DEU NO TWITTER

AUGUSTO NUNES

AMANTE CRIATIVA

Gleisi culpa Bolsonaro pelo motim dos PMs cearenses, pelo surto de Cid Gomes e por todos os problemas do Estado governado pelo PT

“Bolsonaro tem que se explicar direitinho e se portar como um presidente da República. Está nas mãos dele o que vai acontecer no Ceará. A forma como ele vai se comportar, como seus filhos vão se comportar e como ele vai falar daqui para a frente sobre o motim”.

Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente do PT, conhecida pelo codinome Amante no Departamento de Propinas da Odebrecht, que culpa Bolsonaro pelo desemprego produzido pelos governos Lula-Dilma, pela fome na África e pela crise do Oriente Médio, agora responsabilizando o presidente brasileiro pelos surtos de Cid Gomes e por todos os problemas do Estado governado pelo petista Camilo Santana.

DEU NO TWITTER

DEU NO JORNAL

RETROESCAVADEIRA PARA QUEM PRECISA

Guilherme Fiuza

– Tu viu o maluco da retroescavadeira?

– Sensacional.

– Como, sensacional? O cara é um assassino!

– Não vejo dessa forma.

– Que forma, dodói? Não tem forma nenhuma. O cara jogou em cima de pessoas uma máquina capaz de derrubar um prédio. É assassino. Ponto.

– Depende.

– Depende do quê?

– Do contexto.

– Que contexto?

– Ué, tu sabe o que levou o cara a fazer aquilo?

– Sei. Quis passar por cima de um motim de policiais em greve.

– Mais ou menos.

– Tá. Policiais em greve ilegal.

– É. Mas não tô falando disso, não.

– Tá falando de quê?

– Do Mal.

– Ah, maldade por maldade…

– Não tô falando de qualquer maldade. Tô falando do Mal. Do Mal Absoluto.

– Existe isso?

– Não só existe como aproveitou uma brecha e encarnou aqui no Brasil.

– Tem certeza?

– Infelizmente tenho. Aí você raciocina: e se aquele homem dirigindo a retroescavadeira no Ceará estivesse combatendo o Mal Absoluto? Você ainda o chamaria de assassino?

– Você tá me confundindo.

– Não tem confusão nenhuma. Tá tudo muito claro.

– Como você sabe que o Mal Absoluto tava diante daquela retroescavadeira?

– Amigo, desculpe: você não vê televisão? Não lê jornal?

– Claro que sim.

– Então? Não notou que tá tudo interligado?

– Tudo o quê?

– Tudo. Óleo na praia, Amazônia acabando, democracia em chamas, aquecimento global…

– Espera aí, acho que a ligação tá ruim: você falou aquecimento global?

– Exato. Você ouviu muito bem.

– Mas isso também tem a ver com…

– Claro! Não te falei que é o Mal Absoluto?

– Falou.

– Então? Absoluto quer dizer tudo. Geral. Enfim, a porra toda.

– Ah, tá.

– E se você não perceber que os milicianos do clima estão conectados com os milicianos do Ceará, você nunca vai entender a ação libertadora daquela retroescavadeira.

– Caramba, agora entendi tudo.

– Putz… Até que enfim.

– Então aquilo não era uma retroescavadeira pilotada por um assassino avançando para esmagar seres humanos. Era um ato de resistência democrática contra o fascismo!

– Exatamente! E contra o bolsonarismo.

– Isso. Dá no mesmo, né?

– Ufa, até que enfim a sua ficha caiu.

– Aaaaaiiiiiiii!!!!!!!! Socorro!!!

– O que houve?!

– Caiu uma mosca na minha sopa!

– Que susto… Achei que você estivesse enfartando.

– Que ódio! Segunda vez que isso me acontece em menos de um ano. Nunca tinha acontecido antes.

– O quê?! Desde que o Bolsonaro assumiu já caíram duas moscas na sua sopa?!

– Meu Deus! Não tinha me tocado disso. Obrigado, mas vou ter que desligar. Preciso avisar à imprensa.

– Boa sorte, amigo. Aconteça o que acontecer, não recue. O Bem está do nosso lado.

