CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ALTAMIR PINHEIRO – GARANHUNS – PE

SÉRGIO MORO LAVA A ALMA DOS SEDENTOS DE JUSTIÇA… QUEM SE ATREVE A DUVIDAR?!?!?!

Independente da inveja, da ciumeira mesquinha e tacanha, do disse me disse de fuxiqueiros desclassificados e do que der e vier para com esse fenomenal homem probo e justo, acredita-se que: se a eleição para presidente da República fosse hoje, o bem avaliado Sérgio Moro alcançaria uma margem de cerca de 60% de todo eleitorado brasileiro do bem. De um modo geral, o eleitor desprezou o petismo nojento, mentiroso e desonesto e não suporta mais a maluquice e papagaiada, além das palhaçadas desse bolsonarismo desvairado. A opção do eleitorado que tem os pés no chão, incondicionalmente, é pelo MORALISMO, e esse belo e benfazejo atributo Sérgio Moro tem de sobra para oferecer ao brasileiro do bem que clama por justiça e que não é gado e nem mesmo faz parte de manada apenas para mugir por políticos quadrúpedes que possuem os pés muito bem postados no chão e as mãos também…

O honrado ex- Juiz Sérgio Moro já se consolidou como a preferência nacional dos cidadãos do bem. Daqui vai um puxão de orelhas para os babacas da extrema esquerda e extrema direita representadas por aqueles que têm o seu bandido de estimação e os outros que são adeptos do Bunda Suja Boca Porca Bolsonaro: é humanamente impossível querer desconstruir a imagem do nosso lorde ou conde palatino da justiça, haja vista a formação da personalidade do Dr. Sérgio Moro vem do berço, com foco na doutrina cristã. Humildade, humanidade, princípios éticos e morais. O conhecimento jurídico veio das instituições (escola, faculdade) e, com certeza, de um grande esforço pessoal de aprimoramento. As pessoas no Brasil ainda não entenderam que atacar Moro como também à Lava jato é ir contra os brasileiros indignados. A lava jato que tem Sérgio Moro como o seu protagonista maior é conquista dos brasileiros cansados da impunidade e da corrupção. Moro é a encarnação do espírito de Justiça que não existia no Brasil, até a Lava jato lavar a alma do Brasileiro. MORO LAVA NOSSA ALMA… QUEM DUVIDA?!?!?!

Por ser uma pessoa digna e decente que tem um modo de proceder exemplar e no campo moral ser nota MIL, em 2022, ele tem tudo para ser presidente com uma votação estrondosa que deve extrapolar a casa dos 100 milhões de eleitores altamente conscientes e possuidores de uma só vertente: optarem pelo MORALISMO DO MORO. Além de, cada um, abandonar de uma vez por toda o esquerdismo imundo do PT et caterva, como também a bagaceira militarista da extrema direita comandada pelo Bunda Suja Bolsonaro que carrega no lombo, três filhos biológicos marginais de alta periculosidade e, recentemente, adotou outro ao batizá-lo e ter registrado em cartório com o pomposo nome de CENTRÃO. Pode até se dizer que hoje, o carrancudo, porém digno Sérgio Moro, sem o menor farelo de dúvida e sequer sem pestanejar, seria o nosso implacável e soberano salvador da pátria e da lavoura também… Até porque ou até agora, nada do que disse o ex-ministro moro foi desmentido, muito pelo contrário… Pense nisso!!!

COLUNA DO BERNARDO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LUIZ CARLOS – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto.

Bom dia, caríssimo amigo.

Você já viu esse vídeo?

Não sei se você vai concordar. Mas achei essa menina arretada, porreta.

Ela é mineira de Juiz de Fora. Já tinha feito alguns vídeos. Porém com poucas visualizações.

Ela fez Mestrado em comunicação lá UFJF, onde fez esse vídeo por causa da placa lacradora.

Uma tremenda de uma profissional.

Acho que ela vai longe. Hein.

