ANDERSON BRAGA HORTA - SONETO ANTIGO

CÂNTICO

Quero-te as mãos ensolaradas
nas minhas pobres mãos escuras,
que as minhas mãos são sepulturas
e as tuas mãos são alvoradas.

Quero-te os olhos, prematuras
luas num claro céu plantadas,
dentro em meus olhos, enseadas
noturnas onde, alta, fulguras.

Quero-te os lábios, favos doces
de etéreo mel, sobre os meus lábios.
Quero-te assim como se fosses

estrela azul e noite eu fora,
estrela ignota aos astrolábios,
que de meu céu, e só, pastora.

CHARGE DO SPONHOLZ

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

KAKAY – O INIMIGO DE SERGIO MORO

O repugnante Kakay de bermuda nos corredores do STF, o puteiro de Brasília

Em artigo abjeto publicado na imprensa no dia 26.12.2019, o estapafúrdio, espalhafatoso, cínico e repulsivo defensor de criminosos e políticos ladrões ricos que assaltaram o Brasil, Antônio Carlos de Almeida Castro – conhecido nas noites cariocas e brasilienses como Kakay -, diz que a derrota de Sergio Moro, com seu pacote anticrime querendo moralizar o Brasil, foi acachapante na câmara, onde Rodrigo Botafogo Maia relincha e todos murcham a orelha. Segundo Kakay, o projeto de lei anticrime do Ministro da Justiça e Segurança foi apresentado sem nenhuma discussão séria com a “sociedade” por isso todos os seus pontos inibidores da criminalidade foram acachapados na Câmara pela comissão instalada para estudá-lo, seguindo as ordens do ministro do STF, o Kinder Ovo, Alexandre Cabeça de Pica Moraes.

Segundo o salafrário defensor de bandidos ricos, o projeto de lei aprovado pela câmara foi fruto do enorme esforço do Grupo de Trabalho (GT) criado pelo presidente Rodrigo Maia, que teve a “hombridade de ouvir a sociedade e especialistas honestos, técnicos e capacitados para elaborarem uma lei sintonizada com os anseios da sociedade, contra o crime organizado.”

Chamando Sergio Moro de estrategista político, marqueteiro de si mesmo, disse que o ex chefe da Força Tarefa da operação Lava Jato, continua a investir em marketing. Segundo Kakay, “o ministro Sergio Moro tem o apoio de sempre dos setores conhecidos e continua posando como se seu projeto tivesse sido vitorioso. Porém, para quem entende do assunto sabe que, felizmente, a realidade é outra. Ganhou a sociedade, o cidadão e o estado democrático de direito,” concluiu.
Essa dor de cotovelo do espalhafatoso Kakay sobre o herói nacional, Sergio Moro, me lembra a observação irônica feita pelo cel. Tibério Vacariano, personagem do romance Incidentes em Antares de Érico Veríssimo, quando um jovem estudante classe média local, depois de estudar na Europa, retorna à cidade cheio de prosódia, tachando de caretas os costumes locais:

– Esse rapaz parece que é fresco!

FELIZ 2020 A TODA COMUNIDADE FUBÂNICA!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARCOS ASSUMPÇÃO – RIO DE JANEIRO-RJ

Caro Editor,

Lendo hoje na nossa gazeta escrota um artigo sobre o “educador” comunista Paulo Freire, lembrei-me de um vídeo de Olavo de Carvalho, falando sobre o dito cujo.

Pergunto:

É possível publicar no Besta Fubana?

Um Feliz Ano Novo para todos os leitores do nosso vibrante jornal!

CARLOS AIRES - PROSEANDO NA SOMBRA DO JUAZEIRO

GLOSAS

Mote:

Quem for novo aproveite a mocidade
A velhice é um mal que não tem cura.

Um alerta a quem goza a juventude
Pra que esteja em plena consciência!
Que esta fase que está em florescência
Em que esbanja vigor, força e saúde,
Breve passa, e a decrepitude,
Com o acúmulo dos anos lhe procura,
Transformando de vez sua figura
Com o peso do fardo da idade,
Quem for novo aproveite a mocidade
A velhice é um mal que não tem cura.

