PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO DA PUTA ASSOMBROSA – Bocage

Pela rua da Rosa eu caminhava
Eram sete da noite, e a porra tesa;
Eis puta, que indicava assaz pobreza,
Co’um lencinho à janela me acenava:

Quais conselhos? A porra fumegava;
“Hei de seguir a lei da natureza!”
Assim dizia e efeituou-se a empresa;
Prepúcio para trás a porta entrava:

Sem que saúde a moça prazenteira
Se arrima com furor não visto à crica,
E a bela a mole-mole o cu peneira:

Ninguém me gabe o rebolar d’Anica;
Esta puta em foder excede à Freira,
Excede o pensamento, assombra a pica!

Colaboração de Pedro Malta

DEU NO TWITTER

DEU NO JORNAL

UM PAJARACA DE JUMENTO NO FURICO

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, requisitou um jato da Força Aérea Brasileira para o último dia 14 de novembro.

Decolou de Brasília às 18h45. Aterrissou no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, às 20h35.

No registro do Comando da Aeronáutica, está escrito que Toffoli viajou a “serviço”.

Entretanto, não há vestígio de compromisso oficial na agenda do ministro, disponível no site do tribunal. Em verdade, Toffoli viajou à capital paulista para celebrar o seu aniversário. A festa ocorreu em 16 de novembro.

Toffoli completou 52 anos no feriado de 15 de novembro, dia em que a proclamação da República fez aniversário de 130 anos. Organizou a festa para o dia seguinte, um sábado (16). No domingo (17), retornou a Brasília — novamente a bordo de um jato da FAB.

Decolou de Congonhas às 20h15. Pousou na capital às 21h45. A exemplo do que fizera no primeiro voo, a Aeronáutica anotou em sua planilha que Toffoli estava a “serviço”.

Falso. O ministro estava de folga. Sua agenda no Supremo manteve-se inativa no período de 14 a 17 de novembro.

* * *

Em se tratando de um lulo-petista, isto é um fato corriqueiro e normal.

Paus mandados de Lapa de Corrupto adoram estas mordomias do estado.

Petista algum consegue sobreviver sem mamar nos fartos biquinhos dos peitos do Erário.

De minha parte, ao invés de parabéns, eu desejo que Tofinho vá se fuder supremamente.

E de presente, eu desejo que seja enfiado no olho do furico dele a pajaraca do jumento Polodoro.

– Vai te lascar, seu canalha safado!!!

 

A PALAVRA DO EDITOR

CONVERSANDO MIOLO-DE-POTE NA MESA DO BAR

Hoje, sábado, 22, vou participar do programa Mesa de Bar, comandado pelo radialista Wagner Gomes. 

Uma das maiores audiências da Rádio Jornal aqui do Recife.

O programa é transmitido ao vivo e começa daqui a pouco, às 11 da manhã.

Para acessar a página da rádio, basta clicar aqui

Estarei lá em excelente companhias.

Conto com a divulgação e a audiência de todos vocês!!!

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

UM EXCELENTE NOVO ANO ESTÁ CHEGANDO

Faltam apenas 38 dias para o fim do ano.

E, apesar de todos os alertas daqueles que achavam que o mundo ia acabar após a eleição presidencial do ano passado, o País sobrevive.

Até melhorou.

* * *

E como melhorou!!!

Extinguir e enterrar o PT foi uma melhora da porra.

Vai melhorar mais ainda daqui pro Ano Novo.

E 2020 será um ano arretado!!!

Aguardem.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

NERISE GALVÃO – FORTALEZA-CE

Grande Berto!!

Acho que este vídeo merece ser publicado na nossa gazeta escrota.

Esta moça expressa o pensamento dos nordestinos nos dias de hoje.

Agradeço sua atenção e mando um grande abraço!

Aproveito pra dizer que sou grande admiradora da obra de Xico Bizerra.

Por favor, transmita a ele este recado.

Atenciosamente.

R. Seu abraço ao Xico Bizerra, colunista do JBF e um dos maiores compositores da atualidade, já foi transmitido.

Ele mandou agradecer do fundo do coração.

Cara leitora, acho que esta moça do vídeo está certíssima.

Lapa de Corrupto se lascou-se mesmo em todo o território da Nação Nordestina.

Ele tá mais sujo do que pau de galinheiro por aqui por estas bandas.

