muito bem ao se afastar de um grupo de ministro composto por gente infiel, medíocre e de baixíssimo preparo como Paulo Guedes, Tereza Cristina, Tarcísio Gomes de Freitas, Damares Alves e Augusto Heleno, dentre vários e vários outros.

E, se Dr. Moro botar como vice em sua chapa alguns dos nomes que ele citou na sua entrevista, grandes e excelentes figuras públicas deste país, como Luciano Huck, Mandetta e João Doria, ele pode ter certeza que contará com meu voto.

Meu dever de cidadão patriota será cumprido com uma alegria enorme!!! 

Doria já está olhando com inveja uma possível chapa Moro-Huck

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LUCAS KALLANGO – RECIFE-PE

Presentaço do amigo/escritor/conterrâneo/fodástico LUIZ BERTO.

Agradeço a Editora BAGAÇO pelo carinho e envio.

Esses livros mudaram minha maneira de ver o mundo…

Estão de volta a minha estante após sucessivos empréstimos mal sucedidos

kkkkkkkk

R. Meu caro amigo e conterrâneo, fiquei ancho que só a porra com esse “fodástico” com que você me designou.

Tô quase acreditando que sou mesmo!!!

Vôte!!!

Quanto ao fato de você dizer que meus livros mudaram a sua “maneira de ver o mundo“, eu desconfio que seja um exagero da porra, seu cabra malassombrado.

Agora, que você já recebeu os livros despachados pela minha editora, não caia na besteira de emprestar pra mais ninguém.

Aproveito a oportunidade pra dar uma de inxirido e fazer camelotagem:

Quem quiser adquirir meus livros pela internet, com tranquilidade e segurança, é só entrar na página da Editora Bagaço, onde está publicada toda a minha modesta obra.

Aliás, nesta foto do Kallango segurando três volumes, estão faltando dois romances: A Guerrilha de Palmares e Memorial do Mundo.

Brigadão meu querido amigo e inspirado artista.

Nessa minha terra de nascença só tem mesmo cabra talentoso assim feito você.

Um grande abraço!!!

PERCIVAL PUGGINA

DESARMAMENTISMO, O RELATIVISMO VESTIDO DE BRANCO

Como entender que pessoas esclarecidas defendam, com argumentos tão pouco sensatos, a vulnerabilidade dos cidadãos de bem? Como entender que, no referendo de 2005, mais de 33 milhões de brasileiros, minoritários na votação, mas ainda assim, num expressivo contingente, tenham votado contra seu próprio direito de defesa? Cidadãos de bem que não querem o direito de defender a própria vida, a vida de sua família e o seu patrimônio? Que confiam essa tarefa essencial a um poder estatal comprovadamente incapaz de executá-la? Custei a descobrir a resposta a essas inquietações. Ela se encontra, exatamente, na ideia um tanto abstrata de “cidadão de bem”! Incontáveis vezes, ao longo dos anos, em centenas de debates, esse tema me foi lançado como carta forte, em forma de pergunta: “O que é, afinal, um cidadão de bem, quem são tais pessoas?”.

Aqueles que no começo do século XXI conceberam o Estatuto do Desarmamento e os que se recusam a votar uma lei que atenda melhor os anseios e necessidades dos cidadãos de bem não sabem responder a essas perguntas e as propõem como quem sugere um enigma!

É claro que não saber o que seja uma pessoa de bem, se a indagação sobre as características de tais seres humanos se dilui no silêncio de nebulosas dúvidas, se a diferença entre um cidadão honrado e um bandido é tão sutil que não pode ser estabelecida, então todos somos suspeitos e perigosos. Não podemos ter acesso a armas. A ideologia que dominou o país durante tanto tempo tornou politicamente incorreto, preconceituoso e elitista pretender estabelecer distinção entre os leitores destas linhas e a bandidagem que os acossa e intranquiliza.

Deu para perceber? Desarmamentismo é o velho relativismo vestido de branco!

Quem o defende não sabe mesmo, olhando no espelho ou ao redor, o que seja um profissional correto, um governante probo, um bom aluno, um comerciante honesto, um atleta leal, um soldado valoroso, um pai de família dedicado, um trabalhador esforçado, um patrão justo. É ruim, não? Pois bem, senhores e senhoras que não sabem o que seja uma “pessoa de bem”: a resposta à vossa pergunta é…

Não, não a darei. Embora congruente com a indagação, o esclarecimento seria descortês.

DEU NO JORNAL

COM A DESTRA

A mídia insistiu na lorota, na escolha do titular do MEC, de que os militares exigem ser “consultados”.

