AUGUSTO NUNES

ZANIN DEVE AO SOGRO SEUS 10 MINUTOS DE FAMA

O casamento com a filha de João Havelange, que reinou por algumas décadas na Confederação Brasileira de Futebol e na Fifa, pavimentou o desvio percorrido por Ricardo Teixeira para sair do anonimato rumo à doce vida de supercartola. Graças ao sogro, chegou à sala do trono no prédio da CBF — e sobraçando os segredos dos cofres saqueados regularmente pelo chefão da vez e seus comparsas. Como retribuir tamanha graça alcançada? Usando a certidão de nascimento da filha, decidiu o genro.

Com a criatividade dos vigaristas, Teixeira revogou o tradição e a menina foi batizada de Joana Havelange. O homenageado se derreteu de emoção. Pai de uma única filha, o sogro não precisaria torcer pela vinda de um menino para eternizar o sobrenome. Joana, que também seria filha única, trataria de preservá-lo quando se tornasse mãe. Até que Teixeira rompesse o casamento, João Havelange vivia repetindo aos amigos que via no genro um filho exemplar.

Cristiano Zanin Martins estaria condenado ao eterno anonimato se não tivesse casado com a filha do advogado Roberto Teixeira, que virou um dos mais queridos amigos de Lula ao ceder-lhe gratuitamente o apartamento em São Bernardo ocupado anos a fio pela família do futuro presidente. Ali Lula descobriu como mora gente rica. Ali também aprendeu que é possível ser dono de imóveis sem perder tempo com regularização de escrituras. Ali acabou por tornar-se parceiro de Roberto Teixeira em negócios suspeitíssimos.

Como alguns desses negócios aconselharam o sogro a não assumir ostensivamente a defesa do amigo no esforço para livrá-lo das descobertas da Lava Jato, o genro virou advogado de Lula. Só por isso está vivendo seus 10 minutos de fama. Deveria ter abdicado do Zanin Martins para batizar algum filho apenas com o sobrenome Teixeira. Seria uma bonita homenagem. E uma forma de compensar o sumiço do Teixeira na certidão de nascimento de Joana Havelange.

ALEXANDRE GARCIA

CONTRATEM VENEZUELANOS

Você sabia que hoje o Brasil já está crescendo a razão de 2% ao ano?

Esse é o ritmo atual dos meses outubro e novembro. E tem agora o mês de dezembro com nova perspectiva de crescimento.

Isso confirma a previsão de crescimento de 2,5% para o ano que vem. Mas acredito que pode ser ainda mais porque o otimismo está de volta. É só ver que todo dia tem um recorde na Bolsa de Valores.

A União de Bancos Suíços está aconselhando a compra de ações de empresas brasileiras. Isso significa que eles apostam que as nossas empresas vão ter um bom resultado daqui para frente. É o otimismo que impulsiona a economia.

Neste sentido, aproveito para fazer um apelo aos empresários e empregadores brasileiros neste mês de dezembro: recebam de braços abertos os nossos irmãos da Venezuela que estão fugindo de um regime que viola os Direitos Humanos.

O marxismo, socialismo, bolivarianismo – seja lá o que for – não dá certo. Só nesta quinta-feira (5) foram assinados 21,4 mil pedidos de refúgio para nossos vizinhos.

É a Operação Acolhida recebendo os refugiados venezuelanos.

Refugiados venezuelanos embarcam em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com destino a São Paulo e Cuiabá

DEU NO JORNAL

ASSUNTOS INTIMAMENTE LIGADOS

Nas últimas semanas, um antigo fantasma voltou a assombrar famosas bancas advocatícias destinatárias dos 180 milhões de reais distribuídos sem nenhum tipo de controle pela Fecomércio do Rio de Janeiro: Orlando Diniz, ex-todo poderoso da entidade, preso em fevereiro de 2018 e solto quatro meses depois por Gilmar Mendes, retomou as conversas para um acordo de colaboração.

