DEU NO JORNAL

DESENCARCERADOS BOTARAM NO FURICO DA ATRIZ VERMÊIA

Alessandra Negrini foi assaltada na última terça-feira (5), na Consolação, bairro do centro de São Paulo, por volta das 21 horas.

A atriz estava em um táxi quando quatro homens cercaram o carro e abordaram o motorista. Um dos criminosos estava armado e pediu os celulares dos dois.

A atriz registrou o caso no 4º Distrito Policial, na região onde ocorreu a abordagem. O bando fugiu com os aparelhos.

Alessandra passa bem e bloqueou o chip do celular, mas não conseguiu fazer o reconhecimento dos assaltantes.

* * *

O fato relatado nesta notícia aí de cima se assucedeu-se na semana passada.

A bela Alessandra Negrini foi vítima de quatro pobres excluídos pela sociedade capitalista e burguesa.

A propósito deste assunto, vejam só o vídeo que recebi do leitor fubânico Flávio Holanda, residente em Jaraguá do Sul-SC.

Eu chega se mijei-me todinho de tanto se rir-se-me.

Vejam:

ALEXANDRE GARCIA

DEU NO JORNAL

SUPREMO LAXANTE FEDERAL

Ministros do STF colocam nas ruas escroques como Renato Duque, braço corrupto do então ministro José Dirceu na Petrobras.

O sujeito é tão perigoso que já acumula 123 anos de condenações à prisão.

* * *

O laxante STF é muito eficaz.

Solta merda que só a porra.

E nas canetadas de Gilmar, aí que é a merda corre solta mesmo!!!

MAURÍCIO ASSUERO - PARE, OLHE E ESCUTE

FÉRIAS COLETIVAS

Imaginei que depois do dia 07/11/2019 o STF entrasse em férias coletivas, afinal nada mais para fazer a partir dessa data. Não há mais recursos impetrados pela defesa de Lula para entrar em pauta urgente. Votaram pelo fim da prisão em segunda instância desfazendo uma decisão de 2016 quando acharam que isso não violava a Constituição Federal. Logicamente, a única motivação para mudar esse entendimento foi a prisão de Lula, ou seja, se Lula tivesse sido preso em novembro de 2016, a partir de dezembro daquele ano teria iniciado essa discussão.

Quais os efeitos diretos dessa atitude? Abriram as portas da cadeia e botaram na rua, sem tornozeleira, José Dirceu que foi pego em falcatruas enquanto estava preso pelo crime do mensalão e recebia propina pelos contratos da Petrobras; Delúbio Soares e João Vaccari Neto, tesoureiros do PT que foram processados, julgados, condenados e presos. Uma festa, sem dúvida, e embora estejam por aí bebendo à saúde dos 6 guardiões da Constituição que lhes premiaram, a tão sonhada liberdade não significa inocência. O que se fez foi dar-lhes o direito de protelar a decisão final. E por essa razão, achei que o STF teria férias coletivas, mas acho que estou falando cedo demais.

Na verdade não basta tirar Lula da cadeia. O interesse maior agora é anular a condenação baseada nas conversas vazadas. Gilmar Mendes tem um objetivo maior: humilhar publicamente Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e os procuradores da Lava Jato. Deltan está sendo processado por Renan Calheiros e por Kátia de Abreu. O primeiro, um corrupto eterno salvo pela prescrição dos crimes praticados que são julgados pelo STF. Renan, não só acredita na sua impunidade como manipula o sistema em benefício próprio.

Então, o STF entendeu que o correto é cumprir a Constituição, mas Lewandowski não fez isso no impeachment de Dilma. Está na Constituição que o presidente impedido deve perder os direitos políticos por 8 anos. Dilma foi candidata ao senado por Minas e o povo a tirou da vida pública definitivamente. Ela nunca mais vai concorrer a nenhum cargo público. Vai gastar nosso dinheiro com suas viagens internacionais. Mas, o recado foi dado: cumprir o que diz a Constituição. Nesse sentido, devo acreditar que a esquerda vai entender que o presidente atual foi eleito, democraticamente, pela vontade da maioria e que seu mandato termina em 31.12.2022. Estou sendo ingênuo? Claro que sim! A porcaria da constituição que nos guia foi feita para ser respeitada naquilo que interessa. Isso é fato.

