PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

ALMA SOLITÁRIA – Cruz e Sousa

Ó Alma doce e triste e palpitante!
que cítaras soluçam solitárias
pelas Regiões longínquas, visionárias
do teu Sonho secreto e fascinante!

Quantas zonas de luz purificante,
quantos silêncios, quantas sombras várias
de esferas imortais, imaginárias,
falam contigo, ó Alma cativante!

que chama acende os teus faróis noturnos
e veste os teus mistérios taciturnos
dos esplendores do arco de aliança?

Por que és assim, melancolicamente,
como um arcanjo infante, adolescente,
esquecido nos vales da Esperança?!

Colaboração de Pedro Malta

FALA, BÁRBARA !

J.R.GUZZO

O FIM NÃO ESTÁ PRÓXIMO – ELE CONTINUA FIRME E FORTE

Falta um mês para acabar o ano de 2019 e, pelo jeito, o governo do presidente Jair Bolsonaro vai conseguir completar o seu primeiro aniversário. Como assim? Já não deveria ter acabado? Desde o dia em que tomou posse, em 1º de janeiro, os mais sábios debates de ciência política levados ao público por um regimento inteiro de comunicadores cinco estrelas, “influenciadores”, politólogos, intelectuais, mestres de sociologia, filosofia e brasiologia, homens e mulheres de intelecto superior, etc, etc, asseguraram a todos: “O fim está próximo. Arrependam-se.”

De lá para cá, porém, parece que alguma coisa deu errado. O governo continua aí, dando expediente diário a partir das 7 horas da manhã. Seu falecimento foi adiado, pelo que mostram os fatos. Quem sabe ficou tudo para o ano que vem?

O fato é que o cidadão passou os últimos onze meses sendo informado da existência de acontecimentos que não estavam acontecendo. Escolha por onde você quer começar: para qualquer lado que olhe, o resultado vai ser o mesmo. Não saiu, até agora, o genocídio dos negros, gays, índios, mulheres, favelados e pobres em geral que tinha sido anunciado como uma certeza quase científica – era só o novo governo assumir, garantiam os especialistas mencionados acima, e o extermínio dessa gente toda ia começar.

Onde o projeto falhou? Continuam todos vivos – e não há sinais de que o governo vai fazer neste último mês de 2019 o que não conseguiu fazer durante o ano inteiro. Também não foi possível observar a liquidação do Congresso Nacional, a eliminação dos direitos e garantias constitucionais e o envio dos dois soldados e do cabo que iriam fechar o Supremo Tribunal Federal. A floresta amazônica não foi queimada para agradar o “agronegócio”; até ontem continuava lá, do mesmo tamanho que tinha em janeiro.

Onde foi parar, igualmente, a “morte política do governo”, que não tinha sabido negociar a distribuição de ministérios e outros cargos “top de linha” com os políticos – e, por isso, “não conseguirá governar”? Deve ter ficado para o ano que vem ou ainda mais adiante, pois o governo conseguiu aprovar, com velocidade recorde, a reforma da Previdência e o “Pacto Federativo”, que funcionará como um grande tratado de paz com os estados e municípios – além de uma penca de outras coisas.

O ministro do Exterior iria destruir praticamente todo o sistema de relações diplomáticas entre o Brasil e o resto do mundo. Não aconteceu. A ministra da Agricultura seria banida da cena internacional civilizada, por liberar “agrotóxicos”. Não aconteceu. O ministro do Meio Ambiente não aguentaria 15 minutos no cargo, por ser uma afronta à comunidade ambientalista, aos cientistas e ao Tratado de Paris. Não aconteceu.

E a China, então? Onze entre dez altíssimos especialistas em “comércio exterior” garantiram, com convicção definitiva, que as exportações do Brasil para “o nosso maior parceiro” seriam destruídas em poucas horas, pela postura do governo a favor do presidente Donald Trump. O mesmo, exatamente, iria acontecer com “o mundo árabe”, outro importador gigante de produtos brasileiros. Como o governo havia anunciado sua intenção de mudar a embaixada do Brasil de Telavive para Jerusalém, em Israel, nunca mais os árabes comprariam um único e miserável frango nacional.

Mais que tudo, talvez, há o mistério do ministro Sergio Moro. Foi provado nos mais sagrados santuários da mídia, da vida política e do universo intelectual, com a exatidão com que se calcula a área do triângulo, que ele “estava fora” do governo – liquidado pelas “gravações” de delinquentes digitais, pelo Coaf, pelos ciúmes de Bolsonaro, e 100 outras crises fatais. O homem continua lá, firme como o cacique Touro Sentado.

Com crises assim, vai ser preciso engolir esse governo não apenas por um ano – ou mudam as crises, ou eles ficam lá pelos próximos sete.

DEU NO TWITTER

NÃO EXISTE MAIS LUGAR PRA LAPA DE CORRUPTO SE ESCONDER

ALEXANDRE GARCIA

DEU NO TWITTER

CURIOSIDADE

* * *

Ao ver esta postagem no Twitter fiquei numa curiosidade danada.

Alguém poderia me informar em que cidade fica esta praça Sérgio Pacheco?

Praça que foi abalada e pisoteada pela fantástica multidão de militantes descerebrados participando do ababacado ato do Lula Livre.

Agradeço antecipadamente ao leitor que me der esta informação.

AUGUSTO NUNES

AMANTE NOSTÁLGICA

Gleisi morre de saudade do tempo em que o Brasil se submetia a Fidel Castro e Hugo Chávez, entre outros ditadores companheiros

“A amizade de Bolsonaro com os EUA e sua posição submissa a Trump dá nisso. Os EUA pensam nos EUA e o Brasil passou a pensar também. Vergonhoso e humilhante para o povo brasileiro essa decisão americana. Cadê os benefícios dessa política de alinhamento?”.

Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente do PT, conhecida pelo codinome Amante no Departamento de Propinas da Odebrecht, com saudade do tempo em que os presidentes brasileiros se submetiam aos interesses de Fidel Castro, Hugo Chávez, Robert Mugabe, Teorodo Obiang, entre outros ditadores companheiros.

DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURI – SÃO PAULO-SP

O resultado do PISA 2018 demonstra que o PT pisou no futuro dos nossos jovens.

Vejam a reportagem do Antagonista sobre a péssima herança deixada pelo PT nos 16 anos de governo:

¨Os resultados do Pisa 2018 mostram que a educação brasileira permanece um desastre

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) divulgou os resultados do PISA 2018, o exame de avaliação de alunos de 15 anos coordenado pela entidade e realizado a cada 3 anos.

O Brasil, para variar, ficou abaixo da média das 79 nações cujos estudantes foram avaliados. No ranking geral, o Brasil ficou em 57° lugar em leitura, em 70° em matemática e em 66° em ciências. A China passou a ocupar o primeiro lugar nas três competências….. “

Considerando que estes alunos avaliados em 2018 tinham 15 anos, então podemos dizer que estudaram 100% do tempo no governo do PT.

Esta é a pior herança que um presidente e uma “presidenta” poderiam deixar para as gerações futuras.

Considerando que neste período passaram pelas escolas mais 60 milhões (SESSENTA MILHÕES) de alunos então podemos dizer que o Brasil vai penar muito para progredir.

E tem gente que ainda apoia este pessoal.

CHARGE DO SPONHOLZ