CHARGE DO SPONHOLZ

PEDRO MALTA - REPENTES, MOTES E GLOSAS

O TEMA É JUMENTO

LUIZ GONZAGA – APOLOGIA AO JUMENTO

* * *

POETA JOSÉ BATISTA – O JUMENTO ENVERGONHADO

* * *

DISCUSSÃO DE UM JUMENTO COM UMA MOTO – Edson Francisco

Nas quebradas do sertão
Já vi tudo acontecer
Vi homem virar mulher
Gente morta envivecer
Já vi alma frente a frente
Vi matuto presidente
Cabra valente morrer

Quero contar pra você
Um raro acontecimento:
Eu vi uma motocicleta
Discutir com um jumento
Você pode duvidar
Mas queira me escutar
Pra ver se tem cabimento

Vinha naquele momento
A caminho da cidade
Em cima de minha moto
A toda velocidade
Quando, me sentindo mal,
Parei em um matagal
Pra fazer necessidade

Realizada a vontade
Eu ouvi um burburinho
Eram vozes na estrada
Bem no meio do caminho
Pensando que era ladrão
Me deitei ali no chão
E fui ouvindo tudinho:

“Você é um coitadinho”
Ouvi a moto falar.
“Já está ultrapassado
Coloque-se em seu lugar
É bicho sem importância
Símbolo da ignorância
Não serve mais pra montar”.

“Não queira me humilhar”
– Lhe respondeu o jumento –
“Se você é novidade
A atração do momento
Eu também já fiz sucesso
Já carreguei o progresso
E qual foi meu pagamento?

Jogado no esquecimento
Na maior ingratidão
Abandonado de tudo
Nas estradas do sertão
Só me restam as lembranças
De um tempo de bonança
Sem tristeza e humilhação”

“Já cheguei à conclusão
Que seu tempo é o passado
Fase sem tecnologia
Período muito atrasado
Meu sucesso hoje é tanto
Que estou em todo canto
É moto pra todo lado

Continue lendo

J.R.GUZZO

A ÚNICA SOLUÇÃO PARA A SECRETARIA DE CULTURA É SUA EXTINÇÃO

A exoneração de Regina Duarte da Secretaria da Cultura levou quase 20 dias para ser publicada em Diário Oficial

Consumou-se, enfim, a demissão da atriz Regina Duarte do cargo que ocupava como ministra da Cultura, ou “secretária”, como se diz para disfarçar a existência de um Ministério que tem toda despesa e toda a malignidade de um Ministério, mas que oficialmente não existe. Regina não exerce as suas funções desde o último dia 20, mas só foi exonerada agora, vinte dias depois – o que serve para dar uma ideia da importância e do respeito que o cargo merece.

Se não fosse pelo fato de que é o cidadão brasileira quem paga essa conta, seria o caso e dizer para a atriz e para o presidente Jair Bolsonaro, que a nomeou: “Bem feito”. É só mesmo num final melancólico como esse que poderia acabar mais uma tentativa de “resolver” o problema do “Ministério da Cultura”.

A única solução possível para a Secretaria da Cultura, uma aberração inventada pelo ex-presidente José Sarney e subordinada hoje – acredite se quiser – ao Ministério do Turismo, é a sua extinção. Quer dizer: extinção mesmo, e não essa palhaçada de extinguir no papel e deixar viva na vida real, com outro nome.

Bolsonaro disse que ia fazer isso. Não fez. Como em outras tentativas, alegou que “não é possível”. O resultado, entre outros desastres, é que já teve quatro secretários de Cultura diferentes em um ano e meio de governo; está indo, agora, para o quinto nome. Como alguém pode levar a sério um negócio desses?

A ideia de querer “governar” a cultura de um país ou melhorar o seu nível cultural através de atos administrativos não apenas é uma estupidez – é uma safadeza. Só serve, na prática, para encher a folha de pagamento do governo com empregos inúteis e distribuir dinheiro público para artistas amigos.

O verdadeiro patrimônio cultural da União, composto por museus, bibliotecas, teatros, monumentos históricos e assim por diante, jamais se beneficiou em nada com esse Ministério – continuou abandonado e sem recursos como sempre. Bolsonaro pode nomear mais quatro secretários para a “cultura”, ou quarenta. Não vai mudar nada.

DEU NO JORNAL

É DE FAZER SUAR

O jurista e professor Walter Maierovitch disse que “perde o sono” com o fato de que os ministros do Supremo Tribunal Federal, as 11 vítimas do inquérito das fake news, investigam e julgarão os acusados.

* * *

Eu já perco o sono há muito tempo com esse time de 11 jogadores, de goleiro a ponta-esquerda (êpa!).

Às vezes acordo de madrugada com um pesadelo:

Ao invés de 11, são 13 capas pretas.

Treze, o número do Perda Total.

Putz!!!!

Chega se engasgo-se-me todinho.

E quando eu me lembro quem é o gerente do estabelecimento, aí fico suando em bicas.

Cruz credo!!!

DEU NO JORNAL

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

DEU NO TWITTER