ALEXANDRE GARCIA

RODRIGO BUENAVENTURA DE LÉON - LIVRE PENSADOR

AIATOLADAS

E o Trump para desespero ou alegria de seus opositores bombardeou e matou (assassinou segundo a lógica esquerdopata) um dos maiores assassinos da atualidade. Grande merda! O tal do General Suleimani já foi tarde, muito tarde. Que o digam os milhares que morreram ou foram torturados pelas mãos ou ordens deste facínora.

Mas o Trump pode provocar a terceira guerra mundial com este ato! Qual nada o Trump está, ainda, consertando as cagadas do Obama.

É, sim, as cagadas homéricas do prêmio Nobel da paz e queridinho das esquerdas, Barack Obama, que junto com a Hilary Clinton, sua secretaria de estado, quase colocaram o mundo ocidental em xeque e, ainda ganharam prêmios, reconhecimento e admiração das antas mundo a fora.

Se vocês não lembram a política externa do Obama e da Hilary consistiu em gordas mesadas e propinas para o Anão Tarado da Coréia e para os Aiatolás Atômicos Iranianos, contando que eles não brincassem mais de explodir o mundo com bombas atômicas. É óbvio que eles não pararam com a brincadeira e papai Obama, como bom pai moderno, fez cara feia, conversou, ‘dialogou’, mas manteve a mesada e necas de castigo. Tudo que ‘crianças’ arteiras gostam, permissividade. Propinas, mesadas e os brinquedinhos nucleares a toda. E a patetada do Nobel premiou seu Barack. Palmas.

De resto a política externa de seu Obama fez renascer o Talibã, criou a Primavera Árabe e o Estado Islâmico. Mergulhou o norte da África no Caos e ainda armou a oposição ao carniceiro Bashar Al Assad na Síria.

O que isto resultou? Guerra, mortes, terrorismo em alta e imigração em massa para a Europa, que quase quebrou ante os milhares de imigrantes. Os governos europeus quase sucumbiram ao discurso bonzinho e politicamente correto da população europeia (cada vez mais medíocre e burra) e a dura realidade da imigração de desesperados, terroristas e radicais.

Aliás a Europa está regredindo cada vez mais com sua população enlouquecida pelo discurso do politicamente correto e pela militância das esquerdas. Se esquecem dos milhões que morreram e se sacrificaram para que os europeus tenham os índices sociais e de civilidade de hoje. Também se esqueceram dos milhões que eles mataram e escravizaram e de tudo que destruíram para ter a prosperidade de hoje. Os Europeus vão acabar morrendo afogados na própria mediocridade, mas este é outro papo.

Interessa-me o atual conflito, que nada mais foi que um ‘sacode’ nos Aiatolás e, só isso. Não vai ter guerra, não vai ter confronto. Por quê? Porque não interessa à Rússia, à China ou aos EUA.

Trump e Putin (outro ditador e carniceiro) estão reestabelecendo na marra o equilíbrio de forças mundial. Putin tomou (e ninguém das esquerdas reclamou) Trump ficou quieto. Putin corrigiu a burrada de Obama na Síria, Trump parou de financiar os rebeldes e a coisa se acomodou. Cessaram as hordas de imigrantes para a Europa. E os governantes europeus bem quietinhos, claro o sapato apertou no pé deles.

Ainda tentaram usar a opinião pública com fotos montadas e ‘fake news’ como aquela do garotinho todo sujo em uma ambulância e outras notícias nem tão fakes como os bombardeios com armas químicas nas cidades rebeldes. Aí se fez um coro para Trump reagir, mostrar força contra a brutalidade. Ele fez política, avisou que ia retalhar e onde, esperou uma semana (para que fizessem a retirada) e pronto bombardeou a base vazia. Ninguém pode dizer que ele não fez nada.

Por outro lado, os EUA, junto com turcos, curdos e iraquianos acabaram com o Estado Islâmico. Ficou o problema dos curdos, mas estes vão ser acomodados (massacrados) pelos turcos tão logo os EUA saiam da região. E os EUA deram uma acomodada geral nos Talibãs.

Agora no Irã ele matou um assassino, facínora, operação cirúrgica, exatamente como aquela em que o Obama matou o Osama, Bin Laden, mas neste caso ninguém o acusou de assassinato.

E agora é isto que vai acontecer os Iranianos farão alguns ataques inócuos e dirão que foi feita a vingança e vão negociar pois o que os Aiatolás gostam é de dinheiro. O mesmo que aconteceu com o Anão Coreano. O Trump engrossou, ele esperneou e depois baixou a bola e foi negociar. De vez em quando faz alguma pirraça para ganhar um pouco mais, mas papai Trump é durão e louco, não cede e todo mundo sabe o que ele pode fazer se contrariado.