Vamos a um exemplo: no último dia 08, um dia após a votação da prisão em segunda instância, a turma virtual do STF negou um habeas corpus para um cara que furtou um rádio de comunicação, no valor de R$ 70,00, de uma faculdade em Betim (MG), pertencente a Walfrido dos Mares Guia, ex-ministro do governo Lula e associado a falcatruas como o mensalão mineiro. Saiu do ministério sob suspeitas de corrupção. Observem o grau de coerência do STF. Um cara rouba bilhões e está solto, outro faz um furto de R$ 70,00 e não tem nem chance de uma pena alternativa. Para esse não vale o “até que se prove em contrário”.

O melhor que se faz agora é reorganizar as forças e atuar de forma intensiva junto ao senado para acatar o pedido de impeachment de Gilmar Mendes, embora eu acredite que seria melhor iniciar por Lewandowski. A lição sobre o STF precisa ser exemplar e para isso a pressão sobre Davi Alcolumbre deve ser extrema, mas não adianta o Brasil inteiro pressionar e o pessoal do Amapá, que o elegeu, não cobrar. O recado para ele deve ser dado a partir de lá e ser bastante claro: “a maioria da sociedade deseja o impeachment de Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Lewandowski e Marco Aurélio. Se ganharmos o “juiz de merda” Celso de Mello, a gente agradece”. A proposta de Alcolumbre de uma nova constituição é uma forma de desviar as atenções da prisão em segunda instância.

Não se pode considerar como guardião da constituição que não tem respeito por ela. Dias Toffoli, numa palestra para uma calourada, em 2014, contou o caso de um advogado que defendia uma causa com ele e roubou um processo que estava para ser dado uma liminar favorável a um despejo de pessoas num terreno pertencente a Caixa Econômica Federal.

Isso é absurdo. O cara atuou contra o interesse público e de forma desonesta. Como podemos confiar a presidência da maior instância do país a um cara que admite que se beneficiou do roubo de um processo? Cabe ao povo fazer a faxina ética do legislativo. Ano que vem tem eleições municipais. Veja em que você vai votar tanto para vereador quanto para prefeito.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ADAIR MACHADO – GOIÂNIA-GO

Berto,

Mandei uma prebenda para o JBF.

Afinal, Chupicleide, Polodoro e Xolinha precisam comer alguma coisa.

Cuide da Xolinha, ela anda toda machucada, dê testosterona para o Polodoro, ele vai precisar muito, se a coisa entornar, e os patifes tomarem naquele lugar.

R. Meu caro, eu achei arretada esse palavra “prebenda”, que você usou pra designar a generosa doação que fez pra esta gazeta escrota.

Vou ficar aqui torcendo pra que todos os demais leitores fubânicos entrem na onda e também “prebendem” com mais ofertas que ajudem o nosso caixa,  sempre no vermelho (Xô!!!)

O trio Chupicleide, Xolinha e Polodoro está fazendo a maior festa aqui na redação, todos agradecendo a você.

A propósito, Polodoro treina todos os dias com a égua Carminha.

Treinando pra quando cruzar com Lapa de Corrupto, que está solto, mas não está livre.

A intenção do nosso estimado jumento é enfiar a pajaraca no furico do maior corrupto da história deste país sem cuspe e sem vaselina.

Veja só Polodoro em pleno treinamento cívico anti-corrupcional:

CHARGE DO SPONHOLZ

AUGUSTO NUNES

PARCERIA REVOLUCIONÁRIA

Fernández quer usar vento brasileiro estocado por Dilma para desenvolver a energia eólica na Argentina

“Com Lula livre sopram outros ventos no Brasil”.

Alberto Fernández, presidente eleito da Argentina, numa conversa com o colega francês Emmanuel Macron, insinuando que vai montar em parceria com Dilma Rousseff um plano binacional para o desenvolvimento da energia eólica na terra do tango usando estoques de vento brasileiro.