Todo jovem na sua caminhada
Preconiza a beleza em que ostenta,
Quando sobe a ladeira dos quarenta
Ver que a face de vez foi transformada,
Sua pele que era acetinada,
Escarpada está, e a desventura,
Se, apodera daquela criatura,
Pra roubar-lhe o luzir da vaidade,
Quem for novo aproveite a mocidade
A velhice é um mal que não tem cura.

No outrora comigo foi assim
Eu pensava que não envelhecia,
Mas um dia seguido de outro dia
Com uma noite nomeio fez de mim
Um vetusto que já avista o fim
Da estrada sombria e muito escura,
Que se encerra na fria sepultura
Onde irei habitar pra eternidade,
Quem for novo aproveite a mocidade
A velhice é um mal que não tem cura.

A idade aos poucos nos transforma
Desviando os nossos ideais,
Que oscilam de formas desiguais
Indo além dos padrões de regra e norma,
Nem sequer uma chance pra reforma
O período do tempo lhe assegura,
Um conselho pra geração futura!
Usufrua da jovialidade,
Quem for novo aproveite a mocidade
A velhice é um mal que não tem cura.

FALA, BÁRBARA !

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES ANÔNIMAS BEM-HUMORADAS

“Desejo neste novo ano você encontre saúde, amor, paz, dinheiro e tudo que quiser. E o que não encontrar, busque no Google.”

“Eu vou comprar um caminhão, porque porque com esse tanto de gente falando que vai ter mudança no Brasil, acho que vou ganhar um bom dinheiro.”

“É enorme o poder que a música tem de nos transportar para outros lugares! Estava em um bar, começou a tocar funk… fui para casa.”

“Usei a técnica de não contar nada para ninguém sobre meus projetos e planos até que eles se concretizassem, consegui fracassar sem que ninguém soubesse.”

“Lado bom de morar sozinho é que se você demorar no banheiro ninguém vai bater na porta gritando: ‘morreu aí dentro?’. O lado ruim é se você tiver morrido mesmo.”

“Se você não gosta Jazz, não escute Jazz. Se você não gosta de MPB, não escute MPB. Agora, se você não gosta de pagode, sertanejo ou funk, só lamento, vai ter que ouvir mesmo sem gostar.”

“Estamos tão acostumados a deixar nossa vontade de lado que, quando nos colocamos em primeiro lugar, nos sentimos culpados.”

“Vou comprar um caminhão. Estão todos dizendo que vai ser um ano de mudanças, vou ficar rico fazendo frete.”

“Solidarizo-me com você que foi doar sangue e lhe perguntaram quantas vezes faz sexo por ano. Tentou ajudar e ainda foi humilhado, não é?”

“Quando você se sentir sozinho… lembre-se, que existem milhões de bactérias vivendo em seu corpo, e pra elas, você é o mundo!”

“No julgamento de minha mãe, não existia nem 1ª instância. Já era condenado à vara de marmelo direto, sem direito a defesa.”

“Estou tão cansado de fazer das tripas coração, que se tiver um problema cardiovascular, vai ser no baixo-ventre.”

“A escassez de água está tão grande, que vai chegar um dia em que, quem estiver no fundo do poço, será o mais rico dos homens.”

“Não existe nada completamente errado no mundo, mesmo um relógio parado, consegue estar certo duas vezes por dia.”

“Casal moderno é composto por uma pessoa que não namora há muito tempo e outra que iniciou o relacionamento 2 meses depois de terminar o antigo.”

“É muito ruim quando a pessoa que você usa a Netflix emprestado não paga a mensalidade e você não pode ir lá cobrar e nem apressar ela para pagar.”

“Se falar gentilmente com plantas, ajuda elas a crescerem. Imagine o que acontece quando você fala gentilmente com pessoas…”

“O que engorda não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo… é o que você come entre o Ano Novo e o Natal.”

“Comprei um shampoo com tantas vitaminas que não sei se lavo o cabelo com ele ou tomo de 12 em 12 horas.”

“Eu não estou nem um pouco preocupado com as minhas dívidas. Já os meus credores, não posso dizer o mesmo.”