Veja só este flagrante feito no Recife, à beira mar, na praia da Boa Viagem:

DEU NO JORNAL

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VIOLANTE PIMENTEL – NATAL-RN

Caro Editor,

Segue o comprovante da doação de novembro/2019.

Um abraço!

R. Já está na conta do JBF!!!!

Muito obrigado pela doação, minha cara colunista fubânica.

A generosidade de vocês, leitores e colunistas, é que mantém esta gazeta escrota no ar.

Chupicleide, nossa secretária de redação, ficou feliz que só a peste e mandou avisar que quem quiser se inspirar no seu exemplo, e também fazer uma doação, é só seguir as instruções aí do lado direito.

Bartolomeu, o nosso competente técnico, também ficou se rindo-se, pois já sabe que no próximo dia 1º, quando devemos pagar a ele a taxa mensal de hospedagem, vai ter saldo suficiente pra cobrir o compromisso.

Abraços e um excelente final de semana!

JOSÉ NARCELIO - AO PÉ DA LETRA

OLHO TURCO

Havia um bom tempo que me intrigava um ornamento concebido no formato de gota ou de círculos concêntricos, associados numa sequência de tonalidades da cor azul-cobalto obedecendo o seguinte ordenamento, partindo de dentro para fora: azul escuro, azul claro, branco e, novamente, azul escuro.

De uma hora para outra descobri a tal imagem onipresente em chaveiros, escritórios, cadernos, geladeiras, adesivos e, principalmente, em adereços femininos tais como colares, braceletes, pulseiras e até em correntes para tornozelos. Nunca me preocupou saber o significado de tal desenho.

Saindo de uma sessão cinematográfica de um shopping de Natal encontro, no corredor de acesso ao estacionamento, um brinco com a enigmática imagem. Recolho o objeto – certamente desprendido de uma orelha onde integrava um par – e o jogo num dos compartimentos internos da porta do carro.

Ali o pus e dele esqueci. Ao notar uma grande amiga portando pulseira contendo gotas assemelhadas ao do meu achado, sem conter a curiosidade, perguntei: Fulana, o que significa esse símbolo? – falei apontando para a peça no seu pulso.

Imagem de “olho turco”

Ela não fez por menos, tascou-me uma baita descompostura: Como é que pode, um cara metido a escritor não saber que isto é um “olho turco”. E muito menos de sua serventia contra o “mau-olhado!”. Imune aos ataques da querida maluca-beleza, nada respondi. Já estava de posse do nome do objeto, até então, meu desconhecido.

Pois bem, o “olho turco” também chamado de “olho grego” é um amuleto usado contra o “mau-olhado”. Quando se trata de afastar as forças místicas malignas do mundo, talvez não exista talismã mais famoso do que o tal “olho turco”.

A difusão da imagem do patuá, na última década, dá a impressão de popularidade passageira. Entrementes, a verdade é que há milhares de anos o amuleto se mantém vivo na imaginação humana como o encanto mais eficiente para afastar o “mau-olhado”, transferido mediante olhar malicioso em geral decorrente da inveja.

Tratando aqui do poder do “mau-olhado”, lembrei de minha avó paterna, Severina, uma cristã de fé inabalável temente ao “mau-olhado”. Certa vez, uma visita inesperada entrou na sua casa e, ao sair, um jarro com flores murchou. Dona Severina não contou conversa, chamou uma “rezadeira”, sua conhecida, que de posse de um ramo de arruda benzeu toda a casa.

Ao passo que a “rezadeira” se adiantava na benzedura o ramo ia murchando. Ao terminar o processo, a planta estava totalmente desidratada, prova de que a casa ficara livre do olhar invejoso… E seus moradores livres da provável maldição.

O mesmo efeito se espera do “olho turco”. Contudo, o que fascina nele não é sua longevidade e o fato de que seu uso se manteve com o mesmo propósito ao longo de milênios. Embora o símbolo tenha a capacidade de transcender limites, pode valer a pena considerar o seu significado além de uma questão de moda.

O “olho turco” é remanescente do início da civilização e abarca algumas das crenças mais duradouras e profundas da humanidade. Eu não me considero um indivíduo supersticioso, porém, no poder maléfico da inveja eu acredito.

Está decidido! Pelo sim pelo não, manterei ao alcance do olhar o amuleto encontrado num corredor de shopping que ali estava à minha espreita.