DEU NO TWITTER

A DITADURA ESCANCARADA PARA O MUNDO TODO

DEU NO JORNAL

Ô POVO BESTA !

O presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou em Bagé, na Região da Fronteira do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira (31), para participar do lançamento de um condomínio popular construído com recursos federais.

O presidente desembarcou em Porto Alegre, em um avião presidencial, e pegou outra aeronave para se deslocar até a cidade.

Este vídeo mostra Bolsonaro sendo recebido pela população de Bagé:

* * *

Não é só no interior do nordeste que existe um monte de gente sem visão e sem raciocínio que aplaude um presidente reacionário, homofóbico, nazista, machista e, segundo já foi dito aqui no JBF, totalmente despreparado.

Lá no interior do Rio Grande do Sul também tem gente desmiolada.

Ontem, quinta-feira, foi em São Raimundo Nonato, no Piauí.

Hoje, sexta-feira, foi em Bagé, no Rio Grande do Sul.

Povinho abilolado que só a porra.

Te dana!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROMILDO – JOÃO PESSOA-PB

Prezado Berto,

Olha só a primeira noticia que vi ao acessar ao Yahoo para ver os meus E-Mails:

Lula acredita que Bolsonaro fingiu ter coronavírus para promover a cloroquina.

R. Quem tiver paciência e quiser se divertir (ou ficar puto), clique aqui para ler na íntegra a notícia enviado pelo nosso estimado leitor paraibano Romildo.

O ex-presidiário Lula, por enquanto condenado apenas por corrupção e lavagem de dinheiro, continua incansável no seu cagatório oral, graças ao fato de ainda existir aluados que se dão ao trabalho de ler e escutar seus fedidos excrementos.

Eu mesmo conheço dois desmiolados que adoram o extinto Lula: minha vizinha e o fubânico Ceguinho Teimoso.

Minha vizinha, além de sofrer das vistas e do juízo, também é feia que só o Cão.

Vôte!

JESSIER QUIRINO - DE CUMPADE PRA CUMPADE

PERCIVAL PUGGINA

ENFIM, A CONFISSÃO

“Todo órgão de imprensa tem censura interna. Em que sentido? O seu acionista ou o seu editor, se ele verifica ali uma matéria que ele acha que não deve ir ao ar porque ela não é correta, ela não está devidamente checada, ele diz: ‘Não vai ao ar’. Aí o jornalista dele diz: ‘Mas eu tenho a liberdade de expressão de colocar isso ao ar?’. Entendeu? Não é à toa que todas as empresas de comunicação têm códigos de ética, códigos de conduta, de compromisso. Nós, enquanto Judiciário, enquanto Suprema Corte, somos editores de um país inteiro, de uma nação inteira, de um povo inteiro”. (Ministro Dias Toffoli, em vídeo conferência promovida pelo site Poder 360 e pelo Observatório de Liberdade de Imprensa do Conselho Federal da OAB

Nos três dias que se seguiram a essa mal costurada fala do ministro, procurei no Google matérias a respeito que tivessem sido publicadas em grandes meios de comunicação. Praticamente nada! O presidente da Suprema Corte de um país que se declara Estado democrático de direito, afirma serem, cada um e todos os seus 11 ministros, “editores de um povo inteiro”, e o dito passa batido? Nenhum nos grandes jornais exclamou um “Epa!” sequer?

Chamou-me a atenção matéria do site Conexão Política, com o título “Toffoli diz que STF atua como editor da sociedade e recebe críticas da Internet”. Sim, é fato. Essencialmente na Internet, nas redes sociais tão antagonizadas pelos veículos da mídia militante, verdadeira multidão de brasileiros registrou seu estupor perante a presunção do ministro ao formular tal disparate em presença de tantas testemunhas.