DEU NO TWITTER

MARCELO BERTOLUCI - DANDO PITACOS

CONCEITOS

Responda rápido: você faz um serviço para seu vizinho. Você prefere que o vizinho lhe pague em pepitas de ouro ou em cacos de vidro? Imagino que você prefira, como eu, receber em ouro. O bom senso diz que é sempre melhor receber algo valioso do que algo sem valor.

Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que nossa moeda deve ser fraca e o dólar deve subir. Em outras palavras, é melhor ser pago em cacos de vidro.

*

João vive comprando coisas: comida, bebida, livros, roupas, um monte de coisas. Para isso, ele não precisa vender o que já tem. Ele paga as compras com seu trabalho. Já o José, vive vendendo: para comprar pneus novos para seu fusca, José vendeu a TV. Depois José vendeu o sofá da sala para comprar outra TV. Quem é mais rico? Parece ser o João, não é? Sim, e com os países também é assim: os países que todo mundo considera “ricos” compram mais do que vendem, e os países “pobres” vendem mais do que compram.

Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que o certo é exportar muito e importar pouco. Ou seja, devemos seguir o exemplo da Venezuela (exportações são 300% das importações) ou do Gabão (exportações são 200% das importações) e não dos EUA ou Reino Unido (exportações são aproximadamente 2/3 das importações para ambos).

*

Todo brasileiro tem dois sonhos: poder pagar um plano de saúde e uma escola particular para seus filhos. Ele sabe que depender do SUS não é uma boa, e colocar seus filhos no ensino público também não.

Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que todos devem pagar cada vez mais impostos para os políticos “investirem” em saúde e educação, as mesmas que todo mundo sabe que não funcionam.

*

A cidade de Caixa-prego do Norte só tem um padeiro. Todos os moradores compram dele, ou ficam sem pão. Não importa que o pão seja bom ou ruim, caro ou barato. Aliás, as pessoas nem sabem direito se o pão é bom ou não, nem se é barato, porque não tem como comparar. É que lá para ser padeiro precisa uma licença da prefeitura, e o padeiro sabe que o prefeito, que é seu tio, não vai dar licença para mais ninguém. Por isso, ele cobra quanto quer e não faz questão de caprichar muito quando faz o pão.

Já em Caixa-prego do Sul existem várias panificadoras. Cada morador pode comprar de quem quiser; se achar caro ou se não gostar do pão, muda. Têm até uma panificadora da cidade vizinha que enche de pão uma kombi e leva para vender lá.

A segunda cidade parece melhor? Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que é melhor para todos se o mercado é fechado e as pessoas só podem comprar pão onde o governo mandar.

*

Uma escola tem duas turmas no segundo ano. O professor da primeira turma foi contratado faz pouco tempo em regime temporário, e quer muito ser efetivado. O professor da segunda é primo do diretor da escola e tem um contrato vitalício com aumento de salário garantido a cada três anos. Em qual das turmas os alunos vão aprender mais?

Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que os serviços prestados à população serão melhores se forem feitos por funcionários públicos com estabilidade garantida e nenhuma avaliação de desempenho, e não por pessoas cujo sucesso dependa de bons resultados.

*

Paulo tem três filhos. Ele trabalha duro para pagar uma boa escola para os três. Ele também os estimula a ler muito, experimentar coisas novas e ser criativos. Paulo não tem idéia da carreira que cada filho irá seguir.

Pedro também tem três filhos, que estudam na mesma boa escola dos filhos de Paulo. Pedro decidiu que o primeiro será médico, o segundo será advogado e o terceiro será engenheiro. Desde crianças, tanto os livros quanto os brinquedos que recebem são separados de acordo com a profissão escolhida.

Parece absurdo? Mas o governo, a escola e a imprensa repetem o tempo todo que as pessoas não devem escolher o que fazer em suas vidas; devem deixar as escolhas nas mãos de alguém mais sábio (no caso, os políticos, os funcionários do governo e os “intelectuais” e “acadêmicos”).

*

Que tal aproveitar o ano novo e a década nova para rever alguns conceitos? Afinal, geralmente o simples bom senso nos mostra o caminho de forma melhor que os supostos sábios do governo, das escolas e da imprensa. Tente !

