COMENTÁRIOS SELECIONADOS

UM TEXTO PARA MEDITAR

Comentário sobre a postagem O MELHOR MINISTRO DE FINANÇAS DO PLANETA TERRA

Airton:

Acho que aqui caberia o texto de Stephen Kanitz.

Publicado no blog do colunista fubânico Carlito.

Clique aqui para ler.

* * *

Stephen Charles Kanitz: consultor de empresas e conferencista brasileiro, mestre em Administração de Empresas da Harvard Business School e bacharel em Contabilidade pela Universidade de São Paulo

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

DIVISÃO JUSTA

Dividi contigo:
O quarto a cama
Os dias da semana
Só não dividi a grana
Pois grana não havia

Dividi o amor
O mesmo espaço
Os beijos, os abraços
Só não dividi o cansaço
Não existia cansaço
Com você não havia

Dividi contigo
A alegria de uma criança
O sonho e a esperança
Só não dividi a ignorância
Não havia lugar pra tanto

Dividi contigo:
O calor desse instante
Esse sol escaldante
Só não dividi a lua
Ela estava em minguante

Dividi contigo:
As rosas dos jardins
Os cravos e os espinhos
As pedras dos caminhos
Ficaram para mim

Dividi tudo
Com sinceridade
Depois de tudo dividir
Aí então descobri
Que somos duas metades.

A PALAVRA DO EDITOR

UMA BANANA BEM DADA

Passei o último final de semana em Brasília.

Fui lá pra cumprir agenda familiar e comemorar um aniversário.

Logo depois que saí do aeroporto, parei na Praça dos 3 Poderes para um ato muito solene e de grande importância.

Estralei uma banana para o STF, a nossa suprema bosta federal, presidida por um petista analfabeto em Direito e reprovado em concurso para juiz de primeira instância.

E na qual tem assento canalhas togados do porte de Lewandowski e Gilmar.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Dando uma sonora banana para uma das maiores vergonhas brasileiras da atualidade

DEU NO TWITTER

JESSIER QUIRINO - DE CUMPADE PRA CUMPADE

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

ZENILTOM, O CORNO ELETROCUTADO

Zeniltom era um menino tímido.

Foi criado à barra do vestido da mãe, que tinha medo de soltá-lo na rua para não “se juntar com más companhias.”

Aos doze anos sua genitora o matriculou no colégio do Estado, onde encontrou uma turminha da pesada, principalmente na ala das fêmeas que já sabiam onde satanás despejou a água do joelho pela primeira vez no Templo de Salomão e Maria Madalena mijou de cócoras no corredor por não encontrar o mictório da templo aberto.

Passados os anos e o jovem Zeniltom percebendo que não tinha cabeça para aprender matemática, sempre ficando em recuperação e no final só passando porque o professor, sentindo-o esforçado, dava um empurrãozinho para não repetir o ano, resolveu que só iria terminar o ginásio depois que arranjasse um emprego de balconista em qualquer loja e iria largar os estudos, decisão com a qual a mãe não compartilhava. A contra gosto, ele seguiu o conselho da mãe.

Concluído o ginásio e percebendo que não possuía nenhuma aptidão mesmo pelas ciências exatas, cumpriu o que havia prometido a mãe: largou a escola e foi trabalhar numa loja de vendas de produtos eletrônicos. Mas antes de iniciar no trabalho prometeu a mãe que iria estudar à noite para se formar, atendendo os desejos dela.

Conforme havia prometido à genitora, dona Zoromilda, Zeniltom se matriculou num colégio do Estado que ficava perto do trabalho e foi tentar aprender as primeiras noções de Filosofia.

Assim que largava do emprego, ia até a barraquinha de seu Quequé, na frente do colégio, que vendia um cachorro quente no capricho, comia dois, tomava dois copos de kissuco de caju e, satisfeito, se dirigia à sala de aula para esperar o Mestre Malucão.

Depois que Zeniltom chegava, antes do professor e dos outros alunos aparecerem, a segunda pessoa que chegava à classe era a jovem Carmosinha, morena fogosa, de peitos fartos e coxas grossas, que ficava conversando com Zeniltom, sempre cruzando as pernas de um lado para outro, trocando ideias sobre o curso, fatos pessoais, religião, trabalho, coisas do cotidiano.

À medida que o tempo ia passando, Zeniltom e a jovem iam se entrosando, se encaixando, se conhecendo, e, no abrir e piscar de olhos, os dois estavam enrabichados.