Aliás acho que a morte do Suleimani foi bom para todos. Os EUA arranjaram um motivo para fincar pé no Oriente Médio, os Iraquianos um motivo para se afastarem da influência do Irã, os Aiatolás um inimigo externo (que vai ajuda-los a canalizar a energia dos milhares de descontentes com o regime iraniano que vinham se rebelando toda hora).

Aliás é de estranhar que agora Suleimani virou herói, pois até a pouco ele vinha massacrando o próprio povo para destruir os rebeldes. A morte do assassino herói é motivo de união dos iranianos. Agora é fazer uns ataques inócuos, dizer que vingaram-se com rios de sangue, afinal a imprensa no Irã é controlada a mão-de-ferro pelo Governo e partir para negociar com o Tio Sam e de bolinha bem baixa. Afrontar os EUA seria uma burrice sem tamanho e o fim do regime dos Aiatolás. Isto seria muito bom para o mundo e principalmente para o povo do Irã, mas os Aiatolás não são burros a este ponto.

O que é legal desta história é ver esquerdista fazendo malabarismos para defender o Regime iraniano. Feminista defendendo um país que não respeita mulheres. LGBT discursando a favor de um país que enforca gays em julgamentos sumários. Maconheiro defendendo um governo que fuzila traficantes (o que não deixa de ser uma ótima ideia) e que enforca viciados (algo que poderíamos avaliar também).

Resumo da ópera Trump cacifou a coisa e pôs ordem no galinheiro, mandou pro quinto dos infernos um assassino psicopata e ainda ficou mais próximo de ganhar, como se diz por aqui, as eleições com a cola em pé. O sentimento nacionalista americano é forte e uma guerra faz com que ele aflore. Somado com a bobagem do impeachment fakeque os democratas tentaram fazer Trump voa em céu de brigadeiro.

E 2020 começou auspicioso. Que o Deus ilumine nossos caminhos e ajude os pobres sul-americanos e outras pobres almas sofredoras submetidas a ditaduras e a facínoras mundo afora.

Nosso Senhor poderia mandar passagens para a Casa do Capeta para alguns de nossos caudilhos, neste promissor 2020, Maduro e Raúl Castro por exemplo seriam belas aquisições para o Tinhoso. Poderia passar por aqui e levar alguns petistas para as profundezas (já houve previsões que o diabo está precisando de um ladrão mentiroso de noves dedos no inferno, talvez se concretizem). Depois fazer a limpa na Argentina e no Vaticano onde reina um ‘hermano’ que serve ao deus vermelho.

Caso o Todo Poderoso não queira nos brindar com esta benção aceitamos de bom grado uns mísseis teleguiados enviados pelo Trump.

Que venha 2020, auspicioso, com o passamento de mais facínoras, terroristas, ladrões e ditadores, o inferno tem muito lugar para eles.

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

AUGUSTO NUNES

LULA SEMPRE FOI UM LAMBE-BOTAS DOS AIATOLÁS ATÔMICOS

“O Bolsonaro não faz a menor questão de não ser um lambe-botas do Trump”, recitou Lula nesta quarta-feira, indignado com a postura do atual governo na crise entre o Irã e os Estados Unidos. Nenhuma surpresa. Entre 2003 e 2010, o inventor da política externa da canalhice caprichou no papel de aliado incondicional do regime parido pelos aiatolás atômicos. E não perdeu nenhuma chance de reiterar que era um aplicado lambe-botas do companheiro iraniano Mahmoud Ahmadinejad.

Em julho de 2010, por exemplo, o Brasil foi alcançado pela comoção planetária provocada pela saga de Sakineh Mohammadi Ashtiani, viúva de 43 anos presa por adultério, punida com 99 chibatadas e condenada à morte por apedrejamento. Manifestações amplificadas pela internet refletiram o assombro do mundo civilizado com detalhes do ritual introduzido em 1983 no código penal islâmico. Entre outros espantos, descobriu-se que até a lei que regulamenta a execução a pedradas trata mulheres com mais brutalidade.

Os homens são enterrados na areia até a cintura e ficam com os braços livres para tentativas de proteger o rosto. Sakineh não desfrutaria desse privilégio. As mulheres são enterradas até a altura do busto, com as mãos amarradas por cordas e o corpo enrolado num tecido branco. O grupo de executores, liderado pelo juiz que assinou a sentença, inclui os jurados que ordenaram a condenação, parentes da vítima, figurões da comunidade e voluntários. Todos são homens: no Irã, mulheres não apedrejam; só podem ser apedrejadas.

