A PALAVRA DO EDITOR

O NOSSO GENERAL

O fubânico Pedro Malta é responsável por duas colunas aqui nesta gazeta escrota.

Apaixonado pela cultura popular nordestina, ele cuida da coluna “Repentes, Motes e Glosas”, que é publicada às sextas-feiras.

Além disso, Malta é também o responsável pela coluna “A Hora da Poesia”, postada diariamente e que nos brinda com o que existe de melhor na poesia brasileira.

Sertanejo de Pernambuco, Malta nasceu em São José do Egito, berço de muitos poetas e conhecida como A Capital da Poesia.

Malta mora no Rio de Janeiro e, sempre que volta à sua terra natal, ele vem aqui em casa pra conversarmos e matarmos as saudades.

Pois este nosso estimado colaborador fez seus estudos superiores na AMAN, a tradicional e histórica Academia Militar das Agulhas Negras, onde foi declarado Aspirante no ano de 1963, quando deu início à sua carreira militar.

Pedro Malta atingiu o ápice de sua carreira e foi pra reserva no posto de General.

Sua última comissão foi o Comando da 8ª Região Militar, em Belém do Pará, que depois foi transformado em Comando Militar do Norte.

Essa conversa todinha aí de cima foi só pra dizer uma coisa:

Semana passada Malta me mandou um vídeo com o irônico titulo de Os “absurdos” da Academia Militar das Agulhas Negras.

A Academia da qual ele foi aluno e que até hoje forma os oficiais do nosso Exército.

O vídeo é este que está a seguir. 

E pra fechar a postagem, uma sugestão aos nossos leitores:

Comparem este vídeo que o Malta nos mandou sobre os “absurdos” da AMAN com outro vídeo que está logo aí embaixo, na seção de cartas.

Um vídeo que nos foi enviado pelo leitor Luiz Carlos e que também contém imagens de uma instituição pública de ensino superior, a Universidade Federal Fluminense em Niteroi-RJ.

É de lascar!!!!

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LUIZ CARLOS – RIO DE JANEIRO-RJ

Caro Editor Luiz Berto.

Segue vídeo do Sr. Gabriel Monteiro. Realizado nas dependências da Universidade Federal Fluminense em Niteroi-RJ.

Imagens chocantes e inimagináveis em se tratando de uma Universidade Pública.

Onde o mínimo que os cidadãos pagadores de impostos esperam é que ali os espaços sejam ocupados para o ensino, o aprendizado e a convivência sadia e respeitosa entre alunos e professores, no mais alto grau de civilidade e intelectualidade.

Nunca num ambiente deplorável e de degradação humana.

Precisamos que as Autoridades Competentes tenham conhecimento e tomem as medidas necessárias e urgentes dentro do que a Lei determina.

DEU NO JORNAL

GOLPEAÇÕES

O vice Hamilton Mourão, reafirmou nesta segunda (15) os compromissos das Forças Armadas com a democracia:

“1964 fazem 56 anos. É página virada da História”, disse.

Ele citou o próprio presidente, que disse que os militares não participam de aventura.

Mourão afirmou ainda durante entrevista à Rádio Bandeirantes que qualquer tipo de autogolpe “não é, e nem nunca será” a visão de Bolsonaro.

E que o presidente sabe que as Forças Armadas não o acompanhariam numa aventura dessa natureza.

* * *

Achei curiosa a palavra “autogolpe” que foi utilizada nessa nota aí de cima.

Já anotei aqui no meu caderninho.

Enquanto isso, os zisquerdistas banânicos estão planejando dar um golpe em 57.797.847 de eleitores brasileiros que votaram no atual presidente.

Aqui mesmo no JBF o nosso hilário e folclórico militante haddadista Ceguinho Teimoso já começou até uma contagem regressiva.

Uma contagem pra chegada do dia da queda daquele que foi eleito em outubro de 2018 pela maioria dos votantes.

Querem golpeá-lo com cacetadas supremosas e parlamenteiras.

E botá-lo pra fora do cercadinho do Palácio da Alvorada, onde ele dá audiências diárias e deixa muita gente com vontade de enfiar o dedo no furico e sair rasgando até chegar ao umbigo.

Que se dane a maioria. Democracia é coisa de trouxa.

Ontem mesmo Ceguinho escreveu que o presidente “é a bola da vez, já na marca do pênalti“.

Ceguinho deve saber de coisas que nós outros apenas desconfiamos…

PENINHA - DICA MUSICAL