DEU NO TWITTER

GOIANO BRAGA HORTA - ARCO, TARCO E VERVA

CONSELHO DE DOIDO

Como foi amplamente noticiado, Jair Bolsonaro, usando o poder do cargo, determinou que, dentre as assinaturas de periódicos feitas pelo governo, uma delas fosse cancelada para todos os órgãos da administração executiva – se eu estiver errado me corrijam.

Estaria aí o primeiro motivo para que o interessado direto ingressasse na justiça.

O Estado tem, em tese, o direito, que não iremos discutir, de escolher os jornais e revistas que, a seu critério, servirão de fonte de informação para seus órgãos.

Assim, poderia ter deixado de incluir qualquer jornal no rol das assinaturas.

Da mesma forma, poderia ter cancelado a assinatura de algum deles que, a critério do poder executivo, não estivesse atendendo ao interesse do poder público de informar-se, ou que de alguma forma estivesse desviando-se de regras de conduta, por exemplo, ingressando no ramo dos atentados à moral e aos bons costumes.

Mas ao motivar o ato, declarando que mandou cancelar a assinatura do jornal por ele o estar atacando, o presidente da república rompeu com a impessoalidade, a moralidade e a legalidade do ato administrativo.

É possível que a turma do deixa disso tenha aconselhado a direção do jornal a deixar correr frouxo.

Advogados podem, eventualmente, temer que certos viéses da lei não sejam tão objetivos que garantam o sucesso da causa contra um poder que poderoso se alevanta, o que poderia levá-los a participar do aconselhamento de cautela e caldo de galinha no caso.

Mas a audácia do presidente trouxe mais um elemento de apoio para a briga.

Jornais são empresas que visam, acima dos ideais da democracia, ao lucro.

É o que esperam os acionistas.

Ao chantagear os anunciantes, como o fez, ao adverti-los de que tivessem cuidado com o onde anunciam, Jair Bolsonaro usou do poder de presidente da república para minar, pelo terror, o principal setor dos jornais: a publicidade.

Se conviesse ao prejudicado ir mais além de restabelecer o contrato, interessaria também ao jornal obter a reparação por perdas e danos e eventual condenação pelo abuso moral, sendo que impor-se-ia, mesmo, a abertura da competente investigação a respeito de crime de responsabilidade.

A Folha pode, e deveria, processar o presidente da república.

Já passou da hora de o governante entender que o agente público não tem vontades.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO DA CÓPULA CANINA – Bocage

Quando no estado natural vivia
Metida pelo mato a espécie humana,
Ai da gentil menina desumana,
Que à força a greta virginal abria!

Entrou o estado social um dia;
Manda a lei que o irmão não foda a mana,
É crime até chuchar uma sacana,
E pesa a excomunhão na sodomia:

Quanto, lascivos cães, sois mais ditosos!
Se na igreja gostais de uma cachorra,
Lá mesmo, ante o altar, fodeis gostosos:

Enquanto a linda moça, feita zorra,
Voltando a custo os olhos voluptuosos,
Põe no altar a vista, a ideia em porra.

Colaboração de Pedro Malta

ALEXANDRE GARCIA

DEU NO JORNAL

NOTÍCIA BOA QUE SÓ A PORRA!

A deputada petista Maria do Rosário teve o carro roubado hoje no centro de Porto Alegre, enquanto participava de um ato do sindicato dos professores.

Dois criminosos armados renderam o funcionário da parlamentar e o levaram junto.

A vítima foi libertada pouco depois, na zona leste da capital gaúcha, e passará por atendimento médico.

A deputada não estava no carro no momento da abordagem.

* * *

Lamentável.

Lamentável mesmo.

É lamentável que Maria do Rosário não estava no veículo na hora em que os pobre excluídos fizeram a expropriação do seu carro (a palavra “criminoso” foi usada indevidamente nesta notícia aí de cima).

Se ela estivesse no carro na hora do assalto, eu ia rir mais do que Polodoro e minha prima Severina Bosticléia juntos!!!

FALA, BÁRBARA !

DEU NO TWITTER

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO JORNAL

STF: UM ESGOTO PRESIDIDO POR UM BOSTA

Júlio Marcelo de Oliveira, procurador do Ministério Público junto ao TCU, foi ao Twitter para comentar a notícia de que Dias Toffoli pediu e levou dados de movimentações financeiras de 600 mil cidadãos e empresas.

Apesar da aparente normalidade, estamos vivendo há meses um estado de exceção comandado por quem tinha o dever de proteger os direitos e garantias individuais dos cidadãos contra os abusos do Estado. Os senadores e os demais ministros do STF precisam atuar.”

Procurador Júlio Marcelo de Oliveira

* * *

Francamente, tem horas que me bate um desânimo da porra.

Saber que na presidência do órgão máxima da justiça do meu país tem um canalha, um patife do calibre de Toffoli, é pra desmanchar qualquer esperança.

Mas, vamos resistir.

Vamos lutar pra limpar este esgoto imundo chamado STF.

Começando pelo Gilmar Boca-de-Buceta, cujo impeachment é o principal, o mais divulgado, o mais comentado e o mais curtido assunto na internet.

Depois vem o resto da fila: Marco Aurélio, Lewandowski, Fulano, Sicrano, Beltrano, Bosta-de-Vaca, Catingosa, Cabra Safado, Bufona…

Em último caso, se não conseguirmos fazer a limpeza, vamos começar a pensar no cabo e no soldado…

DEU NO TWITTER