Para que a plateia não se sinta frustrada pela morte rápida, as pedras que circundam a condenada são menores. O juiz atira a primeira. A agonia que se encerra com o traumatismo craniano não dura menos que uma hora. Tanto pelo espetáculo da perversidade primitiva quanto pela inexistência de crime, milhares de brasileiros decidiram lutar pelo cancelamento do espetáculo da barbárie. E alguém teve a ideia de lançar a campanha “Liga, Lula”, amparada na crença de que Mahmoud Ahmadinejad não se negaria a atender a um pedido de clemência formulado pelo amigo brasileiro.

Lula também achava que ouviria um sim. Mas decidiu que não socorreria Sakineh, gaguejando frases que ergueram um monumento ao besteirol. “Eu, sinceramente, não acho que nenhuma mulher deveria ser apedrejada por conta de… ter, sabe, traição”, enrolou-se numa entrevista. “Mas um presidente da República não pode ficar na internet atendendo tudo que alguém pede de outro país. É preciso cuidado, porque as pessoas têm leis, as pessoas têm regras, as pessoas, sabe… Se começam a desobedecer as leis deles para atender o pedido de presidentes, vira uma avacalhação”.

Lula sempre se orientou por conveniências eleitoreiras, afinidades políticas, laços de parentesco ideológico e cumplicidades mafiosas. Fidel Castro, por exemplo, emplacou três pedidos em três anos. Foi para atender ao capataz de Cuba que o presidente mais tarde engaiolado por roubalheira autorizou a deportação dos pugilistas Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara, fez que não leu a carta da blogueira Yoani Sanchez e acusou o preso político Orlando Zapata de se deixar morrer no 85° dia da greve de fome.

Foi para afagar Hugo Chávez que Lula transformou a embaixada em Honduras na pensão do Zelaya e virou parceiro das FARC. No momento em que se negou a socorrer Sakineh, “em respeito às leis do Irã”, o vigarista de nascença estava ajudando Hugo Chávez a estuprar as leis da Colômbia para financiar as torpezas dos narcoterroristas enfurnados na selva. Naquele julho de 2010, Lula recitava de meia em meia hora que Dilma Rousseff merecia a Presidência sobretudo por ser mulher. Mas não merecia misericórdia a iraniana que, por ser mulher, teria o rosto desfigurado por pedradas mortais. Também a candidata não deu um pio sobre o drama vivido pela adúltera marcada para morrer.

A mobilização internacional conseguiu que Sakineh escapasse da execução decretada pela ferocidade de alguns governantes e pela indiferença cafajeste de outros. Ela estava em liberdade quando o sabujo de Ahmadinejad foi para a cadeia em Curitiba.

DEU NO TWITTER

GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE JAÇANÃ E O TREM DAS 11 DE ADONIRAN BARBOSA

Na década de 1890, São Paulo precisava construir uma barragem para o abastecimento público, pois a cidade já tinha aproximadamente 65 mil habitantes, o mesmo tamanho de Pesqueira de hoje, e os reservatórios seriam insuficientes para uma cidade com aptidão de ser grande. O local escolhido foi a Serra da Cantareira e para construção desta barragem fizeram uma linha de trem com 12 quilômetros e 600 metros, começando no bairro do Tamanduateí.

Além dos trens de carga para a construção da represa, a São Paulo Tramway também colocou vários horários com trens de passageiros para atenderem a população na beira da linha. Além das estações Tamanduateí e Cantareira, foram construídas pelo meio mais nove estações: Areal (Parada Três), Santana, Quartel, Santa Terezinha, Mandaqui, Invernada, Parada Sete, Tremembé e Parada Santa. Em Areal a linha se dividia no sentido de Guarulhos, onde seguia-se passando pelas estações Carandiru, Vila Paulicéia, Parada Inglesa, Tucuruvi, Vila Mazzei, Guapira, Vila Galvão, Torres Tibagi, Gopoúva, Vila Augusta, Guarulhos, findando com a estação Cumbica, por trás do que seria o Aeroporto de Guarulhos. Este ramal só foi inaugurado em 1910.

Trem da Cantareira nos anos 50

A música “O Trem das 11” de Adoniran Barbosa fez sucesso em 1964 e relatava o enredo de um filho único que morava com a mãe no bairro de Jaçanã e não poderia ficar mais tempo com a sua amada porque o último trem partia às 11 da noite e o próximo “só amanhã de manhã”, na verdade Adoniran nunca morou em Jaçanã e o último trem partia as 8 e meia, mas a música tem uma rotina do autor que foi adaptada para romântica, mas o motivo da viagem era outro: farra com muita bebida alcoólica.