– Tá. Se for preciso, onde eu arranjo uma retroescavadeira?”

A PALAVRA DO EDITOR

O BLOCO DA BESTA FUBANA

Na foto acima, feita no carnaval de 2004 (já lá se vão 16 anos…), este Editor aparece devidamente paramentado de Pai Babachola, em frente ao Bar Largura, no aprazível e animado bairro da Casa Forte.

Era do Bar Largura, comandando pelo folclórico Wilson, que saía o Bloco da Besta Fubana pra animar a folia neste encantado recanto daqui da Zona Norte do Recife.

Incorporado na pele de Pai Babachola, cansei de tirar o Cão, o Cramulhão, o Capeta que baixava no couro de foliãs fogosas e com exuberantes pés-de-rabo.

Chega fazia fila pra receber meus santos passes!

Saudades, saudades, suspiros, suspiros…

O folclórico Wilson, proprietário do Bar Largura, aparece na foto abaixo ao lado deste Editor, que comandava a zorra no meio da rua.

Na outra foto, o estandarte do Bloco da Besta Fubana puxando os foliões na Praça da Casa Forte.

Hoje em dia, cumprindo rigorosa abstinência compulsória, determinada pelo meu cardiologista, sempre que passo em frente ao Bar Largura lanço um olhar saudoso pros cachacistas que ficam conversando e bebericando em frente ao pequeno balcão que dá pra calçada do estabelecimento.

O nome “largura” é uma ironia com a estreiteza do apertadíssimo local.

A Besta Fubana no estandarte do bloco, tal e qual ela é descrita no meu romance: metade macha, metade fêmea, com asas, com duas carreiras de peito e uma bimba bem grossa pra enfiar no furico de cabras safados

Pra matar as saudades, aqui vai uma música, do gênero Frevo de Bloco, que se intitula exatamente Saudade

Uma composição tocante da autoria de Aldemar Paiva.

Prestem atenção na letra deste lindo poema.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO PRINCIPALMENTE DO CARNAVAL – Carlos Pena Filho

Do fogo à cinza fui por três escadas
e chegando aos limites dos desertos,
entre furnas e leões marquei incertos
encontros com mulheres mascaradas.

De pirata da Espanha disfarçado
adormeci panteras e medusas.
Mas, quando me lembrei das andaluzas,
pulei do azul, sentei-me no encarnado.

Respirei as ciganas inconstantes
e as profundas ausências do passado,
porém, retido fui pelos infantes

que me trouxeram vidros do estrangeiro
e me deixaram só, dependurado
nos cabelos azuis de fevereiro.

DEU NO JORNAL

A ESTROVENGA DE POLODORO TÁ NO PONTO

Jornalões desistiram de fake news sobre o “iminente rompimento” do ministro Sérgio Moro (Justiça) com seu chefe presidente.

Agora a aposta é no “desgaste” de Paulo Guedes (Economia) no Planalto.

* * *

O nosso estimado jumento Polodoro, mascote desta gazeta escrota, está ansioso pra cruzar com os jornalisteiros da grande mídia extremista banânica.

Polodoro já está até treinando no furico da égua Carminha.

Com os tabacudos das redações dos grandes jornais, Polodoro já avisou que vai ser sem cuspe e sem vaselina.

Polodoro treinando no furico de Carminha pra enrabar os babacas das redações dos jornalões extremistas de Banânia

CHARGE DO SPONHOLZ

A PALAVRA DO EDITOR

ESTE EDITOR NO TWITTER

Me expulsaram de lá no mês passado e conseguiram me calar por uns dias.

Mas voltei desde ontem.

Quem consegue aturar minhas besteiras por aqui, vai conseguir aturar por lá também.

Pra quem quiser me seguir no Twitter, a pista está aí embaixo.

@LuizFil12992800

Antecipadamente agradeço a caridade daqueles que irão lá ser meus seguidores.

Fecho esta postagem com uma excelente composição do gênero Frevo de Rua, de autoria do maestro pernambucano Levino Ferreira.

Um excelente domingo carnavalesco pra toda a comunidade fubânica!!!

DEU NO JORNAL