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROQUE NUNES – CAMPO GRANDE-MS

PTênia Saginata!

Este domingo “garrei-me” a lembrar de minhas aulas de Biologia, logo em em seguida fui dar uma “bispada” nas notícias dominicais e vi a postagem de Gleisi Lula Hoffmann – ela prefere ser insultada assim, então vamos fazer o gosto dela -, também conhecida como Coxa, ou Amante na diretoria corrupcional da Odebretch. Lá, ela reclamava que o Brasil teve um péssimo 2019 e que o povo pobre – é, aqueles mesmos pobres que a peteba toda batia carteira e garganteava dizendo que eles estavam sendo roubados porque só assim a petecaiada toda iria fazer bem a eles.

Ora, se o país tem o menor índice de desconfiança já visto, se as taxas de juros básicos nominal está em 4,5% – se descontarmos a inflação, a taxa de juro real está menor que 1% ao ano – se já foram criados quase 1 milhão de empregos, empregos estes que a estocadora de vento passou o chanfalho, diga-se de passagem, a inflação mais baixa da história, investimentos privados de longo prazo, aumento da renda, aumento do consumo, otimismo generalizado, perguntei-se-me….mas afinal, o que a Gleisi Lula Hoffmann, como ela gosta de ser humilhada, quer?

Na verdade, não querem nada, e querem tudo. Principalmente que o país volte para o buraco e para a merda, que foi onde eles nos deixaram. E, em uma reflexão mais longa, quando lá em 2003 Lapa de Mentiroso, como diz o Papa Berto, assumiu a presidência, o país tinha uma perspectiva de futuro e de crescimento. Todavia, tanto Lula, quanto Dilma fizerem o diabo e jogaram o país na latrina, comprometendo, não somente o presente, como também o futuro. Quase destruíram o país, quase destruíram a estabilidade econômica. Aliás, essa sempre foi a intenção da quadrilha. Destruir o Plano real que sempre foram contra a fim de jogar o país na merda.

Houve uma sistematizada intenção de destruir, de arrasar, de dizimar toda e qualquer perspectiva de crescimento e de enriquecimento do país enquanto nação. Houve e há a intenção de fazer o país voltar à época de Sarney, quando a inflação batia em 80% ao mês. Há, no país, uma geração inteira que não sabe o que é inflação. Eu me lembro muito bem que eu recebia, já próximo da vigência do Plano Real, cerca de 790 milhões de cruzeiro por mês. E, no dia que saía nosso pagamento, isto quando saía no mês correto, era uma correria para pagar as contas, fazer as “compras mensais”, pois se você deixasse para o dia seguinte, o dinheiro já não era suficiente para se pagar água, energia, telefone, combustível e alimentação mensal.

E, depois que eu vi, a dona Gleisi Lula Hoffmann, como ela gosta de ser humilhada, ou a botadeira de chifres, segundo a Odebretch, reclamando pelo fato do Brasil estar entrando na linha, começando a sair do buraco que a quadrilha que ela preside nos colocou, cheguei a uma conclusão besta, daí porque as minhas lembranças das aulas de Biologia que tive no segundo grau, hoje Ensino Médio. Minha saudosa mestra de Biologia nos ensinava que dos parasitos internos humanos, havia três categorias de vermes: uma de ascarídeos e duas de tenídeos, ou solitárias. E esses vermes “vevem” e proliferam na merda. tire-lhes a merda e eles morrem. Deixe-os sem merda e eles definham até desaparecer.

E assim, eu chego-se-me a concluir que a quadrilha deveria trocar de nome, de PT para PTênia. Pois, de acordo com a dona Gleisi Lula Hoffmann, como ela adora ser esculhambada, eles viraram uma tênia mesmo. Se o Brasil sair da merda eles vão morrer de inanição. Se o Brasil conseguir limpar toda a merda feita por eles, vão definhar. Por isso, PTênia. Como um parasito que precisa da merda para sobreviver, se isso for tirado deles, eles vão morrer. Tirem o país da merda e a gente vai ver a morte do parasito mais perigoso que pulula os intestinos nacionais. PTênia. Nunca um nome calhou tão bem a uma quadrilha fantasiada de partido político.