Não fiquei surpreso. Reiteradas vezes tenho expressado, ao conhecer certas decisões de nosso Supremo e ao presenciar certos votos de alguns senhores ministros, minha percepção de que pretendem ser, ou agem como se fossem, reitores da sociedade, pedagogos da nação. Essa tendência se revela exatamente nos momentos em que as percepções, as concepções e as visões de mundo dos membros do pretório excelso transbordam além das gélidas linhas dos votos lidos. Houve quem julgasse exagerada minha observação. Agora não resta dúvida: o ministro presidente faz uso de outra palavra para definir a mesma ousada tarefa. Para ele, os membros da Corte não são reitores nem pedagogos da sociedade. São editores. E o são com agrado geral da Corte porque não apareceu um só para dizer diferente.

A orientação “editorial” do STF está em consonância ou fornece regência à linha dos grandes veículos da mídia militante e a ela não escandalizou. Sabe por quê? Porque esta só receia o fantasma da censura da direita; censura da esquerda, real e evidente, é feita dentro de casa mesmo, ora essa. Daí o silêncio ante a analogia formulada pelo ministro. Note-se que para não deixar dúvida sobre o sentido dessa simetria, o ministro falou que tais jornalistas editores, cada um no seu quadrado, atuam como censores do trabalho dos colegas.

O “inquérito do fim do mundo”, dito inquérito das fake news, o eterno compadrio com o Senado Federal, a fala do ministro e a indulgência plenária concedida pela mídia militante são sinais de uma rejeição ao resultado das urnas de 2018. Ele afetou o juízo de muita gente.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ALTAMIR PINHEIRO – GARANHUNS-PE

PALMARES, TERRA DOS POETAS, FAZ PARTE DO BERÇO CULTURAL DE PERNAMBUCO

Eu, Altamir Pinheiro, como cinéfilo da cidade de Garanhuns-PE, parabenizo a todos que se envolveram no projeto de recuperação do centenário CINE TEATRO APOLO, que se encontrava abandonado há mais de uma década e sem exibição de filmes.

Através do apoio da prefeitura dos Palmares que reformou, revitalizou, restaurou e reinaugurou esse Patrimônio Cultural de Pernambuco com a insuperável magia do cinema.

Além da brilhante ideia da restauração do cinema, a Fundação Casa da Cultura Hermílio Borba Filho criou o belo projeto CINEMA PARA TODOS que trouxe dezenas, centenas e milhares de crianças das escolas públicas da Zona da Mata Sul do Estado para se emocionarem na telona com direito a algodão doce, pipoca e refrigerante.

Fundado em 6 de dezembro de 1914, o CINE TEATRO APOLO, localizado em Palmares, na Mata Sul do Estado, é o teatro mais antigo do interior e um dos primeiros a ser inaugurado no começo do Século XX em todo interior do Nordeste, de acordo com a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe).

Com o passar do tempo, o Cine Teatro Apolo também mudou de gestão, passou por reformas e, na década de 1980, quase chegou a ser vendido para se tornar supermercado. Mas o então prefeito da época, Luiz Portela, comprou o imóvel e o transformou em Casa da Cultura municipal.

Em 31 de janeiro de 1994, o lugar foi tombado como Patrimônio Histórico de Pernambuco.

Quem não conhece vale a pena visitá-lo, pois trata-se de um excelente espaço, destacando-se esplendorosamente sua arquitetura e designe que são deslumbrantes. Para quem mora em Pernambuco, VALE A PENA CONFERIR a terra do magnífico poeta Ascenso Ferreira que morreu em 1965 aos 70 anos de idade.

Aproveitando a deixa, também vale a pena conhecer de perto a cidade que pariu para o mundo o escritor Luiz Berto Filho que se modernizou e hoje é um blogueiro atuante ao administrar o Jornal da Besta Fubana que espalha cultura pros quatro cantos do mundo!!!

R. Meu caro colunista fubânico, gratíssimo pela generosa apreciação que você fez sobre o JBF aí no último parágrafo.

Quanto ao fato de dizer que eu me “modernizei”, quero informar que apenas mudei, há mais de duas décadas, do teclado de uma máquina elétrica para o teclado de um computador.