Mal sabem os jornalistas que, no atual governo, militares não dão palpites, nem indicam ministros.

Eles apenas batem continência.

* * *

E, por uma curiosa coincidência, os militares batem continência com a mão direita.

Conforme determinam os manuais de instruções das Forças Armadas.

Nada de esquerda: é com a direita.

Com a direita

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SANCHO PANÇA – SÃO BERNARDO DO CAMPO-SP

¡¡¡Punto e basta!!!

¿Qué nos enseña la historia?

“Êita! Somos um poviléu?”

Lembro de dona Milady (Barev! Vonts es?), uma senhora armênia, que dava umas moedas ao pequeno Sancho por pequenos serviços, lá em Desengano, atual distrito de Barão de Juparanã (Valença-RJ). Dizia ela: “farinha pouca, meu pirão primeiro… ¿Y ahora qué van a decir? Están haciendo todo por plata.” Tudo tão Brasil… Você, caríssimo leitor deve lembrar-se do queixume de alguém não muito fã de Pindorama (assim os indígenas chamavam esta terra), Ilha de Vera Cruz (1550), Terra Nova (1501), Terra dos Papagaios (1501), Terra de Vera Cruz/Terra de Santa Cruz (1503), Terra Santa Cruz do Brasil (1505) e, finalmente, Brasil, desde 1527, que reclamava ao Criador do motivo do Brasil ter maravilhas naturais (matas repletas de vida, mar maravilhoso e rios de águas límpidas, além de possuir grande parte do “Sistema Aquífero Guarani” – 70 por cento ou 840 000 km² da área ocupada pelo aquífero — cerca de 1 200 000 km² — está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil) enquanto outros países possuíam terremotos, furacões, mulheres feias e desertos. Teria respondido o “dono da porra toda: Calma, indignado cidadão, ainda não acabei a obra, você vai ver o povo que vou colocar lá!

Fraude explica? 620 mil pessoas se cadastraram e (pasmem!!!) obtiveram, INDEVIDAMENTE, o auxílio emergencial do governo Bolsonaro dirigido à garantir, temporariamente, a sobrevivência de pessoas econômica e socialmente vulneráveis, ou seja, daqueles brasileiros que realmente necessitam. Outros tantos estão aplicando tudo que é tipo de golpe para enganar a quem faz jus ao benefício, para receber os 600 reais em seu lugar. É só passar um “pente fino” no Brasil, que surge fraude de tudo que é tipo e em tudo que é canto (êita povinho “criativo”!! Não nos esqueçamos os escandalosos casos envolvendo gente de posses recebendo bolsa-família e as fraudes em benefícios do INSS – y otras cositas mas).

Leio, por exemplo GRITA quase geral contra 11 maravilhosas pessoas de roupa asa de graúna, mas (eleitoreiro mas), quem os colocou lá foram os votos dos mesmos que gritam, que elegeram os presidentes e parlamentares que os escolheram (tais indicações de presidentes passam pelo aval do Senado para uso de toga tão poderosa). São bons, são ruins? Sancho os acha maravilhosos. Gosto e desgosto não se discute. Para os que não gostam… Se há um culpado, este é o eleitor (deixo aqui meu abraço aos dois LUISES daquela corte, aos quais muito admiro). Um espertinho, ao chegar a este trecho poderá perguntar-se: resumindo, a culpa é do Criador? Esclarece Sancho: não esqueça, meu caro, que o Divino lhe concedeu livre arbítrio, portanto, assuma suas escolhas, inclusive as que faz diante das urnas.

Todo este pequenino texto é apenas e tão somente para lembrar ao gradioso POVO brasileiro que este ano é ano de eleições municipais (as novas datas são: 1º turno em 15 de novembro e 2º turno em 29 de novembro), ou seja, VOCÊ é responsável pelo destino de sua cidade, de sua família e de sua vida, ao colocar na Câmara Municipal “certos picaretas”, que depois serão alvos da polícia e de sua GRITA (lembre-se: enfurecer-se depois não será nada benéfico para a saúde de seu coração). Pego carona em Grouxo Marx (Sancho é marxista, tendência Grouxo): “Você vai acreditar em mim ou nos seus próprios olhos?” Sim, seus olhos vêem, diariamente os escândalos que a ex-grande mídia nos mostra.

Somos um poviléu? Claro que não! Somos essa brava gente brasileira, lembra-se!? Avivo sua memória: “Eeeeu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amoooooor” ¿Nos hará mejores haber visto el precipicio tan de cerca?