Não demorou um ano de namoro. O jovem Zenilto, perdido de paixão e doido para comer o boca de macaco da jovem Carmosinha, seis meses depois do noivado, resolveu se casar e foi morar no quitimete de três vãos nos fundos da casa da mãe, dona Zoromilda.

Depois de casado foi que Zeniltom se apercebeu que sua esposa, Carmosinha, era uma ferrenha frequentadora da Igreja Internacional do Dizimo das Graças de Deus (IIDGD), do pastor Possidônio Samburá, o sujeito mais escroto, escroque, picareta de Conceição do Fiofó.

Com um império de mais de quarenta igrejas no bairro e com uma legião de roubreiro de dá inveja a qualquer Edir Macedo da vida, Possidônio Samburá mandou construir nos fundos de cada igreja erguida uma cadeira da jia para ele fofar todas as mulheres recém-casadas que frequentavam suas igrejas. Cada noite e em cada igreja diferente uma era “cantada” para as satisfações libidinais e labiais do pastor escroto.

Zeniltom, com a libido nos poros, mal terminava as aulas vinha correndo para casa para, antes jantar, fazer um calamengal com a jovem esposa. Mas todas as vezes que chegava em casa Carmosinha estava na igreja participando das chamadas “sessões espirituais de descarregos” e outras mandingas criadas pela mente psicopata do pastor para roubar os fiéis e comer as frequentadoras mais laites.

Cansado de chegar em casa e sentir a ausência da esposa, que sempre o alegava que estava nos cultos patrocinados pelo pastor, Zeniltom cisma do cu e vai até a igreja matriz que ficava a quinhentos metros de sua casa. Ao se aproximar, percebe-a vazia, as lâmpadas da frente acesas e a porta de entrada apenas encostada.

Desconfiado, ele entra na ponta dos pés, e quando se aproxima do púlpito percebe a voz de Carmosinha aos berros:

– Aí, pastor, aí, pastor! Aí pastor! Me segure, pastor! Eu estou entrando no céu! Aí meu Deus! Aí meu Deus, pastor! Aí pastor! Me segure, pastor! Me socorra, pastor, eu estou chegando lá! Gema, pastor! Eu vou… Eu vou… Eu vou… entrar no céu, pastor!… aí… aí… uí… uí…aí!… aí… aí… aí… pastoooooooooor!…

Cabreiro e com a pulga atrás das orelhas com os gritos, o coração acelerado, as mãos geladas e coçando a testa no local donde nasce o chifre, Zeniltom abre a cortina para ver que desmantelo era aquele. Quando deu fé, percebeu que era a sua mulher, Carmosinha, com as pernas abertas na cadeira da jia, nua como veio ao mundo e o pastor Possidônio Samburá fazendo barba, cabelo, bigode e gluglu.

Desgostoso, e sem reação nenhuma, Zeniltom saiu da igreja mais desnorteado do que cego em tiroteio. Mais perdido que cachorro quando cai de caminhão de mudança, mais desorientado do que recruta em campo de batalha. Mas cambaleante do que bêbado quando sai do buteco, depois de tomar uns quatro litros de água que passarinho não bebe.

Completamente desnorteado, arrasado, deprimido e desiludido da vida, Zeniltom chegou em casa, pega uns fios de cem que havia comprado do armazém onde trabalhava, descasca uns dez metros, põe numa tomada, enrola o fio em todo o corpo, acocha com um alicate, tira a roupa de trabalho, e nu do jeito que estava, entra debaixo do chuveiro, toma um banho, e depois pega o gancho e enfia na tomada de embutir recebendo uma descarga elétrica de mais de 1000W, vindo a bater as botas na hora, ficando pretim, pretim!

Sem remoço e fria, Carmosinha, quando chega em casa e ver aquele “presunto”, liga para o pastor e este a orienta não fazer alarde, apenas comunicar o ocorrido à autoridade, à família, enterrar o defunto, regularizar a pensão, ficando estabelecido que todo mês a viúva alegre iria pagar 20% do dízimo em nome da igreja, e morreu o boi!

Além da carne mijada de Carmisinha o pastor Possidônio Samburá herdou também uma pensão vitalícia em forma de dízimo. É como diz Zezim Fonfon, o zelador do templo da (IIDGD): Tem gente que nasce com o cu para a lua: A sorte lhe vem de vento em polpa! Deus não dá o frio conforme o cobertor!

