CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

XICO BIZERRA – JABOATÃO DOS GUARARAPES-PE

Estamos na final do Festival Nacional do Frevo concorrendo, na categoria FREVO-CANÇÃO, com o Frevo O ÚLTIMO RAIO DA LUA.

Até a Final, em 07.12, você pode assistir ao vídeo da música e votar nela acessando o site Festival Nacional do Frevo e registrando o seu voto.

Clique em ‘’CLIQUE AQUI PARA ESCOLHER SUA MÚSICA” e vote.

Vou ficar feliz se você fizer isto.

R. Grande Xico Bizerra, meu ilustre amigo, um dos maiores compositores nordestinos da atualidade e colunista do Jornal da Besta Fubana!!!

Já fui lá e já votei no seu frevo, O último raio de lua, composto em parceria com João Neto e interpretado por Edinho Queirós.

Fique certo que toda a comunidade fubânica também entrara lá pra dar o seu voto.

Os nossos solidários leitores irão todos participar desta disputa.

Aliás, vou aproveitar a oportunidade e fechar esta postagem com um dos maiores sucessos de Xico Bizerra, a música “Se tu quiser“, gravada por vários artistas, pra alegrar o nosso sábado com uma bela composição.

Aqui vai a interpretação de Elba Ramalho.

DEU NO JORNAL

OS PROTOZOÁRIOS DO ESTADO

Guilherme Fiuza

Um procurador pediu ao Tribunal de Contas da União a abertura de investigação sobre prejuízos causados à economia nacional pelo ministro Paulo Guedes – por conta de sua fala que mencionou o AI-5 (mencionou como algo indesejável, mas claro que isso sumiu no noticiário). O referido procurador disse que o ministro da Economia fez o dólar disparar. Cumpre fazer de saída um esclarecimento ao leitor: isto não é uma piada. Ou melhor: é, mas foi sem querer.

Você tem todo o direito de estar otimista com a agenda positiva de Paulo Guedes, que entregou em 2019 todas as metas fixadas por sua equipe – inclusive metas ousadas, como a lendária reforma da Previdência. Mas o seu otimismo, em se tratando de Brasil, não pode ficar cego para certos choques de realidade paleozoica como a descrita acima. Sim, o país ainda tem em seu serviço público, em áreas de alta responsabilidade – e com excelente remuneração – figuras carnavalescas como esse tal procurador.

Não o citaremos nominalmente apenas pelo singelo detalhe de que o objetivo de um procurador carnavalesco é procurar carnaval, como o nome já diz, e aí o melhor a fazer é economizar confete e serpentina para deixá-lo requebrando sozinho, sem música, sob as manchetes amigas.

A pirueta ridícula desse personagem nem mereceria qualquer comentário – por ser ridícula – mas, ainda que desprezível, ela tem sua importância: é uma representação alegórica do Brasil fisiológico que lutará com todas as suas forças contra a libertação do país. A agenda liberal em curso fará sumir do mapa boa parte desses parasitas de boa aparência apadrinhados pelos populistas simpáticos que arrancam as calças do povo, que ninguém é de ferro. A prova disso é que o primeiro-ministro Rodrigo Maia – aquele grande brasileiro que passa a vida tentando sabotar Paulo Guedes e depois vira pai das reformas dele – adotou o mesmíssimo discurso. Maia é hoje um dos despachantes dessa casta perfumada e reacionária que dorme e acorda pensando naquilo: sabotar o governo.

Rodrigo Maia disse – em sua enésima tentativa de estigmatizar Paulo Guedes – que a fala do ministro era um fator de insegurança para o país e negativa para a confiança dos investidores. Pare de ler este texto, dê uma rápida volta ao mundo e pergunte em todos os continentes quem poria seu dinheiro sob a responsabilidade de Paulo Guedes e quem o poria aos cuidados de Rodrigo Maia.

Perguntou? Pois é. Conclusão: Rodrigo Maia dizer que Paulo Guedes afasta investimento é mais ou menos como o capim declarar que o sol ameaça a vegetação. Ficou claro? Admita que nunca foi tão fácil entender a fotossíntese.

O procurador semianalfabeto que resolveu usar o TCU para fazer sua panfletagem colegial contra o fascismo imaginário deveria ser punido. Um servidor público pago por você não pode fabricar uma premissa vagabunda – o AI-5 como fator de pressão cambial não serve nem para samba-enredo – com o intuito de transformar a obrigação de fiscalizar as contas públicas num arroubo de politicagem. O nome disso é contrabando. Não tem ninguém vendo? Quem é que cuida da birosca?