Famosa foto de Adoniran aguardando o trem na estação

Em Jaçanã ficava a Companhia Cinematográfica Maristela, a “prima pobre” da Companhia Vera Cruz de Cinema, que produziu muitos filmes, foi o primeiro estúdio da capital paulista. Por lá gravaram Procópio Ferreira, Sérgio Brito, Nair Belo, Inezita Barrozo, Mazzaropi e Adoniran Barbosa em “Mulher de Verdade” e “A Pensão de Dona Estela”. O bairro nesta época era residencial, não tendo vida noturna e após as gravações, os atores, diretores e técnicos iam para os bares na Vila Mazzei, a apenas 1 km dali. Adoniran contou em uma entrevista que muitas vezes ia a pé, mas a escuridão dificultava a caminhada, por isso preferia embarcar na estação Jaçanã e seguir no trem que passava por lá várias vezes ao dia, sendo o último às 11 da noite, “não era o trem das 11, era o de 10:59”, complementou Adoniran na entrevista. Este horário de trem existia apenas nos domingos e feriados.

Adoniran no filme “A Pensão de Dona Estela” do Estúdio Maristela

A estação de Jaçanã foi aberta em 1910 com o nome Guapira e por volta de 1930 foi rebatizada como Jaçanã, nome que permaneceu até o término das operações com trens no trecho. Era uma estação movimentada, pois servia ao asilo dos inválidos, além da população das redondezas. A estação foi demolida em junho de 1966, dois anos depois do estrondoso sucesso da música que tornou famosa a estação, gravada pelos Demônios da Garoa. No local da antiga estação hoje tem a Praça Comendador Alberto de Souza.

Demônios da Garoa e o Trem das Onze:

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ DOMINGOS BRITO – SÃO PAULO-SP

Caro Berto

Hoje, 9/1/2020, para lembrar o centenário de João Cabral de Melo Neto, a coluna Memorial quer presentear os leitores do JBF com uma grande entrevista com o ilustre poeta pernambucano, conduzida por seu ilustre conterrâneo, o jornalista Geneton Moraes Neto.

Para ler, basta clicar aqui

Abraços

João Cabral de Melo Neto (Jan/1920 – Out/1999)

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO DO PAU DECIFRADO – Bocage

É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lobrigo;
Dá leite, sem ser árvore de figo,
Da glande o fruto tem, sem ser sobreiro:

Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;
Brando às vezes, qual vime, está consigo;
Outras vezes mais rijo que um pinheiro:

À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;
Nem cedro, nem pau-santo mais negreja!

Para carualho ser falta-lhe um U;
Adivinhem agora que pau seja,
E quem adivinhar meta-o no cu.

DEU NO JORNAL

MILIANTE PETISTA TOGADO VOLTA ATRÁS

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), reconsiderou nesta quinta-feira (9) sua própria decisão e autorizou a resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) que prevê a redução dos valores do seguro DPVAT em 2020.

Os valores reduzidos haviam sido divulgados no dia 27 de dezembro pelo conselho, vinculado ao Ministério da Economia.

No dia 31, o ministro, responsável pelo plantão do Supremo durante o recesso, suspendeu a norma a pedido da seguradora Líder.

* * *

Esse tabacudo desse Toffoli, reprovado duas vezes em concursos pra juiz de primeira instância, é um subserviente pau-mandado do condenado Lula.

E foi subordinado do condenado Zé Dirceu no Palácio do Planalto.

Hoje em dia Toffoli é presidente de um dos três poderes da República Federativa de Banânia.

Este nosso país é mais incrível e surrealista do que a Macondo de Gabriel García Márquez.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Este Editor prestando a merecida homenagem ao cabaré dirigido pelo petralha Toffoli

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARAEL COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Beleza o novo logo do jornal.

Bastante modernoso e de acordo com as linhas do moderno design que estão imperando.

Parabéns a toda equipe que o bolou.

R. O visual ficou ótimo mesmo meu caro.

Graças ao talento de Bartolomeu e seu filho Mike Anderson, que bolaram tudo.

O único problema é que tem havido muito reclamação do público feminino.

As leitoras estão enchendo a caixa de mensagens, reclamando que foi tirada a minha foto.

E elas sentem imensamente a falta do meu lindo visual.

Pra satisfazar aos milhares de pedidos, vou publicar sempre flagrantes do meu fucinho.

Como este que está a seguir, feito pelo João.

Foi no terraço aqui de casa, trabalhando na editoração desta gazeta escrota.