DEU NO JORNAL

TABEFE REEDUCA MELHOR

Os deputados do PSL Carla Zambelli (SP) e Ubiratan Sanderson (RS) protocolaram nesta segunda-feira na Procuradoria-Geral da República um pedido para prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com base na Lei de Segurança Nacional e no Código Penal.

Segundo os parlamentares, Lula incentivou a subversão da ordem pública ao discursar no último sábado, em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, que “a gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, do povo da Bolívia, a gente tem que resistir. Na verdade, atacar e não apenas se defender”.

“Disso se extrai que, a despeito de sua soltura, o ex-presidente Lula continua a perpetrar crimes contra a ordem pública, incitando a violência com o intuito de promover desagregação, confusão e balbúrdia no seio da população brasileira”, escreveram os parlamentares, pedindo a imediata prisão preventiva ao petista.

* * *

Ao invés de prisão, o melhor seria um tabefaço.

13 tabefes no comedor de lavagem e mais 13 no escutador de novelas.

Dados por um cabra com a mão bem grande e bem pesada.

Não tem punição melhor que esta pra um cabra safado e desordeiro do porte de Lapa de Corrupto.

PERCIVAL PUGGINA

ESCRIBAS E FARISEUS

Leitor escreve para trazer à reflexão a passagem do Evangelho de Lucas em que Jesus enfrenta os fariseus incomodados com o fato de ele curar enfermos no sábado, quando, segundo a Lei, era proibido trabalhar. “O que é permitido fazer no sábado – pergunta Jesus – o bem ou o mal, salvar a vida ou destruí-la”?

A questão, muito bem lembrada, se encaixa perfeitamente nas razões alegadas pelos seis ministros do STF que decidiram abrir as portas das prisões restituindo à liberdade corruptos e corruptores, e esterilizando a Lava Jato. Diziam-se presos à literalidade dos preceitos, embora com tanta frequência passem por cima deles com o trator da própria vontade, gosto ou desgosto.

Essa desastrosa e desastrada composição do STF vive às turras com a nação. Solta bandidos e atribui à iniciativa intenções didáticas, convicta de exercer um papel contramajoritário. De fato, com frequência, as posições que assume coincidem com pequena minoria da sociedade, mas ferem o senso moral da imensa maioria dos brasileiros. Boa parte da Corte se assemelha aos escribas e fariseus dos Evangelhos, que, em leitura desajuizada da lei, nem mesmo o bem se permitiam fazer…

Quem buscou avaliar o sentimento da população em relação à abertura das portas das prisões para a revoada dos rapinantes de colarinho branco, certamente pode perceber o efeito maligno da decisão do Supremo. O descrédito do brasileiro nas instituições em geral, na Constituição e na cúpula do Judiciário em particular é proporcional às disparatadas decisões das últimas semanas.

Não esqueçamos que dias antes do “liberou geral”, do “grito de carnaval da bandidagem” em 7 de novembro, a Corte havia acolhido a exótica pretensão de um corrupto que clamou pela prerrogativa de falar por último nas alegações finais do processo em que foi condenado. Com isso, já naquela decisão, abriram, na parede da cadeia, um buraco através do qual mais de uma centena de criminosos poderão voltar às ruas debochando da lei, rindo dos honestos. E o Brasil retorna à regra geral da impunidade, presente de fim de ano proporcionado pelo Supremo Tribunal Federal deste maltratado país.

Enquanto Lula discursava rufando tambores de guerra, eu pensava na necessidade de imprimir na escassa memória nacional que o desastre em curso só aconteceu devido à ação de tipos humanos tão impopulares e rejeitados quanto Dias Toffoli e Gilmar Mendes. O estrago todo só aconteceu porque ambos decidiram agir contra o que apoiavam e a apoiar o que rejeitavam. De caso pensado.

Já não nos basta um STF dividido na base de 6 x 5; temos, também, ministros com convicções fluidas, instáveis, cambaleantes. Conferem insegurança jurídica aos agentes da lei e esgrimam argumentos para conferir regalias jurídicas… à bandidagem. Com as palavras de Verdi no Rigoletto, são móveis “qual piuma al vento”.

O que motiva essas oscilações típicas de palanque de banhado fica ao juízo soberano dos leitores.

DEU NO TWITTER