Continuo produzindo minha ficção paralelamente ao intenso trabalho que me dá editar esta gazeta escrota.

Um novo romance está em andamento, quase chegando ao final.

Gratíssimo pelo destaque que você deu ao meu querido Cine Teatro Apolo, um recanto mágico da minha infância e adolescência.

Um espaço encantado que me proporcionou mergulhar no fantástico mundo do cinema.

Onde vivi intensamente e fui muito feliz com meus amigos

E também onde ensaiei os primeiros namoros com as meninas desta minha cidade cheia de magia.

Agradeço esta sua mensagem em nome de todos os palmarenses, sobretudo em nome do meu querido amigo Aécio, atual diretor da Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, o órgão que administra o centenário Cine Teatro Apolo.

PEDRO MALTA - REPENTES, MOTES E GLOSAS

UM GRANDE MOTE E UM CLÁSSICO DE LEANDRO GOMES DE BARROS

Davi Calisto Neto glosando o mote

Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

Se o final é normal pra que correr
E se morrer é ruim mais é comum
Se o caixão vai levar de um em um
Se o dinheiro não pode socorrer…
Eu só quero o bastante para comer
Para viver para vestir e pra calçar
Mesmo sendo pouquim se não faltar
Eu só quero esse tanto todo dia
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

Todo homem podendo tem que ter
Moradia, saúde e alimento
Um pouquinho também de investimento
Que um dia ele pode adoecer
Necessita também de algum lazer
Para o corpo cansado descansar
Mas tem gente que pensa em enricar
Não descansa de noite nem de dia
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

Pra que tanta ganância por poder
Exibir a fortuna adquirida
Se o que a gente ganhar durante a vida
É preciso deixar quando morrer
Se na cova não tem como caber
E no caixão ninguém tem como levar
Lá no céu não tem banco para guardar
O que o morto juntou quando vivia
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

Sei que a vida da gente se encerra
E muita gente se esquece com certeza
E é por isso pensando na riqueza
Que alguns loucos estão fazendo guerra
O pior é que brigam pela terra
Para depois nela mesma se enterrar
Toda essa riqueza vai ficar
E só o corpo é que vai para a terra fria
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

Pra que tanta ganância e ambição
Se essa vida é bastante passageira
Tudo finda num monte de poeira
Na mortalha, na cova e no caixão
Ninguém pode pedir prorrogação
Quando o jogo da vida terminar
A não ser uma vela pra queimar
O destino é partir de mãos vazia
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

A ganância infeliz desenfreada
Deixa o mundo sem paz e sem sossego
Pois tem gente com mais de um emprego
E muita gente morrendo sem ter nada
Mas a vida da gente é emprestada
E qualquer dia o seu dono vem buscar
Qualquer vida que a morte carregar
Ninguém pode tirar segunda via
Pra que tanta ganância e correria
Se ninguém veio aqui para ficar?

* * *

UMA VIAGEM AO CÉU – Leandro Gomes de Barros

Uma vez eu era pobre
vivia sempre atrasado
botei um negócio bom
porém vendi-o fiado
um dia até emprestei
o livro do apurado.

Dei a balança de esmola
e fiz lenha do balcão
desmanchei as prateleiras
fiz delas um marquezão
porém roubaram-me a cama
fiquei dormindo no chão.

Estava pensando na vida
como havia de passar
não tinha mais um vintém
nem jeito pra trabalhar
o marinheiro da venda
não queria mais fiar.

Pus a mão sobre a cabeça
fiquei pensando na vida
quando do lado do céu
chegou uma alma perdida
perguntou era o senhor
que aí vendia bebida?

Eu disse que era eu mesmo
e a venda estava quebrada
mas se queria um pouquinho
ainda tinha guardada
obra de uns 2 garrafões
de aguardente imaculada.

Me disse a alma: eu aceito
e lhe agradeço eternamente
porque moro no céu, mas lá
inda não entra aguardente
São Pedro inda plantou cana
porém perdeu a semente.

