FALA, BÁRBARA !

JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

AS TERRAS DO MEU AVÔ

Inspirado em foto de Jácio Mamede:

Meu avô me deu caminho,
Bom sangue, bom coração,
O amor por este chão,
De caatinga e tanto espinho.
Vai longe o meu carinho
Por esse céu azulado,
Esse pago, chão rachado,
Por esse meu pé-de-serra
E por esta boa terra,
Onde vovô foi criado.

Aqui eu também nasci,
Aqui também fui criado.

De vovô, abençoado,
Herdei fé, herdei coragem,
Por isso em sua homenagem,
Cavalgo o sertão amado.
Às vezes fico calado
Dentro da vegetação
Ouvindo um tal coração
Como se vovô vivo estivesse
Pedindo a Deus, numa prece,
Chuva para o seu sertão.

“Pai nosso que estás nos céus…”
Mande chuva ao meu sertão.

Uma sublime oração
Eu ouço sem ver ninguém
Seguindo e dizendo amém
Quero chuva em meu torrão.
Me invade a emoção
Na serra, sobre o platô,
Sol baixando, céu bordô,
E eu feliz cavalgando
Enquanto sigo amando
As terras do meu avô.

Natal-RN, na primeira Lua Cheia de 2015

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CLÓVIS GOMES – TERESINA-PI

Estimado Editor Berto,

Acunhe, acunhe, que o negócio é sério!!!!!!!

Precisamos que você continue sua luta neste novo ano que está começando.

Este jornal é o que existe de melhor na imprensa brasileira.

Paz, prosperidade, perseverança, paciência.

R. Meu caro, promover uma merda feito essa gazeta à condição de “imprensa” é uma coisa que me deixou ancho que só a peste.

Mas, pensando bem, será que, ao invés de elogiar, tu quis mesmo foi xingar???

Hein???

Pelo nível em que anda a “imprensa” deste país, ser chamado por este nome pode não ser boa coisa.

Agora, caro leitor, voltando à sua cartinha:

Este último termo que você escreveu na mensagem, a palavra “paciência”, é a qualidade que eu mais uso e abuso no serviço de editoração desta gazeta escrota.

E explico a razão:

É preciso ter uma paciência incomum para resistir, sem sucumbir, ao tsunami esquerdoral do colunista Goiano.

Um dilúvio, uma chuva incontrolável, uma cascata volumosa de lularismo petelhal zisquerdêlho.

Veja bem: eu não estou reclamando. Na verdade, eu acho ótimo.

Resistir a tudo isto, a esta fúria goiânica, com resignação e paciência, é um exercício de purificação do espírito e um caminho seguro pra salvação.

No ano recém findo de 2019, nosso incansável colunista, além das 63 colunas que publicou, repletas de zisquerdismo xiita, bateu um recorde impressionante, perpetrando 1.713 comentários lulo-disparatais, conforme estatística do nossa sistema de editoração.

Uma número jamais obtido por qualquer outro leitor ou colunista, por mais assíduo e participante que seja.

A tara do colunista Goiano pra fazer comentários esquerdorais é tanta, que ele futuca até publicações antigas, de muitos dias, pra exercer o seu incansável ofício de postador de comentários.

Hoje, por exemplos, ele botou um comentário numa postagem publicada há exatos 3 meses, no dia 7 de outubro passado. Confira clicando aqui.

Só eu é que vou saber que ele se manifestou por lá, porque o sistema me manda uma mensagem automática quando se coloca qualquer comentário.

Nenhum leitor vai tomar conhecimento, pois os fubânicos normais do juízo entram aqui pra ler somente as notícias do dia. Ou do dia anterior. Quando muito, da semana passada.

Coisa comum numa página que é atualizada diariamente, todos os dias da semana.

Preste atenção nesta que vou dizer e veja só o furor:

Na última coluna do Goiano, publicada semana passada, lá estavam listados 42 itens, com números, afirmações, pabulagens, citações, fanfarronices, revelações e um monte de coisas misteriosas e surreais que só mesmo um petista seria capaz de cascavilhar nos monturos, alinhavar tudo e oferecer pra gente ler.

Vou repetir: uma única coluna com 42 ITENS!!!!

E, além disto, com a cara mais lisa do mundo, ele abriu o texto com a expressão “Dados para argumentação“.

Teve muita gente que caiu na armadilha e foi lá argumentar…

Faço questão de ressaltar: sou eu que monto e edito tudo que ele manda, do jeitinho que chega aqui, textos e ilustrações.

Pergunto: sou ou não sou paciente???

E, depois de um ano de governo que chegou ao poder aniquilando o poste Haddad, um governo conservador, sem putaria e sem uma única notícia de escândalo de corrupção, se prepare que o furor vai aumentar mais ainda.

Ao invés do “acunhe, acunhe” com que você abriu sua mensagem,  meu caro leitor, eu rebato com um “não ria, não ria, não ria, que o negócio é serio.

DEU NO JORNAL

ANDERSON BRAGA HORTA - SONETO ANTIGO

DIA APÓS NOITE

Vendo o azul, que dilúculos augura,
da madrugada, e a mágoa do sol-posto,
quedo-me triste, e penso, com desgosto:
O mesmo céu que é berço é sepultura.

Assim também, um dia, no teu rosto,
nos teus olhos de cálida brandura,
vi tua alma a acenar-me, inda mais pura
sob o véu do cabelo descomposto.

Como a noite, porém, sucede a aurora,
tu me fugiste, e a luz, que me envolvia,
nas trevas se tornou em que ando agora.

Retorna entanto o sol, que antes morria.
E a minha alma, por isto, já não chora,
mas espera o raiar de um novo dia.

CHARGE DO SPONHOLZ

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

AUGUSTO NUNES

SE BEBER, NÃO ESCREVA

Haddad mostra no Twitter o que acontece na cabeça de quem tenta acompanhar Lula numa noite de réveillon

“No final de 2015 estávamos em 2010, e com o impeachment de 2016 voltamos pra 2002. O MDB no poder em 2017 nos levou a 1985. E a eleição de Bolsonaro jogou a gente pra 1964. Vamos inventar um futuro e, se tudo der certo, esse ano só termina no ano que vem”.

Fernando Haddad, sem ocupação conhecida desde o fiasco nas urnas de 2018, mostrando no Twitter o que acontece a quem tenta acompanhar Lula numa bebedeira de réveillon.

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO TWITTER