DEU NO TWITTER

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES ANÔNIMAS BEM-HUMORADAS

“Não fique de mau humor na segunda-feira: se você acordou é porque não morreu durante a noite. A felicidade começa com a constatação do óbvio.”

“Dizem que todo mundo merece uma segunda chance. Acho que eu já ficaria satisfeito se me dessem a primeira.”

“O carro que mais vende no Brasil é o carro usado. Por que as montadoras não passam a fabricar carros de segunda mão?”

“Não me considere o chefe, considere-me apenas um colega de trabalho que tem sempre razão.”

“Queria estar com a pessoa que eu gosto. Pena que eu não posso estar em 8 lugares ao mesmo tempo.”

“Eu aceito que nem todos gostem de mim. Nem todo mundo pode ter bom gosto!”

“Quando você passar na rua e ficarem te olhando, não se sinta o máximo… Pois o feio e o ridículo também chamam a atenção.”

“O amor não é aquilo que altera seu humor, te faz esquecer das coisas e te causa confusão mental. O nome disso é Alzheimer, o amor é outra coisa” .

“Estou tão cansado de fazer das tripas coração, que se tiver um problema cardiovascular, vai ser no baixo-ventre.”

“Afaste-se sempre das pessoas negativas. Elas têm sempre um problema para cada solução.”

“Protesto na Bahia deve ser muito bom. Os policiais chegam tacando spray de pimenta e os manifestantes levantam o acarajé.”

“Se você um dia me ver comendo uma salada em um restaurante, saiba que eu fui sequestrado e estou tentando sinalizar.”

“Para você que acha que o mundo gira a sua volta, um conselho: vá ao médico! Pode ser labirintite.”

“Pra Conselheiro tutelar! Vote no cipó de Goiaba, nunca matou ninguém, mas disciplinou muita gente.”

“Tem gente que não gosta de mim por causa do que eu digo. Imagina se eles soubessem o que penso!”

“Todo dia é a mesma coisa: filho faz isso, filho faz aquilo… Não vejo a hora de fazer 40 anos e sair daqui de casa!”

“Problemas são como máquinas de lavar roupas. Elas nos torcem, nos puxam e jogam contra parede. Mas no final saímos mais limpos, brilhantes e melhores que antes.”

“Se você não encontrar sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, adicione açúcar, pinga e gelo e vá ser feliz!”

“Vaticano já inicia processo de canonização daquele que atualmente vem fazendo muitos milagres … o Photoshop!”

“Sempre quando estou triste eu canto, porque aí eu percebo que minha voz é bem pior que meus problemas.”

DEU NO JORNAL

O MELHOR MINISTRO DE FINANÇAS DO PLANETA TERRA

O ministro Paulo Guedes foi eleito o melhor ministro da Economia do ano pela revista inglesa GlobalMarkets

Com três décadas de existência, a revista circula durante os encontros anuais promovidos por organismos multilaterais como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Segundo a revista, o ministro brasileiro conseguiu dar andamento a uma política econômica mais favorável ao mercado.

A publicação ressalta que um dos avanços de Guedes foi ter levado ao Congresso a reforma da Previdência, já aprovada na Câmara e prestes a ser votada em segundo turno no Senado.

A GlobalMarkets destaca ainda que as reformas propostas por Guedes são fundamentais para melhorar as perspectivas estruturais das finanças públicas, de médio a longo prazo.

* * *

Primeiramente os parabéns da Editoria desta gazeta escrota ao Ministro Paulo Guedes.

O Melhor Ministro de Economia do Mundo Inteiro.

Um título da bixiga lixa!!!

Em segundo lugar, meus agradecimentos.

Agradeço ao ministro pela alegria que ele me proporcionou ao ser agraciado com esta magnífica honraria:

Ri que só a porra quando imaginei a raiva que esta premiação está causando às zisquerdas banânicas.

O curral de antas descerebradas, de petralhas a psolistas, passando por comunóides e e babacóides, está rasgando o furico com o dedo, relinchando e escoiceando com furor, babando de ódio pelos cantos da boca.

Num tem preço que pague apreciar este lindo quadro!

Vale a pena repetir a frase do meu querido conterrâneo Esmeraldo Boca-de-Fossa, grande Peruador Sociológico de Palmares:

“Mate um petista de raiva por dia e melhore a cidadania”

DEU NO TWITTER