Bebeu obra de 3 contas
ficou muito satisfeita
disse: aguardente correta
imaculada direita
isso é o que chamo bebida
essa aqui ninguém enjeita.

Perguntei-lhe alma quem és?
disse ela: tua amiga
vim te dizer que te mude
aqui não dá nem intriga
quer ir para o céu comigo?
lá é que se bota barriga.

Continue lendo

CLAUDIO LESSA COM A PALAVRA

A PALAVRA DO EDITOR

JÁ VOTOU?

O Instituto Data Besta está com mais uma pesquisa nos ares.

Não custa nada ressaltar que, ao contrário do Data Folha, nossas pesquisas são honestas e confiáveis, sem qualquer possibilidade de manipulação.

Os fiscais Chupicleide e Polodoro estão sempre atentos.

Se ainda não votou, vá aí do lado direito e deposite seu voto na urna fubânica.

Escolha o seu presidente.

Uma excelente sexta-feira para todos os nossos queridos leitores!!!

Polodoro está às ordens de Chupicleide para enfiar a pajaraca no furico de quem tentar fraudar a nossa pesquisa

J.R.GUZZO

O QUE REALMENTE IMPORTA SABER SOBRE A VIAGEM DE BOLSONARO AO NORDESTE

O público brasileiro, pelo noticiário que lhe foi servido nos meios de comunicação, ficou sabendo que o presidente Jair Bolsonaro foi ao interior do Piauí e da Bahia, na primeira viagem que fez após ter se recuperado da Covid, onde realizou uma série de atividades – ou, mais exatamente, foi acusado de praticar os seguintes atos:

1 – Causou aglomeração de gente com a sua presença em praça pública, onde compareceu para inaugurar novos serviços de fornecimento de água – que ficam, justamente, em praça pública e, em consequência disso, não podiam ser inaugurados num espaço fechado.
 
2 – Retirou a máscara na hora de falar ao público de cima de um palanque, presumivelmente para que as pessoas pudessem entender o que estava dizendo.
 
3 – Montou num cavalo e acenou para os “apoiadores”, como se diz hoje, que estavam presentes. Neste caso, não houve nenhuma denúncia específica, contra ele ou contra o cavalo, de que um dos dois estivesse ameaçando a saúde pública; o gesto foi apenas incluído no pacote geral.

Tudo isso pode ser interessante, mas nada foi publicado sobre a questão que realmente vem ao caso: como está neste momento a cotação política de Bolsonaro no Nordeste, onde os institutos de pesquisa acham que fica o seu ponto eleitoralmente mais fraco – e, ao contrário, o ponto mais forte do ex-presidente Lula e da “oposição”? Na verdade, pode ser a questão mais relevante no momento no território eleitoral.

Bolsonaro tem ido repetidamente ao Nordeste e, pelas imagens disponíveis, vem sendo recebido por muita gente e com aplausos. Os R$ 600 do auxílio de emergência em função da Covid, como indicam as realidades da vida política na região, podem estar tendo um efeito pró-governo; estão tendo mesmo? E se estiverem, qual é a sua potência? Equivalente à que o Bolsa Família teve para Lula? Mais, por que se trata de muito mais dinheiro? Menos?

Outra coisa: as visitas constantes da ministra Damares Alves ao Nordeste, onde ela cumpre regularmente o circuito evangélico-gente-pobre-mães de família, está influindo na posição eleitoral do presidente? Quem está mais presente na região: Bolsonaro e o governo ou o consórcio Fernando Haddad-Luciano Huck-Arminio Fraga-Sergio Moro-Rodrigo Maia-PT-empreiteiros de obras públicas-banqueiros progressistas-sociólogos-artistas de novela-etc. que forma hoje a oposição no Brasil? Não estaria na hora de aparecerem alguns números a respeito disso tudo? Não dá para saber.

Em compensação, o brasileiro será abastecido com o máximo de informação sobre as aglomerações que Bolsonaro está provocando no Nordeste.