Um dos maiores beneficiários dos contratos da Fecomércio foi o escritório de Roberto Teixeira, compadre de Lula.

Foram 68 milhões de reais, supostamente para atuação em tribunais de Brasília.

Eduardo Martins, filho do ministro Humberto Martins, do STJ, recebeu outros 10 milhões.

A banca de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, levou 19 milhões.

Se conseguir espremer Orlando Diniz de modo que ele conte todos os seus segredos, a Lava Jato inaugurará outra página dourada em sua história.

* * *

É impressionante: toda notícia que fala em safadezas milionárias, tem que trazer o nome de Lula.

Falou em milhões, aparece logo Lapa de Corrupto citado no texto.

Direta ou indiretamente.

É fatal.

Uma coisa leva automaticamente à outra.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARIA DE FÁTIMA – ITABUNA-BA

Prezado Sr. Berto, boa tarde!

Se ainda houver tempo, gostaria de me candidatar a ganhar o livro 100 Dúvidas de Português, de autoria do seu amigo ilustre Dr. Marcos Mairton e Geraldo Amâncio.

Informo-lhe a seguir o meu nome completo e o endereço postal.

Agradeço-lhe de coração.

Obrigada por sua atenção.

Minha admiração, por sua pessoa, aumenta a cada visita às páginas do Jornal da Besta Fubana.

Saudações baianas

R. Êita!!!

Fiquei ancho que só a peste com a generosidade de suas palavras, cara leitora.

Ganhei o dia!

Brigadão mesmo.

Já enviei o seu endereço postal pro nosso colunista Marcos Mairton.

Aguarde que ele deverá remeter o livro pelo correio.

Grato pela força e pela audiência.

Abraços e um excelente final de semana.

O grande poeta cantador Geraldo Amâncio, um ícone da cultural nordestina na atualidade, ao lado do colunista fubânico Marcos Mairton; autores do livro 100 Dúvidas de Português

DEU NO TWITTER

DELEGADO VIOLENTADOR DE JOVENS QUE ROUBAM CELULAR

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

ELE TEM TUDO TROCADO

Comentário sobre a postagem MILAGREIRO DE BOTEQUIM

Rogerio Araujo:

Os cachaceiros daqui dizem que esse sujeito nasceu ao contrario.

O que era para ser a parte de cima dele está em baixo. E vice-versa.

Por isso ele fala tanta merda.

O intestino está no lugar do cérebro.

Qualquer cachaceiro daqui é mais lucido que esse jumento cego e infeliz.

* * *

O petralha Humcerto Bosta, o afilhado de Lula que tem o cu na boca: codinome Drácula na lista de propinas da Odebrecht

PEDRO MALTA - REPENTES, MOTES E GLOSAS

GRANDES MOTES, GRANDES GLOSAS E UM FOLHETO DE PELEJA

Chico Nunes glosando o mote:

A saudade é companheira
De quem não tem companhia.

Vivo em eterna agonia
Sem saber o resultado
Deus já me deu o atestado
Pra eu baixar à terra fria.
Em volta só vejo o mal
Deste meio social,
E espero sozinho o dia
De minha hora derradeira…
A saudade é companheira
De quem não tem companhia.

* * *

José Lucas de Barros glosando o mote:

A viola, em silêncio, está chorando,
Com saudade da voz do violeiro.

Chico Motta viveu de cantoria,
Imitando as graúnas sertanejas,
Nos ardores de inúmeras pelejas
Que aprendeu a enfrentar com galhardia;
Seu programa, nem bem raiava o dia,
Acordava o sertão alvissareiro,
Mas, depois do seu verso derradeiro,
Que inda está, nas quebradas, ecoando,
A viola, em silêncio, está chorando,
Com saudade da voz do violeiro.

* * *

Pinto do Monteiro glosando o mote:

Aquela chuvinha fina
Me faz chorar de saudade.