Esse negócio de tráfico institucional já deu cadeia no Brasil – Lula está condenado a mais de um quarto de século de prisão justamente por usar as instituições para enriquecer o seu bando – e vem mais por aí. A decisão do TRF-4 condenando o ex-presidente em segunda instância no processo de Atibaia (e aumentando a pena em 5 anos) foi um recado claríssimo ao Supremo Tribunal Federal – que estava tentando melar esse processo na mão grande, com tramoias como aquela do caso Bendine. O sonho do STF é fazer os crimes da Lava Jato desaparecerem com uma varinha de condão.

O problema é que o Brasil real acordou e já avisou nas ruas que a grana do cartel fez o diabo pelos seus prepostos – menos lhes dar uma varinha de condão. Entendam de uma vez por todas, prezados protozoários de butique: o truque não funciona mais.

DEU NO JORNAL

PAPEL ALIMPADOR DE FURICO

Ontem na sexta-feira (29/11), o que mais se viu dentro dos carrinhos de compras no ASSAI em Fortaleza, foi papel higiênico na promoção do Black Friday.

O final do tudo digestivo agradece a gentileza.

A venda bateu todos os recordes, além do esperado.

Bateu também todos os outros itens consumidos na cesta básica.

Todo mundo de fiofó limpo, não é mera coincidência.

* * *

Esta notícia nos foi enviada pelo leitor Marcondes Ramalho, que mora lá na bela Fortaleza.

Quero informar que aqui no Recife a procura pelo papel limpador de furicos também foi em proporções piramidais.

Num mercado próximo daqui de onde moro, teve até troca de tabefes entre os cagões consumidores.

E a briga foi tema de reportagem do noticiário local. 

De modo que, depois de tal blequi fraidei, teremos um final de semana com todo mundo de fiofó devidamente limpo e higienizado.

PERCIVAL PUGGINA

O MISTERIOSO CASO DE CERTO SÍTIO EM ATIBAIA

Nota deste colunista: Por oportuno, reproduzo o artigo que escrevi em 16 de novembro do ano passado, antes do julgamento do caso pela 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba.

O rapaz, de nome Fernando, acalentava o sonho de possuir um sítio na aprazível Serra de Itapetinga para ali reunir amigos e familiares em momentos de convívio. Como não dispusesse dos meios necessários, juntou-os entre pessoas de suas relações e adquiriu, após muita busca, no município de Atibaia, uma propriedade com as características almejadas.

Vencida essa etapa, cuidou, então, de dar jeito nas benfeitorias existentes. Tanto a moradia quanto as demais construções e áreas de lazer precisavam de reformas que seriam custosas. Mas nenhuma dificuldade ou restrição financeira afastava o proprietário de seu objetivo. Fernando, como se verá, era robustecido pela têmpera dos vencedores. Se havia obra a ser feita no seu sítio, nada melhor do que confiá-la à maior empreiteira do Brasil.

Marcelo Odebrecht, requisitado, deslocou gente de suas hidrelétricas, portos e plataformas de petróleo, subiu a serra e assumiu a encrenca: casa, alojamento, garagem, adega, piscina, laguinho, campinho de futebol. Tudo coisa grande, já se vê. Vencida essa etapa, o ambicioso proprietário se deu conta de que as instalações da velha cozinha remanescente não eram compatíveis com os festejos que ansiava por proporcionar aos seus convidados. Para manter o elevado padrão, Fernando não deixou por menos. Deu uma folga à primeira e convocou a segunda maior empreiteira do Brasil, a OAS. E o pessoal de Leo Pinheiro para lá se tocou, prontamente, a cuidar da sofisticada engenharia culinária do importantíssimo sítio. Afinal, uma obra desse porte não aparece todo dia.

Opa! Problemas de telefonia. Como habitar e receber amigos em local com tão precárias comunicações? Inconveniente, sim, mas de fácil solução. Afinal, todos nós somos conhecedores da cuidadosa atenção que a OI dispensa a seus clientes. Certo? Bastou comunicar-lhe o problema e uma nova torre alteou-se, bem ali, no meio da serra.

Concluídas as empreitadas, chaves na mão, a surpresa! Quem surge, de mala e cuia como dizemos cá no Sul, para se instalar no sítio do Fernando? Recém-egressa da Granja do Torto, a família Lula da Silva veio e tomou conta. Veio com tudo. Com adega, santinha de devoção, estoque de DVD, fotos de família e promoveu a invasão dos sonhos de qualquer militante do MST. Lula e os seus se instalaram para ficar e permaneceram durante cinco anos, até o caso chegar ao conhecimento público. Quando a Polícia Federal fez a perícia no local não encontrou um palito de fósforos que pudesse ser atribuído ao desafortunado Fernando. Do pedalinho ao xarope para tosse, era tudo Lula da Silva.

Eu não acredito que você acredite nessa história. Aliás, contada, a PF não acreditou, o MPF não acreditou e eu duvido que algum juiz a leve a sério. Mas há quem creia, talvez para não admitir que, por inconfessáveis motivos, concede a Lula permissão para condutas que reprovaria em qualquer outro ser humano.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

JÁ BOCAGE NÃO SOU! . . . – Bocage

Já Bocage não sou! . . . À cova escura
Meu estro vai parar desfeito em vento . . .
Eu aos Céus ultrajei! O meu tormento
Leve me torne sempre a terra dura.

Conheço agora já quão vã figura
Em prosa e verso fez meu louco intento.
Musa! . . . Tivera algum merecimento,
Se um raio de razão seguisse, pura!

Eu me arrependo; a língua quase fria
Brade em alto pregão à mocidade,
Que atrás do som fantástico corria:

“Outro aretino fui . . . A santidade
Manchei . . . Oh!, se me creste, gente ímpia,
Rasga meus versos, crê na Eternidade!”

Colaboração de Pedro Malta

J.R.GUZZO

LAVA JATO ESTÁ VIVA. NÃO VAI MORRER ASSIM TÃO FÁCIL

Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4) condenou Lula no processo do sítio de Atibaia, oriundo da Lava Jato

Existem, basicamente, duas maneiras de se lidar com a justiça nos tribunais superiores deste país: a suja e a limpa. A suja o Brasil inteiro está cansado de saber qual é. A limpa é a do Tribunal Federal Regional da 4ª Região, em Porto Alegre, na pessoa dos desembargadores Gebran Neto, Leandro Paulsen e Thompson Flores.

Ao confirmar a condenação de Lula em seu segundo processo criminal, o do sítio de Atibaia, e aumentar para 17 anos de cadeia a sentença que ele havia recebido na primeira instância, o TRF4 mostrou ao Brasil que não tem medo da “Facção Pró-Imunidade Eterna” que protege no plenário do STF os bandidos milionários e poderosos.

A decisão, nas lamentações anônimas dos ministros que querem estender até o Dia do Juízo Final os recursos dos réus “Top de Linha”, foi “uma afronta ao STF”. Onde já se viu um corpo de magistrados condenar alguém que ocupa a posição de “Protegido Número 1 do Supremo”? É claro não foi afronta nenhuma. Os desembargadores do TRF4 aplicaram a lei e fizeram justiça. Quem desmoraliza a lei e pratica a injustiça é o STF. Só isso.

“O TRF-4 mostrou ao STF que não se intimida com cara feia”, escreveu nas redes sociais o jornalista Mario Sabino, editor de O Antagonista. Lulistas, juristas, garantistas, equilibristas, etc, não gostavam da “República de Curitiba”? Pois agora vão ter de se aborrecer, também, com a “República de Porto Alegre”, na expressão do jornalista.

Todos eles, naturalmente, gostariam mesmo é de acabar com o aparelho judicial brasileiro nos casos de mega corrupção – só os Toffoli, Gilmar e seus coroinhas do STF deveriam ter o direito de julgar a ladroagem graúda. Infelizmente, para o seu sonho, ainda não está dando para chegar lá. O TRF4 lhes ensinou, e aos “Seis do STF”, que existe no Brasil de hoje, sim, gente capaz de enfrentar a tentativa de tirania “garantista” que vem do degrau mais alto do Poder Judiciário.

Num país povoado por Rodrigos Maias, Alcolumbres e todos esses falsários que dizem fazer “engenharia política”, é um conforto, realmente, encontrar homens de coragem no exercício da função pública. Gebran, Paulsen e Thompson Flores provaram, com sua decisão da quarta-feira, que os brasileiros não estão sozinhos nas suas esperanças de uma sociedade mais limpa.

Não são os únicos, felizmente – há muita gente, junto com eles, que não tem medo de contrariar Lula e nem de ser acusado, só por isso, de ser “fascista”, “extremista de direita”, “a favor do AI-5” e por aí afora. Ao contrário, são a prova viva de que a democracia brasileira não é propriedade privada da esquerda – e de quem considera um pecado político mortal exigir que o ex-presidente tem de se submeter ao Código Penal, como todos os cidadãos do país.