Me lembro perfeitamente,
Quando em minha idade nova,
O meu pai cavava a cova
E eu plantava a semente.
Eu atrás, ele na frente,
Por ter força e mais idade,
Olhando a fertilidade
Da vastidão da campina,
Aquela chuvinha fina
Me faz chorar de saudade.

* * *

Severino Ferreira glosando o mote:

O Nordeste poético ainda chora
Com saudade de Pinto do Monteiro.

Sei que Pinto deixou como recinto
A Monteiro que é sua cidade
O Nordeste até hoje tem saudade
De um poeta pacato e tão distinto
Outro galo não faz mais outro pinto
Que seja poeta e verdadeiro
Se pegar a galinha no terreiro
E tentar fabricar o ovo “gora”
O Nordeste poético ainda chora
Com saudade de Pinto do Monteiro.

* * *

Waldir Teles glosando o mote:

Quando morre um alguém que a gente adora
Nasce um broto de dor no coração.

Quando morre um parente ou um amigo
Resta só lamentar, ninguém dá jeito
A tristeza se aloja em nosso peito
A angústia se apossa do abrigo
O seu corpo levado pra o jazigo
É seguido por uma multidão
Nem compensa apertar na sua mão
É inútil dizer não vá agora
Quando morre um alguém que a gente adora
Nasce um broto de dor no coração.

* * *

Jó Patriota glosando o mote:

A casa que tem criança
Deus visita todo dia.

Quando a criança adormece
A mãe já fraca do parto
Nos quatro cantos do quarto
Deus em pessoa aparece.
O Santo Espírito desce
Distribuindo alegria
Aquela rede sombria
Tem uma mão que balança
A casa que tem criança
Deus visita todo dia.

* * *

PELEJA DE MANOEL RIACHÃO COM O DIABO – Leandro Gomes de Barros

Riachão estava cantando
Na cidade de Açu
Quando apareceu um negro
Da espécie de urubu,
Tinha a camisa de sola
E as calças de couro cru.

Beiços grossos e virados
Como a sola de um chinelo,
Um olho muito encarnado,
O outro muito amarelo,
Este chamou Riachão
Para cantar um duelo.

Riachão disse: — Eu não canto
Com negro desconhecido
Porque pode ser escravo
E andar por aqui fugido
Isso é dar cauda a nambu
E entrada a negro enxerido.

Negro

— Eu sou livre como o vento
E minha linhagem é nobre
Sou um dos mais ilustrados
Que o sol neste mundo cobre.
Nasci dentro da grandeza
Não sai de raça pobre.

Riachão

— Você nega porque quer
Está conhecido demais
Você anda aqui fugido
Me diga que tempo faz?
Se você não for cativo
Obras desmentem sinais.

Negro

— Seja livre ou seja escravo
Eu quero cantar martelo
Afine a sua viola
Vamos entrar em duelo
Só com a minha presença
O senhor está amarelo.

Riachão

— Vejo um vulto tão pequeno
Que nem o posso enxergar
Julgo que nem é preciso
Nem a viola afinar
Pela ramagem da árvore
Vê-se o fruto que ela dá.

Negro

— Riachão isto é frase
De homem muito atrasado
Porque são vistos fenômenos
Que na terra se têm dado:
Uma cobra tão pequena
Mata um boi agigantado.

Riachão

— Meu riacho pela seca
Dá cheias descomunais
Na correnteza das águas
Descem grandes animais
Jibóias, surucujubas
E jaguares a mais.

Continue lendo

DEU NO TWITTER

EVENTOS, ESPETÁCULOS E BABADOS

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

UM TIME DA PORRA: SÓ BANDIDOS

Comentário sobre a postagem LINDOS FUCINHOS

Mario:

As figuras representam os países do Foro de São Paulo.

Vamos lá, da Esquerda (eca!) para a Direita (oba!):

Chavez (Venezuela), Lula (Brasil), Evo Morales (Bolívia), Obrador (México), Fidel Castro (Cuba), acho que é o Lenin Moreno (Equador), Cristina Kirchner (Argentina).

Só gente fina…