É comum ouvir ministros do STF dizerem que “as pessoas” acham justas as decisões judiciais que aprovam, e injustas as que não aprovam. Conversa. “As pessoas” não são os idiotas que eles imaginam – percebem, como qualquer ser humano capaz de pensar, que há coisas certas e coisas erradas. Em consequência dessa constatação, acreditam que a justiça do seu país deveria optar pelas coisas certas; do contrário, não vai se merecer nenhum respeito, nunca.

O TRF4 optou por fazer o bem em lugar do mal. Qual é o problema com isso? O problema é que os corruptos não podem mais contar, como esperavam depois da decisão do STF proibindo a prisão dos condenados em segunda instância, com a garantia da impunidade perpétua. Os desembargadores de Porto Alegre mandaram um recado claro a todos eles: a Operação Lava Jato está viva. Não vai morrer assim tão fácil.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MANOEL INÁCIO DO COUTO – FLORIANÓPOLIS-SC

Nobre Editor,

Seria possível publicar este vídeo do nosso jornal?

O jornalista Joaquim Campos, da filiada da Band no estado do Pará, falou ao vivo num programa de TV, sobre um universitário que foi baleado e morto, no último dia 20, por assaltantes que roubaram seu celular.

O fato aconteceu no município de Castanhal e o rapaz estava indo pra aula.

Escute o que diz o jornalista sobre o bandido Lula que apoia ladrões de celulares.

O jornalista transmitiu o sentimento do povo paraense e do povo do Brasil em relação ao meliante petista.

Muito obrigado. 

 

R. Caro leitor, essa história de que Lula defende ladrões de celulares já foi desmentida.

O colunista fubânico Goiano demonstrou com provas técnicas que o vídeo que circula na internet com um discurso de Lula sobre o assunto é uma montagem.

Uma montagem feita pela equipe reacionária e fascista do Presidente Bolsonaro, que morre de medo da volta de Lula.

O mesmo Lula que ultimamente tem sido aplaudido com vaias e chuvas de ovos em todos os recantos do Brasil.

E, em falando do colunista Goiano, ele manda avisar que, antes de acabar o ano, será revelado o primeiro caso de corrupção no governo de Bolsonaro.

Aguardem.

Falta apenas um mês pra esta revelação.

Vai ser uma bomba enorme, bem maior que a soma de Pasadena, Mensalão e Petrobras.

AUGUSTO NUNES

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

NOITE DE HORROR

Estacionei meu coração
Em um lugar proibido
Você me encontrou
Aprontou o maior drama
Depois me guinchou
Rebocou pra sua cama
Em seguida me multou
Pagamento em beijos
Sem nenhum descontos
Esse era seu desejo…
Beijei que fiquei tonto
Inda perdi sete ponto
Na minha carteira.

Oh noite de horror!
Horror de beijos.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROQUE NUNES – CAMPO GRANDE-MS

Bom dia SACO – Sacrossanto, Altaneiro, Confessor, Otimista – Papa Berto I

Dizem que Deus deu ao ser humano duas virtudes que podem ser utilizadas para seu bem-estar neste “vale de lágrimas” como dizia minha saudosa mãe. Assim vejamos:

– Aos americanos deu as virtudes do trabalho e economia – são as pessoas mais ricas do mundo.

– Aos alemães, trabalho e organização – chega a ser quase paranoica para nós os botocudos dos trópicos, a organização dos “chucrutes”.

– Aos japoneses, disciplina e honestidade – no Japão, político pego com a mão na cumbuca não espera processo, faz o harakiri quando o escândalo vem à tona;

– Aos italianos – charme e paixão – dizem ser os melhores amantes do mundo;

– Aos brasileiros – dizem que Deus é brasileiro. Eu tenho minhas dúvidas – deu três: ser honesto, inteligente e petista, mas com a condição de só poder usar duas dessas virtudes de cada vez.

Assim, se o brasileiro é petista e inteligente, não é honesto, se é petista e honesto, não é inteligente, mas se é honesto e inteligente, não é petista.

R. Mas que saco essa sua saudação na abertura da mensagem!

E vamos ao que interessa:

Aguarde, meu caro: o colunista fubânico Goiano vai desmontar esta sua tese envolvendo petralhismo, inteligência e honestidade.

Ele vai desmontar juridicamente, gilmarianamente, luleiramente, psicologicamente, toffolianamente, gleisianamente, filosoficamente e petisticamente.

Se prepare pra cacetada.

Goiano vai dar um despacho com 13 folhas!!!!